Archive for maio \29\UTC 2009

>Cuiabana Marina é a vencedora do Aprendiz Universitário

Posted on maio 29, 2009. Filed under: Aprendiz, Aprendiz 6, Marina do Aprendiz 6, vencedora do Aprendiz Universitário |

>

“Contratei alguém como eu”, afirma Justus sobre Marina

A decisão de Roberto Justus foi contestada e reafirmada diversas vezes no auditório do Memorial da América Latina, em São Paulo, durante a final do “Aprendiz 6”, na noite desta quinta-feira (28/5). Equilibrada, a torcida de cada participante cresceu em diferentes momentos do episódio. A de Marina Erthal vibrava no início. A de Karina Riberio ganhou confiança ao longo do programa. Mas no final, foi Marina quem levou a melhor.

Ao anunciar a vitória de Marina, de 20 anos, Justus confirmou sua busca por um estagiário que pensasse e agisse como ele: “Escolhi alguém que tinha o meu perfil”. A candidata Karina, de 25 anos, era a favorita entre seus colegas de programa, mas isso não foi suficiente para que ela ficasse com a vaga.

Marina Vasques de Oliveira Erthal

Idade
20 anos – 02/01/1989
Estado Civil
Solteira
Origem
Barra do Garças – MT; mora Cuiabá – MT
Escolaridade
Está no 6° semestre de Publicidade e Propaganda na Universidade Federal de Mato Grosso
Término do Curso
Julho de 2010 (8 semestres)
Experiência profissional
Trabalha como estagiária de criação em uma empresa

Antes do início do programa, o conselheiro Cláudio Forner comentou a prova anterior, em que as participantes tiveram que voltar do Chile para o Brasil sozinhas e sem dinheiro. Questionado sobre a maneira com que as candidatas conseguiam o dinheiro – as três inventaram histórias e pediram dinheiro para conseguir voltar -, Forner defendeu a postura das meninas.

“Elas foram guiadas pelo objetivo de vencer o desafio, chegar a São Paulo o quanto antes. Estavam liberadas para fazer o que fosse necessário para isso, por isso não feriram nenhuma ética. Creio que 95% da população brasileira ficaria no Chile porque não conseguiria superar este desafio”. O episódio foi comentado por Justus durante a final. Ele reiterou a posição de Forner, dizendo que a prova era, acima de tudo, um teste de persuasão.

Além da presença dos 18 participantes desta edição, estavam na plateia outro 61 ex-aprendizes de Roberto Justus. Dez dos candidatos já eliminados participaram da última prova. Stephanie, a terceira colocada, não pôde participar porque pegou uma forte gripe no Chile, durante a prova anterior. “Fiquei doente e a saudade de casa apertou”, disse.

Justus aproveitou o tempo de espera para provocar alguns de seus ex-aprendizes: “Você tem alguma coisa para reclamar, João?”, disse ele a João Granja, candidato demitido após contestar a idoneidade do programa. “Taila, quem vai ganhar o Aprendiz, já que você é boa de falar quem vai sair?”, provocou, lembrando da lista de demitidos que vazou para a imprensa, supostamente pela ex-candidata. Ela nega que tenha divulgado qualquer lista e Justus, depois da brincadeira, disse que acreditava em sua palavra.

Vinda de seguidas vitórias nas tarefas mais recentes, Marina chegou à decisão com moral sobre Karina, que apesar do início brilhante, foi presença garantida nas últimas salas de reunião de Justus.

A trajetória das duas concorrentes parece ter deixado a torcida de Karina mais tímida e sem muita confiança antes do início do programa, enquanto que Marina tinha até seu rosto estampado em camisetas de alguns membros da plateia. A situação, no entanto, se inverteu completamente quando Karina foi anunciada a vencedora da última prova.

A candidata também sentiu-se mais confiante e a cada resposta, sua torcida vibrava ainda mais. As escolhas dos conselheiros também geraram manifestações das torcidas. A de Marina foi menos comemorada devido ao som muito baixo vindo do microfone de Cláudio Forner, que impediu muitos membros da plateia de entenderem que seu voto tinha ido para a morena.

Walter Longo escolheu Karina baseado em sua melhor capacidade de trabalhar em equipe e foi ovacionado. Depois do programa, Longo reafirmou que escolheria Karina, mas se mostrou tranquilo para trabalhar com a vencedora Marina.

Na saída do auditório, Marina era só sorrisos: “Só eu sei tudo o que fiz para conseguir alcançar esse objetivo. Me surpreendi comigo mesma”, disse ela. “Tenho 20 anos e consegui derrotar candidatos mais velhos e mais experientes do que eu. Sou muito competente”, reafirmou a campeã.

Fonte: UOL Televisão

#uolcelular { clear: both; margin:1.5em 0 0 0; font-size:0.8em; } #uolcelular h3 { background:#efefef;color:#000;font:bold 1.1em arial;padding:3px;height:12px;display:block;margin:0;padding-left:1em;} #uolcelular #borda { height:3em;border:1px solid #efefef;color:000;font:normal 13px arial;background:url(http://img.uol.com.br/wap-ico.gif) 1em 0.4em no-repeat;padding:0;padding-top:1.1px; } #uolcelular #borda #txtCel { margin: 0.2em 0 1em 4em; *margin-bottom:1em; } #uolcelular #borda #txtCel a {color:#666666; text-decoration:none; } #uolcelular #borda #txtCel a:hover { text-decoration:underline; } #uolcelular #borda #txtCel a strong {color:#000000;}

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Europeus suspendem compras de soja norte-americana

Posted on maio 26, 2009. Filed under: compradores, Europa, genética, União Européia |

>

Compradores da União Européia voluntariamente decidiram suspender as compras de soja dos Estados Unidos depois de ter sido identificado em carregamentos do produto traços de milho geneticamente modificado, informou um porta-voz da UE em Washington.

Fontes de tradings européias disseram que carregamentos de farelo de soja dos EUA para a Espanha e a Alemanha continham traços de milho transgênico proibido na Europa.

“O setor industrial de soja decidiu por conta própria paralisar todas as compras de soja dos EUA no momento”, disse Mattias Sundholm à Reuters.

Segundo ele, há uma determinação para localizar todo o montante dos carregamentos e devolvê-los, a não ser que já tenham sido consumidos.

O porta-voz não soube dar mais detalhes, como a quantidade total com problemas, mas informou que os volumes continham traços das variedades de milho transgênico MON-88017 e MIR-604.

Representantes do governo dos EUA e de associações do setor no país não responderam a pedidos de mais informações sobre o problema.

O caso levanta preocupações sobre o fornecimento de produtos como farelo de soja para a UE.

“O principal problema é que o bloco não permite nem mesmo porções marginais, traços de OGMs (Organismos Geneticamente Modificados) que não estão autorizados para uso. Isso nos coloca em uma situação de risco no comércio”, afirmou um representante da Associação Espanhola de Importadores de Cereais.

Fontes disseram que 50 mil toneladas de farelo de soja norte-americano contaminado foi descarregado e isolado em Tarragona, maior porto espanhol.

Outras fontes na área de trading disseram que havia suspeita de mais contaminação e que carregamentos em outros locais seriam testados, mas não houve confirmação dessa informação.

A Europa é um grande comprador de farelo de soja, matéria-prima para a produção de animais. A Espanha compra bastante da América do Sul, além dos EUA, mas Brasil e Argentina estão chegando à entressafra.

“A Argentina não terá mais soja a partir de outubro e o Brasil está em uma situação similar. Com a China comprando 2 milhões de toneladas (por mês), soja vai se tornar um produto de luxo”, afirmou um trader.

Fonte: Reuters Brasil

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Clima ajuda, mas produção de café sofre redução

Posted on maio 21, 2009. Filed under: área de café, café tipo arábica, Conab, produtores de café |

>

Os números de café beneficiado no Brasil em 2009, de acordo com a segunda estimativa divulgada nesta quinta-feira (7) pela Conab, apontam para uma produção de 39,1 milhões de sacas de 60 quilos. Isto representa uma redução de 15% em relação à colheita passada, de 45,9 milhões de sacas, resultado da bienalidade negativa da cultura, que é intercalada entre um ciclo alto e baixo. A regularidade das chuvas a partir de janeiro evitou uma queda mais acentuada nas lavouras.


O café tipo arábica, 72,5% da produção total, está projetado em 28,3 milhões de sacas, contra 35,5 milhões do ano passado. A redução é de 20,2%. Já o conilon ou robusta representa 27,5% da produção nacional, equivalendo a 10,8 milhões de sacas.

A maior produção está em Minas Gerais, que detém 49,2% do total nacional, sendo 98,5% do tipo arábica. Em segundo lugar vem o Espírito Santo, com 25,7% da colheita do País, com destaque para a produção do conilon.

Área – A área de café em produção sofreu redução de 3,3%, ou seja, 72,6 mil hectares a menos que em 2008. Agora são 2,10 milhões contra 2,17 milhões de hectares do ciclo passado. Cerca de 90% do plantio estão em produção e o restante dos cafezais em formação.

A pesquisa foi realizada no período de 13 a 25 do mês passado, junto a instituições parceiras da Conab nos principais estados produtores, como Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Paraná, Rondônia e Rio de Janeiro.
(Raimundo Estevam/Conab)

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Rosário Oeste: PMDB realiza encontro regional nesta sexta-feira

Posted on maio 21, 2009. Filed under: Fundação Ulysses Guimarães, PMDB, Rosário Oeste |

>

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) realiza nesta sexta-feira (22), em Rosário Oeste, o primeiro, de uma série de encontros do partido em todo o Estado. O evento vai acontecer a partir das 18h30, no Salão Paroquial do município.

O PMDB, tem como objetivo nestes encontros, organizar a sigla, visando o próximo pleito. Para isso, a montagem das chapas proporcionais(deputados estaduais e federais) será amplamente discutido, assim como o maior projeto da sigla, que é a candidatura própria ao governo do Estado, encabeçada por Silval Barbosa. “Em cada um destes encontros esperamos fortalecer ainda mais o partido para a eleição de 2010. Queremos escutar também os anseios da população para a elaboração do Plano de Governo para o Estado”, declarou o presidente regional da sigla, deputado federal Carlos Bezerra.

Após o evento em Rosário Oeste, Cáceres será a próxima cidade a receber os peemedebistas em mais um encontro, no dia 5 de junho. A expectativa da Executiva Estadual do partido é realizar vários encontros até o final do ano para fortalecer a sigla.

A Fundação Ulysses Guimarães, presidida em Mato Grosso pela ex-deputada federal Teté Bezerra, vai aproveitar a ocasião para treinar mediadores do novo curso da FUG-MT, Gestores Públicos.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Associação defende liberação de registro para clonagem de gado zebu

Posted on maio 21, 2009. Filed under: Alimentos e Saúde, bovinos, Tecnologia |

>

O superintendente técnico da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu, Luiz Antônio Josahkian, destacou a importância para a pecuária brasileira da liberação de registro no país dos bovinos clonados, que antes era proibido. Em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional, ele justificou que, de um universo estimado em 200 milhões de cabeças de gado, o Brasil conta com cerca de 160 milhões de genes zebuínos.


O país desde 2003 vem liderando o mercado internacional de carnes e, segundo ele, não poderia ficar em situação de desigualdade em relação a outros países criadores, onde o registro é permitido. Isto porque o desenvolvimento da raça é um fator econômico importante, levando em conta que a clonagem envolve a valorização genética dos modelos obtidos.

Com o registro de clonagem do zebu liberado, a quantidade da linhagem fica assegurada. Mas, Josahkian lembra que a medida tomada pelo Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, não reflete no consumo da carne, mas apenas no desenvolvimento da raça, e destaca que “tudo pode ser feito com transparência e sob o acompanhamento da sociedade”.
Fonte:Globo Rural

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Barra do Garças: MPF pede a condenação de dono de hotel por racismo

Posted on maio 21, 2009. Filed under: Barra do Garças, Ministério Público Federal, racismo, Universidade Federal de São Paulo |

>

O Ministério Público Federal (MPF) pediu a condenação do proprietário do City Palace Hotel, em Barra do Garças, pelo crime de racismo cometido contra índios. O processo iniciado em 2004 está na fase final e tramita na Justiça Federal em Mato Grosso.


O crime de racismo aconteceu em outubro de 2003 quando funcionários da Universidade Federal de São Paulo, que prestavam serviços de assistência à saúde indígena, dirigiram-se ao hotel para hospedarem uma das funcionárias e mais cinco indígenas. O atendimento foi feito pelo recepcionista Anthony Jean, que confirmou haver as seis vagas solicitadas, realizou a reserva e a entrega das chaves de dois quartos do hotel.


No entanto, conforme comprovado pelos depoimentos prestados em juízo, no momento em que os indígenas adentraram no hotel, eles tiveram o acesso impedido pelo recepcionista sob o argumento de que o proprietário do hotel não admitia a hospedagem de índios no estabelecimento.


As testemunhas disseram, em depoimento, que presenciaram o recepcionista ligando para o proprietário do hotel pedindo autorização para hospedar os índios, mas teve o pedido negado. Em sua defesa, o proprietário do hotel, Nidal Ali, afirmou que não autorizou a hospedagem dos índios porque os quartos estavam reservados para um grupo de pessoas oriundas de Brasília/DF, reservas que, segundo ele, o recepcionista desconhecia.


Nas alegações finais, que são os últimos argumentos apresentados tanto pela acusação quanto pela defesa, o MPF pede a condenação do proprietário Nidal Saleh Ali pelo crime de racismo. Sobre o recepcionista Anthony Jean, o MPF pediu a absolvição por entender que, na medida que ele se encontrava vinculado a contrato empregatício; sob ameaça, mesmo que velada, faltava a ele a autonomia para hospedar pessoas sem autorização do proprietário do hotel.


A pena prevista pela Lei 7.716/89 para o crime de racismo é de três a cinco anos de prisão.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Presidente da Ferronorte garante trecho pronto até 31 de dezembro

Posted on maio 20, 2009. Filed under: ALL, América Latina Logística, Ferronorte |

>

O presidente da Ferronorte junto a América Latina Logística (ALL), Pedro Roberto de Almeida, previu que um canteiro de obras será implantado ainda no final de julho que até 31 de dezembro deste ano – isso mesmo, 31 de dezembro deste ano – o trecho que liga Alto Araguaia, na divisa de Mato Grosso com Goiás, a localidade de Mineirinho, no município de Rondonópolis, estará concluído. Otimista, o executivo disse que a meta é garantir a safra de 2010 com o trem chegando à Rondonópolis.

A promessa causa uma certa dúvida. Afinal, não é de hoje que o calendário da Ferronorte deixou de ser cumprido. Só para se ter uma idéia, a obra estava parada há cinco anos. Isto é: sem avançar um metro a frente sequer. O problema era burocrático. O trecho até Rondonópolis está orçado em R$ 700 milhões e, de acordo com o presidente do Fórum Pró-Ferrovia em Cuiabá, vereador Francisco Vuolo (PR), o dinheiro já está à disposição da ALL, responsável pela obra e pela concessão.

Para o desafio final, de forma a consolidar o sonho do idealizador da estrada de ferro, que é sua chegada até Cuiabá, a distância física física é grande e a temporal inestimável. A partir da localidade de Mineirinho até a Capital ainda precisa ser feito o estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima), que também tem custo elevado. Também precisam ser discutidos dois assuntos importantes: a definição do traçado até Cuiabá, com a manutenção do original, ou com um desvio que vai evitar a entrada da ferrovia nas terras indígenas da reserva Tereza Cristina, e o contorno pela Serra de São Vicente, para atingir a Capital mato-grossense.

O que anima no trecho Alto Araguaia-Mineirinho e sugere uma garantia é que a obra em questão não pode ficar no meio por causa dos prejuízos. Em conversa com o governador Blairo Maggi, o presidente da ALL informou que a operação está bem equalizada e que tudo é feito por etapas.

“A Ferronorte é uma obra importante que a cada quilômetro avançado dentro do território de Mato Grosso traz economia e estabilização do preço do frete, por exemplo. Há muito tempo que aguardamos essa licença” – comemorou o governador Blairo Maggi, ao participar da solenidade de entrega pelo presidente do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) o licenciamento do trecho. O evento foi revestido de otimismo e muita emoção. Nesta quarta-feira completam oito anos da morte do senador Vicente Vuolo – idealizador da ferrovia.

Segundo o presidente do Ibama, “o compromisso do Instituto e do Ministério do Meio Ambiente é fazer tudo com presteza e rapidez, desde que não se perca o rigor, a qualidade e respeito ao meio ambiente”. Roberto Messias explicou ainda a burocratização, frisando que o Governo Federal “é exigente tanto quanto a população que quer esse país, que vai ficar para os nossos filhos, seja pelo menos tão bom quanto toda beleza que ele possui, de megadiversidade, sendo o mais biodiverso do mundo. Mato Grosso é maior que praticamente todos os estados europeus e por isso tem uma tarefa enorme de cuidados fazendo com que montemos o sistema nacional de Meio Ambiente”, disse.

Na análise do Governo, a ferrovia já vem mudando a economia e estabilizando os preços dos fretes, “é claro que ainda não tivemos uma redução conforme todos gostaríamos que fosse, mas, pelo menos não temos mais os piques de fretes que tínhamos no passado”, salientou Maggi. A ferrovia consegue tirar grandes volumes e estabilizar os preços, porém, o desejo dos mato-grossenses é fazer a redução no preço dos fretes.

“Hoje, o frete por hidrovia é mais barato. Aqui com a Ferrnorte não temos conseguido uma redução em relação aos caminhões, mas, temos um preço mais parecido do começo e fim da safra. Antigamente sem ferrovias o período dobrava de 30 a 60 dias, o que não acontece mais, mas, a medida em que a ferrovia vai ganhando capacidade, mais volume e mais velocidade eu creio que ele possa ter uma redução nos preços”, finalizou Maggi.

A Ferrovia Senador Vuolo já tem 500 quilômetros de Mato Grosso do Sul a Mato Grosso. É responsável hoje pelo transporte de quase 50% da produção e 20% do que é exportado pelo Porto de Santos sai pela Ferronorte. As obras estão paralisadas há praticamente dez anos. Em abril do ano passado, o ministro dos Transportes, Alfredo Pereira do Nascimento, e representante da ALL assinaram um Termo Aditivo garantindo que no segundo semestre de 2008 as obras seriam retomadas e o ministro estaria em Cuiabá lançando a ordem de serviço, o que não ocorreu. Participaram do ato também, o presidente da Fiemt Mauro Mendes, secretários de Estado, deputados estaduais e federais e sociedade civil organizada.

24Horas News – Notícias 24 Horas
http://www.24horasnews.com.br

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Três obras de pavimentação em Mato Grosso serão prioridades de Antonio Pagot

Posted on maio 18, 2009. Filed under: BR-158, BR-364, Dnit, eleições de 2010, Luiz Antônio Pagot |

>

Começa mês, encerra mês, e o que se tem não passa do falatório dos políticos a respeito de obras, tanto para Mato Grosso como o Brasil, parece que vai ficar tudo para ser lançado as vésperas das eleições de 2010, consequentemente, ficará para o futuro governo realizar.

Desta vez o diretor-geral do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot, comemora as conquistas à frente da instituição e informa que muitas outras obras também serão destaques em 2009. Depois da considerada “vitória histórica”, com a pavimentação da tão esperada BR-158, sendo 201 quilômetros da rodovia que vai em direção à divisa com o Pará, agora, a BR-364 está na lista de prioridade.

Com o aval do presidente Lula para desenvolver projetos de infra-estrutura, o presidente do Dnit disse ao site Olhar Direto que se sente otimista com o trabalho na pasta e vai realizar uma verdadeira revolução na área da malha rodoviária federal. Isso porque, ele reforça que os números contabilizam o montante de R$ 1 bilhão em obras e serviços destinados em 2009, para as rodovias federais no Estado.

Pagot disse ainda, que a BR-364, considerada uma das mais importantes rodovias diagonais do Brasil, está com o andamento das obras avançadas. “São mais de 300 km de pavimentação e as obras já iniciaram de Mundo Novo a Sapezal. A entrega total será até 2011”, afirmou.

Entre as prioridades também está a rodovia BR-163, que liga Cuiabá a Santarém, no Pará. São quatro trechos de obras de Lucas do Rio Verde a Guarantã do Norte e a ordem de serviço deverá ser dada nos próximos meses. Já quanto à duplicação de Rondonópolis para o Posto Gil, Pagot enfatiza que a licitação dos primeiros trechos também deverá ocorrer no decorrer deste ano.

O processo para garantir a concretização das obras demanda tempo. No entanto, o presidente do Dnit avalia que a instituição passou por uma nova reformulação que vem garantindo menos tempo para aprovação de projetos como a licitação. “Antes uma licitação demorava quase dois anos e a aprovação de projetos, que agora é no máximo 45 dias, antes era de 60”, enfatizou.

Pagot afirmou que a superintendência do Dnit em Mato Grosso concluiu, no final de 2008, licitações para 1.719 quilômetros de obras que incluem serviços de conservação, restauração e implantação de rodovias.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Luverdense é campeão de Mato Grosso em 2009

Posted on maio 18, 2009. Filed under: Araguaia Atlético Clube, Copa Mato Grosso, futebol mato-grossense, Lucas do Rio Verde, Luverdense |

>

Luiz Esmael
Da Redação

Após faturar duas Copa Mato Grosso – 2004 e 2007 -, o Luverdense, enfim, conquistou o título mais importante do futebol mato-grossense. Sob comando do técnico Tarcísio Pugliesi, a equipe de Lucas do Rio Verde sagrou-se campeão mato-grossense deste ano ao derrotar o Araguaia Atlético Clube nas cobranças de pênaltis de 4 a 2, ontem à noite, após empate sem gols nos 90 minutos de bola rolando.


O goleiro Ronaldo foi o grande herói da primeira conquista do Luverdense ao defender as cobranças do meia Marcelo Newman e do atacante Pesão. Converteram as penalidades para o time de Lucas o meia Maycon Gaúcho, o atacante Odil, o zagueiro Zé Roberto e o atacante Leandro.


Pelo lado do Araguaia, fizeram o meia Verona e o atacante Gaúcho. O meia Marcelo Newman e o atacante Pesão pararam nas mãos do goleiro Ronaldo, que foi decisivo ao Luverdense.


Com o estádio Bilinão completamente lotado, Araguaia e Luverdense fizeram uma decisão equilibrada desde do primeiro jogo da final quando empataram em 2 a 2, em Lucas do Rio Verde.


Uma das raras jogadas de perigo no primeiro tempo, o goleiro Ronaldo interviu o que poderia ser o primeiro gol do Araguaia. De frente para o gol, o volante Valtinho chutou de primeira, mas esbarrou na boa colocação de Ronaldo, que espalmou para o escanteio. Na etapa final, as equipes partiram ao ataque, mas o placar ficou em branco.


Ficha Técnica:

Araguaia – Flávio Mendes; Eduardo, Marinho, Luiz Carlos e Sulliman (marcelo Newman); Valtinho, Alessandro, Fabinho (Pesão) e Verona; Dinei e Gaúcho. Técnico: Pedro Mendes.

Luverdense – Ronaldo; Éder, Marquinhos, Zé Roberto e Paulinho; Felipe, Bogé (Fabinho), Paulinho (Lê) e Maycon Gaúcho; Odil e Júnior Rocha. Técnico: Tarcísio Pugliesi.

Árbitro: Edílson Ramos da Mata.

Fonte: A Gazeta

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Prejuízo da Sadia no primeiro trimestre de 2009 é de R$ 239,2 milhõesí

Posted on maio 14, 2009. Filed under: Sadia |

>

Às vésperas de anunciar a fusão com a concorrente Perdigão, a Sadia informou hoje que registrou prejuízo líquido de R$ 239,169 milhões no primeiro trimestre deste ano, ante lucro de R$ 248,266 milhões no mesmo período do ano passado. No quarto trimestre de 2008, a empresa tinha anotado perda de R$ 2 bilhões com o impacto de operações cambiais.

Perdigão anuncia perdas de R$ 226 milhões no primeiro trimestre deste ano

A receita operacional bruta consolidada nos três primeiros meses deste ano, porém, ficou positiva, alcançando R$ 2,9 bilhões, 10,6% superior ao mesmo período do ano anterior. “Este aumento se deve ao desempenho no mercado interno, que registrou elevação de vendas em volume e preço”, informou a Sadia.

A receita do segmento de industrializados atingiu R$ 1,5 bilhão, 17,6% superior à de igual período de 2008. “A maior concentração das vendas da companhia no mercado interno superou a média histórica e atingiu 59,5% do total da receita e o equivalente a 53,1% do volume total, com crescimentos em todos os segmentos em que a Sadia atua”, informou.

Patricia Stavis/Folha Imagem
Em 2008, Sadia registrou o primeiro prejuízo líquido em 64 anos de história
Em 2008, Sadia registrou o primeiro prejuízo líquido em 64 anos de história

O volume total de vendas caiu 0,5% no primeiro trimestre e totalizou 530 mil toneladas. Enquanto no mercado interno elevaram-se 10,3%, no mercado externo decresceram 10,5% devido, principalmente, “à crise econômica mundial e à restrição de crédito nos mercados da Ásia e da Eurásia”, explica a Sadia. A receita bruta neste mercado totalizou R$ 1,2 bilhão, uma queda de 3,3% em relação ao primeiro trimestre de 2008. Os preços médios em reais aumentaram 3% na mesma comparação.

“Afetados pelo enxugamento do crédito, importadores promoveram grandes reduções de seus estoques, que acabaram afetando as exportações brasileiras do nosso setor. O redirecionamento dos produtos para o mercado interno compensou em parte a redução das receitas externas. (…) O resultado da Sadia no primeiro trimestre sofreu o impacto do conjunto atípico de ajustes realizados na cadeia de valor por conta da crise econômica global”, segundo comunicado assinado pelo diretor-presidente da empresa, Gilberto Tomazoni.

O Ebitda (lucro antes de impostos, juros, participações nos resultados, depreciações e amortizações) somou R$ 62,5 milhões, uma queda de 75,7% em relação ao primeiro trimestre de 2008. A margem Ebitda alcançou 2,5%, redução de 8,8 pontos percentuais quando comparada aos três primeiros meses do ano passado.

O lucro bruto somou R$ 386,2 milhões ao final do primeiro trimestre deste ano, queda de 28,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. “Tal desempenho decorre, principalmente, do aumento de 19,3% nos custos dos produtos vendidos em razão de variações nos preços de grãos (milho e soja)”, informou.

O resultado financeiro líquido da Sadia, por sua vez, ficou negativo em R$ 260 milhões no primeiro trimestre, contra R$ 90,2 milhões positivos no mesmo período de 2008. A maior despesa financeira (R$ 122,9 milhões) refere-se a pagamentos de juros de financiamentos seguida pelo impacto de R$ 71,2 milhões em variações cambiais sobre ativos e passivos em moeda estrangeira.

Por fim, a Sadia encerrou o primeiro trimestre com endividamento financeiro líquido de R$ 6,8 bilhões. “Como forma de equacionar a atual situação patrimonial e financeira, ocasionada pelo aumento do endividamento financeiro, a administração vem buscando estruturar o seu passivo financeiro de curto prazo”, explica em comunicado.

E os investimentos totalizaram R$ 170,3 milhões de janeiro a março, 60,1% inferior quando comparado aos R$ 427,1 milhões investidos no mesmo período do ano passado.

Derivativos

Em relação aos derivativos cambiais indexados ao dólar, que causaram prejuízos bilionários à empresa de alimentos, a Sadia destaca que todas as perdas já foram contabilizadas no quarto trimestre de 2008.

Como a Sadia (e outras empresas, como Aracruz e Votorantim, por exemplo) tem receita em dólar obtida com exportações e custos em reais, as operações funcionariam como uma defesa para a oscilação cambial. Porém, os contratos não ofereciam qualquer proteção contra a desvalorização do real, como ocorreu no último trimestre de 2008. Na prática, se o dólar cai, os bancos cobrem o prejuízo e as empresas lucram, mas se a cotação sobe, ganham os bancos.

A Sadia encerrou 2008 com o primeiro prejuízo anual de sua história, reflexo de perdas financeiras com operações cambiais e dos impactos da desvalorização do real.

As perdas foram de R$ 2,48 bilhões e não refletiram o desempenho operacional da empresa, que registrou receita anual recorde de R$ 12,2 bilhões, alta de 23% em relação a 2007. O volume total comercializado aumentou 8,3% em 2008, o mercado interno cresceu 12,2% e o mercado externo, 5%. A Sadia também encerrou o ano de 2008 com o maior volume de investimentos de sua história, na ordem de R$ 1,8 bilhão.

Fonte: Folha de S. Paulo

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

« Entradas Anteriores

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...