Aeronáutica

>Contra vontade de Lula e Jobim, FAB opta por caças suecos

Posted on janeiro 5, 2010. Filed under: Aeronáutica, Boeing, Comando, Dassault, F-18 Super Hornet, FAB, Jobim, Lula, Rafale |

>

O caça francês Rafale, da empresa Dassault, ficou em terceiro e último lugar no relatório técnico que o Comando da Aeronáutica entregou ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, sobre o projeto FX-2, de renovação da frota da FAB. O Gripen NG, da sueca Saab, ficou em primeiro lugar na avaliação, e o F-18 Super Hornet, da norte-americana Boeing, em segundo.

O resultado tende a gerar constrangimentos no governo e mais atrasos para a decisão final sobre o projeto de compra de 36 caças, ao contrapor a avaliação técnica da Aeronáutica pró-suecos à preferência política do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da área diplomática pela oferta que foi apresentada pelos franceses.

A decisão pró-Rafale chegou a ser anunciada em nota conjunta assinada pelos presidentes Lula e Nicolas Sarkozy, em setembro passado, mas o governo brasileiro recuou depois da repercussão negativa na FAB e entre os concorrentes, já que a avaliação técnica nem sequer havia sido concluída.

Agora, o governo está num impasse: ou passa por cima do relatório da FAB e fica com os Rafale, ou desagrada o governo francês e opta pelo Gripen NG. Formalmente, o presidente Lula está liberado para escolher qualquer um dos três.

Conforme a Folha apurou, o “sumário executivo” do relatório da FAB, com as conclusões finais das mais de 30 mil páginas de dados, apontou o fator financeiro como decisivo para a classificação do caça sueco: o Gripen NG, até por ser monomotor e ainda em fase de projeto (se baseia no Gripen atual, uma versão inferior em performance), é o mais barato dos três concorrentes finais.

A diferença de valores é tanto no quesito preço do produto como no custo de manutenção. A Saab diz que ofereceu o Gripen pela metade do preço do Rafale, ou seja, algo na casa dos US$ 70 milhões. Afirma que a hora-voo de seu avião é quatro vezes menor do que a do francês, o que a Dassault rejeita: como o Rafale tem duas turbinas, é mais caro de operar, mas teria melhor performance.

Quem vai arcar com todos esses custos, durante os cerca de 30 anos de vida útil do jato, é a FAB, que considera a questão prioritária.

Pesou também o compromisso de transferência de tecnologia. O Gripen NG é um projeto em desenvolvimento que oferece em tese mais acesso a tecnologias para empresas futuramente parceiras, como a Embraer. Há a promessa genérica de produção final no Brasil, mas de resto o Rafale também diz isso. O problema é que o francês é um produto pronto, supostamente com menor taxa de transferência de conhecimento de produção.

O relatório da FAB não considerou como negativo o fato de o jato sueco ser monomotor, já que em aviões modernos isso é visto com um problema menor na incidência de acidentes.
Já o Rafale apresentou três obstáculos, na análise da FAB:

1) Continuou com valores considerados proibitivos, ao contrário do que o presidente da França, Nicolas Sarkozy, havia prometido a Lula.

2) O prometido repasse de tecnologia foi considerado muito aquém da ambição brasileira. Trata-se de um “produto pronto”, que teria, ou terá, dificuldades para ser vendido a outros países a partir do Brasil.

3) A Embraer, consultada pela Aeronáutica, declarou que, se fosse o Rafale, não teria interesse em participar do projeto, pois lucraria muito pouco em tecnologia e em negócios.

O relatório foi feito pela Copac (Comissão Coordenadora do Programa Aeronaves de Combate) e ratificado pelo Alto Comando da Aeronáutica no dia 18 de dezembro.

Jobim voltou ontem à noite a Brasília pronto para se reunir com o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito. Oficialmente, para ganhar tempo, a versão do governo é que a FAB ainda não lhe entregou o documento.

O ministro já sabe do resultado desde uma viagem que fez com Saito à China e à Ucrânia, no final do ano. Os dois aproveitaram uma escala justamente em Paris para discutir a questão com o presidente da Copac, brigadeiro Dirceu Tondolo Noro, que, conforme a Folha apurou, foi chamado de última hora a viajar à capital francesa para encontrá-los.

É uma das grandes compras em curso no mundo, e pode bater os R$ 10 bilhões.

Em entrevista à Folha em dezembro, Jobim admitiu que tinha interferido para mudar as regras do relatório da Copac, mas sem assumir que a intenção era evitar que a FAB indicasse um favorito que não batesse com o do Planalto.

Fonte: Folha de S. Paulo

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Síntese Econômica

Posted on outubro 28, 2009. Filed under: Açúcar, Aeronáutica, Economês, Indústria, Madeira |

>

Aeronáutica

A empresa aeronáutica norte-americana Goodrich Corporation inaugura hoje, em São Carlos, na região de Ribeirão Preto (SP), a sua primeira unidade na América Latina. A empresa, que tem sua matriz em Charlotte, faz manutenção de aeronaves civis e militares e injetou inicialmente U$ 4 milhões na unidade brasileira e já conta com 12 funcionários há vários meses, mas a meta é chegar a 50 trabalhadores e aplicar outros US$ 30 milhões nos próximos anos no país. A Goodrich também fornece sistemas e serviços para o mercado de aeronaves, segurança e defesa em todo o mundo.


Atividades

Na primeira etapa de atividades em São Carlos, a empresa, instalada no Centro de Manutenção da TAM, num condomínio com espaço de 4,6 milhões de metros quadrados, fará a manutenção do compartimento localizado abaixo da asa do avião, item conhecido como “capota”. Nesse centro aeronáutico, outras 20 empresas do setor ainda deverão se instalar. Os aviões Airbus da TAM serão os primeiros a receberem os serviços de manutenção dos funcionários da Goodrich, que tem como diretor-geral Ed Bevier.


Indústria

O indicador de nível de atividade (INA) da indústria paulista subiu 4,3% em setembro ante agosto, com ajuste sazonal, segundo dados divulgados nesta terça-feira pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A alta representa o melhor desempenho mensal desde abril de 2008. No cálculo sem ajuste sazonal, o INA subiu 2,7% no mês passado ante o mês anterior, no melhor resultado para meses de setembro desde o ano de 2003.


Economês

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aprovou o orçamento do fundo para 2010. Os valores aprovados são os mesmos do orçamento de 2009. Assim, os programas vinculados à área de habitação popular terão um orçamento de R$ 18 bi em 2010. Saneamento básico terá à disposição R$ 4,6 bilhões. Outros R$ 4 bi vão para concessão de descontos nos financiamentos habitacionais a pessoas físicas.


Madeira

O Cipem (Centro das Indústrias Produtoras e Exportadores de Madeira de Mato Grosso) é um dos expositores da VIII Feira de Máquinas e Produtos do Setor Madeireiro, que será realizada de hoje a 31 de outubro no Hangar Centro de Exposições da Amazônia, em Belém (PA). Paralelamente ao evento, será promovido o IX Congresso Internacional de Compensado e Madeira Tropical, com foco para setor madeireiro. O Cipem irá apresentar a produção do setor de base florestal em MT e divulgar a Promadeira 2010.


Açúcar

O preço médio do açúcar refinado e cristal registraram alta de 7,22% no varejo em setembro de 2009 em relação ao mês anterior, de acordo com pesquisa realizada em todo o Brasil pelo grupo GfK, especializado em pesquisa de mercado. Nos últimos 12 meses, a alta média acumulada é de 43,05%. Nos primeiros nove meses de 2009, a alta acumulada é de 36,29%. A alta de setembro é um pouco menor que a elevação registrada em todo o ano de 2008, quando o preço médio subiu 9,7%. Em 2007, o preço do açúcar no varejo caiu 0,24%.

Fonte: A Gazeta


Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...