América Latina

>Piñera e Lula

Posted on outubro 19, 2010. Filed under: Alexandre Garcia, América Latina, Banco Central, Fernando Henrique, Fidel Castro, Pinochet, presidente do Chile, Sebastian Piñera |

>

Por Alexandre Garcia
Para a esquerda brasileira, o presidente do Chile Sebastian Piñera é de direita. Para os chilenos, essa bobagem já está ultrapassada. Depois que Pinochet saiu e assumiram governos socialistas, todos seguiram a política econômica implantada pelo ditador, tal como Lula seguiu as políticas econômica e social implantadas por Fernando Henrique. Isso não é humilhação, mas bom-senso.
Sebastian Piñera presidente do Chile
O Chile era um país conservador antes das reformas de Pinochet. Quem lê os livros da escritora Isabel Allende sabe disso. A escritora nunca concordou com a ditadura, que derrubou o primo do pai dela, Salvador Allende. Mas reconhece que foi Pinochet quem modernizou o Chile. Salvador Allende estava sendo usado para implantar uma ditadura comunista, como confessou há pouco Fidel Castro, em entrevista, revelando que tentou exportar sua revolução marxista para a América do Sul. O Chile salvou o cone sul de uma expansão comunista. Se ela tivesse acontecido, talvez nem teríamos a queda do Muro de Berlim e da União Soviética.
Quando digo Chile, refiro-me ao povo que aprovou Pinochet no plebiscito de 1980, que lhe deu 75% dos votos. Oito anos depois, em outro plebiscito, o general perde e se retira e é sucedido por governos democráticos que mantêm a ordem econômica. Aqui no Brasil a ordem foi invertida e os militares promoveram a abertura política, deixando para os governos democráticos a abertura econômica. Sem a força que Pinochet teve, o Brasil até hoje não desatou os nós da economia.
A diferença entre o Chile e o Brasil é gritante. O Chile sofre um dos maiores terremotos do planeta, de 8,8 graus Richter, resiste e se recupera rapidamente porque está preparado. O Brasil não está preparado para evitar desmoronamentos como o do Morro do Bumba, em Niterói, que matou 50, e tudo indica que tragédias assim vão se repetir. O Chile tira 33 mineiros de 700 metros de profundidade com uma ação de primeiro mundo que supera todas as expectativas.
O ex-presidente do Banco Central, Carlos Langoni, classifica o Chile como único país desenvolvido da América Latina. O país, desde 1996, tem grau de investimento AA3, só a três degraus do topo, renda per capita de 15 mil dólares, juros de 3% aa e investimento igual a 27% do PIB, o mais alto da América Latina. Tudo porque as mudanças do ditador foram mantidas pelos governos democráticos: privatizações, desregulamentação da economia, abertura econômica, independência plena do Banco Central, estabilidade fiscal, ausência de déficit público, fim do protecionismo no comércio exterior e tarifas baixas para importação. O Chile tem crescimento sustentado já por 20 anos e mostra que tudo isso é possível numa democracia sul-americana. Lula não foi à posse de Piñera; deu uma desculpa fajuta. Mas curvou-se à eficiência chilena e ligou para cumprimentar Piñera no dia do resgate dos mineiros. Quem sabe se interesse agora pelo modelo de sucesso.



Carlos Chagas á articulista político. E-mail: colunas@alo.com.br
Fonte: A Gazeta

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Professor Alfredo da Mota Menezes lança o livro: Ingênuos, Pobres e Católicos

Posted on setembro 13, 2010. Filed under: América Latina, Bom Dia Mato Grosso, Editora Fundo de Cultura, Ingênuos, livro, Pobres e Católicos, Professor Alfredo da Mota Menezes, Rádio RSat |

>

O professor Alfredo da Mota Menezes, que tem uma participação relevante do Programa Chamada Geral, ancorado por Lino Rossi, transmitido através de uma rede de rádio no estado de Mato Grosso, gerado pela Rádio RSat, de segunda a sexta-feira das 06:00 às 08:00 horas da manhã, você pode ouvir também pela internet clicando aqui ,  lança nesta semana no Rio de Janeiro, pela Editora Fundo de Cultura, o livro INGÊNUOS, POBRES E CATÓLICOS:A Hitória da Relação dos EUA com a América Latina. Alfredo é  PhD em História da América Latina pela Tulane University, EUA, lugar onde também lecionou como professor visitante. Publicou os livros “A Herança de Stroessner”, “Do Sonho à Realidade: A Integração Econômica Latino-Americana”, “Guerra do Paraguai: Como Construímos o Conflito”, “Integração Regional: Os Blocos Econômicos nas Relações Internacionais com Pio Penna”, “Momento Brasileiro: Do Fim do Regime Militar à Eleição do Lula” e “A Morte de Totó Paes: Política no Interior do Brasil”.
Professor Alfredo da Mota Menezes
O livro conta a história desse complicado relacionamento. Também trabalha com fatores e teorias que levam aquele país à crença numa superioridade com os vizinhos mais ao sul do continente.
Se aceita nos EUA que fatores como religião, raça, clima e a herança ibero-católica teriam gerado o espírito não democrático (governos autoritários seria um fato natural) e não capitalista da América Latina.
Em diferentes momentos da história associam a América Latina com uma criança ou um símbolo feminino e também é negra ou mestiça. E acreditam que o comportamento é igual em todos os países. Também a mídia e o cinema atuam de acordo com essa visão histórica.
Nunca a América Latina foi olhada como um parceiro confiável.
A maioria dos norte-americanos não acredita, em síntese, que os latino-americanos tenham criado nada de útil para a evolução da humanidade. 
O Bom Dia Mato Grosso deseja ao professor muito sucesso no novo projeto, pois seu profissionalismo e esmero dedicado a tudo que faz nos dá a garantia da qualidade o novo livro.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...