Avenida das Torres

>Bicicleta é o transporte ecologicamente mais sustentável do planeta

Posted on outubro 26, 2010. Filed under: Avenida das Torres, Bicicleta, Cáceres, ciclovias, CUIABÁ, ecologicamente, Mato Grosso, Mobilidade Urbana, ONU, planeta, sustentável, transporte |

>

Mobilidade urbana – a Organização das Nações Unidas (ONU) elegeu a bicicleta como o transporte ecologicamente mais sustentável do planeta. Embora o veículo tenha especial atenção nos países do Primeiro Mundo, na maioria das grandes cidades brasileiras as obras de infraestrutura simplesmente ignoram os ciclistas. Em Mato Grosso, a bicicleta é transporte para muita gente em cidades do interior, como Sinop e Cáceres, mas em Cuiabá existem duas ciclovias que nem mesmo a população as reconhece no espaço urbano. Estão localizadas na avenida das Torres e na rodovia do Moinho, apenas no trecho do bairro Pedregal. Usuários e amantes do esporte afirmam que a sociedade local menospreza o transporte por acreditar que é apenas de uso da população carente, como ocorre com o transporte coletivo.

Bicicleta um dos meios de mobilidade urbana ecologicamente mais sustentável

Enquanto isso, nos países do Primeiro Mundo a bicicleta é encarada como a melhor opção de transporte. Oferece rapidez e facilidades na hora de estacionar. É saudável e não emite gases poluentes e não causa transtornos no trânsito. Na Europa, por exemplo, 30% dos trajetos curtos – menos de 3 km – são feitos de bicicleta. Em Dublin (Irlanda), 11% da população têm a bicicleta como o principal meio para ir ao trabalho.
O Brasil possui apenas 600 quilômetros de vias para uso exclusivo de bicicletas. Este número é pequeno se comparado à frota nacional que é hoje de 50 milhões de bicicletas. De acordo com o diretor do Departamento de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, Renato Buareto, a idéia do governo é financiar projetos que incentivem o uso da bicicleta, principalmente nos deslocamentos de pequenas distâncias. Em Cuiabá, os ciclistas – em torno de 5 mil – dividem espaço no trânsito com os veículos pesados, assim como os pedestres.
O comerciante de bicicletas em Cuiabá e Várzea Grande, Robson Hugo dos Santos, acredita que a cidade vai precisar de uns 50 anos para obter infraestrutura de acesso aos ciclistas, enquanto isso recomenda muito cuidado ao pedalar nas principais ruas e avenidas. “É preciso se manter a um metro e meio de distância dos carros, mas essa é uma regra que não se consegue cumprir por aqui, mesmo seguindo as normas de andar próximo à sarjeta. O ciclista deve obedecer os sinais de trânsito, usar a sinalização dianteira e traseira para bicicletas e capacete, evitar ultrapassagens de carro e nunca andar na calçada”, alerta.
Na sua opinião, os gestores públicos deveriam captar verbas já existentes no Ministério das Cidades para a construção de ciclovias. “Não dá pra entender porque se faz uma obra como a duplicação da Rodovia Emanuel Pinheiro, entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães, sem ciclovia”, comenta.
As vendas de bicicletas em Cuiabá estão voltadas para os esportes. O comerciante diz que existem hoje cerca de quatro grupos de ciclistas que pedalam à noite pela cidade. “As vendas até aumentaram, mas para uso de lazer e esporte. Numa pesquisa que fizemos com nossos clientes, se Cuiabá tivesse ciclovias eles afirmaram que deixariam o carro em casa e iriam trabalhar de bicicleta”, disse. 
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Em evento promovido por Maggi e Silval, Wilson surpreende e lança pacote de obras de R$ 36 milhões para Cuiabá

Posted on março 9, 2010. Filed under: Avenida das Torres, Blairo Maggi, Inauguração, Palácio Paiaguás, pavimentação, prefeito de Cuiabá, Wilson Santos |

>

Prefeito Wilson Santos (PSDB) - Foto: Josinei Moreira  O prefeito de Cuiabá e pré-candidato ao Palácio Paiaguás, Wilson Santos (PSDB), roubou a cena nesta terça (9) ao aproveitar o evento promovido pelo governador Blairo Maggi, em que emitia a ordem de serviço para a pavimentação e drenagem em 48 bairros da Capital no valor de R$ 21,1 milhões. 
O tucano anunciou um “pacotão” de R$ 36 milhões para realização de recapeamento e operação tapa-buracos na Capital. “Já que estamos falando de asfalto, gostaria de aproveitar a oportunidade para lançar um pacote de obras que vai beneficiar vários bairros em Cuiabá”, discursou Wilson.
  
Empolgado, o tucano aproveitou o ensejo para entregar o primeiro convite da inauguração da Avenida das Torres para Maggi. “O senhor será o primeiro ser humano a receber o convite desta avenida que vai ajudar a desafogar o trânsito na Capital”, disse. 
O governador foi surpreendido pelo convite e o discurso do prefeito da Capital, mas declarou que se sua agenda permitir deve estar presente na inauguração da obra, que acontece em 30 de março. Apesar do clima tenso, Maggi, Wilson e Silval Barbosa (PMDB) sentaram-se lado a lado e mantiveram a cordialidade.  
   
A ordem de serviço dada pelo governador a representantes de seis empresas prevê obras em 48 bairros das quatro regiões de Cuiabá e no Centro Político Administrativo (CPA). Serão asfaltadas 252 ruas, 17 travessas, 10 avenidas, sendo que 3 delas terão suas vias duplicadas. Para a execução das obras serão aplicados R$ 21,1 milhões, sendo R$ 2,1 milhões oriundos do governo do Estado e R$ 19 milhões destinado pelo Ministério das Cidades por meio de emendas de vários parlamentares, entre eles o progressista Eliene Lima. Fonte: RDNews
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Cuiabá: Avenida das Torres tem imóveis valorizados até 500%

Posted on novembro 1, 2009. Filed under: Avenida das Torres, CUIABÁ, Imobiliária, Pantanal Shopping |

>

Com pouco mais de três anos de existência e já considerada uma das principais vias de acesso dos bairros a uma das regiões mais nobres de Cuiabá – o Pantanal Shopping, na Avenida Rubens de Mendonça – a Avenida das Torres sofreu nos últimos meses forte valorização ao longo de toda sua área de influência. Estima-se que os valores dos imóveis situados à margem da Avenida tenham aumentado em até 500% por conta da rápida ocupação que se dá com a abertura da via, onde estão sendo implantados inúmeros projetos – comerciais, industriais e residenciais.

De acordo com o empresário do setor imobiliário, Kalil Yassim, da Yassim Imobiliária – empresa com loteamentos na extensão da Avenida das Torres – antes da construção da avenida e do adensamento urbano provocado pela via, o valor do metro quadrado na área era inferior a R$ 20. Hoje, segundo Kalil, o valor do metro quadrado saltou para até R$ 120, dependendo da sua localização. “Foi uma coisa incrível a valorização dos imóveis situados às margens da Avenida das Torres. Nunca vi uma área se valorizar tanto em tão pouco tempo”, sentencia.

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci/MT), autarquia que monitora e normatiza o mercado imobiliário no Estado, Carlos Alberto Lúcio da Silva, disse que as obras da Avenida das Torres provocaram valorização imediata dos imóveis em toda imediação. “É claro, que, em muitos casos, há especulação imobiliária, com variações positivas de valores acima da realidade, o que é muito natural”, observou.

O presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil (Sinduscon), Luiz Carlos Richter, diz que a Avenida das Torres criou uma forte perspectiva de desenvolvimento para a região, induzindo os investimentos e estimulando a infraestrutura.

Carlos Lúcio, do Creci, acredita que nas áreas privilegiadas, especialmente nas proximidades de bairros nobres já implantados – como o Jardim Itália e o Santa Cruz, por exemplo – a variação de preços para cima pode chegar à casa dos 45% a 60%, considerando o período de início e conclusão das obras.

Para o corretor de imóveis, Joaquim Pinto Ribeiro, com 22 anos de atuação e atualmente na Imobiliária São Benedito, as áreas da região sul da capital, principalmente os 13 bairros cortados pela Avenida das Torres, terão ainda uma valorização de 40%, no mínimo. “Com o tempo, a tendência é esse patamar subir ainda mais à medida que as ocupações forem acontecendo”, afirma ele.

Júlio César de Almeida Braz, sócio-proprietário da Ginco Empreendimentos Imobiliários, aponta que os preços dos imóveis ao longo da Avenida sofrem variações. “A valorização é de acordo com a localização do imóvel”, diz, lembrando que os terrenos localizados na região do Coxipó – imediações do Distrito Industrial – até à altura do trevo do Jardim Itália, tem preços mais acessíveis. “A partir do Jardim Itália os imóveis mais do que dobram de preço. E, das adjacências do Alphaville até chegar ao Pantanal Shopping, os imóveis são direcionados para as classes média e alta e os preços são bem maiores”.

Na opinião de Júlio César, os terrenos da Avenida das Torres vão ter novas valorizações “à medida que a via for ocupada e ficar concluída. Por isso entendo que o momento de comprar imóveis na área é agora”. Fonte: Diário de Cuiabá

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...