Capital

>A verdade sobre Cuiabá e a Fifa

Posted on outubro 17, 2010. Filed under: Capital, católico apostólico, CBF, Centro Geodésico da América Latina, Copa do Mundo de 2014, CUIABÁ, estádio Verdão, Fifa, Mato Grosso |

>Por Félix Marques

Para quem não sabe, Cuiabá é a Capital do Estado do Mato Grosso, Brasil, situada no Centro Geodésico da América Latina e geograficamente posicionada na beira de um rio e atrás de um morro como situou Giovanni Melchior Bosco, o padre católico apostólico romano que após ordenar os primeiros salesianos em 1862, em Roma, passou a distribuí-los em missão pelo mundo e a primeira missão para o Brasil foi mandada para Cuiabá, quando o Santo Padre afirmou que os missionários iriam para o fim do mundo na beira de um rio atrás de um morro.
Cuiabá capital de Mato Grosso
Isso indicava o rio Cuiabá e o morro do Santo Antônio na província do Mato Grosso. E Fifa é a Federation Internationale de Football Association, mais conhecida pelo acrônimo Fifa e que congrega todas as associações de futebol do mundo. É essa entidade internacional que promove de 4 em 4 anos a Copa do Mundo em algum país do planeta. Desta feita, a Copa do Mundo de 2014 será realizada no Brasil e com subsedes em várias cidades brasileiras, dentre as quais Cuiabá, Capital do Mato Grosso.
Nesse contexto entendemos que é a nossa cidade quem deveria ser convocada para assumir o compromisso com a Fifa. Todavia, o Estado do Mato Grosso se antecipou e assinou o Termo de Compromisso com a Fifa e o Comitê Organizador no Brasil através da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e se comprometendo a cumprir as metas para evento, usurpando o legítimo direito de Cuiabá e de sua gente. Dessa forma a Capital do Mato Grosso foi extirpada do processo, servindo, apenas, de espaço físico para que a Fifa e o Estado do Mato Grosso implantassem aqui as obras e urbanizações, sem que Cuiabá fosse ouvida ou mesmo convidada para receber as modificações físicas estruturais e projetos de mobilidade urbana.
Estádio Verdão sendo demolido para construção do novo estádio em Cuiabá
Estão considerando que Cuiabá não tem um gerente, não tem alcaide, é uma cidade do sem-fim e sem dono e sem sociedade. Não. Aqui tem dono. Tem sociedade organizada. E nós exigimos respeito. Aqui tem prefeito. Aqui tem uma Câmara de Vereadores atuante. Sendo assim, quem tem que conclamar o mundo para voltar os olhos negros e azuis para Cuiabá é o senhor prefeito Francisco Galindo e não a Agecopa. Quem tem que dar entrevista para o mundo é tão somente o prefeito. Quem tem que apontar as obras que precisamos é o prefeito e a sociedade cuiabana. Quem tem que alertar a Fifa que Cuiabá necessita de uma rede de esgoto para receber o evento é o prefeito municipal. Quem tem que apresentar à Fifa que precisamos construir um esgoto mestre às margens do rio Cuiabá de ponta a ponta do município e nas duas margens e com estação de tratamento de esgoto de espaço em espaço é o prefeito. Quem tem que exigir a urbanização de toda extensão das margens do rio Cuiabá é o prefeito. Quem tem que exigir a canalização e cobertura de todos os córregos que cortam a cidade é o prefeito. Quem tem que exigir que se construa as unidades de mini-hospitais em Cuiabá para atender o evento é o prefeito. Quem tem que apresentar os projetos de melhorias de ruas, praças e avenidas na Capital é o prefeito. Quem tem que apresentar os projetos de reforma, adaptação e modernização das escolas municipais para bem receber o mundo é o prefeito.
Sem esses propósitos administrativos, a Copa do Mundo em Cuiabá vai ser um engodo, uma tapeação sem fim. Vão realizar obras de fachadas, maquiar Cuiabá para realizar o evento e vão embora e o que é pior esbanjando o erário e sugando o povo, quando, na verdade, todas essas melhorias e investimentos são unicamente da Fifa. Ela que é uma das entidades mais ricas do mundo sempre derramou dinheiro por toda parte por onde passou e não será diferente com Cuiabá. Basta cobrar.
Vamos nos organizar para enfrentar esse episódio antes que esse evento se torne um epílogo triste e cubra a nossa cidade com o véu negro da desgraça e do desespero social após a Copa. Como se há de notar, é grave o problema e de suma importância atrair o prefeito e a sociedade cuiabana para a questão que se mostra misteriosa e com previsões catastróficas pós-Copa, já que Cuiabá não vai ter orçamento para administrar a cidade após esse evento esportivo e urge a necessidade de se exigir do Estado e da Fifa provisão orçamentária para pelo menos dez anos após a Copa do Mundo sob pena de empurrar a nossa sociedade para a tragédia da fome, da miséria, da criminalidade generalizada e da desgraça sem fim. Cremos haver razões factuais e jurídicas em profusão para o manejo de actio popularis e ou ação mandamental com o fito de assegurar os direitos da sociedade cuiabana.



Félix Marques é advogado, presidente da Comissão de Defesa do IBDI/SP. E-mail felixmarques@terra.com.br

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...