Carlos Abicalil

>Eleições 2010: TRE de MT indefere candidatura de Pedro Henry a deputado federal

Posted on julho 31, 2010. Filed under: Blairo Maggi, candidatura, Carlos Abicalil, Chico Daltro, deputado federal, eleições 2010, indefere, Pedro Henry, Silval Barbosa, TRE de MT |

>

Em plena correria na organização dos últimos detalhes para o lançamento de sua candidatura a reeleição de deputado federal, em grande estilo na cidade de Cáceres, Pedro Henry acaba de leval um balde de água gelada.

Cidade de Cáceres Mato Grosso – base eleitoral de Pedro Henry

É o primeiro a ser punido em Mato Grosso com base na Lei da Ficha Limpa. Em sessão neste sábado, 31 de julho, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral decidiu, por unanimidade, indeferir o pedido de registro da candidatura à reeleição do deputado federal. O progressista já estava com a situação jurídica complicada. Tinha sido condenado à inelegibilidade por três anos, o que o tira da disputa eleitoral. Além disso, só está no cargo por força de uma liminar obtida no TSE, pois foi cassado pelo TRE por compra de votos no pleito de 2006.
 

De acordo com a legislação, tornam-se inelegíveis os condenados por decisão transitada em julgado ou proferida por um órgão colegiado. No dia 20 de julho, o TRE declarou o candidato inelegível por três anos, sob acusação de abuso de poder econômico e utilização indevida de meio de comunicação em favor da candidatura de seu irmão Ricardo Henry (PP) à Prefeitura de Cáceres.
Mesmo que o deputado vem seguindo ritmo intenso de campanha. Agora é esperar para ver como os candidatos a majoritária como, governador Silval Barbosa (PMDB), o candidato a vice e presidente do diretório de seu partido, Chico Daltro (PP) e os candidatos a senado Blairo Maggi (PR) e Carlos Abicalil (PT, que estvam com presença confirmada, vão se comportar em relação ao evento.
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleições 2010: Pesquisa Ibope para senado em MT aponta Blairo 75% e Antero 35%

Posted on maio 8, 2010. Filed under: Antero Paes de Barros, Blairo, Carlos Abicalil, eleições 2010, Ibope, Pedro Taques, pesquisa, Senado |

>

O Tv Centro América, afiliada da Rede Globo em Mato Grosso, divulgou no telejornal MTTV 2ª edição deste sábado, 8 de maio. A pesquisa foi feito pelo Ibope e foram ouvidos 812 eleitores.

A pesquisa estimulada foi realizada entre os dias 1º e 04 de maio. Foram ouvidas 812 pessoas e a margem de erro é de 3% para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional eleitoral sob o número 10.612/2010.

Com a pergunta, se as eleições fosse hoje, em qual desses candidatos você votaria para senador? 

                                        Blairo Maggi  75%                   Antero de Barros 35%                 

                                    Pedro Taques 9%                           Carlos Abicalil  24%

Os votos brancos e nulos somam 3%; não souberam responder, 11%
Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

>Políticos de MT são Flagrados em grampo da PF, Henry, Abicalil e Silval avalizam "aloprado" Valdebran Padilha

Posted on abril 9, 2010. Filed under: Carlos Abicalil, Mato Grosso, Operação Hygeia, Pedro Henry, Polícia Federal, política, Silval Barbosa, Valdebran Padilha |

>

Flagrados em grampo da PF, Henry, Abicalil e Silval avalizam “aloprado”

A Polícia Federal teria interceptado ligações telefônicas que ligariam o deputado federal Pedro Henry (PP) e o governador de Mato Grosso Silva Barbosa (PMDB) ao empreiteiro preso na última quarta (7) durante a Operação Hygeia, Valdebran Padilha, que ficou conhecido em todo o país como “aloprado” no caso da compra de um dossiê contra tucanos nas eleições de 2006. Henry teria dado aval para liberação de recursos públicos de interesse de Padilha, conforme aponta uma escuta telefônica feita pela PF em fevereiro de 2009. Ainda segundo a mesma gravação, Silval, que na época era vice-governador, teria sido um dos avalistas. Os dois negam a ligação com Padilha, conforme revela o jornal Folha de São Paulo desta segunda (9).
As investigações também apontariam o deputado federal Carlos Abicalil como avalista de Padilha. O diálogo que compromete Silval e Henry foi citado na decisão do juiz federal Julier Sebastião da Silva, que determinou a prisão de 35 pessoas acusadas participar de um esquema que desviava recursos da Funasa. Eles foram presos em Mato Grosso, Rondônia, Goiás e Distrito Federal e são acusados de causar um rombo de pelo menos R$ 51 milhões ao erário. Segundo a PF, o prejuízo pode chegar a R$ 200 milhões. Todos devem ser indiciados por formação de quadrilha, estelionato, fraude em licitações, apropriação indébita, lavagem de dinheiro, peculato, corrupção ativa e passiva, prevaricação, dentre outros.
Por enquanto, todos continuam presos, mas os advogados de defesa já recorreram ao TRF para reverter a prisão preventiva. Entre as pessoas acusadas de participar do esquema estão o ex-prefeito de Santo Antônio do Leverger Faustino Dias Neto (DEM), Valdebran, o coordenador da Funasa Marco Antônio Stangherlim, o secretário-geral e o tesoureiro do PMDB Rafael Bastos e Carlos Miranda, respectivamente, e o sobrinho do deputado federal Carlos Bezerra (PMDB), Jose Luís Bezerra.
———————————————–
O diálogo que compromete Silval e Henry foi
citado na decisão do juiz federal Julier
———————————————
Segundo as investigações, uma das empreiteiras de Padilha atuava em Cáceres, curral eleitoral de Henry. Numa das ligações ele aparece conversando com Carlos Miranda e relata que negociava um empréstimo com uma pessoa de pré-nome Marilena, mas que ela exigia “garantia de pagamento, ou seja, o compromisso de que Silval liberaria dinheiro para obra ou projeto do interesse do aloprado”, relata a reportagem. Carlos afirmou então que a “operação” estava garantida.
“Silval ligou pro Yuri, ligou pro Pedro Henry e falou: ó Marilena, se você quiser fazer essa operação (de empréstimo), pra esse pessoal, você pode fazer porque eu já chequei, está assinado, está tudo averiguado. Esse recurso já era pra ter até saído”. Os recursos liberados seriam destinados à realização de bailes de carnaval. Na época Yuri era secretário estadual de Turismo. Hoje ele é um dos diretores da Agecopa.
Outro lado
Procurado pelo RDNews Silval negou qualquer ligação com Padilha. Assegura que não conhece o empreiteiro e que nunca conversou com ele. “Não conheço Valdebran Padilha. Nunca avalizei nenhuma liberação de recursos para ele”, declarou Silval. O governador disse também que este tipo de ligação do escândalo da Funasa com o seu nome deve ser uma articulação do “comitê da maldade”, numa referência a um grupo de tucanos que ficaram conhecidos por articular a veiculação de panfletos apócrifos nas eleições. Silval é pré-candidato à reeleição e é adversário do ex-prefeito de Cuiabá Wilson Santos (PSDB).
————————–
Silval garante que nunca
conversou com Valdebran Padilha
————————-

Henry também assegurou que não tem ligações com Padilha. Ele aproveitou ainda para dizer que a obra, feita pela empreiteira em Cáceres (MT), foi tocada com emenda do deputado Carlos Abicalil (PT-MT). O petista trocou ligações com envolvidos no caso do dossiê, mas nega relação com o caso. Nesta quinta (8) ele disse que propôs emenda genérica para obras com recursos no Ministério das Cidades, mas quem definiu o projeto e a empreiteira foi a Prefeitura de Cáceres. Roger Fernandes, advogado de Valdebran, disse que o inquérito é confuso porque misturou três linhas de investigações diferentes e, por isso, não há como comentar a ligação entre Valdebran e Miranda. Fonte: RDNews
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleições 2010: Vox Populi apontam Blairo e Antero na liderança de inteção de votos para o Senado

Posted on março 24, 2010. Filed under: Antero Paes de Barros, Blairo Maggi, Carlos Abicalil, eleições 2010, pesquisa, Senado, Senador, Serys Slhessarenko, Vox Populi |

>

O Jornal Diário de Cuiabá publica na edição desta quarta-feira, 24 de março, o resultado da pesquisa Vox Populi com intenção devotos para Senador nas eleições de 2010. Publicamos o  resultado aqui, mas se deseja você também acessar o site do jornal.
 Governador Blairo Maggi
Com 58% da preferência no primeiro voto e entre 20% e 14% – conforme o candidato do PT – no segundo voto, o governador Blairo Maggi (PR) lidera com folga a disputa pelas duas vagas ao Senado por Mato Grosso, nas eleições de outubro. É o que aponta a pesquisa contratada pelo Diário junto ao Vox Populi, realizada entre os dias 7 a 10 de março, com 1.000 entrevistas em 40 municípios de Mato Grosso.

 Antero de Barros
Em segundo lugar aparece o ex-senador Antero Paes de Barros, do PSDB. Os pré-candidatos do PT, deputado Carlos Abicalil e senadora Serys Slhessarenko travam uma apertada disputa pelo terceiro lugar.

No cenário em que o candidato do PT é o deputado Carlos Abicalil, Maggi lidera a opção do primeiro voto com 58% das intenções, Antero Paes de Barros é o segundo com 15% e Carlos Abicalil é o terceiro, com 10%. O procurador da República José Pedro Taques, sem partido, aparece com 1% das intenções, o mesmo índice do senador Gilberto Goellner, do DEM. Os que votam em branco, nulo ou em nenhum candidato são 2%. Indecisos são 13%.

Já o segundo voto, neste cenário, é liderado por Antero Paes de Barros com 27%, seguido por Maggi, com 20%. Abicalil é o terceiro com 11% e Pedro Taques surge em quarto com 4%. Gilberto Goellner tem a preferência de 2%. Branco, nulo ou em nenhum candidato atingem 6%. E os indecisos para o segundo voto sobem para 30%.

A soma do primeiro e do segundo voto indica que Maggi tem 40% da preferência, Antero com 20%, Abicalil com 11% e Pedro Taques e Gilberto Goellner com 1% cada.

Abicalil e Serys – a grande discordia no PT de Mato Grosso
Já no cenário com a Senadora Serys Slhessarenko, Blairo Maggi mantém a liderança do primeiro voto com os mesmos 58%. Antero Paes de Barros é o segundo com 16% e Serys aparece em terceiro, com 4%. Gilberto Goellner vem em seguida com 2%. Neste cenário, no lugar de Pedro Taques, o Vox Populi, avaliou o deputado Percival Muniz (PPS), que também obteve 2%. Nesta modalidade pesquisada, os que votam em branco, nulo ou em nenhum candidato são 2% e os indecisos são 16%.

O segundo voto é liderado novamente pelo tucano Antero Paes de Barros, com 20%. Só que o segundo lugar, desta vez, é da senadora Serys Slhessarenko, com 20%. Blairo Maggi é o terceiro com 14%. Muniz sobe para quarto com 7% e o democrata Gilberto Goellner aparece com 3%. Neste cenário o índice de indecisos se manteve em 30% para a segunda opção e os que votam em branco, nulo ou em nenhum candidato são 4%.

A soma dos votos, neste cenário, aponta Maggi com 38%, Antero tem 19%, Serys 11%, Percival com 4% e Goellner 3%.

Na intenção de voto espontânea, quando os pesquisadores não apresentam os nomes dos candidatos, Maggi lidera a opção do primeiro voto com 15%, Serys e Antero dividem a segunda posição com 2% cada. Carlos Abicalil é lembrado por 1%. Os indecisos são 78%. No segundo voto espontâneo, Antero Paes de Barros lidera com 23%, seguido por Blairo Maggi com 11%. Abicalil e Serys empatam em terceiro com 9% da preferência para cada candidato do PT. Pedro Taques surge com 5% e Wilson Santos é lembrado por 4%. Os indecisos caem para 34% no segundo voto para o senado.

A soma dos votos da primeira e segunda opção espontânea, apresenta Maggi com 14%, Antero 5%, Serys e Abicalil com 3% cada, Pedro Taques e Wilson Santos com 1% e 70% ainda estão indecisos.

O candidato ao Senado mais conhecido pelo eleitor é Blairo Maggi, todos o conhecem e 79% afirmam o conhecer muito bem. O menos conhecido é Gilberto Goellner, com 62% dos entrevistados afirmando não o conhecer. Pedro Taques é desconhecido para 47% dos eleitores. Na disputa interna do PT, Abicalil e Serys possuem números bem semelhantes de pessoas que os conhecem e, também, quem não os conhece (9% para Serys e 11% para Abicalil).

Na avaliação dos candidatos, Maggi tem uma avaliação positiva para 81% e negativa de apenas 3%. Antero é o segundo, avaliado positivamente por 47% e negativamente por 6%. Novamente os petistas Carlos Abicalil e Serys Slhessarenko possuem números bem próximos: Abicalil, 44% positivo e 8% negativo; Serys, 40% positivo e 12% negativo.

Os eleitores afirmaram que a possibilidade de voto em Blairo Maggi é grande para 79%. Já para Antero cai para 49%, Abicalil com 40% e Serys 38%.

Metodologia – A pesquisa do Vox Populi foi realizada entre os dias 7 e 10 de março. Foram feitas 1.000 entrevistas, com moradores e eleitores com mais de 16 anos, em 40 municípios de todo o estado. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de ‘survey’, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. A margem de erro, para o total do estudo é de 3,1%, estimada em um intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral/MT com o protocolo no 4083/2010, no dia 9 de março.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Deputados do PT de MT acusados de praticar o que sempre condenaram em público

Posted on dezembro 5, 2009. Filed under: Alexandre Cesar, Carlos Abicalil, DAS fantasmas, Deputados do PT, gabinete |

>

Carlos Abicalil e Alexandre Cesar empregam DAS que seriam fantasmas, já que trabalham na sede da sigla.

Os deputados federal Carlos Abicalil e estadual Alexandre Cesar são acusados de manter funcionários fantasmas em seus gabinetes. Três ocupantes de cargos comissionados recebem do erário, mas dão expedientes na sede do PT estadual. Kátia Xavier é lotada como assessora parlamentar de Alexandre na Assembleia Legislativa. Ao invés de atuar no gabinete, permanece o horário comercial na sede da legenda petista. Ela foi tesoureira da campanha de Cesar à Prefeitura de Cuiabá em 2004. Até hoje o ex-presidente estadual do partido, que disputou o segundo turno contra o hoje prefeito tucano Wilson Santos, responde na Justiça Eleitoral por esquema de caixa 2. A assessoria do deputado nega essa informação. Assegura que Kátia já foi desligada do gabinete.

Já Abicalil, presidente regional reeleito, inclui entre seus assessores na Câmara dos Deputados Silbene Santana e Dejani Cristina, que também ajudam-no na sede estadual do PT em Cuiabá. Silbene é secretária de Organização e integra a direção nacional. Dejani compõe a Executiva regional. Os três militantes e ocupantes de cargos DAS dão expediente no partido, percorrem bairros e viajam em nome da legenda. Como são DAS não poderiam estar empregados em outro lugar, a não ser em caso de cessão, mas desde que fosse para outro órgão público.

Disputas

Denúncias como essas estão “explodindo” publicamente por causa das brigas internas no PT motivados pelas eleições diretas. Em âmbito estadual, Abicalil já garantiu novo mandato, que se estende até 2012, impondo derrota ao grupo da senadora Serys Marly Slhessarenko. Já em Cuiabá, militantes voltam às urnas no domingo (6) para escolher quem conduzirá a legenda pelos próximos dois anos entre o atual presidente Vilson Aguiar, apoiado por Serys, e Aparecido Mendonça, o Cido, que tem aval da Unidade na Luta, corrente captaneada por Abicalil e Alexandre Cesar. Em Várzea Grande, disputam o diretório municipal o presidente Lázaro Donizete da Silva, afilhado político de Serys, e Cido Albuquerque, que tem apoio de Abicalil.

(18h30) – Aliados de Abicalil e Alexandre apontam também “fantasmas” ligados à Serys

Militantes do grupo de Carlos Abicalil e de Alexandre Cesar reagiram à matéria acima. Segundo eles, se há “fantasmas” nos gabinetes dos dois, pode-se dizer o mesmo em relação a alguns petistas do grupo da senadora Serys Marly, entre eles o jornalista Enock Cavalcanti, o ex-presidente do PT de Cuiabá Jairo Rocha e o atual presidente do diretório municipal Vilson Aguiar. Todos recebem pelo Senado, moram em Cuiabá e não cumprem expediente.

Fonte: RDNews

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Conversas sobre o PT e o PSDB

Posted on março 17, 2009. Filed under: Carlos Abicalil, Dilma Rousseff, diretório regional, governo Lula, prefeito Wilson Santos, PSDB, PT, Serys Marly, Zé Dirceu |

>

Há uma dura disputa no PT de Mato Grosso entre Serys Marly e Carlos Abicalil para ver quem será o candidato do partido ao Senado no ano que vem. Não há naquele partido a candidatura nata. Se houvesse, a vaga seria da Serys.

Hoje o Abicalil é o presidente do diretório regional, deve ser reconduzido à presidência na próxima eleição. Sinal de que tem força na sigla. Não se sabe se essa força é suficiente para ser escolhido como candidato ao Senado.

O Ságuas Moraes quer ser o candidato do PT a deputado federal. Não é fácil o partido eleger dois nomes para a Câmara Federal. Daí que querem que a fila ande e o Abicalil saia candidato ao Senado. E ali está a Serys.

Tem gente no PT que acha que há condições do partido eleger dois deputado federais. No geral quem defende esse ponto de vista é do lado da Serys. Quer, claro, a vaga de Senado para ela e que os dois “adversários” (Ságuas e Abicalil) morram abraçados.

Tem um fato em andamento que enfraquece a pretensão do Ságuas. É que ele quer sua esposa como candidata a deputada estadual. Os outros candidatos não estão gostando da ideia.

É interessante a disputa entre alas no PT daqui e no nacional, não querem saber de aproximação. Poucos dias atrás, como exemplo, houve um encontro do partido em Cuiabá, aquele que o Zé Dirceu esteve presente. A Serys e o seu grupo não foram. E teve até ataques ao encontro feito pelo Jairo Rocha, ex-presidente do diretório da capital e pertencente ao grupo da Serys.

Na disputa pela vaga ao Senado alguns acham que a direção nacional ou mesmo a futura candidata à presidência, Dilma Rousseff, podem ser chamados a resolver o imbróglio. Os do lado do Abicalil entendem que por aí a Serys teria problema. Alegam que na época do mensalão ela não botou a cara e o Abicalil se colocou na linha de frente em defesa do partido e do governo Lula. E essa fatura seria cobrada agora se a decisão sair daqui e for para Brasília.

Existem comentários de que o Wilson Santos terá dificuldades para buscar uma candidatura ao governo em 2010. O que se ouve é que a situação da prefeitura e os diferentes casos que estão surgindo acabaria amarrando o prefeito. Fala-se que a oposição à sua candidatura vai usar todas as armas e estratagemas para perturbar sua vida política de agora para frente.

Uma delas é impedi-lo de viajar pelo estado, ação fundamental para consolidar seu nome para a disputa do ano que vem. As críticas vão aumentar ainda mais daqui para frente. Juntando tudo isso se tem a base para as especulações sobre o futuro político do prefeito.

Tem até gente que acha que se Cuiabá for confirmada como sede da copa, e se a candidatura do Wilson não se estadualizar, ele ficaria na prefeitura num momento de fortes investimentos na capital. Terminaria o mandato com realizações viárias e também na área de saneamento.

Outros acham que não é nada disso. Que chova ou faça sol a candidatura dele no ano que vem são favas contadas. Que é o único nome que o atual grupo no poder teme. Esse temor é que fez crescer o bombardeio sobre ele. Que o que vem acontecendo com o prefeito seria sinal de força política e não o contrário.

Autor:Alfredo da Mota Menezes

E-mail: pox@terra.com.br; site: http://www.alfredomenezes.com

Fonte: A Gazeta

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Os gastos de nossos deputados federais

Posted on dezembro 8, 2008. Filed under: Carlos Abicalil, Carlos Bezerra, Deputados federais de MT, Eliene Lima, Homero Pereira, Pedro Henry, Thelma de Oliveira, Valtenir Pereira, Walington Fagubndes |

>

Bezerra torra R$ 20 mil com verba indenizatória

Carlos Bezerra (PMDB) O cacique do PMDB Carlos Bezerra “torrou” R$ 20,4 mil de sua verba indenizatória de novembro e lidera a lista dos que mais gastaram entre os 8 deputados federais mato-grossenses. O progressista Pedro Henry gastou R$ 19,3 mil. Já Wellington Fagundes (PR) apresenta despesas de apenas R$ 5,6 mil. Cada federal tem direito a R$ 15 mil mensais de reembolso a título de verba indenizatória. Trata-se de um ressarcimento de despesas com aluguel, manutenção de escritórios, locomoção, alimentação e despesas diretamente relacionadas ao exercício do mandato. Os dados são públicos. Estão disponíveis no site da Câmara dos Deputados em um link denominado de tranparência.

Pedro Henry (PP) Segundo os dados do balancete de Bezerra ele gastou R$ 4,2 mil com combustível; R$ 7 mil com divulgação de atividade parlamentar e R$ 9,2 mil com locomoção, hospedagem e alimentação. Juntos, som R$ 20,4 mil. Pedro Henry recebeu reembolso de R$ 5,6 mil devido a gastos com locomoção, hospedagem e alimentação; R$ 9 mil com consultorias, assessorias, pesquisas e trabalhos técnicos. Já com combustível Henry gastou R$ 4,5 mil. Ao todo foram R$ 19,3 mil em novembro.

Thelma de Oliveira (PSDB) “torrou” R$ 15,2 mil. Ele apresentou comprovantes para despesas de R$ 8 mil com aluguel de imóveis para escritório; R$ 2,6 mil com aquisição de material de expediente e R$ 4,5 mil com combustível. Eliene Lima (PP) declarou gastos de R$ 15 mil, como R$ 4,5 mil com combustível; R$ 4 mil com consultorias, assessorias, pesquisas e trabalhos técnicos; e R$ 3,5 mil com compra software.

Deputado Valtenir Pereira (PSB) O deputado Valtenir Pereira (PSB) revela ter gasto R$ 10 mil, sendo R$ 2,7 mil com aluguel; R$ 1,3 mil com aquisição de material de expediente; R$ 4,5 mil com combustível e R$ 1,8 mil com locomoção, hospedagem e alimentação. O republicano Homero Pereira apresentou gastos de R$ 10,1 mil. Segundo seu balancete, ele “torrou” R$ 5,3 mil com locomoção, hospedagem e alimentação; R$ 1 mil com aluguel; R$ 2,9 mil com combustível; R$ 337 com compra de material de expediente e R$ 415 com aquisição ou locação de software; serviços postais; TV a cabo ou similar; acesso à internet; e locação de móveis e equipamentos.

o petista Carlos Abicalil apresenta despesas de R$ 6,1 mil. Entre outras estão R$ 2,1 mil com aluguel; R$ 502 com aquisição de material de expediente; e R$ 324,22 com compra ou locação de software. O que menos gastou foi o republicano Wellington Fagundes. Diz que suas despesas de novembro sobre verba indenizatória foram de R$ 5,6 mil. (Patrícia Sanches)

Despesas dos federais com verbas indenizatórias
(novembro de 2008)
Deputado gastos
Carlos Bezerra (PMDB) R$ 20, 4 mil
Pedro Henry (PP) R$ 19,3 mil
Thelma de Oliveira (PSDB) R$ 15,2 mil
Eliene Lima (PP) R$ 15 mil
Homero Pereira (PR) R$ 10,1 mil
Valtenir Pereira (PSB) R$ 10 mil
Carlos Abicalil (PT) R$ 6,1 mil
Welington Fagundes (PR) R$ 5,6 mil

Fonte: RDNews
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...