Consumo

>Preço da carne bovina dispara em Mato Grosso

Posted on outubro 26, 2010. Filed under: Acrimat, carne bovina, consumidor, Consumo, Criadores, Economia Agropecuária, Imea, Mato Grosso, preço, Preço da carne |

>

De agosto para setembro, alguns cortes tiveram aumento de até 40% nos preços, segundo o Imea. Consumo cai
Escassez de animal no pasto, queimadas, crise no setor frigorífico e dólar em baixa são alguns dos fatores que causam susto no consumidor na hora de comprar carne bovina. De acordo com levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), nos últimos 5 anos o preço do quilo da carne aumentou 106% no varejo enquanto que a arroba do boi teve valorização de 70%. No último mês, alguns cortes tiveram incremento acima de 40% e o consumo caiu em média 5%.
Carne bovina
Todo este movimento no setor da pecuária, da indústria frigorífica e no setor varejista afeta o consumidor final, mesmo aqueles que não cozinham em casa. No segmento de alimentos, por exemplo, empresários tentam driblar o aumento oferecendo alternativas como frango e carne suína, mas em alguns casos, o aumento de preço vai ser inevitável. No restaurante KG, o proprietário José Ignácio de Lima diz que está tentando negociar com o fornecedor, mas que por enquanto está amargando o prejuízo. “Estamos tentando colocar outros tipos de carne, mas o cliente exige a carne vermelha. Nos últimos 60 dias meus custos com a carne aumentaram em cerca de 30%”.
Na marmitaria Maria Isabel as carnes de primeira estão sendo substituídas pelas de segunda e o proprietário está tendo que explicar aos clientes porque estão fazendo mais frango. “Até agora estou arcando com o prejuízo, mas não sei até quando isso será possível”. Na churrascaria Boi Grill, que compra uma média de uma tonelada de carne por semana, o empresário Fernando Nonato afirma que infelizmente haverá reajuste de preço do rodízio. “A gente segura até quando dá, mas como sempre teremos que repassar o aumento”.
O repasse, aliás, é a justificativa do setor industrial. Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias Frigoríficas de Mato Grosso (Sindifrigo), Luiz Antônio Freitas, a raiz do problema está na falta de boi. “Estamos trabalhando com capacidade ociosa e os custos estão ultrapassando os lucros. Nossa margem é muito menor hoje do que há 5 anos”.
O superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari reconhece que houve uma recuperação no preço da arroba nos últimos anos e que os frigoríficos repassaram isso. O questionamento dele é sobre a discrepância entre a variação no campo, nas indústrias e no varejo. “Se acompanhar a evolução no frigorífico observa-se que é condizente ao preço da arroba, mas o varejo não. Principalmente quando há redução de preço no setor produtivo e isso não atinge o consumidor final”.
Nos supermercados, o que se percebe é um trânsito de carne vermelha para a carne branca e o diretor da Associação Mato-grossense de Supermercados (Asmat), Altair Magalhães, diz que o aumento, em primeiro lugar, é comum neste período do ano, além disso, o também proprietário da rede Modelo afirma que o preço da carne estava estável há alguns meses e com a estiagem o aumento é natural. 
Fonte: A Gazeta
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Os brasileiros ficaram em quarto lugar entre os visitantes estrangeiros que mais gastaram na Copa 2010 da África do Sul, totalizando US$ 13,4 milhões

Posted on julho 15, 2010. Filed under: Alta Floresta, Caged, cartões de crédito, compras, Consumo, Copa do Mundo, empregos, Expomov, malha fina, Sedtur, Visa |

>

Gastos na Copa – Os cartões de crédito da bandeira Visa movimentaram US$ 312 milhões na África do Sul durante a Copa do Mundo. Os brasileiros ficaram em quarto lugar entre os visitantes estrangeiros que mais gastaram, totalizando US$ 13,4 milhões, ou 4,2% do total. Os que mais gastaram foram os americanos, com 19,05% do valor total, seguidos pelos ingleses (19,03%) e australianos (4,7%).
Expomov – A 6ª Feira de Móveis, Máquinas e Equipamentos para Indústria Moveleira de Mato Grosso (Expomov), em Alta Floresta, gerou expectativa de negócios de R$ 3,869 milhões no médio prazo. Nos dois dias do Encontro de Negócios da feira no final de semana passada foram efetivadas vendas de R$ 251,5 mil. A feira foi uma iniciativa do Sebrae-MT, em parceria com vários sindicatos do setor.
Cadastur – Equipe da Sedtur visita esta semana empreendimentos turísticos de Sinop para elevar o número de empresas e profissionais registrado no Cadastur. Nos próximos dias será a vez de Ponte Branca e Alto Araguaia.
Consumo 1 – A inadimplência dos consumidores deve crescer no segundo semestre, segundo projeções da Serasa Experian. Em maio, o indicador de Perspectiva de Inadimplência do Consumidor registrou alta de 0,3% em relação a abril, atingindo o patamar de 98,6.
Consumo 2 – Pela metodologia utilizada, em um horizonte médio de 6 meses, as oscilações cíclicas da inadimplência. Níveis abaixo de 100 indicam que, a inadimplência do consumidor não deve atingir patamares críticos.
Empregos – O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulga hoje (15) os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, Caged. Segundo o ministro Carlos Lupi, o semestre deve fechar com quase 1,5 milhão de empregos gerados. A estimativa é que a criação de vagas formais chegue a 2,5 milhões em 2010.
Limitação – Lupi nega que a oferta de emprego esteja parada. No momento, segundo ele, há sazonalidades que limitam a abertura de vagas nas áreas da educação e da agricultura, o que não quer dizer que o emprego não cresça.
Malha fina – Contribuintes que estavam na malha fina há 5 anos vão acertar as contas com o Fisco. Hoje (15), a Receita abre a consulta ao lote residual do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2005. Ao todo, 117 contribuintes receberão restituição de R$ 341,1 mil, e 222 pessoas físicas terão imposto a pagar (R$ 648,8 mil)
Compras – O índice que mede a intenção de compra dos consumidores paulistanos no terceiro trimestre deste ano subiu de 74,6 % no segundo trimestre para 75,6%, conforme pesquisa trimestral de intenção de compras divulgada pelo Programa de Administração do Varejo (Provar) da Fundação Instituto de Administração (Fia).
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Segundo CNC, Intenção de consumo das famílias cai 2,1%

Posted on abril 23, 2010. Filed under: Caged, CNC, Consumo, IPCA, pesquisa |

>

Pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mostra que o índice que mede a Intenção de Consumo das Famílias (ICF-Nacional) caiu 2,1% em abril, na comparação com o mês anterior, ficando em 130,4 pontos. Os dados serão divulgados daqui a pouco pela CNC.
Segundo o economista Fábio Bentes, a desaceleração foi puxada pela queda da perspectiva profissional e do momento para aquisição de duráveis, dois dos sete temas que compõem o índice e registraram retração de 4,9% cada um.
– É uma situação menos otimista, mas ainda acima de 100 pontos, que é a nossa referência. Percebemos que, em março, houve desaceleração do emprego no Norte e queda no Nordeste, segundo dados do Caged. Após a retomada das alíquotas do IPI, também notamos pressão nos preços – diz ele, explicando que nos meses de fevereiro e março, enquanto o IPCA variou 1,3%, refrigeradores e máquinas de lavar tiveram aumento de 5% e 4%, respectivamente.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Mercado Financeiro

Posted on fevereiro 26, 2010. Filed under: asfalto, Consumo, Copa do Mundo 2014, ExpoAço, Liberty Seguros, mercado financeiro, Olimpíada, Tivit |

>

Consumo de asfalto atinge nível recorde  
Com o avanço das obras de infraestrutura, o consumo de asfalto no país atingiu níveis recordes nos últimos 12 meses, segundo a Fiesp e o Sinicesp (Sindicato da Indústria da Construção Pesada de SP).

Entre os meses de janeiro de 2009 e de 2010, o volume total foi de mais de 2,2 milhões de toneladas. Nos 12 meses anteriores, o consumo de asfalto registrado havia sido de cerca de 2,1 milhões de toneladas.
“O recorde anterior era de 1998 e veio a ser recuperado só em 2008 e ultrapassado agora”, afirma Manuel Rossitto, diretor do Sinicesp.
 
Rossitto, que atribui o avanço ao aumento da contratação de obras públicas, principalmente as federais, espera crescimento de 15% para 2010, por ser ano eleitoral.
Janeiro deste ano bateu outro recorde entre os meses de janeiro da série histórica, com a produção de 190 mil toneladas, ante 134 mil toneladas produzidas em janeiro de 2006, o recorde anterior. “O crescimento se repetiu em fevereiro.”
 
A produção de asfalto brasileira não acompanhou o consumo acelerado do material, que, segundo Rossitto, chegou a ser importado no ano passado.
 
“O Nordeste ficou sem [o produto], e foi necessário importar cerca de 40 mil toneladas. Isso é raro, aconteceu nos anos 60 e em menor escala.”
 
A indústria, diz, preocupa-se com o abastecimento para os próximos anos devido a obras para a Copa do Mundo 2014 e para a Olimpíada.
 
“A Petrobras, que é a principal fornecedora, tem nos informado que a produção tem como aumentar”, afirma o executivo do Sinicesp.

 
DEMANDA AQUECIDA
A produção brasileira de aço atingiu 2,7 milhões de toneladas em janeiro, crescimento de 67% sobre igual mês de 2009, segundo o Instituto Aço Brasil, que divulga hoje as estatísticas do mês passado. As vendas internas somaram 1,6 milhão de toneladas, 66% a mais que em janeiro de 2009. A volta da demanda será debatida no Congresso Brasileiro do Aço e na ExpoAço, de 14 a 16 de abril, em São Paulo.

 
RECORDE
A Tivit, empresa especializada em terceirização de serviços de tecnologia, bateu recorde de receita e de lucro no ano passado. De acordo com o balanço da companhia, que será divulgado hoje, a receita líquida atingiu R$ 920,1 milhões em 2009, crescimento de 6,2% em relação ao ano anterior. Já o lucro líquido da companhia aumentou de R$ 14 milhões em 2008 para R$ 68,3 milhões no ano passado.

 
GRANDE RISCO

A Liberty Seguros, empresa do grupo norte-americano Liberty Mutual, registrou faturamento de R$ 1,5 bilhão em 2009, com aumento de 16% sobre o ano anterior. A empresa divulga hoje o balanço de 2009. Os motivos para o aumento da receita foram o incremento da carteira de automóveis, que é o carro-chefe da companhia, e o início das operações de grandes riscos, segundo Luis Maurette, presidente da companhia no Brasil. Para 2010, as projeções da Liberty são otimistas para o segmento de grandes riscos. “Vamos avançar em projetos relacionados à infraestrutura, à Olimpíada e à Copa do Mundo”, diz Maurette.

 
“SERIAL KILLERS”

Banqueiros centrais estão vendendo a imagem de segurança de títulos do Tesouro, diz Marcelo Ribeiro, da Pentágono Asset. A emissão desses papéis será tão grande que o mundo verá uma série de calotes dos países, os temíveis defaults soberanos, segundo o economista. “Default não ocorre só em emergentes. No último século, “perdemos” a Alemanha e a China por duas vezes, a Rússia, três vezes, e o Brasil, por cinco vezes. “Defaults são frequentes. O que não é frequente são três gerações pagarem por emissões feitas por pessoas que não estão mais por aqui”, diz.
Fonte: Folha de S. Paulo
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...