corrupção

>Em quem votar?

Posted on setembro 22, 2010. Filed under: Correio Braziliense, corrupção, Em quem votar, pesquisa |

>Por Alexandre Garcia

A senhora de cabelos brancos abordou-me no cafezinho do shopping: “Vou-me embora para o Uruguai. Aqui não dá mais. Corrupção por toda a parte, falta de vergonha na cara e sem opção para votar.” Respondi que o Uruguai seria uma boa opção, onde as pessoas têm vergonha na cara e se vive muito bem. Mas seria bem melhor que as pessoas que aqui vivem manifestassem sua indignação, como em tempos de cara-pintadas. E ela tem razão: quem não concorda com a lista de candidatos, não tem opção.
Os legisladores que fizeram a lei eleitoral, espertamente não deixaram a opção “nenhuma das respostas acima”. Que democracia é essa, que não permite o “não”? Todas as opções exigem um “sim”. Votar em branco ou anular o voto não muda nada e até favorece os que receberam votos válidos, diminuindo a quantidade de votos necessária para se eleger deputados. Quem votar no Tiririca, em São Paulo, como voto de protesto, estará elegendo outros candidatos com as sobras do milhão de votos que o palhaço vai ter. Elegerá, por exemplo, seu companheiro de partido Valdemar Costa Neto, denunciado no mensalão. Quando Eneas recebeu 2 milhões e 500 mil votos de protesto, elegeu outros cinco, que haviam recebido de 200 a 500 votos. Que lei eleitoral é essa? Que democracia é essa?
Se quisessem ser, realmente, democratas, dariam chance ao “não” se manifestar. Escreveriam na lei, por exemplo, que a eleição estaria anulada se a maioria dos eleitores votasse em branco ou anulasse o voto. Eleição anulada e obrigação de apresentar outra lista de candidatos, já que na lista anterior a maioria julgou que nenhum merecia voto. Teriam coragem de fazer isso, de dar essa chance à democracia? É terrível essa escolha obrigatória do menos ruim, do menos mentiroso, do menos demagogo, do menos envolvido em negociatas – como na avaliação da desesperada eleitora que quer se mudar para o Uruguai. É como ser obrigado a saltar de um prédio, mas poder optar por um andar mais abaixo.
Pesquisa recém publicada pelo Correio Braziliense, encomendada ao Instituto FSB, mostra que 45% dos eleitores da capital do Brasil não votariam se o voto fosse facultativo. 20% não lembram quem foi o antecessor de Lula, 33% não sabem quem é o governador do Distrito Federal e só 9% lembram em quem votaram para senador. Nos últimos dias, um candidato à reeleição para a Assembléia do Rio foi demitido da polícia por formação de quadrilha e concussão; outro foi preso, junto com colegas da Polícia Rodoviária Federal, porque extorquia contrabandistas e empresas de ônibus para financiar campanha para deputado federal; em São Paulo, condenado por roubo teve uma Ferrari apreendida e é candidato a deputado federal. Aí, Tiririca nada de braçada, porque palhaçada é o picadeiro dele.

Alexandre Garcia é jornalista em Brasília  E-mail: alexgar@terra.com.br

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Ministra da Casa Civil e filho são denunciados por corrupção

Posted on setembro 12, 2010. Filed under: corrupção, Ministra da Casa Civil, presidência da república |

>

‘Veja’ gravou revelação de empresário que envolveu Erenice e seu filho em corrupção

ABr
Foto
LULA E ERENICE GUERRA, MINISTRA ACUSADA DE CORRUPÇÃO

Reportagem a revista Veja desta semana demonstra que, com a anuência e o apoio da ministra Erenice Guerra, braço direito e substituta de Dilma Rousseff na Casa Civil da Presidência da República, seu filho, Israel Guerra, transformou-se em lobista em Brasília, intermediando contratos milionários entre empresários e órgãos do governo mediante o pagamento de uma “taxa de sucesso”. Erenice distribuiu nota dizendo-se “ofendida e ultrajada”, Dilma diz que a denúncia objetiva prejudicar sua candidatura. A empresa de Israel se chama Capital Assessoria e Consultoria.

Filho levou empresário a Erenice – Fábio Baracat, empresário do setor de transportes que, no segundo semestre do ano passado, buscava ampliar a participação de suas empresas nos serviços dos Correios, revelou à revista que foi aconselhado a procurar o filho da ministra, que em seguida o levou para um encontro com sua mãe, quando Dilma Rousseff ainda era a titular da Casa Civil e Erenice, seu braço direito. “Fui informado de que, para conseguir os negócios que eu queria, era preciso conversar com Israel Guerra e seus sócios” – contou Baracat – “Depois que eles me apresentaram a Erenice, senti que não estavam blefando”.

Repórter gravou tudo e avisa: vem mais por aí – O empresário Fabio Baracat, que estaria em Paris, hoje divulgou nota assinada e datada em São Paulo, desmentindo que tenha feito a denúncia, mas o autor da reportagem, Diego Escosteguy, revelou em seu twitter que tem tudo gravado e que se necessário for a revista vai divulgar o áudio em seu site. Ele tem recebido muitos elogios e também críticas de blogs vinculados ao governo e ao PT. “Aos xingamentos histéricos”, escreveu Escosteguy em seu microblog, “respondo com a reportagem que está nas bancas e com as que virão”. Baracat contou ainda à revista que precisou se livrar de caneta, relógio, celular, qualquer aparelho que pudesse embutir um gravador, antes da reunião com Erenice. O empresário contratou os préstimos da Capital Assessoria e Consultoria, e passou a pagar 25 000 reais mensais, sempre em dinheiro vivo, para que Israel fizesse avançar seus interesses em órgãos do estado. Se os negócios de Baracat se ampliassem, seria paga uma “taxa de sucesso” de 6%. Houve outras reuniões com Erenice, inclusive depois que ela virou ministra. O lobby de Israel Guerra, o empresário obteve contratos no valor de R$ 84 milhões com os Correios.

Diretor dos Correios confirma à ‘Folha’ – O diretor de Operações dos Correios, Artur Rodrigues da Silva, e o empresário Fabio Baracat, apontaram o filho da ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, como intermediador entre uma empresa e o governo Lula. É o que informa o jornal Folha de S. Paulo em seu site.

Personagens do esquema na Casa Civil – Segundo a reportagem, o esquema no alto escalão do governo inclui Vinicius Castro, funcionário da Casa Civil, e Stevan Knezevic, servidor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) hoje lotado na Presidência da República. Eles são parceiros do filho da ministra, Israel Guerra. “Como a Capital tem sede na casa do proprio Israel, o trio recorre a um escritório de advocacia em Brasília para despachar com os clientes. Ali trabalha gente importante. Um dos advogados é Marcio Silva, coordenador em Brasília da banca que cuida dos assuntos jurídicos da campanha presidencial de Dilma Rousseff. Outro é Antônio Alves Carvalho, irmão de Erenice Guerra.”, informa Veja.

Fonte: ClaudioHumberto

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>TCU aponta sobrepreço e superfaturamento no Dnit que chegam a mais de 1 bilhão de reais

Posted on agosto 14, 2010. Filed under: Anel Rodoviário, corrupção, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Dnit, Plano Plurianual, sobrepreço, superfaturamento, TCU |

>

Alvo da cobiça de políticos aliados do governo e de opositores, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) se perpetua como um ninho de irregularidades em contratos e licitações públicas. Levantamento do Jornal O GLOBO em 399 relatórios do Tribunal de Contas da União (TCU), aprovados desde janeiro de 2009, mostra ocorrências de sobrepreço e superfaturamento, entre outros problemas, que somam R$ 1,02 bilhão. A cada dez acórdãos em que a autarquia é citada, mesmo como referência para discussão de situações alheias, um sinaliza sangria dos cofres públicos. É como se o TCU detectasse a cada duas semanas uma irregularidade em obra do Dnit.

Duplicação da BR-304, Ponte sobre o rio Jaguaribe, no municipio de Aracati. Obras que já teve mais de 200 funcionários está em ritimo lento. Os atuais 89 operários trabalham agora na restauração e reforço dos pilares
A cifra engloba pagamento por serviços não executados, jogos de planilha e licitações viciadas ou fraudulentas em pelo menos 43 trechos rodoviários e um ferroviário. Além da verba que foi pelo ralo, e o TCU tenta recuperar, a soma inclui o que só não foi pago porque ficou na peneira do órgão de controle externo; como destaque, quatro projetos nas BRs 101 e 285, além do Anel Rodoviário de Belo Horizonte.
Sob a tutela do PR desde o início do governo Lula, o Dnit é a versão repaginada do antigo Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER), extinto nos anos FH por causa do passivo de corrupção. Segundo um ex-ministro dos Transportes, a estratégia para evitar escândalos no atual governo foi manter homens de confiança do Planalto na diretoria em Brasília. Mas, nos estados, a vigilância é menor.
No Ceará, o superintendente do Dnit, Guedes Ceará, indicado pelo PR do ex-governador Lúcio Alcântara, foi preso dia 5 com mais 21 pessoas, entre elas empresários do setor de construção, por envolvimento em esquema que desviou R$ 5,5 milhões de obras públicas.
Só em 2009, o TCU levou ao Congresso uma lista de 14 obras com indiciação de bloqueio orçamentário para este ano, o equivalente a 32% do total de empreendimentos fiscalizados. Outros seis tinham irregularidades graves, mas que não ensejavam paralisação.
Em nota, órgão diz cumprir ‘rigoroso planejamento técnico’
O Dnit informou, em nota, que executa atualmente 1.045 contratos de obras e serviços, no valor de R$ 40 bilhões. “Consequentemente, (isso) enseja maior número de auditagens pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que assim cumpre sua obrigação constitucional”, justificou, afirmando que apoia tanto o trabalho de fiscalização do tribunal quanto o da Controladoria Geral da União (CGU).
O Dnit alegou que, “se foram 300” os acórdãos do TCU com indícios de irregularidades desde o ano passado, a Lei Orçamentária 2009 tem “apenas quatro” recomendações de paralisação de obras. O órgão negou descumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, e argumentou que segue metodologia definida pelos ministérios do Planejamento e dos Transportes.
A nota diz que as verbas são empenhadas parcialmente, conforme a necessidade das obras. Os empreendimentos em execução estariam no Plano Plurianual (PPA), executados de acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias.

Fonte: O Globo

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Crise em Mato Grosso: é hora de afastar o Juiz Julier e MP ou intervenção Federal?

Posted on junho 2, 2010. Filed under: corrupção, intervenção Federal, Juiz Julier |

>

Políticos pedem afastamento e quebra do sigilos de Julier e de Avelar

Políticos pedem afastamento e quebra do sigilos de Julier e de Avelar

Políticos do estado de Mato Grosso, em sua maioria pertecentes ao mesmo grupo, pedem o afastamento do juiz Sebastião Julier e de Mário Lúcio Avelar dos cargos, até o final da decisão do processo administrativo a ser instaurado, como medida de garantia das investigações. 

Os políticos que assinaram a petição são:

Pedro Henry
Dep. Federal – PP/MT

Carlos Gomes Bezerra
Dep. Federal – PMDB/MT
Presidente Regional do PMDB

Wellington Fagundes
Dep. Federal – PR/MT
Presidente Regional do PR

Silval Barbosa
Governador do Estado de Mato Grosso

Gildeci Oliveira da Costa
Presidente do PHS

Pedro Ferreira
Presidente da Associação Matogrossense dos Municípios

Blairo Maggi
Ex-Governador do Estado de Mato Grosso

Homero Pereira
Dep. Federal – PR/MT

Pedro Satélite
Dep. Estadual – PPS/MT

Aluizio Lima Pereira
Presidente da União das Câmaras Municipais de Mato Grosso

Airton Rondina
Dep. Estadual – PP/MT

Adalto de Freitas
Dep. Estadual – PMDB/MT

Eliene Lima
Dep. Federal – PP/MT

Chico Daltro
Dep. Federal – PP/MT

Octávio Augusto Regis de Oliveira
Presidente Regional do PTC

José Geraldo Riva
Dep. Estadual – PP/MT
Presidente da Assembléia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Carlos Abicalil
Dep. Federal – PT/MT
Presidente Regional do PT

protocolizaram na tarde do dia 1 de junho,  uma representação contra o juiz da Primeira Vara Federal de Mato Grosso, Julier Sebastião da Silva, e o procurador da República Mário Lúcio Avelar, no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e ainda no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Os líderes e partidos entendem que houve abuso por parte do magistrado e de representantes do Ministério Público Federal.
A iniciativa pode representar um evés para o magistrado federal, que entrou para a história ao mandar prender o ‘capo’ do crime organizado em Mato Grosso, João Arcanjo Ribeiro, juntamente com o ex-procurador da República José Pedro Taques, hoje pré-candidato ao Senado pelo PDT. A representação, obtida em primeira mão pelo Olhar Direto, foi protocolizada às 14h13 desta terça-feira no CNJ. As penas que podem ser aplicadas contra o magistrado vão de uma simples advertência ao afastamento compulsório (hipótese extrema).
Conforme consta da ação, os líderes partidários pedem a quebra de sigilo telefônico de Julier, de Avelar, e também dos Procuradores da República Douglas Santos Araújo e Ludmila Bortoleto Monteiro, subscritores dos pedidos das prisões preventivas relacionadas à Operação Jurupari, deflagrada pela Polícia Federal no dia 21 de maio, contra crimes ambientais no Estado.

Também pedem o afastamento do juiz e de Mário Lúcio Avelar dos cargos, até o final da decisão do processo administrativo a ser instaurado, como medida de garantia das investigações.  “Uma vez que eles têm acesso direto aos documentos citados e ascensão hierárquica aos servidores que auxiliarão na apresentação de documentos e que também servirão de testemunhas”, consta de trecho da representação encaminhada para o presidente do CNJ, conselheiro César Peluso, e para o presidente do CNMP, Roberto Monteiro Gurgel.

Em síntese, os autores da ação cobram uma investigação quanto à intenção da operação Jurupari, que levou 91 pessoas presas entre elas, do ex-secretário de Meio Ambiente do Estado, Luis Henrique Daldegan; do secretário de Assuntos Climáticos da Sema, Afrânio Migliari; além do ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Ubiratan Spinelli, e do filho dele Rodrigo Spinelli. Também foi presa na operação a esposa do deputado José Riva (PP), Janete Riva.
Cabe aqui uma reflexão, a começar pelo atual e ex-goverdadores Silval Barbosa e Blairo Maggi que estão envolvidos num escândulo de currupção e desvio de mais de 50 milhões de reais, o presidente da Assembléia Legislativa, homem de muito equilíbrio e carisma, porém com muitos processos na justiça, uma vários deputados estaduais e federais que juntos, ou coligados disputarão a próxima eleição. 

O estado vive um verdadeiro caos na saúde, com mais de 100 mil doentes na fila do SUS para ser atendida. Hospitais fechados, carreata de ambulâncias e microônibus das secretarias de saúde de todas as cidades do estado deixam mais congestionado o já conturbado trânsito cuiabano.

Não podemos esquecer que a violência toma a conta das cidades e do campo.

Por outro lado graves denuncias contra membros do TRE e da Justiça de Mato Grosso, escândulos de venda de sentenças, desvio de dinheiro para maçonaria.

Nesse cenário, quem vai investigar, apurar e punir os culpado? Cremos ser nesse caso a hora certa para intervenção federal no estado, afastando todos os suspeito até  que tudo seja exclarecido e os culpados sejam punidos e inocentes reocuparem seus cargos, sem que paire dúvidas na população e com autoridade para governar.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Mato Grosso exige ética

Posted on maio 30, 2010. Filed under: associações, ética, cidadãos, corrupção, escândalos, Mato Grosso, Paradigmas, rei da soja, Silval Barbosa, sindicatos, transparência |

>

Autor: Aladir Leite Albuquerque
O rei da soja foi eleito com muita esperança, com promessas de mudanças prometidas e repetidas em campanha política.


Mudanças no sistema tributário que ele definiu, como abaixar o imposto da cesta básica, baixar o ICMS da energia, e de lambuja abrir a caixa preta do governo anterior.


Mudanças políticas, definidas por ele. como a única forma de moralizar Mato Grosso.


Mudanças éticas em todo o aparato administrativo, pois ele definiu em campanha, que a transparência na administração publica, seria uma de suas metas se fosse eleito governador.


E ele foi eleito governador, e de acordo com seu mandato, ficou conhecido como “Quebra de Paradigmas” no curso de seu governo, aconteceu muitas coisas, menos as mudanças prometidas em palanque.


As mudanças éticas e a transparência foram por água abaixo, diante da bomba que foi armada com efeito retardado e, dada como presente de grego para o atual governador Silval Barbosa.


E hoje a definição de ética em Mato Grosso, está totalmente desvirtuada em favor da falta de pudor e de respeito com os Mato-grossenses, que na verdade foram surpreendidos com propagação de mentiras e escândalos a nível Nacional.


O termo corrupção que tanto está presente na mídia por conta da prática de atos ilícitos, imorais e. inconstitucionais contra as leis por parte de várias pessoas que ocupam cargo no poder público.


O que esses exemplos mostram na verdade é que o governo não consegue e não devem tratar da corrupção apenas por conta própria.


A sociedade civil em todas as esferas organizacional e as entidades não – governamentais, grupos de cidadãos, sindicatos, associações. Fonte: Olhar Direto

Autor: Aladir Leite Albuquerque

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Protesto contra corrupção e desvio de 36 milhões de reais é na segunda

Posted on maio 9, 2010. Filed under: corrupção, Protesto |

>

A população cuiabana, representada por entidades da sociedade civil organizada, irá às ruas às 15h de segunda-feira (10) para protestar contra o “escândalo das máquinas superfaturadas”.
Entidades exigirão restituição do suposto dinheiro desviado dentro do governo na compra das máquinas e caminhões, que pode ultrapassar a 36 milhões de reais, e punição dos culpados
 
 
O ato, que será realizado no Monumento Ulisses Guimarães, denominado “Corrupção: Tolerância Zero”, já ganhou a adesão de 24 entidades e terá como objetivo cobrar explicação dos envolvidos, reivindicar a punição e exigir a devolução do erário público subtraído.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Gestão pública e corrupção

Posted on maio 7, 2010. Filed under: corrupção, gestão, pública |

>

por Juacy da Silva
A administração pública brasileira, da mesma forma que em diversos outros países, principalmente os subdesenvolvidos, sofre de diversos males que acabam refletindo tanto na qualidade das obras e serviços prestados à população quanto no elevado custo dos/das mesmas.
Males como a baixa qualidade do produto final, a morosidade, a falta de capacitação ou desatualização dos servidores públicos, o apadrinhamento político-partidário acabam desaguando no tráfico de influência, no nepotismo e na corrupção. Costuma-se dizer que em vários setores da administração pública o emaranhado burocrático facilita práticas corruptas. O criar dificuldades para vender facilidades é uma prática corriqueira e recorrente.
A famosa propina, denominada no México de “La mordida”, aqui no Brasil é largamente aceita. Nesta equação nefasta é comum as pessoas ou até mesmo os organismos de controle acabar esquecendo que nesta teia de relações criminosas existem dois lados que se complementam: o corrupto e o corruptor. O corrupto é o servidor público que recebe propina ou faz “exigências” para apressar a tramitação de um processo ou passar informações privilegiadas e o corruptor é a pessoa ou empresa que se dispõe a “molhar a mão do corrupto”. Ambos são criminosos.
A propina vai de uma “simples” tentativa de suborno a um agente de trânsito ou policial para livrar a pessoa de uma multa até altas percentagens que, segundo o noticiado pela imprensa, podem variar de 10% até 30%. Convenhamos é muita grana para ser dividida entre integrantes de verdadeiras quadrilhas que existem nos organismos públicos e no meio empresarial brasileiro.
Casos como o que estão sob investigação em Mato Grosso, em São Paulo, Espírito Santo e outros Estados indicam, por exemplo, venda de sentenças por parte de magistrados. Casos como do mensalão, dos anões do orçamento, a máfia das ambulâncias ou de operações como Arco de Fogo, Hygea, Pacenas e tantas outras demonstram que esses casos já conhecidos e/ou em processo de investigação representam a dilapidação de milhões ou até bilhões nos cofres públicos.
Parece que nem bem um caso começa a cair no “esquecimento” da opinião pública surgem outros para avivar o povo, os eleitores e contribuintes de que nosso país, nossos estados e nossos municípios estão prestes a serem dominados totalmente pelo crime organizado de colarinho branco.
A despeito da existência de tantos organismos públicos de controle, desde os organismos policiais, Ministério Público Federal e estaduais, dos Tribunais de Contas da União e dos Estados, da CGU Controladoria Geral da União, do Poder Legislativo nas três esferas de governo (que tem como uma de suas missões básicas a fiscalização dos poderes constituídos), das ONGs e outras instâncias populares, parece que as quadrilhas que estão instaladas na administração pública acabam prosperando e mantendo seu poder e influência.
Ouro aspecto já bem conhecido, denunciado e pouco apurado é a relação entre dinheiro sujo, fruto da corrupção, e o financiamento das campanhas políticas através do famoso e vergonhoso caixa dois.
Parte do dinheiro roubado dos cofres públicos, advindo de esquemas de superfaturamento, de obras e serviços fictícios (fantasmas), o uso de notas frias, empresas de fachadas e os famosos “laranjas” acabam por desvirtuar o processo político e macular a democracia. Se a conquista ou manutenção do poder acontecem de forma corrupta o reflexo na administração pública é mais do que real. Quem financia candidatos com dinheiro de caixa dois, roubado dos cofres públicos, advindo dessas práticas mencionadas certamente irão exigir dos eleitos determinados privilégios e facilidades no futuro e ai o ciclo vicioso é instalado.
A queda de dois secretários estaduais (de infra-estrutura e de administração) do governo de MT, que fazem parte do grupo que detém o controle político do Estado há mais de sete anos decorreu de uma denúncia anônima e revelou um esquema altamente prejudicial às finanças públicas. Conforme as apurações até agora vindas a público são mais de R$ 36 milhões de reais para uma aquisição de máquinas e equipamentos destinados as prefeituras no valor de R$ 241 milhões, ou seja, em torno de 15% de superfaturamento.
O interessante é que esta grande aquisição foi utilizada para turbinar a imagem dos gestores estaduais, inclusive de vários candidatos as próximas eleições. Para melhorar a imagem tais pré-candidatos apareceram sorridentes na imprensa e agora para procurar os culpados quem aparece “chorando” ou se desculpando são seus subalternos.
Nunca é demais esperar que se existem indícios de práticas delituosas nesta mega-aquisição, os organismos de controle deveriam também investigar mais a fundo o que aconteceu em outras licitações milionárias em várias outras secretarias ao longo dos últimos anos em nosso Estado! Pode ser que o grande culpado seja apenas o “mordomo”, como nos filmes policiais!

Juacy da Silva é professor universitário, mestre em sociologia. E-mail: professo.juacy@yahoo.com.br; 
Site http://www.justicaesolidariedade.com.br – Fonte: A Gazeta

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Hoje Brasília faz 50 anos

Posted on abril 21, 2010. Filed under: Brasília, corrupção, Distrito Federal |

> João da Costa Vital

A corrupção que se espraia pelo Brasil, notadamente em Brasília, é o pior exemplo da prática política e falta de ética na condução de instituições públicas neste país. A cidade de Brasília tem sido vítima de chacotas.

Brasília está completando, hoje, 50 anos, vivenciando denúncias de corrupção por parte do governador do Distrito Federal – José Roberto Arruda-DEM – e seus asseclas da Câmara Distrital. O que nos gratifica que agora no governo Lula os atos corruptos estão sendo denunciados e punidos graças ao Tribunal Superior Eleitoral e pelo Supremo Tribunal Federal. 
Muitos apologéticos do PSDB/DEM/PPS dizem que nunca o país conviveu tanto com corrupção como agora no governo Lula. Isto é injúria, calúnia! Mudemos o discurso: Nunca na história deste país se apurou tanta corrupção. 
Antes tudo era empurrado para debaixo do tapete. O Mensalão denunciado pelo o réu confesso Roberto Jeferson-PTB, que foi cassado, mas contínua dando as cartas no partido; Eduardo Azeredo-PSDB, o iniciador do Mensalão; Marconi Perillo-PSDB, que patrocinou desastres de toda ordem administrativa quando foi governador de Goiás e que contribuiu para o endividamento da Celg – Centrais Elétricas de Goiás – na ordem de 5,7 bilhões de reais. José Serra, através da Secretaria de Educação, elaborou livros didáticos com palavras de baixo calão, com mapas onde existiam dois países do Paraguai. 
Estes são alguns exemplos de como o PSDB não é bom exemplo de administração pública. Espero que o eleitorado brasileiro não prejudique o nosso Mato Grosso e o país, elegendo candidatos do PSDB com seus projetos anacrônicos e apodrecidos de fazer política.
A corrupção escancarada às vésperas do cinqüentenário da construção de Brasília, protagonizada por José Roberto Arruda-DEM, Paulo Octávio-DEM e de deputados distritais do Distrito Federal, a maioria do DEM e PSDB, é de corar monge beneditino e destruir o sonho de esperança de JK e tantos outros candangos que ergueram a cidade de Brasília em nome da ruptura com um país arcaico.
Brasília completa hoje 50 anos, uma moderna e bela cidade, mas por hospedar políticos bandidos, em sua maioria, poderá entrar brevemente para o guiness book da antiética e Capital mundial do propinoduto. A cidade que aniversaria hoje nasceu sob a égide de renovação, da modernidade de arquitetura deflagrando durante sua construção a marcha para o Oeste, sacudindo um país, que até então se encontrava hibernado no litoral. A intenção de JK era levar o desenvolvimento [embora tenha endividado o país] para os mais longínquos rincões. A partir dos eixos que JK traçou em seu plano de metas, com rodovia Belém/Brasília, usinas hidrelétricas e a implantação da indústria automobilística.
No entanto, o outrora árido Brasil-Central, hoje, convive com um deserto, o moral, o escárnio e o cinismo de bandidos de colarinho branco, golpe do dinheiro nas meias, protagonizada por elementos da pior qualidade travestidos de políticos. Isso tudo é muito triste para uma cidade onde habitam cidadãos civilizados, em sua maioria. Em Brasília, diferentemente de Cuiabá, o pedestre ao colocar os pés no asfalto o condutor de veículos para automaticamente. Parabéns, Brasília.

Autor:João da Costa Vital é contador, pedagogo, jornalista, analista político. E-mail: joaocvital@pop.com.br
Fonte: A Gazeta

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Justiça aponta aliados do PMDB e PT são os "cabeças" de desvio de mais de R$ 50 milhões na Funasa

Posted on abril 18, 2010. Filed under: corrupção, Funasa, Justiça Federal, Mato Grosso, Operação Hygeia |

>

  • Luciano Mesquita, presidente afastado da Oscip Creatio e foragido, era um dos líderes do esquema

    A Justiça Federal “hierarquizou” a rede de corrupção e fraudes desarticulada durante Operação Hygeia, realizada pela Polícia Federal no último dia 7, após os depoimentos de grande parte dos 53 denunciados.

    Desse total, 12 tiveram prisão preventiva decretada (são os considerados ‘cabeças’ da quadrilha) e três continuam foragidos. O esquema era realizado na Fundação Nacional de Saúde (Funasa), com o envolvimento de duas Oscips (Creatio e Idheas), várias empresas e prefeituras.

     

    Estão no topo da lista os nomes de Carlos Roberto Ribeiro de Miranda, primeiro tesoureiro do Diretório Estadual do PMDB; Evandro Vitório, ex-coordenador regional da Funasa, entre 2006 e 2007; Francisco Salvador de Mattos, responsável pela empresa CHC Táxi Aéreo; e José Luis Gomes Bezerra, sobrinho do deputado federal e presidente regional do PMDB, Carlos Bezerra.

     

    Fazem parte do grupo os presidentes das Ocisp Instituto Creatio, Luciano de Carvalho Mesquita (foragido), que, efetivamente era administrada por Ronilton Souza Carlos; e Idheas, Maria Guimarães Bueno de Araújo Cuiabá (presa ontem pela Polícia Federal, no Estado de Minas Gerais), que sofria ingerência de Abel Alves Saraiva dos Santos (ex-vice-presidente) e Ronildo Lopes do Nascimento (sócio da LW Participações).

     

    Conforme as investigações da Polícia Federal, o Creatio angariava recursos por meio de direcionamento de licitações e dispensa pelo descumprimento dos contratos, nos termos firmados com os municípios de Cáceres e Pontes e Lacerda. O Idheas possui termos de parceria com as prefeituras de Tangará da Serra e Timóteo (MG) para prestar serviços na área de Saúde. Somados, possuem um orçamento, referente ao período de setembro de 2009 a maio de 2010, da ordem de R$ 6.421.475,88.

     

    Completam as “cabeças” os nomes de Renata Guimarães Bueno, diretora financeira do Idheas e servidora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT); Ronildo Lopes do Nascimento; Ronilton Souza Carlos, diretor da Oscip Instituto Creatio; Valdebran Carlos Padilha Silva e seu irmão, Waldemir José Padilha Silva, que, faziam uso de diversas empresas registradas em nome de terceiros para firmar contratos com o Poder Público; e Celino Henrique Lugon Fraga.

     

    “O proveito econômico obtido é repassado aos empresários, membros de Oscips e servidores públicos, assegurando-se a perpetuação das atividades delitivas e o comprometimento dos criminosos para com a quadrilha. A união mostra-se extremamente forte e estável, sendo possível constatar que, mesmo com o passar do tempo, os integrantes mantêm poder de decisão e ganho financeiro com as condutas ilícitas consumadas, apesar de exercerem ocupações diferentes”, conclui relatório da Justiça Federal, assinado pelo juiz Sebastião Julier da Silva, da 1ª Vara da Justiça Feeral

     

    Os identificados como lideres do esquema tiveram a prisão preventiva decretada, tendo em vista enquadramento no artigo 312, Código de Processo Penal, no tocante à “prova da existência do crime e indício suficiente de autoria”. Em função disso, a Justiça autoriza a decretação da constrição preventiva quando for necessária para garantia da ordem pública, para garantia da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal ou para assegurar a aplicação da Lei Penal”.

     

    Duas 15 prisões preventivas solicitada pelo Ministério Público Federal (MPF), três foram negadas. Abel Alves Saraiva dos Santos, ex-presidente da Oscip Idheas; e Wellington Fanaia Pereira, marido de Renata Bueno e diretor de Tecnologia do Idheas e atual vice-presidente da organização. “Pelo apurado até o momento, atuam sob a orientação do núcleo acima, cuja prisão cautelar resta deferida neste momento, tem-se por afastada a necessidade de sua segregação”, afirmou Julier, em sua decisão.

     

    É o caso também de Rafael Bello Bastos, secretário-geral do Diretório Municipal do PMDB e assessor do deputado federal Carlos Bezerra. Por ocupar cargo público, o pedido de prisão dele será apreciado juntamente com a do grupo dos servidores públicos.

    Tiveram prisão temporária decretada:
    Carlos Roberto Ribeiro de Miranda
    Celino Henrique Lugon Fraga (encontra-se foragido)
    Evandro Vitório
    Francisco Salvador de Mattos
    José Luis Gomes Bezerra
    Luciano de Carvalho Mesquita (encontra-se foragido)
    Maria Guimarães Bueno de Araújo (presa hoje, em Belo Horizonte)
    Ronildo Lopes do Nascimento (encontra-se foragido)
    Ronilton Souza Carlos
    Valdebran Carlos Padilha Silva
    Waldemir José Padilha Silva

    Tiveram prisão temporária negada:
    Abel Alves Saraiva dos Santos
    Wellington Fanaia Pereira

    Aguarda parecer da Justiça:
    Rafael Bello Bastos

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

>Idiota imperfeito

Posted on fevereiro 8, 2010. Filed under: Arruda, corrupção, Distrito Federal, ditadura militar, Idiota, imperfeito, organização criminosa, Polícia Federal, Relações Institucionais, Tribunal de Justiça |

>

“O Brasil é um país personalista. Interessa quem vai mandar. Vice não manda”. (Alberto Carlos Almeida, analista político)

A essa altura, por tudo que se sabe, é quase irresistível a tentação de chamar de corrupto o governador José Roberto Arruda, do Distrito Federal. Ele foi apontado pela Polícia Federal como “chefe de uma organização criminosa” responsável pelo mensalão do DEM. Mas a polícia diz o que quer, escreve o que quer e não vai presa. No meu caso…


Nunca fui preso pelo que escrevi. Muito do que escrevi foi censurado na época da ditadura militar de 64. Quanto a ser processado, o depoente reconhece que foi mais de uma dezena de vezes. Condenado? Só uma – e por negligência do meu advogado. Paguei R$ 20 mil como forma de reparar a honra de um ex-deputado distrital de Brasília preso mais tarde por grilagem de terra.


Outro dia, Arruda distribuiu nota afirmando que me processará por que eu o acusara de oferecer R$ 4 milhões para cada deputado disposto a votar contra seu impeachment. Leu errado. Publiquei no blog que a oferta partiu do “esquema interessado” em mantê-lo no cargo. Fazem parte do “esquema” empresários de Brasília que lucraram milhões com obras superfaturadas. Acho até que Arruda não sabia…


Se cedesse à tentação de taxá-lo de corrupto seria processado na hora. Como só cabe à Justiça resolver essa parada – se quiser e quando quiser -, por ora prefiro me referir a Arruda como um idiota. Um rematado idiota. Ou melhor: um idiota imperfeito. Idiota é quem comete uma burrice por descuido ou ignorância. O imperfeito idiota comete a burrice porque se julga inteligente demais, esperto demais.


Logo depois de se eleger governador em 2006, Arruda soube que havia sido filmado recebendo dinheiro vivo durante a campanha. Quem lhe contou? Durval Barbosa, o autor do filme, responsável pelo pagamento de despesas da campanha de Arruda. Na ocasião, Durval se desculpou: “Eu tenho de me defender…” O filme permaneceria inédito se ele ganhasse um cargo no futuro governo.


Não um cargo qualquer. Mas um com direito a foro privilegiado. Durval coleciona processos desde o governo de Joaquim Roriz, seu mentor. Quem tem foro privilegiado costuma escapar mais facilmente de condenações. Daí… Daí que Arruda nomeou Durval secretário de Relações Institucionais. E ao invés de isolá-lo em seguida, deixou-o cuidar do pagamento do mensalão. Durval passou então a filmar todo mundo.


Em setembro último, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal aceitou mais um processo contra Durval. Arruda prometera dar um jeito para que o processo fosse recusado. Sentindo-se traído, Durval abriu sua filmoteca, sacou de lá 30 vídeos e estragou para sempre a vida de Arruda. Foi a primeira idiotice cometida pelo governador – confiar em quem o chantageara antes e estocava munição para detoná-lo.


A segunda monumental idiotice: tentar se entender com o jornalista Edson Sombra, o amigo de Durval que mais o incentivou a despachar Arruda para o inferno. Sombra diz que Arruda lhe ofereceu R$ 3 milhões. Em troca, ele deveria desqualificar os vídeos dizendo que foram adulterados. Arruda alega que foi procurado por Sombra atrás de favores, e que se recusou a atendê-lo.


Ambas as versões podem conter furos – mas a de Arruda é uma peneira. O deputado Geraldo Naves (DEM) confirma que visitou Sombra a pedido de Arruda. Confirma também que entregou a Sombra um bilhete escrito por Arruda onde ele suplica a certa altura: “Quero ajuda”. Wellington Moraes, secretário de Comunicação do governo, confirma que Arruda e Sombra conversaram por telefone.


Que Arruda aja como um idiota imperfeito é problema dele. Mas que queira nos fazer de idiotas, alto lá! Primeiro o dinheiro filmado com ele era para a compra de panetones. Agora, tudo não passou de mais uma armação de Durval. Foi o sobrinho e secretário-particular de Arruda que providenciou o dinheiro entregue a Sombra. Corrupção, não, mas idiotice é crime imprescritível. Só por isso Arruda merecia estar preso.

Autor: Ricardo Noblat – E-mail para esta coluna: noblat@oglobo.com.br – BLOG DO NOBLAT: http://www.oglobo.com.br/noblat

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

« Entradas Anteriores

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...