Enem

>Chamada para novo exame do Enem será feita até 6ª feira

Posted on dezembro 8, 2010. Filed under: Enem |

>

O MEC (Ministério da Educação) informou que vai contatar todos os cerca de 2.800 alunos que terão direito a refazer o Enem (Exame Nacional do Ensino médio) até a próxima sexta-feira (10).
 
O ministério começou, na semana passada, a entrar em contato com os candidatos individualmente, via e-mail, telefone ou SMS (mensagem via celular).
É só a partir dessa notificação que os alunos saberão se estão entre os alunos que podem fazer o exame, marcado para o dia 15. O MEC não vai divulgar uma lista com o nome dos beneficiados.
Para ter esse direito ao segundo exame, o candidato precisa ter recebido a prova amarela de sábado (6/11) com erro de impressão, não ter tido seu caderno de questões trocado, e ter tido seu caso registrado em ata.
Alguns alunos relataram à Folha que, apesar de terem tido problema com a prova amarela e de não terem recebido um novo caderno de questões, não sabem se os fiscais de prova registraram o ocorrido em ata.
A orientação é que esses alunos esperem algum tipo de contato do ministério até o fim da semana.
Os alunos contatados receberão, posteriormente, o cartão de confirmação de inscrição. O MEC, no entanto, ainda não definiu o prazo de envio do documento.

Fonte: Blog do Noblat

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Inscrição para vestibular do IFMT começa dia 10

Posted on setembro 8, 2010. Filed under: Campo Novo do Parecis, Cáceres, Confresa, Enem, IFMT, Juína, Pontes e Lacerda, São Vicente, vestibular, vestibular do IFMT |

>

O Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) torna público por meio do edital 027/2010, à abertura do processo seletivo para o Vestibular 2011/1. As inscrições podem ser realizadas no período de 10 a 30 de setembro de 2010, no site – www.ifmt.edu.br. O valor da taxa de inscrição é R$ 50,00. A confirmação da inscrição estará efetivada somente após o pagamento do boleto bancário correspondente à taxa e à sua devida confirmação da rede bancária.
 
Vagas
São ofertadas 466 vagas para cursos superiores de graduação nos Campi de Cuiabá, Cuiabá – Bela Vista, São Vicente, Cáceres, Juína, Campo Novo do Parecis, Pontes e Lacerda e Confresa. A metade das vagas são ofertadas para os estudantes que fizerem o Enem.

Em breve, será divulgado um novo edital que destinará 419 vagas para cursos superiores de graduação nos oito campi, a partir do preenchimento de vagas pelo Enem.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Dados de 12 milhões de estudantes inscritos no Enem vazam na internet

Posted on agosto 4, 2010. Filed under: Enem, Ensino Médio, Estudante, Fernando Haddad, ministro da Educação, vestibular |

>

 

Vítimas. Alunos protestam após fraude no Enem de 2009

Uma falha do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) permitiu acesso livre aos dados pessoais de 12 milhões de inscritos nas últimas três edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Até o fim da tarde de ontem, os estudantes cadastrados tiveram informações como nome, RG, CPF, data de nascimento e nome da mãe expostos em links abertos no site do Inep – a reportagem conseguiu acessar, por exemplo, dados e até as notas do filho do ministro da Educação, Fernando Haddad, que prestou o Enem em 2009.
As listas eram de uso interno do Inep, responsável pela organização do Enem, e não deveriam estar disponíveis livremente. Os links davam acesso aos arquivos com todos os inscritos das edições de 2007, 2008 e 2009, sem a necessidade de senha. Os endereços já estavam fora do ar às 17 horas de ontem, horas depois de o Ministério da Educação (MEC) ter sido avisado da falha pelo Estado (mais informações nesta página).
A reportagem foi alertada sobre o vazamento por técnicos de uma escola de 1.º e 2.º graus da Grande São Paulo, que pediram anonimato. Eles encontraram os endereços eletrônicos há cerca de quatro meses, ao pesquisar no portal para ver se as notas dos alunos já haviam sido divulgadas. Para ter acesso aos dados, não foi necessário fazer nenhum trabalho de hacker, mas seguir links indicados no portal.
Como a relação continha ainda o número de inscrição no Enem, foi possível ter acesso ao desempenho individual dos candidatos, o que contraria o edital do Enem.
O documento que traça as diretrizes do Enem garante o sigilo dos dados e ressalta que os resultados só poderiam ser divulgados “mediante a autorização expressa do participante” (veja fac-símile). A segurança das informações em órgãos públicos também é regulamentada pelo decreto federal 3505/2000. O texto é claro sobre a obrigação dos órgãos em assegurar a inviolabilidade dos dados, “obrigando a conscientização dos órgãos e das entidades da Administração Pública Federal sobre a importância das informações processadas e sobre o risco da sua vulnerabilidade”.
O titular da Delegacia de Estelionato do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), Eduardo Gobetti, alerta que um banco de dados como esse é um prato cheio para a ação de criminosos. “Tudo o que um golpista quer são informações pessoais como essas”, diz. Com uma busca rápida pela internet é possível encontrar inúmeras ofertas para a venda de documentos pessoais.
O delegado explica que, com o CPF, RG e o nome de uma pessoa, é possível cometer uma série de crimes – da confecção de documentos falsos à tentativa de abertura de empresas fictícias, contas bancárias e pedidos de financiamento. “O criminoso comete os crimes, mas consegue ficar com o nome limpo. Por outro lado, um garoto pode chegar à maioridade com o nome sujo.”
Vestibular. Desde 2009, o Enem ganhou importância e passou a ser usado como vestibular para dezenas de universidades federais. Apesar de o último Enem ter contabilizado 4,5 milhões de inscritos, só 1,5 milhão de estudantes fizeram as provas. Muitos candidatos desistiram depois do adiamento do exame, provocado pelo vazamento da prova – também denunciado pelo Estado.
Fonte: Estadão

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Enem 2010: Confira as universidades federais vão adotar nota do exame no vestibular 2011

Posted on julho 8, 2010. Filed under: Educação, Enem, Enem 2010, MEC, Sisu, UnB, universidades, universidades federais, UOL, vestibular |

>

Estão confirmadas que 49 das 55 universidades federais brasileiras vão adotar a nota do Enem, Exame Nacional do ensino Médio, 2010 em seus vestibulares com ingresso em 2011. Levantamento feito pelo portal UOL, apenas seis instituições ainda estão em dúvida se irão utilizar o Enem. O prazo para inscrição ao exame termina na próxima sexta-feira, 9 de julho.

Veja no mapa abaixo de que maneira as instituições vão usar a nota do Enem

  • Em 15 dessas instituições o Exame Nacional do Ensino Médio será a única forma de avaliação dos candidatos no processo seletivo 2011. Quase todas elas vão disponibilizar suas vagas no Sisu (Sistema de Seleção Unificada), capitaneado pelo MEC (Ministério da Educação). A exceção fica por conta da UFCG (Universidade Federal de Campina Grande), na Paraíba. A federal paraibana vai utilizar o Enem como prova de seleção dos seus calouros de 2011, mas exigirá inscrição à parte (R$ 15 para cursos que não precisem de avaliação de habilidades específicas).

    Dez universidades oferecerão parte das vagas pelo Sisu e parte pelo vestibular tradicional – as porcentagens variam de 10% a 60% das vagas exclusivamente ofertadas pelo Sistema de Seleção Unificada.

    Algumas instituições preferiram adotar o Enem apenas como parte da nota do vestibular — sete delas substituirão a primeira fase de seu processo seletivo e outras cinco vão usar o exame como percentual da nota. A UnB (Universidade de Brasília) e outras três universidades optaram por utilizar o Enem para preencher suas vagas remanescentes, ou seja, aquelas que sobrarem depois de todas as listas previstas no edital do vestibular.

    Há ainda as que não definiram como irão utilizar a nota do Enem, caso da fluminense UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e da paulista Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Elas recomendam que os interessados em seus vestibulares façam o Enem.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Confira a lista do Ministério da Educação para o Sisu da primeira chamada 2010.

Posted on junho 17, 2010. Filed under: Enem, MEC, Ministério da Educação, Sisu |

>O Ministério da Educação divulgou na quinta-feira, 17 de junho, a primeira lista de chamados do Sisu, sistema de Seleção Unificada.

Foram oferecidas 16.573 vagas, sendo 13.177 em universidades federais, 2.846 em institutos federais e 550 em universidades estaduais. Para disputar uma das vagas, o estudante deveria ter participado em 2009 do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

As matrículas devem ser feitas nas instituições federais de ensino superior no dias 23 e 24. O candidato pode fazer até duas opções   de curso e instituição de acordo com sua preferência, e alterá-las no período das inscrições com base na nota de corte divulgada cada dia. Cada alteração invalida a opção feita anteriormente.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Trapalhadas do MEC coloca política educacional em descrédito

Posted on março 19, 2010. Filed under: educação no Brasil, Enem, Ensino Médio, MEC, Ministério da Educação, Sisu, UFMT, universidades, universitário |

> No ano passado milhares de estudantes brasileiros sofreram um grande baque com o cancelamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que substituiu os tradicionais vestibulares para ingresso nas faculdades públicas do país. O exame foi cancelado, em outubro, após o jornal “O Estado de S.Paulo” avisar ao Ministério da Educação que a prova tinha vazado.

Depois de muitas desculpas, manifestações pelo país afora, um novo exame foi feito. Eis que mais problemas  estão acontecendo, revelando que o Ministério da Educação, com sua nova fórmula, não consegue transmitir seriedade para os estudantes brasileiros que sonham com uma vaga nas faculdades públicas. Desta vez um problema técnico no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), registrado no domingo, fez com que estudantes não classificados para vagas em instituições federais de ensino superior aparecessem como convocados para matrícula. Alunos que viram seus nomes na lista de espera chegaram a procurar as instituições, mas não puderam preencher a vaga.

O problema tem reflexos em todo o Brasil. Em Cuiabá alunos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) denunciaram ao Ministério Público o “sumiço” de vagas no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A reclamação é que, em questão de horas, os candidatos passam de aprovados para não aceitos, mesmo adquirindo pontuação suficiente. Nove estudantes de Mato Grosso tiveram esse problema, o mesmo registrado em todo o Brasil, e que leva o sistema mais uma vez a cair no descrédito.

O assunto ganha desdobramentos e as universidades mineiras já decidiram que vão dispensar o resultado do Enem de 2009 e fazer processos seletivos próprios no meio do ano. Em um documento assinado pelo Fórum das Comissões de Processos Seletivos de Minas Gerais (ForCops) e endereçado à Secretaria de Educação Superior, do Ministério da Educação (MEC), 15 instituições avaliam que o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) está em “descrédito”.

A situação é complicada e o governo federal, através do Ministério da Educação, não vem demonstrando competência para solucionar o grave problema. A grande verdade é que o MEC não acertou nas mudanças. Centralizou e complicou. A educação no Brasil enfrenta problemas em todos os níveis e agora a questão se complica em nível universitário. Uma pena para o país e para o governo, que deveria ter a educação como prioridade. Fonte: A Gazeta

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Nota no Enem cai ainda mais e expõe a má qualidade da educação em Mato Grosso

Posted on março 6, 2010. Filed under: Educação, Enem, Ensino Médio, Mato Grosso, TCE de Mato Grosso |

>

 O bom desempenho de alunos da rede pública de ensino no Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, continua a ser um desafio aos gestores e às políticas públicas de educação estaduais e nos municípios de Mato Grosso. Essa é uma das constatações extraídas da 2ª Avaliação de Políticas Públicas em Educação e Saúde, realizada por técnicos do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT).

A análise revela que em 2008 os alunos da rede estadual atingiram a nota média de 32,60 na prova objetiva do Enem ante a média nacional de 36,13. Chama ainda atenção o fato de o desempenho estadual em 2008 ter sido aquém do resultado alcançado em 2007 (presente na 1ª avaliação de políticas públicas feita pelo TCE-MT), quando a nota média atingia a pontuação de 41,19.
Esses e vários outros dados, incluindo o desempenho de cada município, podem ser consultados entre os resultados da 2ª Avaliação de Políticas Públicas nas áreas de educação e saúde. Basta acessar o link Menu Principal – Políticas Públicas no site do TCE. O acesso é fácil e disponível a toda a população.
No campo da educação estadual, a avaliação afere a taxa de escolarização líquida (15 a 17 anos); a taxa de abandono no Ensino Médio; o desempenho médio na prova objetiva do Enem; a taxa de abandono até a 4ª Série e da 5ª à 8ª Séries; e a proporção de escolas estaduais com nota na Prova Brasil 2005 inferior à média nacional, considerando as disciplinas de Matemática e Português voltada a alunos tanto da 4ª como 8ª Série.
Já no âmbito das políticas públicas de educação municipais, a avaliação feita pelo TCE abarca a taxa de cobertura potencial na educação infantil (razão entre o total de matrículas e a população de 0 a 6 anos); taxa de reprovação e taxa de abandono até a 4ª Série e da 5ª a 8ª Série; a distorção idade-série até a 4ª Série (proporção de alunos numa determinada série com idade superior à esperada em relação à matrícula total); e a proporção de escolas municipais com nota na Prova Brasil 2005 inferior à média nacional, considerando as disciplinas de Matemática e Português, voltada a alunos tanto da 4ª como 8ª Série.
Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

>Universidade Federal de Mato Grosso é a mais procurada do país

Posted on fevereiro 5, 2010. Filed under: Enade, Enem, UFMT, Universidade Federal de Mato Grosso, vestibular |

>

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) foi a instituição mais procurada pelos estudantes que participam do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), segundo dados do Ministério da Educação. São 56.703 inscritos para 5.008 vagas, distribuídas em 97 cursos. A segunda instituição foi a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro com 48.347 inscritos. O total de mato-grossenses inscritos em todo o país é 33.204.

Os cinco cursos mais concorridos na UFMT são Medicina (4.085 candidatos), Enfermagem (3.328 candidatos), Direito (3.123 candidatos), Zootecnia (2.663 candidatos) e Geografia (2.418 candidatos).

Para a reitora da UFMT, Maria Lucia Cavalli, o recorde na procura pela instituição federal mato-grossense pode estar relacionado ao fato da universidade apresentar boas notas no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, Enade, principalmente entre os cursos da área da saúde e Direito. Em uma segunda hipótese, Maria Lucia atribui a grande procura ao alto número de inscrições por parte de vestibulandos do próprio Estado.

De acordo com a reitora, existe também a probabilidade desse aumento significativo influenciar na quantidade de estudantes locais selecionados.

As inscrições dos estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio, Enem, para instituições que utilizam a nota como única forma de acesso -como é o caso da UFMT – ou àquelas que a utilizam parcialmente, foram finalizadas às 23h59 de quarta-feira. Ao todo, são 793,9 mil candidatos para os 974 cursos de graduação oferecidos por 51 instituições de educação superior no país.

Matrícula – Para garantir a vaga, os candidatos classificados devem fazer a matrícula na instituição para a qual foram classificados. O prazo de matrícula será de segunda-feira (8) até o dia 12. Os candidatos devem observar a documentação exigida pela universidade ou instituto federal de educação, ciência e tecnologia.

Os aprovados para a UFMT devem procurar o campi Cuiabá, Rondonópolis e Araguaia (Pontal do Araguaia e Barra do Garças) para fazer a matrícula. Os documentos exigidos são carteira de identidade, título de eleitor e comprovante de votação da última eleição, Cadastro de Pessoa Física (CPF) e documento comprobatório de estar em dia com as obrigações militares, se candidato do sexo masculino com mais de 18 anos. Também estão na lista registros escolares como certificado ou diploma de conclusão do Ensino Médio e certificação de habilidade específica,para o curso de Música Licenciatura.

Segunda etapa – Os candidatos não selecionados nesta primeira etapa terão nova chance. Eles devem fazer a inscrição na segunda etapa, que começa no dia 15 próximo e vai até o dia 20. Serão oferecidas, então, as vagas não ocupadas na primeira fase. (Fonte: A Gazeta Com Assessoria/MEC)

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Enem – uma operação de guerra

Posted on janeiro 28, 2010. Filed under: concurso, Enem, Gramática, INEP, MEC, prolixas |

>

Não faço parte do grupo que critica violentamente o Enem. Considero uma boa iniciativa, sujeita a aperfeiçoamentos que estão sendo providenciados pelo MEC, para o ano próximo. Fazer as provas em duas etapas (em semestres distintos) já protege o exame do seu gigantismo, que torna quase impraticável a sua implementação. Vejam o que aconteceu: 38% dos inscritos não compareceram, dando um enorme prejuízo ao erário, pois as provas foram impressas e havia locais e professores para a eventualidade de uma presença integral. Quem paga pela imprevidência?

O Enem é uma espécie de operação de guerra. A primeira versão foi a tragédia conhecida, com a anulação do concurso, pela falta de cuidados essenciais dos vencedores da licitação, todos inexperientes. Veio a segunda versão, feita agora, e muitas universidades federais se retiraram do processo, diminuindo a importância do exame. Perda de confiança ou falta de tempo? Ficou a dúvida.



O que nos causou espécie, nas segundas provas, foi o aperto geral dado na elaboração das questões. Os alunos sentiram e se queixaram. Não há uma explicação lógica para a mudança de nível e os técnicos do Inep não vieram a público para esclarecer o fato. Aliás, outro erro indesculpável foi o conhecimento de que uma das questões (no 101) deveria ser anulada, por admitir duas respostas, e mesmo assim foi mantida. Prejuízo claro para os alunos, pois perderam um tempo precioso para escolher a opção que seria correta, quando havia duas respostas possíveis. Não se entende porque uma prova assim complexa não tem um gabarito confiável.



A dúvida jamais poderia ser repassada aos alunos, mesmo que a questão depois fosse anulada. Isso é de uma clara irresponsabilidade, como ficou provado pelas manifestações dos 2,5 milhões de estudantes que fizeram a prova de linguagens, onde ocorreu o fenômeno. Nenhuma desculpa é válida, ainda mais depois do que havia acontecido na primeira e fracassada versão.



Outra crítica está sendo feita – e se avoluma – pelos professores de língua portuguesa. As questões eram prolixas, muito texto, e pouquíssimo apelo aos conhecimentos de Gramática. Só o bom senso não pode ser o fator determinante do sucesso.



O que está acontecendo, meio na surdina, é que os linguistas tomaram de assalto a elaboração das questões e desprezaram, como é do seu estilo, a importância da Gramática para o bom conhecimento do nosso idioma. Não dá para justificar essa preferência, a menos que o Inep deseje entrar para a história como o órgão público que acabou com a Gramática, nas nossas escolas. De onde terá vindo essa esdrúxula orientação?



Não vamos diminuir a dificuldade de elaborar tantas questões, inclusive com as diferentes cores (quatro) que impedem a existência da antiga “cola”. É muito trabalho, sabemos disso, mas é preciso começar o processo com toda antecedência que garanta a lisura e a correção de tudo o que é feito, teoricamente por pessoas altamente qualificadas. Esses erros desmoralizam o empenho do próprio MEC e todos saem perdendo.



Autor: Arnaldo Niskier – é da Academia Brasileira de Letras e presidente do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE/Rio). Fonte: CH

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Resultado oficial do Enem 2009; confira suas notas

Posted on janeiro 28, 2010. Filed under: Enem, Enem 2009, MEC, Resultado do Enem 2009 |

><!–
google_ad_client = “pub-9902381120721558”;
/* 468×60, criado 28/01/10 */
google_ad_slot = “2310803846”;
google_ad_width = 468;
google_ad_height = 60;
//–>

<script type="text/javascript"
src=”http://pagead2.googlesyndication.com/pagead/show_ads.js”&gt;

O MEC (Ministério da Educação), divulgou nesta quinta-feira (28) o resultado do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2009. Mais de 2,5 milhões de candidatos fizeram as provas e podem usar a nota em busca de vagas em universidades.

  • Confira as notas no site do MEC
  • No site é possível acessar os desempenhos individuais nas provas do Enem de duas maneiras: com o CPF e a senha contida no cartão de confirmação, enviado aos inscritos pelos correios, ou com o número de inscrição para o exame, mais a senha.

    Os candidatos receberão quatro médias diferentes, uma para cada área avaliada no exame, todas já devidamente calculadas na metodologia da TRI (Teoria de Resposta ao Item). Também estará disponível a média na redação.

    Caso o participante não tenha mais a senha solicitada, ele poderá recuperá-la no próprio sistema. Para isso, será necessário informar o CPF, nome completo, unidade federativa e data de nascimento. Também será possível resgatar o número de inscrição. Segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), o sistema não permite a alteração de nenhum dado cadastral, nem mesmo da senha.

    Marcos Pinto/UOL

    Cerca de 2,6 milhões de candidatos fizeram a prova do Enem 2009;
    Os participantes que realizaram o exame em janeiro também poderão acessar suas notas a partir desta quinta-feira.

    Vagas em faculdades

    Quem fez o Enem 2009 poderá disputar 47,9 mil vagas em instituições federais de ensino superior. Tudo isso será feito por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) do MEC.

    As inscrições para a primeira etapa do Sisu vão das 6h desta sexta-feira (29) até as 23h59 de 3 de fevereiro, pelo horário de Brasília (DF), pelo site sisu.mec.gov.br.

    O sistema calculará uma nota de corte por dia: durante os períodos de inscrições, é possível se inscrever até as 23h59. Após esse horário, o site trava e ninguém mais se inscreve. Entre meia-noite e 6h, o sistema processa as notas das inscrições recebidas. Às 6h, o Sisu vai ter as primeiras listas provisórias das inscrições, e aí informa a nota de corte de cada curso/instituição.

    O sistema permitirá apenas a escolha de uma única opção de instituição, curso, turno e modalidade de vaga por inscrição. Durante o período de seleção é possível mudar a opção de curso, mas a escolha que vale é a final.

    Haverá mais duas oportunidades para inscrição, nos períodos de 15 a 20 de fevereiro e de 1º a 3 de março. A cada etapa, o sistema excluirá as vagas preenchidas e mostrará apenas as que ainda estão disponíveis.

    Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

    « Entradas Anteriores

    Liked it here?
    Why not try sites on the blogroll...