estradas

>Jornal Financial Times afirma que Futuro brilhante do Brasil está fora de alcance

Posted on maio 6, 2010. Filed under: aeroportos, água, conservação, construção, esgoto, estradas, favelas, Financial Times, jornal, tratamento, trânsito |

>O jornal britânico Financial Times publicou matéria afirmando que o “futuro brilhante” do Brasil está fora de alcance.

Segundo o jornal problemas como o trânsito, favelas, a precariedades dos aeroportos e má conservação e falta de construção de novas estradas. Inclue também na listagem do jornal a deficiência no tratamento de água e esgoto.

“Os planos estão na mesa. A economia está crescendo. Os investidores estão fazendo fila… Mesmo assim, o novo futuro brilhante do Brasil parece ainda estar fora de alcance”, diz o artigo que abre o caderno.

“O panorama para a infraestrutura (brasileira) é profundamente irregular”, afirma o FT.

Como exemplo de problemas, o jornal cita a “assustadora” tarefa de se urbanizar favelas, evidenciada pelos recentes desabamentos no Rio; a melhoria “lenta” dos transportes públicos enquanto o país compra mais carros do que suas ruas comportam; a confusão sobre as responsabilidades de Federação, Estados e Prefeituras sobre o tratamento de água e esgoto; atrasos em projetos causados por “falhas de gerenciamento e o peso da burocracia”; e até “ideologias” entre o que deve ser privatizado ou mantido sob o controle do governo.

‘PAC não é fracasso’ O FT destaca ainda que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), lançado pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2007, enfatizou a importância dos gastos em infraestrutura para o desenvolvimento do país, “mesmo não tendo alcançado seus objetivos”.

“Seria errado desqualificar o PAC como sendo um fracasso”, diz o jornal. “Ele trouxe empregos, casas e uma vida melhor para muitas pessoas que vivem nas favelas. E colocou o investimento em infraestrutura de volta ao centro do cenário político.” Em vários artigos separados, o FT examina a situação dos vários setores da infraestrutura, como habitação, eletricidade, energia, construção civil, bancos, agricultura e indústrias naval e siderúrgica, analisando obstáculos e avanços.

O diário também dedica uma reportagem à “dificuldade” que o Brasil está tendo para preparar a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada do Rio, em 2016.

“Apesar da confiança depositada no país pelos organizadores dos dois maiores eventos esportivos do mundo, ainda há uma montanha íngrime a ser escalada em termos de colocar a infraestrutura – transportes, hotéis e estádios – em um alto nível internacional antes dos prazos de 2014 e 2016”, afirma o FT. Fonte: com participação de: Notícias UOL

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Frota de caminhões entregue pelo governo é denunciada de superfaturamento

Posted on abril 29, 2010. Filed under: BNDES, caminhões, estradas, Mato Grosso, máquinas, MP, superfaturamento |

>

O governo do estado gastou R$ 241 milhões para comprar caminhões e máquinas para recuperar e manter estradas. Mas, segundo o MP, os preços dos veículos estão muito acima do mercado.


A polícia de Mato Grosso abriu inquérito sobre denúncias de superfaturamento na compra de máquinas e caminhões pelo governo do estado.

Foram 408 caminhões e quase 300 máquinas para recuperação e manutenção de estradas. Custaram aos cofres do estado R$ 241 milhões, dinheiro obtido num empréstimo do BNDES. Mas, segundo o Ministério Público, os preços foram superfaturados.

Num documento da licitação, quatro fornecedores cobraram o mesmo preço por cada caminhão: R$ 246.315, mas, nas concessionárias, um caminhão do mesmo modelo, custa bem menos.

“Depende da configuração, mas a partir de 192 mil”.

Numa outra loja, o preço é ainda mais baixo. “O mínimo que dá para fazer é uns R$ 188 mil”.
De acordo com uma auditoria determinada pelo governo, a diferença de preços ultrapassa os R$ 26 milhões.

A delegacia fazendária abriu inquérito para investigar os indícios de crimes de fraude à licitação e peculato. Há denúncias de que as empresas vencedoras da concorrência pública teriam que aumentar o valor para compensar o que gastariam com suposto pagamento de propina.

O chefe da Casa Civil, Éder Moraes, disse nesta quarta que parte do que o estado pagou a mais já está sendo devolvido pelas empresas. “Já foram recuperados aos cofres do governo do estado de Mato Groso mais de R$ 6 milhões. Não diria que houve algo ilegal. Se houve, não foi por parte do estado de Mato Grosso”.

As secretarias estaduais de Administração e de Infraestrutura, responsáveis pelo processo de licitação, não se pronunciaram sobre o caso. Fonte: G1/JN

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>69% das estradas brasileiras são ruins e precisa investir R$ 32 bilhões para recuperar

Posted on outubro 29, 2009. Filed under: CNT, estradas, gestão pública, investir, rodovias, trafegabilidade |

>

O Brasil precisa investir R$ 32 bilhões para recuperar todas as estradas que estão em más condições de tráfego, segundo pesquisa divulgada hoje (28) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Entre os problemas encontrados estão a má qualidade do asfalto (63,9%), estradas com sinalização ruim (54,2%) e rodovias sem acostamento (46,3%).

A pesquisa foi feita durante 45 dias e foram analisados 89.552 quilômetros de rodovias, o que inclui todas as estradas federais pavimentadas e as principais estaduais. O presidente da CNT, Clésio Andrade, disse que os investimentos ainda não são suficientes para manter ou recuperar as estradas.

“O governo tem condições de colocar todo o sistema em condições ideais em 10 anos. Depende de recursos financeiros e de boa vontade política”, disse. Apesar da situação ruim, houve melhoras em relação a última pesquisa, em 2007. Segundo Andrade, houve melhoria de 26% a 32% das rodovias classificadas como ótima ou boa.

As piores estradas estão na região Norte: mais de 90% das estradas apresentam más condições. A situação mais crítica é no Amazonas, que tem toda a malha rodoviária considerada como regular, péssima ou ruim. Em seguida está o Acre, que tem 98,7% das estadas em condições precárias. Roraima foi o que teve a maior parte das estradas avaliadas como ruins (43,6%) – a BR-210 foi considerada a pior estrada no estado.

As melhores rodovias estão na região Sudeste, onde 45,7% estão em boas condições. São Paulo apresenta as melhores condições das estradas. Mais de 70% delas estão em boas ou ótimas condições. A melhor estrada é a BR-478 (entre Limeira e o litoral sul de SP), que foi avaliada como ótima. A SP-070 (que é privada) liga a capital paulista a Taubaté e foi avaliada como a melhor estrada.

O Estado de Minas Gerais, que possui a maior malha rodoviária do país, tem as piores estradas da região Sudeste. Um total de 73,7% das estradas mineiras foram avaliadas como ruins, péssimas ou regulares. Apenas as BR-496 (no norte do estado) e 464 (próxima a Uberaba) foram avaliadas como ótima ou boa. As outras nove foram avaliadas como péssimas, ruins ou regulares, sendo que a BR-482 (na região de Viçosa) foi a que recebeu a pior classificação.

No total, 69% das estradas brasileiras são ruins e 31% estão em boas condições. Entre as rodovias sob gestão pública, 77,6% não apresentam boas condições para os motoristas e o restante (22,4%) tem boa trafegabilidade. No caso das rodovias privatizadas, a situação se inverte: 76,5% estão em boas condições e 23,5% apresentam problemas.

Fonte: UOL Economia

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...