Fiemt

>Mato Grosso possui 13 casos de pai que tenta matar filho

Posted on junho 1, 2010. Filed under: assassinatos, briga, dinheiro, drogas, Fiemt, filhos, homicídios, Mato Grosso, país, pistoleiros, Sem-categoria, transtornos mentais |

>

A contratação de pistoleiros para matar o próprio filho, como é acusado o empresário e ex-superintendente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), Francisco Serafim de Barros, 60, não é um caso isolado em Mato Grosso, que tem mais de 30 casos semelhantes nos últimos 8 anos. Os crimes de tentativas de homicídios ou assassinatos entre pais e filhos geralmente envolvem drogas, briga por dinheiro ou transtornos mentais. No Estado, foram registrados 13 casos de pais contra filhos e 17 de filhos contra pais. Serafim e o filho Fabiano Leão de Barros são acusados de planejar a morte de Fábio Cézar Leão de Barros, 40, por conta de dinheiro.

Carlos Renato está preso e foi condenado a 12 anos por encomendar
morte do próprio pai em 2008

A briga começou na Justiça para que o pai devolvesse parte dos R$ 28,8 milhões ganhados na Mega-Sena por Fábio, e só não terminou em morte, conforme a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, porque a vítima saiu de Campo Grande antes de ser encontrada por pistoleiros. A disputa teve início com ação proposta por Fábio, que figura ainda como acusado de ameaça contra o pai e o irmão.
O destaque do caso é relacionado a quantia de dinheiro envolvida, além de ter como protagonistas pessoas de destaque social e projeção em cargos públicos. Serafim foi superintendente do Banco da Amazônia por vários anos, e atualmente estava na superintendência da Fiemt.
Também por dinheiro, Carlos Renato Gonçalves Guimarães, o “Tato”, 37, encomendou a morte do pai, o fazendeiro José Carlos Guimarães, em janeiro de 2008. Ele foi condenado a 12 anos de prisão em regime fechado. Tato gerenciava as fazendas Fartura e Bonsucesso e começou a desviar gado das propriedades. Embora tenha confessado o mando e contado como contratou 5 envolvidos no crime, ele alega que mandou matar o pai porque era humilhado.
Outro caso de repercussão foi o surto do caminhoneiro Roney Paes Hermsdorff, 51, em outubro de 2009. Usando uma picareta, ele matou a mulher, Rosa Marina de Souza Hermsdorff, 46, a filha, Áurea Vivianny de Souza Hermsdorff, 25, e o filho Roney Júnior. Em seguida, se matou com uma facada no peito. Somente a sogra e o neto foram poupados.
Sem motivo algum, Miguelina Miranda Muniz Índio, 31, assassinou o pequeno Leonan Bruno Índio, 5, em março de 2007 dentro de casa. Na época do crime, Miguelina assumiu ter matado o filho em uma crise de raiva, devido a falta de dinheiro para pagar o aluguel e comprar mantimentos para casa. Durante o julgamento, ela negou a autoria. Fria e cruel, ela espancou a criança até a morte, mergulhou sua cabeça em um balde e saiu para trabalhar. O corpo do menino foi encontrado pela irmã de 7 anos. Fonte: A Gazeta
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleição 2010: Mauro Mendes contrata marqueteiro

Posted on janeiro 12, 2010. Filed under: campanha eleitoral, candidato a governador de MT, candidatura, Eleição 2010, Fiemt, marqueteiro, Mauro Mendes, Publicidade, Rondonópolis |

>

O empresário e presidente da Fiemt, Mauro Mendes (PSB), que publicamente não assume a candidatura, praticamente já tem um marqueteiro para conduzir a disputa eleitoral que tem forte apelo por causa dos programas eleitorais em rede de rádio e televisão através do horário eleitoral gratuito. O PSB é da base aliada do governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (PR). .

Por sugestão do deputado e presidente do PPS, Percival Muniz, Mendes já teria formalizado um acordo com Léo Pereira da Verbo Publicidade, de Goiânia (GO).


Léo Pereira, inclusive, fez a campanha à reeleição em Rondonópolis de Percival Muniz no ano de 2000, daí o vinculo político com o parlamentar que hoje é um dos principais articuladores e incentivadores da eventual campanha eleitoral de Mauro Mendes pelo PSB neste ano e que já conta com o apoio de uma série de partidos de esquerda e nos bastidores tenta cooptar um grande partido para reforçar a pré-candidatura até que a mesma esteja consolidada.


Mesmo sendo de outro Estado, Léo Pereira teria conhecimento da realidade política de Mato Grosso, além de um conhecimento macro de todo o Centro-Oeste.


Inclusive o PSB prepara para o final deste mês uma caravana pelo interior do Estado para apresentar o empresário Mauro Mendes como candidato ao governo do Estado. A caravana deve contar com a presença de políticos de peso que assinaram ficha de filiação ao partido nos últimos meses, além dos 42 pré-candidatos a deputado estadual.


Segundo o presidente do partido, deputado federal Valtenir Pereira, os detalhes da visita aos municípios serão discutidos durante uma reunião na quinta-feira de manhã, na sede do diretório estadual.


“Estou de férias com minha família e quando retornar, no dia 26, vou percorrer o Estado junto com meus companheiros”, confirmou Mauro Mendes, por telefone, ao destacar que ele quer conhecer de perto a realidade de Mato Grosso.


Mendes inclusive se licenciou da presidência da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), até o próximo dia 26, quando será substituído pelo vice-presidente, o empresário Jandir Milan. Como presidente da instituição, Mauro Mendes tem feito reuniões em vários municípios do Estado pregando alternativas melhores de gestão e defendendo uma tese que muito encanta empresários e comerciantes, que é a redução de impostos públicos para fomentar o desenvolvimento.

Fonte: A Gazeta

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>O que se disputará em 2010

Posted on janeiro 6, 2010. Filed under: ambiental, candidatos, econômica, eleições de 2010, Fiemt, humana, IBGE, Mato Grosso, O que se disputará em 2010, social, sustentabilidade |

>

O ano de 2009 terminou com intensas articulações políticas visando a disputa das várias faixas do poder político em Mato Grosso: o governo estadual, a vaga de vice, duas vagas de senador, oito de deputados federais e 24 de deputados estaduais. Somam 36 vagas em disputa. A cada quatro anos se renova o Senado e neste ano serão duas vagas. O conjunto desse quadro de disputas arma, de imediato, um tabuleiro de interesses absolutamente inimaginável.

As arrumações partidárias, os acertos de interesses bons e ruins entre partidos, coligações e candidatos, vão se sucedendo pelo afunilamento de conversas e de arranjos eleitorais e pós-eleitorais. Do conjunto, não se pode dizer que se trata de uma arrumação necessariamente digna e honesta. Num grande número de casos, os “acertos” dispensam a ética e o mínimo de dignidade. Mas é assim que se joga enquanto não houver uma reforma política que mexa na estruturação de partidos, de coligações, de mandatos e de ética. Isso é coisa para os próximos dez anos, no mínimo.

Trouxe este prêambulo para lançar um comparativo entre o que a sociedade mato-grossense pensa e faz, e o senso de política que se pratica. Neste ano que passou, o IBGE divulgou que Mato Grosso cresceu o Produto Interno Bruto de 2007 em 111,2% em relação a 1995. Foi como se nascesse outro Mato Grosso dentro do mesmo Mato Grosso. O poder de consumo da população subiu da 15ª. para a 7ª. posição no Brasil. A renda per capita é de R$ 14.954,00, e R$ 500,00 acima da renda média brasileira. Ou seja, na visão do economista Carlos Vítor Timo, consultor econômico da Federação das Indústrias de Mato Grosso, “se fosse um país, Mato Grosso seria um tigre asiático”. E seria mesmo, porque a China, o maior gigante do mundo em crescimento, cresceu no mesmo período 111,9%, e nós aqui com 111,2%.

O nosso ambiente em Mato Grosso é o de atração de investimentos internacionais para as áreas de biocombustíveis, de alimentos e de agregação de valor nas cadeias de alimentos. A estimativa de crescimento industrial para os próximos anos é de 13,6% (dados da FIEMT). É um salto de momento com enormes desdobramentos sobre toda a economia estadual e nacional. Aliás, Mato Grosso já responde por 36% do superávit da balança comercial brasileira. Não é pouco. É muito, num universo de U$ 150 bilhões das exportações nacionais. O saldo entre exportações e importações foi de U$ 25 bilhões, sendo que as exportações de nosso estado foram de U$ 6,345 milhões.

É nesse ambiente de profundas transformações econômicas, com poderosas transformações sucessivas nas áreas social, ambiental, da sustentabilidade econômica e humana, que as eleições de 2010 se darão.

No ar, fica a pergunta: os pretendentes aos 36 cargos apontados no começo deste artigo estariam sintonizados entre as suas razões, os seus interesses, os dos partidos, da coligações e a realidade que se avizinha para Mato Grosso nesse futuro inevitável? O desafio real de todos os candidatos será o de sair dos palanques dos discursos gritados para o de assegurar aos eleitores que sabem para onde pretendem ir, se eleitos.

Autor: Onofre Ribeiro é jornalista em Cuiabá

onofreribeiro@terra.com.br

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Síntese econômica

Posted on novembro 14, 2009. Filed under: Economês, Eletropaulo, FGV, Fiemt, Indústria, Mato Grosso, Síntese econômica |

>

A produção de outubro da indústria paulista deve subir 3,3% na comparação com setembro. É o que indica o Sinalizador da Produção Industrial (SPI) de São Paulo, divulgado nesta sexta-feira. Em setembro, o índice avançou 1,6%. Segundo a Fundação Getúlio Vargas, FGV, e a AES Eletropaulo, responsáveis pela elaboração do indicador, na comparação com outubro de 2008, o SPI registrou recuo de 3,7%.

Indústria 1

A quarta edição do maior evento da indústria brasileira terá a participação de 36 representantes do setor industrial mato-grossense. O grupo, composto por diretores do Sistema Federação das Indústrias de MT, Sistema Fiemt, presidentes e executivos dos sindicatos filiados à instituição, estará em Brasília nos próximos dias 17 e 18 de novembro para participar do Encontro Nacional da Indústria (Enai), que reunirá outros 1500 empresários representantes do setor industrial de todo o país.

Indústria 2

Mato Grosso levará para o encontro as questões discutidas em âmbito regional, com o objetivo de fortalecer a indústria e a economia. Durante o Enai, os líderes empresariais consolidarão as propostas que a indústria apresentará aos candidatos à Presidência da República nas eleições de 2010. A agenda da indústria conterá propostas nas áreas de inovação e competitividade, relações trabalhistas e sindicais, infraestrutura, meio ambiente, comércio exterior e política econômica. Fonte: A Gazeta

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Presidente do PR chama Mauro Mendes de “traíra”

Posted on outubro 6, 2009. Filed under: Fiemt, Mauro Mendes, Partido da República, PSB |

>

O presidente em exercício do Partido da República (PR) em Mato Grosso , Moisés Sachetti, disse que a decisão do presidente da FIEMT, Mauro Mendes, de se desfiliar do partido para ingressar no PSB é descabida e classificou o empresário como um “lobó”, ou seja, “um traíra”.

“A decisão do Mauro Mendes só demonstrou fraqueza. É descabida. O Mauro era uma grande liderança do nosso partido. Tem força política. Mas demonstrou que é aquilo que no Nortão nós chamamos de lobó. Um trairão!”, afirmou Sachetti.

O atual presidente do partido preferiu não se prolongar no assunto e disse que é melhor que a imprensa procure Wellington Fagundes quando ele voltar à liderança do PR, na próxima quarta-feira (07).

Fonte: PnbOnline

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleição 2010: Mauro Mendes vai para PSB e disputará governo

Posted on outubro 2, 2009. Filed under: Blairo Maggi, Eleição 2010, Fiemt, Mauro Mendes, PSB |

>

Será que é a mando de Blairo Maggi?

Empresário Mauro Mendes deixa o PR e surge como 3ª via para governador


O presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiemt), empresário Mauro Mendes, vai mesmo deixar o PR do governador Blairo Maggi e, a dois dias do prazo-limite para definir seu futuro político, está praticamente com filiação fechada no PSB. Ele deve anunciar a decisão oficialmente até este sábado. A estratégia de Mendes e, na agremiação socialista, liderar um projeto alternativo ao governo do Estado, como espécie de terceira via, num momento em que a pré-campanha começa a se polarizar entre os virtuais candidatos ao Palácio Paiaguás Wilson Santos (PSDB) e Silval Barbosa (PMDB).

A tendência é que, com Mendes, o PSB atraia para o arco de alianças o PPS e o PP, que tem entre seus líderes o presidente da Assembleia, deputado José Riva. Uma das hipóteses para composição majoritária seria do ex-prefeito de Rondonópolis e deputado estadual Percival Muniz (PPS) vir a ser o vice da chapa. Essa negociação avançou de tal modo que motivou Mendes a escolher o nanico PSB.

Antes de chegar a conclusão de que o PSB, presidido hoje no Estado pelo deputado federal Valtenir Pereira, seria sua alternativa, Mendes abriu negociações com outras legendas, como o PPS e o PP e esteve reunido com Maggi por praticamente cinco horas. Após o encontro, o governador chegou a dizer que o seu amigo não deixaria o PR, pelo qual concorreu e perdeu a Prefeitura de Cuiabá, no segundo turno em 2008 para o tucano Santos.

Para não antecipar as negociações de bastidores e correr risco de eventual recuo, Valtenir prefere desconversar sobre a filiação de Mendes, com quem esteve reunido por várias vezes no decorrer desta semana. Analistas consideram que uma eventual candidatura do empresário ao Paiaguás seria espécie de “fato novo” na corrida sucessória, provocaria “racha” na turma da botina, grupo de Maggi que defende o nome de Silval, e atrairia simpatizantes de outros grupos políticos e eleitores tanto do peemedebista quanto do tucano Wilson Santos.

Conjecturas

Outra esperança dos defensores do nome de Mendes para governador é do PMDB recuar do projeto próprio com Silval e se juntar ao grupo, principalmente se o peemedebista não “decolar” nas pesquisas de intenção de voto. Nesse caso, Silval poderia ser candidato vice de Mendes. Em meio a essa conjectura, o arco de alianças teria ainda o PR e o PT, com as pré-candidaturas dos deputados federais Wellington Fagundes e Carlos Abicalil, respectivamente, para senador. Na outra ponta, como bloco de oposição, sobrariam Santos, com apoio do DEM do senador Jayme Campos, do PTB e de outras legendas menores, como PSL, PV e PC do B.

Fonte: RDNews

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...