FMI

>Diretor do FMI pede ao Brasil para desacelerar a economia

Posted on março 4, 2011. Filed under: FMI |

>

No dia em que foi anunciado um crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de 7,5%, a presidente da República, Dilma Rousseff, e o diretor do FMI (Fundo Monetário Internacional), Dominique Strauss-Kahn, conversaram sobre os riscos do superaquecimento da economia e a necessidade de crescimento “lento e estável” dos países.
“É chegado o momento de desacelerar a economia”, afirmou Strauss-Kahn sobre o Brasil após o encontro.
O diretor do FMI foi recebido no Palácio do Planalto. Além da presidente, participou da audiência o ministro Guido Mantega (Fazenda).
Strauss Kahn afirmou que ele e a presidente concordam que “crescimento por si só não é o bastante”. Ele elogiou os programas sociais do governo brasileiro –citou o Bolsa Família– e, principalmente, a recente decisão de corte de gastos. Segundo ele, os cortes são “muito bem-vindos”.
O executivo anunciou mudanças aprovadas no Fundo para um “rebalanceamento” de poder, o que abriria mais espaço para a participação do Brasil. Segundo ele, o país é um dos dez maiores acionistas do FMI.
Em valores correntes, o PIB alcançou R$ 3,675 trilhões em 2010.
Para o ministro Guido Mantega (Fazenda), o crescimento de 7,5% não sinaliza um superaquecimento da economia –segundo ele, os dados mostram que já há um desaquecimento no último trimestre.

RANKING
Guido disse que, segundo dados preliminares, a economia brasileira ultrapassou a da França e do Reino Unido em paridade de poder de compra e é agora a 7ª maior economia mundial.
Dois anos atrás, o país estava atrás de Estados Unidos, China, Japão, Índia, Alemanha, Rússia, Reino Unido e França, nesta ordem, segundo rannking do Banco Mundial. As projeções preliminares citadas por Mantega ainda não foram confirmadas pelo Banco Mundial.
Entre os países do G20, o índice de crescimento do PIB brasileiro foi o quinto maior, ficando atrás de China, Índia, Argentina e Turquia.
“Isso mostra a capacidade produtiva da economia brasileira, o potencial que vem sendo realizado nesses últimos anos. Mostramos nossa capacidade de crescer cada vez mais”, afirmou.
O ministro disse ainda que o crescimento significativo do investimento mostra a qualidade do crescimento brasileiro, já que está havendo expansão na capacidade produtiva brasileira.
O investimento no país teve boa recuperação ao longo de 2010, mas ainda não retomou o nível pré-crise, observado em 2008.
Naquele ano, a taxa de investimento foi de 19,1%. No ano passado, representou 18,4% do PIB, segundo o IBGE. Em 2009, a taxa de investimento do país não passou de 16,9%.
HISTÓRICO
O percentual de crescimento do PIB é o maior desde 1986, quando houve a mesma alta. No entanto, a metodologia da série foi modificada em 1996.
Em 2009, o PIB havia apresentado retração de 0,6% –a primeira na atividade econômica desde 1992.
Com o crescimento mais arrefecido na parte final do ano, o PIB subiu 0,7% no quarto trimestre de 2010, em relação aos três meses imediatamente anteriores. Na comparação com o período de outubro a dezembro de 2009, a economia registrou alta de 5,0%. Fonte: Folha.com
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>FMI reprova administração de finanças públicas do Brasil

Posted on janeiro 27, 2011. Filed under: FMI |

>

Em relatório, fundo afirma que governo está longe de atingir objetivos

Strauss-Kahn FMI
Strauss-Kahn, diretor-gerente do FMI: Brasil reagiu oportunamente a crise (Getty Images)
A política fiscal adotada pelo governo brasileiro é considerada muito ‘relaxada’ e com ‘excesso de gastos’

O Fundo Monetário Internacional divulgou nesta quinta-feira, em Washington, um relatório reprovando as contas públicas do Brasil. “Espera-se agora que o governo não alcance sua meta fiscal (superavit primário da ordem de 3% do Produto Interno Bruto, PIB) por ampla margem”, diz o documento ‘Monitor de finanças públicas’, que detalha projeções para 14 países. 
No relatório, o FMI critica a política fiscal adotada pelo governo brasileiro, considerada muito ‘relaxada’ e com ‘excesso de gastos’, que acabam pressionando a inflação. Para contornar o problema de preços elevados, o gpverno acaba adotando a política monetária – leia-se aumento de juros.
O alerta acontece na semana posterior à decisão do Banco Central (BC) de elevar a Selic, a taxa básica de juros da economia, de 10,75% para 11,25% ao ano.
Uma das consequências do juro mais alto, diz o relatório, é a forte atração de capital externo, que leva à valorização do real e, portanto, prejudica as exportações do país.
O Fundo afirma que muitos mercados emergentes devem constituir reservas fiscais maiores, sobretudo diante das entradas de capital, do risco de superaquecimento da economia e da possibilidade de contágio dos países avançados. “Devem resistir às pressões de gastos e economizar os excedentes fiscais em sua totalidade”, diz o relatório.

 

Contas negativas – O Fundo estimulou ainda s esforços empregados por países europeus para reduzir seus déficits, e reprovou a situação dos Estados Unidos, do Japão e do Brasil. Três países da Zona do Euro (Alemanha, Espanha e França) e o Reino Unido foram apontados pelo Fundo como os que registraram mais progressos em seu plano de redução do déficit.
“Os maiores países europeus vão reequilibrar seus orçamentos em 2011”, devendo ainda “melhorar sua situação fiscal em 2012”, destacou. Para estes países, o déficit deverá ser reduzido em 2011 de um a três pontos do Produto Interno Bruto, em relação ao de 2010. “O encolhimento do orçamento na Alemanha e na França, conjugado a medidas discricionárias e a uma aceleração do crescimento, contribuirá para reduzir notavelmente o déficit”, explicou.

“A redução do déficit na Espanha será o mais pronunciado entre os grandes países europeus” e o governo britânico “anunciou medidas detalhadas visando a reduzir as despesas”, acrescentou a instituição.

Na contramão, os Estados Unidos e o Japão seguem uma má tendência. “Os Estados Unidos serão o único grande país avançado a realizar uma política orçamentária procíclica [de retomada] este ano”, revelou o Fundo. Seu déficit deverá afundar em 2011. “No Japão, a redução já modesta do déficit global prevista para 2011 foi incrementada” com um aumento suplementar de gastos aprovado pelos deputados em novembro, lamentou o FMI no documento. Fonte: Veja (Com AFP)

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Goleiro bom e político têm que ter sorte

Posted on outubro 31, 2010. Filed under: Agecopa, Alfredo da Mota Menezes, Collor, Copa em Cuiabá, FMI, Lula, Petrobras, Zoneamento Agroambiental |

>

Três assuntos

Por Alfredo da Mota Menezes
Acredito que goleiro bom e político têm que ter sorte. O caso Dante de Oliveira, quando Ulysses Guimarães escolheu sua emenda das diretas, é sempre citado. Catapultou a carreira dele. Lula, se eleito em 1989 na disputa do segundo turno com Collor, com a economia em frangalhos e como via o mundo por outro prisma, teria desaparecido na história. Elegeu-se na hora certa.

O Silval Barbosa tem sorte também. Pego dois fatos recentes. O pedido de demissão do Adilton Sachetti da presidência da Agecopa é um. Sem um tiro, sem um grito ou empurrão, caiu no colo dele. Não fez nenhum gesto que contrariasse o Maggi, seu aliado mais importante na eleição. Silval vai ordenar as despesas para a Copa em Cuiabá.

Outro fato foi o do gás. Será retomado, volta a usina termelétrica a funcionar e beneficiaria os carros a gás e empresas. Sem um grito extra ou empurrão, na hora mais apropriada para ele, tudo se encaixou.

Tenho conversado com muita gente da nova classe média brasileira, esta que está decidindo a eleição. Ela acredita com convicção que o governo Lula pagou toda a dívida externa do país.

Pagou a do FMI, não toda a externa, tento arguir. Ninguém tira da cabeça desse brasileiro que o Brasil não tem mais dívida. Olha para a gente até com cara de piedade por ser “contra” o Lula. Essa aceitação dele talvez seja porque o FMI aparece como bicho-papão em nossa história.

Ao emprestar dinheiro ou dar aval para que outros emprestassem, o FMI exige austeridade econômica dos governos. Nossa dívida externa não é com o FMI. Ele é apenas o xerife dos interesses capitalistas. Não consegui convencer ninguém disso.

Outro argumento que pegou é que querem vender a Petrobras. Ela vive do sistema de concessão criado no governo anterior. O que a Petrobras pode tocar, toca. O que não pode entrega a outros e recebe por isso. Não precisa privatizar nada.

Não sei se por pesquisa ou intuitivamente, não importa se diz a verdade ou não, Lula soube chegar a corações e mentes do eleitor com os mesmos argumentos em três eleições. A oposição não soube sair dessa armadilha, não criou um discurso alternativo. Talvez seja culpa da jactância paulista. Quem sabe o grupo de Minas Gerais possa entender melhor a situação.

A Assembleia Legislativa aprovou o Zoneamento Agroambiental. Acho que esse assunto foi prejudicial na eleição para o Alexandre Cesar. Seu relatório inicial, com normas ambientais mais rígidas, não foi aceito pelos deputados num ano pré-eleitoral. Perderiam votos num estado agropecuário. O Alexandre, por sua vez, passou a ser olhado enviesado pelo setor agropecuário.

A crítica vai para os ambientalistas de MT que não deram seu voto àquele deputado que enfrentara a classe econômica mais poderosa do estado em defesa do meio ambiente. Sua sinceridade o derrotou.

Alfredo da Mota Menezes. E-mail: pox@terra.com.br; site: http://www.alfredomenezes.com
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Bolsas europeias abrem em alta após pacote de € 750 bi contra a crise

Posted on maio 10, 2010. Filed under: Bolsas, crise, Finanças, FMI, Frankfurt, Grécia, União Européia |

>

As bolsas europeias reagiram bem ao pacote anunciado para proteger o euro contra ataques especulativos e evitar que a crise da Grécia se espalhe. 
 Atenas, capital da Grécia
Londres abriu a segunda-feira em alta de 1,48%, Paris teve ganhos de 4,95% e Frankfurt registrou 2,94%. 
Neste domingo, os ministros de Finanças da União Europeia aprovaram uma ajuda de € 500 bilhões. O FMI vai contribuir com uma soma adicional de € 250 bilhões.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Brasil ‘empresta’ para Grécia, via FMI, com 286 milhões de dólares

Posted on maio 8, 2010. Filed under: Brasil, FMI, Grécia |

>


Parece piada, inacreditável, mas enquanto falta médicos, hospitais, medicamentos, estradas, aeroportos, saneamento básico, presídios, policia para combater tráfego de drogas e armas nas fronteiras do Brasil com a Bolívia e Paraguai, presídios, pois já não ha mais vagas nos atuais, o ministo Guido Mantega veio à boca do palco para informar que US$ 286 milhões pertencentes ao contribuinte brasileiro serão borrifados na fogueira financeira grega.
A grana vai sair das reservas internacionais do Brasil, hoje estimadas em US$ 245 bilhões. Fará escala no FMI e, dali, para a Grécia.
Mantega esclareceu que as reservas brasileiras não serão reduzidas por conta do financiamento à Grécia.
Como assim? “O Brasil emprestará o dinheiro e o FMI nos dará direito especial de saque. É só uma troca de aplicação”, disse o ministro.
Instado a comentar os riscos de contágio da crise que rói o euro, Mantega disse que as consequências serão, para o Brasil, “muito leves”.
Você concorda com a retirada do Brasil para ajudar a Grécia, enquanto onde mora os serviços que por determinação da constituição o país é obrigado a oferecer gratuitamente aos cidadãos? 

Imaginemos um problema gravíssimo, verdadeira calamidade pública, em todo Brasil, a saúde, quantos hospitais poderiam ser construídos e equipado com esse dinheiro?
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Ao brincar de Deus, Lula se dá conta de que é mortal

Posted on janeiro 31, 2010. Filed under: autêntico, FMI, genuíno, humildade, Lula, popularidade |

> Orlandeli

As piadas, como as ideologias, são moldadas pelo tempo. Corre em Brasília uma dessas anedotas velhas que as circunstâncias se encarregam de ajustar.

O presidente saía do banho. Trazia uma toalha amarrada na cintura. A caminho do closet, deu de cara com uma camareira do Alvorada.


Súbito, o nó que prendia a toalha se desfez. E o pedaço de pano que lhe protegia as vergonhas foi ao solo. A camareira arregalou os olhos: “Óhhhh! Meu Deus!”.


E o presidente, com ar de indisfarçável superioridade: “Sim, sim, companheira. Mas pode me chamar de Lula”.


Na última quarta-feira, falando para uma platéia de pernambucanos amistosos, Lula discorreu sobre algo que lhe causa jucunda satisfação.


“Vocês estão lembrados, o orgulho que eu tenho, quando o FMI chegava aqui no Brasil humilhando o governo brasileiro…”


“…Já descia no aeroporto, dando palpite, dizendo o que a gente tinha que comprar, o que a gente tinha que vender, o que a gente tinha que estatizar…”


“…Agora quem fala grosso sou eu. Porque, se antes era o Brasil que devia ao FMI e ficava que nem cachorrinho magro, com o rabo entre as pernas, agora quem me deve é o FMI”.


Vale a pena repetir dois pedaços do raciocínio do presidente. O primeiro: “Agora quem fala grosso sou eu.” O outro: “Agora quem me deve é o FMI”.


Os ouvidos sensatos alcançados pelo lero-lero de Lula viram-se tentados a perguntar: Eu quem, divino presidente? Eu quem, supremo mandatário?


Ora, quem deu o dinheiro que o Brasil borrifou nas arcas do FMI foi a bugrada. Lula apenas o gastou. O Fundo deve aos brasileiros, não a Sua Excelência.


Parece implicância, mas é preciso dizer: Tudo leva a crer que algo de muito errado sucede com a cabeça do presidente da República.


Falta-lhe o parafuso que fixa as sinapses que ligam os neurônios do bom-senso aos da humildade. Lula esforça-se para mimetizar Luís XIV de Bourbon.


O soberano francês foi ao verbete da enciclopédia como autor da frase fatídica: “L’État c’est moi”. Lula o ecoa: “O Estado sou Eu”.


O presidente não gosta da rotina de Brasília. A idéia de acordar, pendurar uma gravata no pescoço e ir ao Planalto para receber, digamos, Edison Lobão o aborrece.


Dono de popularidade alta e de discurso baixo, Lula prefere a eletricidade proporcionada pelas multidões à frieza das audiências individuais.


Sua praia é o palanque. A visão das platéias hipnotizadas o conduz a um plano superior. Agrada-o a sensação de espectadores que o vêem como um Deus.


Lula aceita o papel. Gostosamente. À medida que se aproxima do final, seu governo vai virando um grande comício. Um comício entrecortado por audiências brasilienses.


No caminho para as estrelas, Lula pisa nos tribunais, distraído. Em campanha aberta por Dilma Rousseff, testa os limites da Justiça Eleitoral.


Se o TCU e o Congresso cortam as verbas de obras tisnadas pela irregularidade, o presidente “dá” o dinheiro. Com uma canetada, libera R$ 13 bilhões.


Às favas com os auditores. Que se dane o Congresso. A oposição chiou? São uns “babacas”. Não se opõem ao presidente. São rivais da razão divina.


No discurso de quarta-feira, aquele em que celebrou o fato de que o FMI lhe deve, Lula exagerou. Brincou de Deus.


Inaugurava um posto de saúde em Pernambuco. A alturas tantas, fez uma pilhéria premonitória: “Dá até vontade de a gente ficar doente para ser atendido aqui”.


Adoeceu. Não foi à cama do “seu” estabelecimento. Levaram-no, obviamente, a um hospital de primeira linha, mais condizente com sua condição de presidente.


Lula atravessou uma dessas experiências que dão aos (falsos) deuses a incômoda sensação de finitude.


Foi como se Deus –o autêntico, o genuíno –soprasse nos ouvidos do seu genérico: “Não desperdice a popularidade que Eu te dei. Aproveite o seu tempo…”


“…Celebre os acertos, reveja os erros. Respeite as diferenças. Não apequene sua grandeza. Reaprenda a saborear as delícias da humildade!”

Fonte: Josias de Souza

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Senador Osmar Dias critica decisão do sobre o Coritiba

Posted on dezembro 17, 2009. Filed under: Belo Monte, Brasileirão 2009, Chávez, Coritiba, Estadão, FMI, Itamaraty, Mercosul, MST, Rachel de Queiroz, TSE, Venezuela |

>

Sponholz

Sponholz
<!– function paginaSlideShow218385(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O senador Osmar Dias (PDT-PR) criticou nesta quarta (16) a punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva ao clube de futebol Coritiba pela invasão de campo na última rodada do campeonato brasileiro de futebol. A decisão do STJD foi tomada nesta terça (15). Além de ter sido rebaixado para a série B, após perder para o fluminense, o time terá de pagar R$ 610 mil e não vai poder jogar em casa durante 30 jogos. Para o senador, o STJD “age de acordo com o interesse dos clubes cariocas”. Para resolver o problema, Osmar Dias propôs que tribunal seja transferido do Rio de Janeiro para Brasil para que “tenha mais isenção”. Veja a pancadaria do último jogo do Coritiba no Brasileirão 2009.

Jarbas repudia censura ao Estadão

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Foto
O SENADOR JARBAS VASCONCELOS, NO PLENÁRIO DO SENADO

<!– function paginaSlideShow218386(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) repudiou nesta quarta (16) a decisão do Supremo Tribunal Federal que mantém a censura imposta por um juiz de primeira instância ao jornal O Estado de S. Paulo. O jornal está proibido de divulgar informações sobre a operação Boi Barrica, da Polícia Federal, em que é investigado o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).Jarbas assinalou que a jurisprudência firmada põe em risco a liberdade de expressão e o direito à informação. Em sua avaliação, ao aceitar a possibilidade de censura prévia, o STF foi “inteiramente incoerente” com sua decisão anterior de revogar a Lei de Imprensa.

TSE rejeita cassação de Anchieta Jr

Antônio Cruz/ABr
Foto
O GOVERNADOR DE RORAIMA, JOSÉ DE ANCHIETA JÚNIOR

<!– function paginaSlideShow218393(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O Tribunal Superior Eleitoral rejeitou há pouco o pedido da Procuradoria-Geral Eleitoral pela cassação do governado de Roraima, José de Anchieta Júnior (PSDB), por abuso econômico. Os ministros do Supremo entenderam que não havia provas suficientes que justigficassem a cassação de Anchieta, que assumiu o cargo em 2007, após a morte do governador Ottomar Pinto.

Falta de licença atrasará Belo Monte

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Foto
O MINISTRO EDISON LOBÃO, NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

<!– function paginaSlideShow218384(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O ministro Edson Lobão (Minas e Energia), afirmou nesta quarta (16) que a dificuldade em obtenção de licença ambiental para a usina hidrelétrica de Belo Monte (PA) deve atrasar o empreendimento em um ano. A usina, classificada pelo ministro como a “joia da coroa”, estava prevista pelo Programa de Aceleração do Crescimento para ser concluída em 2014. No entanto, o projeto enfrenta forte resistência dos povos indígenas da região de Altamira (PA) e de entidades ambientais. O Ibama é o órgão responsável pelo licenciamento, e tem recebido pressão do governo para acelere o processo de licenciamento. Belo Monte terá potência instalada de 11.233 MW. Será a segunda maior usina do país, atrás apenas de Itaipu.

Câmara deixa Brasil financiar o FMI

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Foto
O PLENÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS NESTA QUARTA

<!– function paginaSlideShow218380(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta (16) o Projeto de Decreto Legislativo 1791/09, que formaliza o aumento da participação do Brasil no Fundo Monetário Internacional (FMI). Pela proposta, o país passa a ter US$ 10 bilhões (o equivalente a cerca de R$ 17,5 bilhões) o que também resultará no aumento do poder de voto do Brasil nas decisões do órgão. A matéria será votada ainda pelo Senado Federal.

Fotografia é história
Modesta Rachel
Foto

<!– function paginaSlideShow218350(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A escritora cearense Rachel de Queiroz – falecida em novembro de 2003 – em seu apartamento na Rua Rita Ludolf, no Leblon. 1993.

Como foiFui à casa de dona Rachel para fotografá-la para uma matéria da Veja. A escritora foi extremamente agradável, como de outras vezes. Mas, sobretudo, modesta. Depois das fotos, demonstrou-me seu desapego à egolatria. Quando lhe perguntei sobre o que achava da fama, ela respondeu: – Greta Garbo já dizia que passa-se uma metade da vida à procura da fama. E a outra metade, usando óculos escuros para esconder-se dela. Orlando Brito.

Itamaraty montou stand na COP-15

Orlando Brito

Foto

<!– function paginaSlideShow218340(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O stand montado pelo Itamaraty no Bella Center (foto), durante a Conferência do Clima em Copenhague, foi local de palestras de vários setores ligados ao tema. Também tiveram voz representantes do empresariado brasileiro, entre eles a Camargo Corrêa, o BNDES, a Vale do Rio Doce, a Fiesp e a CNA. A senadora Kátia Abreu, falando em nome do agro-negócio, encerrou seu ciclo de palestras dizendo que os ambientalistas não podem desconsiderar os problemas da produção de alimentos, assim como os produtores rurais têm de levar em conta as preocupações ambientais. (Orlando Brito, de Copenhague)

Congresso aprova crédito extraordinário

<!– function paginaSlideShow218359(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O Congresso aprovou nesta quarta (16) oito projetos que abrem crédito extraordinário para diversos ministérios e órgãos públicos. Entre eles, estão R$ 16,3 milhões ao Supremo Tribunal Federal, à Justiça Eleitoral, à Presidência da República e ao Ministério Público da União. Também foi aberto crédito R$ 2,2 milhões, ao Orçamento da Seguridade Social para, entre outras destinações, ser usado pelo Ministério do Desenvolvimento Social.

Chávez condena capitalismo na COP15

<!– function paginaSlideShow218356(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, aproveitou seu discurso na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP 15) para atacar o capitalismo, definido por ele como o “grande mal do mundo”. Em uma analogia às palavras usadas por Karl Marx e Friedrich Engels, o mandatário venezuelano acusou os países ricos de “irresponsabilidade e falta de vontade política” para alcançar um acordo. Além do discurso do venezuelano, o dia foi marcado pela confusão e desorganização da conferência. Assista aqui o vídeo.

CPMI do MST fica para fevereiro

José Cruz/ABr
Foto
REUNIÃO DE INSTALAÇÃO DA CPMI DO MST NO CONGRESSO

<!– function paginaSlideShow218348(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A CPMI do MST vai iniciar os trabalhos em fevereiro do ano que vem. A comissão tvai investigar um esquema de repasse ilegal de recursos públicos ao Movimento dos Sem Terra. Nesta quarta (16), os integrantes da CPMI aprovaram o cronograma da comissão que inclui audiências, análise de requerimentos e “visitas de autoridades”, e nada de convocações. Entre as instituições que deverão participar de oitivas da CPI está o Tribunal de Contas da União, a Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União. Foram poupados os ministros Reinhold Stephanes (Agricultura) e Guilherme Cassel (Desenvolvimento Agrário).

Olha o clima!

Olha o clima!

Congresso paraguaio vetará Venezuela

http://www.congresso.gov.py
Foto
LIDER DO CONGRESSO PARAGUAIO, MIGUEL CARRIZOSA

<!– function paginaSlideShow218344(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O presidente do Legislativo paraguaio, Miguel Carrizosa, afirmou hoje que o Congresso do país deverá rejeitar a entrada da Venezuela no Mercosul devido às tentativas de ingerência que são empreendidas pelo presidente Hugo Chávez. “Os irmãos venezuelanos vão nos desculpar, mas enquanto Chávez se mantiver nessa atitude intervencionista, não vamos dar a aprovação para a entrada da Venezuela no Mercosul”, afirmou Carrizosa. A informação é da agência Ansa. Fonte: www.claudiohumberto.com.br

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Lula e rainha Elizabeth! O cara e a coroa!

Posted on novembro 6, 2009. Filed under: Banco Mundial, CPI da Petrobras, Fernando Lugo, Financial Times, FMI, rainha Elizabeth, STF |

>

Sponholz

Sponholz

Relator acha que Azeredo deve ser réu

<!– function paginaSlideShow214288(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Depois de aceitar a denúncia do Ministério Público Federal por peculato, o ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa também pediu nesta quinta (5) a abertura de investigação do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) por lavagem de dinheiro. Relator do chamado mensalão mineiro, Barbosa sustentou que a lavagem de recursos públicos ocorreu por meio das empresas de publicidade de Marcos Valério: a DNA e a SMPB. No entendimento do ministro, os indícios são claros de que Azeredo “tinha conhecimento do desvio de recursos” e participou ativamente na criação de um caixa dois para sua campanha à reeleição. Dez ministros ainda precisam apresentar seus votos. Para Azeredo se tornar réu é preciso que seis ministros votem pedindo a investigação.

Venezuela captura cem colombianos

<!– function paginaSlideShow214287(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A Guarda Nacional da Venezuela capturou nesta quinta (5) cerca de 100 imigrantes colombianos no estado de Barinas, que teriam cruzado a fronteira de forma ilegal. A informação foi dada pelo chefe da entidade na região, Vladimir Padrino López, ao canal estatal Venezolana de Televisión (VTV). De acordo com ele, nenhum deles tinha em mãos a documentação exigida para estarem na Venezuela. Em julho, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, congelou as relações com a Colômbia após ser acusado de repassar armas a guerrilheiros. Também pesou para a decisão o acordo firmado por Bogotá para ceder sete bases militares em seu território a oficiais dos Estados Unidos.

Lula pede nova “governança mundial”

Foto
PRES. LULA

<!– function paginaSlideShow214286(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O presidente Lula pediu nesta quinta (5) em Londres uma nova “governança mundial”, que garanta mudanças em instituições multilaterais como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial (BM). O presidente participou nesta tarde de um seminário sobre as oportunidades de investimento no Brasil, organizado pelo “Financial Times”. Segundo ele, a crise financeira internacional teve “efeitos devastadores e exige uma revisão dos paradigmas que levaram a economia global à beira do princípio”. Em sua opinião, o FMI deve adotar um “formato de assistência financeira que não estabeleça condições e imposições sobre os países em desenvolvimento”. Ao mesmo tempo, o presidente Lula pediu ao BM que “maximize seu apoio às políticas anticíclicas, com prioridade para os países mais necessitados do mundo em desenvolvimento”.

Fernando Lugo pode ter outro filho

Foto
GOV. FERNANDO LUGO

<!– function paginaSlideShow214285(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O presidente paraguaio e ex-bispo católico, Fernando Lugo, enfrenta um novo pedido de reconhecimento de paternidade. Este é o terceiro em menos de um ano. Damiana Morán, uma professora de 39 anos denunciou Lugo como o pai de seu filho, apresentou um pedido ante o juizado da infância de Capiatá, na periferia de Assunção, para que o menino tenha o sobrenome do presidente. Em abril, Lugo reconheceu ser o pai de um menino de dois anos. A criança foi concebida quando ele ainda era bispo da igreja católica. Na época, outra mulher entrou com um pedido de paternidade contra o ex-bispo, exigindo o reconhecimento de um menino de seis anos. A ação ainda está em curso. Os advogados de Lugo têm seis dias úteis para contestar o pedido e dar início ao processo ou reconhecer a paternidade e registrar o menino.

Lula e rainha Elizabeth! O cara e a coroa!

<!– function paginaSlideShow214328(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Ciro Botelho

Viu que o Lula tá em Londres? Nunca vi um presidente viajar tanto! O Lula é o presidente-abelha: de manhã voa, à tarde faz cera e à noite toma mé! Pior que ele vai receber um prêmio. Qual prêmio? Nobel do Turismo? Só falta o Lula lançar sua biografia: “Lugares que Fui e Outros que Acabei Não Fondo.” A autobiografia não-autorizada do Lulalá! Com prefácio do Seu Creysson. Vai ser um sucesso com cecedilha! E dizem as más línguas que o Lula estava viajando pelo interior, comentando as placas: “Petrobras, Eletrobras e Nuclebras, só não conheço essa EMOBRAS.” “Não é Emobras, presidente, é Em Obras.”

Mas o grande evento da semana foi aquela “Marcha para Jesus” da bispa Sônia. Eu gosto da bispa porque ela realizou o milagre da conversão: converteu sua fortuna de reais para dólares. E veja os novos ensinamentos que a bispa tá pregando:

1-) Quem ama a sabedoria é reto e justo, mas quem usa galinhas para fins indevidos não o será tanto.

2-) Devemos fugir das tentações de Satanás e dos fiscais do Imposto de Renda.

3-) Para que esperar o Reino dos Céus se a Suíte Presidencial do Sheraton é mais confortável?

4-) Senhor, Senhor, o que andastes fazendo ultimamente?

INFORMOU E DESINFORMOU O PLANTÃO DO ERAMOS 6!

P.S1 – Atenção! Essas piadas se autodestruirão 24 horas após a sua publicação!

P.S 2 – O Lula devia ganhar o prêmio de melhor “Inventor Etílico do Ano”. O Lula inventou a caipirinha light: tirou o limão e o açúcar!


Fotografia é história
Questão de abordagem
Foto

<!– function paginaSlideShow214315(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Logo após o resultado dos exames vestibulares, é comum ver os chamados trotes na entrada dos campus universitários. São alunos aprovados festejando o ingresso em uma faculdade. Até pouco tempo atrás, a brincadeira tinha o simples objetivo de comemorar o acesso à vida acadêmica. Mas alguns excessos acabaram em agressões violentas e algumas terminaram em morte. Viraram caso de polícia. Não foi o caso dessa aí.

Como foiEu aguardava o sinal verde para seguir em frente. Foi quando essa simpática gordinha aí da foto, toda pintada com tinta multicolorida, disse-me: – Dá uma força? Queremos fazer uma festa no sábado a noite estamos sem grana! É evidente que colaborei. Achei interessante a franqueza e, sobretudo, o jeito da abordagem. No fim da tarde, passei pelo mesmo lugar e vi o grupo de 15 jovens contando a féria do dia. A nossa bem-humorada gordinha bateu o recorde. Arrecadou em três horas de batalha no trânsito, a quantia de dois reais e oitenta e seis centavos. Deve ter sido uma festa daquelas. Orlando Brito.

Oposição boicota CPI da Petrobras

Orlando Brito
Foto
SEN. ÁLVARO DIAS

<!– function paginaSlideShow214284(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Os senadores da oposição desistiram de participar das reuniões da CPI da Petrobras. A decisão de abandonar as investigações foi tomada pelos senadores ACM Júnior (DEM-BA), Álvaro Dias (PSDB-PR) e Sérgio Guerra (PSDB-PE). Nem mesmo da próxima audiência pública com o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, os oposicionistas pretendem participar. Criada em agosto último a pedido de Álvaro Dias, a CPI da Petrobras deveria funcionar até fevereiro, mas caminha para um fim precoce. O relator das investigações, Romero Jucá (PMDB-RR), já começou a redigir o relatório final da CPI da Petrobras. Segundo ele, a comissão não descobriu qualquer irregularidade por parte da estatal “que já não esteja sob investigação do Ministério Público (MP) ou do Tribunal de Contas da União”.

CPMI investigará desvio de madeira

<!– function paginaSlideShow214283(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A CPMI do MST vai investigar a cooperativa acusada de desviar o dinheiro de madeira no assentamento Zumbi dos Palmares (SP). Nesta quinta (5), foram aprovados dois requerimentos com pedidos de informações aos Ministérios da Justiça e do Desenvolvimento Agrário sobre o convênio do Incra com a cooperativa do MST que permitiu o corte da floresta de pinus. Parte do dinheiro da madeira, que custou R$ 13 milhões aos cofres da União, foi desviada. O pedido inclui a metragem, o valor da madeira extraída e a identificação dos responsáveis pela cooperativa. Pede ainda a discriminação das benfeitorias feitas no assentamento com o uso das verbas.

Cresce a tensão em Honduras

Foto
MANUEL ZELAYA

<!– function paginaSlideShow214282(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Deputados próximos ao presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, buscam nesta quinta (5) convocar uma sessão extraordinária no Congresso para tratar da restituição do líder hondurenho. Depois de meses de negociações para voltar ao poder com o apoio da comunidade internacional, Zelaya e o governo de facto, liderado por Roberto Micheletti, concordaram em formar um governo de unidade nacional. Decidiram também que o Congresso daria a palavra final sobre se o mandatário deposto deveria retornar à Presidência. O prazo para a decisão era esta quinta-feira, mas deve ser estendido.

RS: CPI convida deputado para depor

Foto
GOV. YEDA CRUSIUS

<!– function paginaSlideShow214281(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A presidente da CPI da Corrupção na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputada Stela Farias (PT), vai convidar o deputado Alceu Moreira (PMDB) e o secretário estadual de Habitação, Marco Alba, para prestarem depoimento na comissão. Moreira e Alba foram citados nos áudios sigilosos da Operação Solidária, da Polícia Federal, que investiga supostas fraudes em licitações estaduais. Os áudios foram ouvidos ontem à noite, em sessão secreta, e mostraram suposta negociação de propina no Estado. A comissão investiga o suposto esquema que teria desviado mais de R$ 40 milhões do Detran-RS e denúncias contra a governadora Yeda Crusius (PSDB).

Eramos 6

Eramos 6

Mensalão MG: relator aceita denúncia

<!– function paginaSlideShow214280(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa encerrou há pouco a leitura de seu voto sobre a denúncia de lavagem de dinheiro contra o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), no caso do chamado “mensalão mineiro”. Segundo o ministro-relator há indícios suficientes para aceitar a denúncia contra o parlamentar. Fonte: Claudiohumberto

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...