governadores

>Governadores que apoiaram Dilma vão comandar 16 dos 27 Estados

Posted on novembro 2, 2010. Filed under: Casa Civil, Dilma Rousseff, eleições 2010, governadores |

>

Eleições 2010 – A ex-ministra-chefe da Casa Civil e presidente eleita Dilma Rousseff (PT) terá de manter um bom relacionamento com o PSDB de seu principal adversário José Serra. É que a legenda foi a que mais elegeu governadores: 8. Vão estar sob o tucanato os maiores Estados, como São Paulo e Minas Gerais, com Geraldo Alckimin e Antônio Anastasia, respectivamente. São gestores estratégicos na oposição e, em nome de uma coalizão, é provável que o Palácio do Planalto busque aproximação. A legenda tucana ganhou ainda em  Goiás, Alagoas, Pará, Roraima, Tocantins e Paraná. Outros dois da oposição elegeram governadores, sendo O DEM no Rio Grande do Norte e Santa Catarina com Rosalba Ciarlini e Raimundo Colombo, respectivamente, e o PMN, que emplacou Omar Aziz no Amazonas.
 

  Em seu primeiro discurso como presidente eleita, ela adiantou que vai governar para todos, independentemente de opção partidária.  Apesar da oposição ter conseguido eleger governadores estratégicos, fortalecendo o PSDB, a primeira presidente do país terá uma base sólida, já que os partidos do seu arco de alianças vão comandar 16 dos 26 Estados e mais o Distrito Federal. O PSB, que integra o bloco governista, elegeu 6 chefes de Estado. O PMDB, do vice-presidente eleito Michel Temer, conduzirá 5 unidades federativas, entre elas Mato Grosso, assim como o PT do presidente Lula e de sua sucessora. Dessa forma, os governadores que terão afinidades políticas com o Planalto serão os do Espirito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe, Acre, Amapá e Rondônia. Veja mais detalhes nos quadros abaixo.
 
Fonte: RDNews
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>PSDB elege 8 governadores, e oposição comandará 52,3% do eleitorado brasileiro

Posted on novembro 1, 2010. Filed under: DEM, Dilma Rousseff, eleições 2010, governadores, José Serra, PSDB |

>

Eleições 2010 – A oposição, composta por PSDB e DEM, vai administrar 52,3% do eleitorado brasileiro.

Derrotado na corrida à Presidência, o PSDB saiu das eleições como o campeão na disputa pelos Estados (oito vitórias) e terá, a partir de janeiro, quase metade do eleitorado brasileiro sob sua administração _64,2 milhões, que representam 47,5% do total.

A conquista tucana nos Estados torna-se um contrapeso à vitória de Dilma Rousseff (PT), que contará com apoio certo de 16 governadores _o PMN, vencedor no Amazonas, estava na chapa de José Serra (PSDB).

Os tucanos já haviam faturado a eleição no primeiro turno em quatro Estados: São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Tocantins, sendo os dois primeiros os maiores colégios eleitorais do país.

A esse cinturão no Centro-Sul do mapa somaram-se vitórias em mais quatro praças ontem: Alagoas, Pará, Goiás e Roraima.

O resultado está acima dos prognósticos mais otimistas feitos pelo comando do partido no início da campanha, cuja expectativa era faturar no máximo seis Estados.

Em números, é o melhor desempenho da sigla desde 1994 (52% dos eleitores), quando houve uma onda nos Estados alavancada pela eleição de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). Em 2006, conseguiu 43%.

A oposição faturou no primeiro turno em Santa Catarina e no Rio Grande do Norte, com o DEM.

O PT teve crescimento discreto, de 13,5% para 15,7%, ganhando em quatro Estados (AC, BA, RS e SE) e no Distrito Federal. Além da reeleição na Bahia, a grande vitória petista foi no Rio Grande do Sul.

Maior partido do Brasil, o PMDB encolheu e comandará 15,3% do eleitorado, ante 22,8% há quatro anos. A legenda administrará cinco Estados (MA, MS, MT, RJ e RO).

Outro destaque destas eleições é o PSB, que termina com seis vitórias (PB, CE, PE, ES, PI e AP), totalizando 14,8% do eleitorado. A força dos “socialistas” está concentrada no Nordeste.

CONGRESSO
O triunfo da oposição na geopolítica do país é, entretanto, relativizado pela ampla maioria que Dilma terá no Congresso.

De largada, a petista conta com 311 dos 503 deputados. Mas, se tomado o arco de partidos que hoje apoiam o governo Lula, ela teria uma base de 402 parlamentares _a maior desde a redemocratização do Brasil.

Os principais alvos de negociação do futuro governo Dilma serão PP, PTB e PV, que optaram por não se coligarem formalmente à chapa dela ao Planalto.

No Senado, a petista também terá maioria confortável, que variaria hoje entre 52 e 60 das 81 cadeiras. 
Fonte: Folha.com
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Segundo jornal Folha de S. Paulo, Maggi teria inaugurado, com Silval, asfalto que não foi entregue

Posted on março 12, 2010. Filed under: Dilma Rousseff, governadores, José Serra, presidenciáveis, PSDB, PT |

>

  • MidiaNews

    Governador Maggi, que se diz surpreso com anomalias nas obras de rodovias


    Assim como os presidenciáveis José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), os governadores que deixarão os cargos até 2 de abril para disputar o Senado também correm para presidenciáveis José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), os governadores — muitas “obras” inexistentes até no papel- antes de saírpresidenciáveis José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), os governadoresem. Assim, promovem a si e a seus candidatos à sucessão. Os governos negam que os eventos tenham caráter eleitoral.


    Em todo o país, são pelo menos 160 obras até o fim do prazo de desincompatibilização.


    Só no Rio Grande do Norte, governado por Wilma de Faria (PSB), a intenção é inaugurar cerca de cem obras até o fim do mês. O candidato de Wilma à sucessão, o vice Iberê Ferreira (PSB), luta contra o favoritismo de Rosalba Ciarlini (DEM).


    “Está todo mundo feito doido aqui, ninguém dorme, ninguém faz mais nada”, disse Frederico Mesquita, do Gabinete Civil.


    Para eleger o sucessor, o atual vice Antonio Anastasia, o governador mineiro Aécio Neves (PSDB) também cumpre intensa agenda. Até para “inaugurar” uma unidade de saúde em São João del Rei que deve funcionar apenas em maio.


    Até o final do mês, ele participa de pelo menos outras duas inaugurações. Na agenda, também estão anúncios de obras em duas fábricas e visitas a pelo menos seis cidades do interior.


    Em Santa Catarina, desde o início do ano o governador Luiz Henrique (PMDB) vai a cerimônias -muitas de assinatura de ordens de serviço e entrega de terrenos para futuras obras.


    No dia 30, ele inaugura 29 obras de melhorias em escolas da região de Blumenau — algumas delas, porém, já estão prontas desde 2007.


    A agenda do governador chegou a incluir, no fim do mês, a inauguração da mesma quadra de esportes aberta ontem pelo vice Leonel Pavan (PSDB), que é pré-candidato ao governo.


    O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), só anuncia no fim de março se disputará o Senado. Enquanto isso, programou duas cerimônias para lançar obras que serão entregues em 2011 e 2012.


    Pré-candidato ao Senado, o governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), investe em cerimônias parecidas a comícios. Ao lado do vice e pré-candidato ao governo, Silval Barbosa (PMDB), percorre o Estado para entregar máquinas agrícolas a prefeitos.


    Blairo chegou a inaugurar em dezembro — um ano antes do previsto — um trecho de uma rodovia que, três meses após o descerramento da placa, não foi entregue. Pior: o asfalto não resistiu às chuvas, cedeu e há buracos em vários trechos.


    Obras inacabadas


    No Amazonas, o governador Eduardo Braga (PMDB), pré-candidato ao Senado, deve inaugurar uma estação de tratamento de água que ainda não tem concluída a parte elétrica e a rede de distribuição.


    Ele também deve inaugurar um hospital cujo anexo, que será destinado ao atendimento das mulheres, não está pronto.


    Em Rondônia, as chuvas fizeram com que o governador Ivo Cassol (PP) só tenha na agenda a inauguração de um aeroporto. Ele esperava inaugurar também um centro administrativo nos moldes do construído por Aécio em Minas, mas promete só fazer a festa se a empreiteira vencer o mau tempo.


    Sua assessoria afirmou que ele só inaugura “obra pronta e não plaquinha ou maquete”.


    O governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), também intensificou sua agenda. No primeiro trimestre, ele deverá participar de 50% mais inaugurações do que no mesmo período do ano passado. Seu pré-candidato ao governo é o também peemedebista e atual vice Orlando Pessuti.


    Outro lado
    Os Estados negaram que haja interesse eleitoral na agenda de inaugurações.
    Segundo a assessoria de Wilma de Faria (RN), a “maratona” de cerimônias ocorre desde 2009″. A assessoria de Aécio Neves (MG) disse que suas ações não têm caráter eleitoral. Sobre a unidade de saúde que será aberta em maio, a assessoria disse que seu funcionamento depende da prefeitura e do SUS.


    Em Santa Catarina, a inauguração de obras prontas é justificada pela “falta de espaço na agenda” de Luiz Henrique. Quanto à dupla inauguração da quadra de esportes, a alegação do governo é que o evento foi adiantado para ontem e deixado a cargo do vice-governador.


    Segundo a assessoria, as cerimônias servem para dar satisfação à população.


    Em Mato Grosso, o governo disse que “se surpreendeu” com a aparição de “anomalias” na estrada inaugurada com um ano de antecedência e disse que a cerimônia não foi precipitada.

    Segundo a assessoria de Paulo Hartung, a participação dele em cerimônias de início de obras é rotineira.


    O governo de Rondônia e do Piauí também negaram interesses eleitorais nos eventos. No Paraná, o governo disse que as cerimônias seguem programação normal. O Estado do Amazonas não se manifestou.  Fonte: Midia News

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>NE: governadores apoiam nova CPMF

Posted on novembro 7, 2009. Filed under: CPMF, CPMI do MST., Fidel, governadores, Hondura, OEA |

>

Sponholz

Sponholz

PF demite delegado Protógenes

<!– function paginaSlideShow214458(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A Polícia Federal demitiu nesta sexta (6) o delegado Protógenes Queiroz da corporação. O delegado disse à Folha Online que foi avisado hoje sobre a demissão. Protógenes era alvo de processos disciplinares dentro da PF que apuravam sua participação em comícios. O delegado afirmou que a corporação “aproveita sua participação em eventos públicos para intimá-lo ou passar comunicados”. Segundo Protógenes, a decisão foi tomada pelo diretor-geral da PF, Luiz Fernando Correa. O motivo da demissão foi a suposta participação num comício do candidato a prefeito de Poços de Caldas. Ele nega ter feito campanha no evento. Protógenes disse que se sentiu injustiçado.

Honorável pancadaria em
lançamento de livro sobre Sarney

<!– function paginaSlideShow214373(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Foi “ruidoso”, no mínimo, o lançamento do livro “Honoráveis bandidos – um retrato do Brasil na era Sarney”, dos jornalistas Palmério Dória e Mylton Severiano, quarta, no Sindicato dos Bancários do Maranhão, em São Luís. Lá pelas tantas, um grupo de estudantes ligados à governadora Roseana Sarney, começou a xingar e tentar atingir os autores com tudo que estivesse à mão. Mas o troco veio logo com outro grupo com faixas de “A navalha bandida”, referindo-se à prisão de pessoas ligadas ao ex-governador Jackson Lago (PDT) na Operação Navalha, da PF. Cadeiras voaram no “manifesto político” que parecia briga de torcida (veja abaixo). Merece um novo livro.


Jobim: disputa por caças está fortíssima

Foto
MIN. NELSON JOBIM

<!– function paginaSlideShow214406(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O ministro Nelson Jobim (Defesa) voltou a afirmar nesta sexta (6) que a disputa entre os fabricantes para fornecer os aviões caça ao Brasil “está fortíssima”. De acordo com o ministro, o principal objeto da polêmica entre os fornecedores é a questão da troca de tecnologia e destacou que, neste ponto, os Estados Unidos não têm antecedentes favoráveis. O Ministério da Defesa pretende anunciar o vencedor da licitação para a compra de 36 aviões caça até o fim do ano. A Aeronáutica ainda avalia as propostas recebidas. Entre os concorrentes estão os aviões Rafale, da francesa Dassault, os caças Super Hornet, da norte-americana Boeing, e o Gripen NG, da empresa sueca Saab.

Oposição pode obstruir votações

<!– function paginaSlideShow214385(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A oposição no Congresso Nacional ameaça obstruir as votações na próxima semana caso os governistas insistam em adiar as nomeações dos membros da CPMI do MST. Se a oposição cumprir com a ameaça, os projetos do pré-sal podem ser prejudicados. DEM, PSDB e PPS foram os primeiros a fazer as indicações dos membros da CPMI. PT e PMDB não indicaram até hoje, duas semanas após a leitura do requerimento em plenário, os parlamentares que farão parte da comissão. Sem esta indicação, as investigações não podem ser iniciadas. O líder do PT na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (SP), disse que indicará os nomes na próxima terça. Vaccarezza não quis informar, no entanto, quem serão os indicados.

Fidel: novo acordo militar é
‘anexação’ da Colômbia aos EUA

Orlando Brito
Foto
FIDEL CASTRO

<!– function paginaSlideShow214384(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Em seu novo artigo, o líder cubano Fidel Castro declarou nesta sexta (6) que o acordo militar firmado entre Colômbia e Estados Unidos “equivale à anexação” do país sul-americano por parte “do império”. Para Fidel, que está afastado da vida pública há três anos devido a problemas de saúde, “os políticos da América Latina” têm que enfrentar “agora um delicado problema: o dever elementar de explicar seus pontos de vista sobre o documento de anexação”. Para o ex-presidente, a intenção real do “império” é lançar os soldados colombianos “contra seus irmãos venezuelanos, equatorianos e outros povos bolivarianos”. Na opinião de Fidel, os povos “sentirão o punhal que é pregado no mais profundo de seus sentimentos, em especial a população colombiana”, que é “trabalhadora e lutadora”.

Salário da PM-DF é reajustado

Orlando Brito
Foto
PRESIDENTE LULA

<!– function paginaSlideShow214383(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O presidente Lula sancionou nesta sexta (6) a lei que estabelece o novo plano de carreira para a Polícia e Bombeiros Militare do Distrito Federal. A ação significa de imediato um aumento de 68,4% nos salários dos profissionais. Na capital, o PM em início de carreira ganhará, líquido, R$ 4.000,00. Em Estados como Alagoas, Pernambuco, o salário inicial não chega a R$ 900,00. O presidente ressaltou que é “importante levar em conta o poder do cofre dos Estados”. Lula disse que queria a “compreensão” da plateia para a questão da falta de reajuste nos Estados e sinalizou que uma mudança de salário em outras unidades só ocorrerá em outro governo. Com o novo plano de carreira, no Distrito Federal, a carreira de policial militar e bombeiro passa a exigir nível superior. Quem já está na profissão terá incentivo para fazer a faculdade.


Fotografia é história
Missa no sertão
Foto

<!– function paginaSlideShow214451(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A Missa do Vaqueiro, na cidade pernambucana de Serrita, é um evento que já entrou para o calendário de festas da cultura do Nordeste. Foi sugestão do compositor Luiz Gonzaga, que narra em uma de suas canções o triste fim de um vaqueiro que era seu primo. Raimundo Jacó foi morto inocentemente a pedradas, acusado de roubar cabeças de gado das fazendas vizinhas. A partir de 1971, comprovada a injustiça, o padre João Câncio passou a fazer a celebração em louvor a sua alma no terceiro domingo dos meses de julho. Hoje, é evento que se repete em várias outras cidades do sertão, como Acari, no Rio Grande do Norte.
Como foiViajei para Currais Novos para fotografar uma das mais autênticas manifestações da culturais do serão: a pega de boi no mato. Ao saber da celebração de cerimônia idêntica à de Serrita, não tive dúvida. Estiquei a jornada até a Fazenda Pitombeira. Ótimo. Cheguei no fim da tarde, a tempo de alcançar os vaqueiros montados em burros e cavalos, vestidos com gibão de couro para rezar e cantar à frente da capelinha de barro por quase duas horas. Orlando Brito.

OEA pede que Honduras cumpra acordo

<!– function paginaSlideShow214381(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, pediu nesta sexta (6) que as duas partes envolvidas na crise política de Honduras cumpram o acordo assinado há uma semana “sem subterfúgios”. Negociado com mediação dos Estados Unidos, o acordo foi dado como “morto” pelo presidente deposto, Manuel Zelaya. Para Insulza, “as medidas aprovadas no acordo são claras e foram assinadas pelas partes”. No texto, o secretário afirmou também que a OEA continuará “realizando todos os esforços para levar em frente o diálogo” e pediu que Zelaya e o presidente interino Roberto Micheletti “cheguem a um acordo para a formação do governo de unidade e reconciliação nacional”.

NE: governadores apoiam nova CPMF

<!– function paginaSlideShow214377(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Governadores de estados do Nordeste decidiram nesta sexta (6), por unanimidade, pedir uma audiência com o presidente Lula para manifestar apoio à aprovação da emenda Constitucional nº 29, a nova CPMF. O texto, que prevê a criação da Contribuição Social para a Saúde (CSS), fixa os percentuais mínimos a serem investidos anualmente na área de saúde pela União, por estados e municípios. De acordo com nota do Ministério da Saúde, os governadores devem pedir ainda um aporte emergencial de recursos para o Sistema Único de Saúde (SUS) para o próximo ano. Os governadores se reuniram nesta tarde com o ministro José Gomes Temporão (Saúde) que expôs o aumento de repasses desde 2007 para procedimentos como exames e cirurgias. O único governador que não estava presente era o governador da Bahia, Jacques Wagner. Fonte:http://www.claudiohumberto.com.br

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...