hotéis

>Hotéis de Cuiabá têm alta temporada com lotação de até 90%

Posted on novembro 26, 2010. Filed under: hotéis |

>

Hotéis em Cuiabá estão lotados há algumas últimas semanas. Turistas que chegam sem antecipar reserva precisam gastar tempo até encontrar vaga para estada na Capital mato-grossense e os estabelecimentos mantêm taxas de ocupação de até 90% durante a semana. Originalmente relativo aos negócios, o turismo na região tem crescido nos últimos anos em virtude do aumento no número de eventos promovidos, além da realização de reuniões de grandes empresas, principalmente ligadas ao setor do agronegócio. Em especial nesta semana, os hotéis -entre segunda-feira e sexta-feira – não tinham leitos disponíveis.

Hotel Intercity em Cuiabá

No recém-inaugurado Holiday Inn, todos os apartamentos estavam ocupados e já há reservas para dezembro e janeiro. Segundo o proprietário, Marcílio Ramos, além dos quartos, há muita procura pelo espaço de eventos do hotel. “Para dezembro temos muitas reservas, casamentos e convenções”.De acordo com dados da Convention Bureau, fundação responsável pela captação de eventos para Cuiabá, este ano, 16,8 mil pessoas vão passar pela cidade em suas organizações, 30% a mais do que em 2009. E existem reservas para os próximos 3 anos, sendo que para 2012 um único evento deve reunir 5 mil pessoas.
O gerente geral do hotel Intercity, Carlos Eduardo Pediak, diz que a semana registrou 100% na taxa de ocupação e que nenhum evento específico estava conveniado. Segundo o gerente, o normal é uma taxa de 90% a 95% dos apartamentos de terça a sexta-feira. O Intercity tem 80 quartos disponíveis por um preço médio de R$ 225. No Deville não é diferente. De acordo com a responsável, Bruna Fava, nos últimos meses o hotel se manteve 100% ocupado, mas que a partir de dezembro o movimento deve ser reduzido por ser turismo executivo. No Delcas Hotel, o recepcionista diz que os clientes têm reclamado frequentemente da dificuldade para encontrar vaga e que tiveram ocasiões que até motéis foram locados para hospedagem.
Em Cuiabá existem, segundo a Associação Brasileiras da Indústria Hoteleira (ABIH),7,920 mil leitos e 3,644 mil estão em construção. Somando com Várzea Grande são 10,774 mil prontos e até 2014 serão 14,558 mil. Entre os investidores do setor, o empresário Renato Paiva destaca o assédio que tem sofrido por parte de outras redes hoteleiras e empresas para a aquisição do hotel que está construindo na avenida Miguel Sutil. Proprietário do antigo hotel Odara e agora Golden Tulip, Paiva faz um investimento de R$ 22 milhões na construção do primeiro 5 estrelas da cidade.
“Não estou vendendo o hotel. Apesar da pressão que venho sofrendo de outras redes e empresários, pretendo dar continuidade ao projeto”. 
Fonte: A Gazeta
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Hotel Odara já está sendo administrado por uma rede internacional, a Golden Tulip

Posted on agosto 10, 2010. Filed under: Golden Tulip, hotéis, Hotel, hotel em Cuiabá, Hotel Odara |

>

Bandeira Golden Tulip está literalmente integrada à fachada do hotel Odara, na Av. Fernando Corrêa



O Hotel Odara já está sendo administrado sob uma marca internacional, a Golden Tulip, desde o último dia 2. O Brazil Hospitality Group (BHG), terceiro maior grupo hoteleiro do país e único licenciado na América Latina para usar a bandeira de origem holandesa, a Golden Tulip comprou o hotel que funciona na Avenida Fernando Corrêa da Costa, até então pertencente ao empresário Renato de Paiva Pereira, que está construindo outro hotel em Cuiabá. O valor da transação não foi revelado.
O BHG, marca oficializada para consolidar a fusão de duas brasileiras, a Invest Tur Brasil e a Latin America Hotels (LAHotels), reúne no Brasil 31 hoteis, 18 deles apenas administrados pelo grupo e 13 de propriedade do grupo.
A marca Golden Tulip, utilizada no Hotel Odara, é uma franquia do Golden Tulip Hospitality Group, que tem mais de 50 anos de experiência na área e presença em mais de 40 países. A marca possui três modalidades de franquia de atendimento, sendo a Golden Tulip de médio luxo, a Tulip-inn (classe econômica) e, Royal Tulip, de luxo.
O Hotel Odara, que custou cerca de R$ 6 milhões na época em que foi construído (2002), é um dos principais hotéis da cidade e possui área construída total de 6,63 mil metros quadrados (m²), 104 apartamentos, duas salas de convenções, duas salas de reuniões, business center, restaurante, bar, academia de ginástica e estacionamento no subsolo.
Além disso, a aquisição engloba um terreno anexo com aproximadamente 640 m², que atualmente funciona como estacionamento externo, visando a uma futura expansão do empreendimento.
“Esta aquisição está de acordo com a estratégia da companhia em adquirir hoteis que possibilitem aumento na eficiência operacional e ganhos de escala e que sejam localizados em cidades com grande potencial de crescimento no turismo de negócios ou receptivo”, ressaltou uma fonte do grupo.
Ainda de acordo com a companhia, os hotéis do grupo são de três, quatro e cinco estrelas, “todos com padrão internacional de atendimento e completa infraestrutura para eventos, voltados, principalmente, para o público executivo”.
No ano passado, o BHG fez três importantes aquisições. A principal foi a do Complexo Golden Tulip Brasília Alvorada, descrito pelo grupo como “o mais importante empreendimento hoteleiro de Brasília”, formado por um hotel cinco estrelas (único do país a receber a marca Royal Tulip de alto luxo) e um flat, transformado em Golden Tulip.
Administração
Segundo o empresário Renato de Paiva Pereira, os 60 empregos gerados pelo Hotel Odara foram mantidos pelos novos empreendedores. “Todo o pessoal da área de serviço foi mantido, apenas as áreas de direção e gerência tiveram mudanças”, informou Pereira.
Ele revelou que a transação com o grupo BHG demorou cerca de um ano. “Só vendemos [o hotel] porque a proposta foi muito interessante”, disse, explicando que o valor da transação não pode ser revelado porque “faz parte de um acordo com os novos empreendedores”.
Pereira garantiu que não vendeu o hotel por motivos financeiros. “Pelo contrário, a empresa oferece retorno, é muito lucrativa e tem uma taxa de ocupação média de 80%, como poucos empreendimentos do setor”.
O empresário está investindo cerca de R$ 20 milhões na construção do Gran Odara, na Avenida Miguel Sutil, o primeiro hotel cinco estrelas de Mato Grosso. O projeto, que está em fase de acabamento, terá 12 andares, 142 apartamentos de luxo e previsão de gerar cerca de 120 empregos diretos, sendo um dos mais modernos do país na classe de turismo de negócio. A obra será concluída em agosto do próximo ano.
Fonte: Diário de Cuiabá

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Hotéis e pousadas turísticas de Mato Grosso já estão lotados

Posted on outubro 29, 2009. Filed under: Chapada dos Guimarães, hotéis, Hotéis em Mato Grosso, Hotel Mato Grosso Águas Quentes, Hotel Sesc Porto Cercado, Pousada Penhasco, Turismo, turismo em MT |

>

Os hotéis localizados em pontos turísticos de Mato Grosso estão, em sua grande maioria, com lotação esgotada para o feriado prolongado. Segundo Luiz Verdun, presidente da Associação Brasileira de Hotéis em Mato Grosso (ABIH-MT) enquanto o setor hoteleiro da Capital não tem tanta ocupação neste período por estar mais direcionado ao turismo de negócios, os hotéis e pousadas do interior vivem um bom momento em ocasiões como o próximo feriadão. “Pantanal e Chapada estão entre os locais mais visitados, não apenas por pessoas que moram na Capital mas por gente do interior e de fora do Estado também. Nos finais de semana as pessoas saem da cidade o que explica esta grande procura em outros municípios. Já em Cuiabá e Várzea Grande o movimento cai vertiginosamente”.

O Hotel Sesc Porto Cercado (localizado no Pantanal de Poconé e de Barão de Melgaço, às margens do rio Cuiabá e distante 145 km da Capital) está entre os mais visados. De acordo com Ludivino Romão, do setor de reservas, a procura dos turistas por apartamentos livres no feriado desta semana começou há quatro meses. “Para a Semana Santa do próximo ano, dos 108 apartamentos, há apenas dez livres. O restante já está reservado”.

Segundo o funcionário a maior parte dos turistas vem da Baixada Cuiabana. A diária média para um período de três dias (de sábado a segunda) é de R$ 380,00 para comerciário e R$ 760,00 para usuário com pensão completa.

Também não há mais vagas para quem quiser passar o feriado prolongado na Pousada Penhasco, em Chapada dos Guimarães. Almira Pereira de Andrade, gerente de reservas, disse que as reservas para o feriadão começaram a ser confirmadas há mais de duas semanas. “Feriado é sinônimo de pousada lotada, mesmo que os clientes já conheçam a Chapada porque são, em sua maioria, de Cuiabá”. Na Penhasco a diária é de R$ 279 o final de semana para um casal e com café da manhã.

O Hotel Mato Grosso Águas Quentes também não tem nenhum dos 70 apartamentos disponível pois foi reservado há um ano pela Igreja Presbiteriana no feriado prolongado. Já o Hotel Fazenda Primavera, localizado na rodovia MT-358, no município de Nova Olímpia (a 196 quilômetros da Capital), já tem 90% dos seus 46 apartamentos já reservados. O hotel está localizado entre os Chapadões da Serra de Tapirapuã. Segundo a gerente Elaine Vieira, a procura começou há 15 dias, inicialmente com as reservas que foram sendo confirmadas ao longo desta semana. “Nossos clientes vêm de Cuiabá e municípios como Lucas do Rio Verde e Nova Mutum mas também há gente de outros estados como Rondônia, por exemplo”. A diária custa R$ 300 para o casal com café da manhã.

Se nos hotéis de municípios do interior o movimento é intenso, a Capital costuma ficar vazia nos feriados prolongados. Mas, na opinião de Verdun, isso não chega a ser prejudicial. “Durante a semana o setor hoteleiro de Cuiabá e Várzea Grande tem uma boa frequência o que acaba compensando períodos os feriados. Há esta sazonalidade que permite que os hotéis, tanto da Capital quanto do interior, tenham boa frequência em épocas diferentes”.

Fonte: A Gazeta

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...