jogador de futebol

>Funcionários de hotéis onde a Seleção Brasileira hospedou na África recusam falar sobre ambiente entre os jogadores e comissão

Posted on julho 5, 2010. Filed under: África, África do Sul, Copa do Mundo, FUTEBOL, jogador de futebol, seleção brasileira |

>

Copa do Mundo – A seleção brasileira foi embora da África do Sul no último sábado, mas deixou resquícios de seu comportamento no país da Copa do Mundo. Funcionários que tiveram contato mais próximo com os jogadores são proibidos de falar sobre o assunto. Em dois dos três hotéis usados pela delegação, conversar sobre a seleção significa risco de advertência ou punição mais grave. Apenas hóspedes contaram um pouco do “day after” do time de Dunga.
Em Port Elizabeth, palco da eliminação brasileira diante da Holanda, nas quartas de final, os funcionários não escondem o medo em dar alguma declaração ou fazer o mais simples comentário. No domingo, um dia depois de a seleção partir rumo ao Brasil, o silêncio foi total.
“O gerente não está aqui e nós não falamos sobre isso”, respondeu uma recepcionista. Quando questionada o motivo de tal postura, ela informou: “não podemos falar disso, estamos proibidos.”
Os funcionários do pequeno bar do hotel também se mostraram assustados. Perguntado se o Brasil esteve hospedado lá, um atendente respondeu: “sim”. E você viu os jogadores? “Não posso falar”, emendou ele, baixando o tom de voz e indo para outro canto do balcão.
Em Johanesburgo, onde a seleção passou grande parte do tempo concentrada e isolada, a restrição foi ainda maior. Ter contato com os funcionários foi praticamente impossível. Aqueles que mais se aproximaram dos jogadores também não abriram a boca. “Estamos proibidos de falar. Eu, ela e todo mundo”, afirmou um segurança apontando para a colega que tomava conta da entrada do lugar.
Mas se em Johanesburgo a seleção se despediu feliz e animada depois de bater o Chile por 3 a 0 nas oitavas de final, em Port Elizabeth o clima foi pesado depois do duelo com os holandeses, que venceram por 2 a 1.
A brasileira Dina Applegreen Oliveira estava no mesmo hotel da seleção na manhã de sábado. Viu de perto as reações de alguns jogadores horas depois da eliminação diante da Holanda. “O clima era de muita tristeza. O Julio Cesar estava com cara de enterro, parecia que tinha ido num velório. Seus olhos estavam inchados e vermelhos”, contou Dina.
 Dunga manteve o clima de discrição na África, o que seguiu mesmo após a eliminação brasileira
Embora tivessem o dia livre até embarcar no final da tarde, os jogadores preferiram não deixar o hotel. A maioria sequer tomou café da manhã. Juan e Luisão foram os que ficaram mais tempo no lobby do hotel durante o sábado. “Eles estavam bem abatidos e ficaram no barzinho do hotel, mas sem beber nada com álcool”, disse a torcedora.
Kaká esteve entre aqueles que não saíram do quarto. E foi um dos poucos que Dina não conseguiu ter um contato mais próximo. Nada de fotos ou autógrafo. “Quando ele finalmente apareceu no lobby algumas pessoas já estavam em volta dele e ficou difícil.” Fonte: UOL Esportes
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...