Marcelândia

>Concurso da Prefeitura de Marcelândia abre inscrição para 99 vagas

Posted on janeiro 31, 2011. Filed under: Marcelândia |

>

A Prefeitura de Marcelândia (MT) inicia nesta terça-feira, 01 de fevereiro, inscrições para o  concurso público com 99 vagas, sendo 40 para nível superior, 20 nível médio e 39 nível fundamental (área operacional). 

Salários
Os salários vão de R$ 545,00 (serviços gerais) a R$ 7.529,76 (médico)

Cargos oferecidos

Os cargos são de carpinteiro, coletor de lixo, jardineiro, merendeira, mestre de obras, motorista, operador de motoniveladora e pc-200, varredor de ruas, vigia, zelador, agente de fiscalização municipal, assistente de controle administrativo, fiscal de obras, técnico em enfermagem, técnico em higiene dental , técnico em raio x, técnico em laboratório de análise clínica, assessor jurídico, assistente social, assistente técnico administrativo ii, cirurgião dentista, contador, enfermeiro, engenheiro civil, médico clínico geral, médico veterinário, nutricionista, psicólogo, professor de língua portuguesa, professor de matemática, professor de história, professor de geografia, professor de educação física e professor pedagogo

Inscrições de 1 a 13 de fevereiro
As inscrições serão realizadas somente através do site www.marcelandia.mt.gov.br de 1 de fevereiro a 13 de fevereiro. O valor das inscrições será de R$ 100 para nível superior, R$ 50 para nível médio e R$ 30 para nível fundamental.

veja aqui o edital.

A prova objetiva (múltipla escolha) e a prova subjetiva I (redação) serão
realizadas na Escola Estadual Pedro Bianchini – centro – Marcelândia MT, na data provável de 27 de fevereiro, no turno da manhã e da tarde.

Maiores informações podem ser obtidas com a Comissão Especial do Concurso, na Prefeitura Municipal, no telefone (66) 3536-3100, no horário das 7h às 13h.

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Com censo 2010 doze cidades de Mato Grosso terá redução no repasse do FPM

Posted on novembro 6, 2010. Filed under: Alta Floresta, Barra do Bugres, Censo 2010, Chapada dos Guimarães, Colíder, Colniza, Denise, FPM, Guiratinga, IBGE, Marcelândia, Peixoto de Azevedo |

>

A arrecadação do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de 12 das 141 cidades de Mato Grosso, o equivalente a 8,5% do total, vai diminuir a partir de 2011. Isso porque todas elas sofreram redução populacional nos últimos 10 anos. Os repasses são medidos pela oscilação do número de habitantes em cada município.
A redução foi confirmada no Censo realizado neste ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que divulgou ontem, de forma preliminar, a quantidade de habitantes em todos os municípios brasileiros. Na análise do IBGE houve decréscimo populacional nos municípios cuja fonte econômica advém da pecuária e das indústrias madeireira e canavieira. 

 Cidade de Barra dos Bugres que teve decréscimo populacional

As cidade são:

  • Alta Floresta, 
  • Barra do Bugres, 
  • Chapada dos Guimarães, 
  • Colíder, 
  • Colniza, 
  • Denise, 
  • Guiratinga, 
  • Marcelândia, 
  • Peixoto de Azevedo, 
  • São José do Rio Claro, 
  • Tabaporã e 
  • Terra Nova do Norte.

Dez cidades tiveram aumento populacional
Já em situação mais confortável estão outros 10 municípios, ou 7,09% do total, que tiveram registro de aumento da população. Maior parte deles integra a fronteira agrícola de Mato Grosso. São eles:

  • Campo Verde, 
  • Lucas do Rio Verde, 
  • Nova Mutum, 
  • Primavera do Leste, 
  • Sapezal, 
  • Sorriso, 
  • Vera, 
  • Porto Esperidião, 
  • Porto Alegre do Norte, 
  • Juruena e 
  • Confresa.
 Lucas do Rio verde é destaque
Lucas do Rio Verde, por exemplo, está no topo dos que mais cresceram, com incremento populacional de pouco mais de 12 mil habitantes do ano passado para cá. Prefeitos dos municípios que sofreram redução ou aumento populacional têm até o dia 21 para questionar os resultados apontados pelo IBGE.

REVISÃO – O Instituto já se adiantou que vai revisar a contagem populacional, por determinação da Diretoria de Pesquisa do órgão, nos municípios de Colniza, Sinop, Terra Nova do Norte e na capital do Estado. Já as cidades de Alta Floresta, Denise, Nova Olímpia, Nova Bandeirantes, São Félix do Araguaia, São José do Rio Claro, Guiratinga, Chapada dos Guimarães, Colíder, Marcelândia e Tabaporã aguardam autorização para passar pelo mesmo processo.
Na região Centro-Oeste, Mato Grosso é o estado com a maior quantidade de processos de revisão (15), seguido por Goiás (6), Mato Grosso do Sul (2) e Distrito Federal (1). Em todo país, haverá revisão em 376 cidades.
Segundo o chefe do IBGE em Mato Grosso, Deovaldo Benedito Souza, a revisão será necessária para dar mais lisura ao Censo 2010. “Os municípios revisados serão aqueles que perderam FPM e com grande quantidade de domicílios vagos. Vamos verificar também o trabalho dos recenseadores”, revela Souza. O Censo 2010 mostrou que Mato Grosso conta com a segunda maior população da região Centro-Oeste, com 2.954.625, mas esta marca, após as revisões e a imputação dos domicílios fechados (21.764 mil), pode saltar para 3.026.446 habitantes. Quem não foi recenseado pode entrar em contato com o IBGE até o dia 21 deste mês para solicitar visita pelo telefone 0800-721-8181.
ANÁLISE – O IBGE analisa que o crescimento populacional de Mato Grosso se deu de forma natural, ou seja, pela diferença entre nascimentos e mortes. O fenômeno é conhecido na demografia como vegetativo. No passado, o Estado inflou em questão de décadas por um intenso processo migratório que trouxe para cá pessoas oriundas da região sul do país. Os municípios mato-grossenses que mais cresceram são aqueles que estão agregando valor à produção antes de exportá-la. O processo exige instalação de indústrias, o que demanda elevada quantidade de mão-de-obra. 
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Incêndio arrasador destroi parque industrial, residências e coloca a cidade de Marcelândia em pânico

Posted on agosto 12, 2010. Filed under: Bom Dia Mato Grosso, Corpo de Bombeiros, desabrigadas, fogo, Incêndio, madeireiras, Marcelândia |

>

O Bom Dia Mato Grosso ficou sabendo logo cedo do trágico incêndio na cidade de Marcelândia, (distante 720 quilômetros de Cuiabá), porém não tínhamos informações seguras que pudéssemos apoiar para publicar e informar nossos leitores. Por isso só agora postamos a matéria publicada pelo site Só Notícias, a quem agradecemos e parabenizamos pela ampla cobertura. As fotos e o vídeo nessa matéria é crédito do site.
 Incêndio gigantesco em Marcelândia MT
As chamas que aterrorizam os moradores de Marcelândia (210 km de Sinop) “entraram” noite adentro e serão combatidas, nesta 5ª feira de manhã, por dois aviões que, juntos, têm capacidade para jogar 4,5 mil litros de água. O “socorro” chegou tarde (fogo começou a ganhar grande proporção por volta das 12h), mas é indispensável porque o saldo do “incêndio gigante” é arrasador: pelo menos 15 madeireiras atingidas – maioria foi destruída totalmente. 
Outras tiveram parte da estrutura atingida. São cerca de 60 casas que também foram completamente destruídas. Um bar e uma mercearia também foram destruídos.
As primeiras equipes dos bombeiros e defesa civil chegaram esta tarde a Marcelândia. Um helicóptero está dando apoio. Os oficiais sobrevoaram a área e repassaram informações para as cúpulas e a Casa Militar do Governo Estadual que definiram a operação emergencial. 
 Fogo por todos os lados
“Montamos uma estrutura inicial de combate, orientando a população, atendendo prioridades. As chamas ainda estão e a situação continua crítica.  Estamos fazendo combate efetivo ao fogo e trabalho preventivo. Mas ainda não temos em levantamento exato da área destruída. 
Mas é grande”, afirmou, ao Só Notícias, o major Aluizio Metelo Junior, do Corpo Bombeiros, que está em Marcelândia.
Um estado marcado pelas grandes queimadas, não está preparado para combater grandes incêndios, mesmo em área urbana.
As imagens são semelhantes a de um filme de terror. A destruição deixou rastro quilométricos. 
 Indústria madeireiras e residências em chamas
O fogo começou no lixão, perto do setor industrial e passou para algumas áreas rurais. O vento forte fez as chamas se espalharem e atingiram um barracão de madeireira passando para a primeira colônia (conjunto de casas de madeiras usadas pelos funcionários). As madeireiras e casas ficavam próximas uma das outras. As chamas altas e o vento forte fizeram com que, cada vez mais, o fogo aumentasse, causando muito mais destruição e desespero.
Marcelândia não tem Corpo de Bombeiros. Mas, sua gente, tem muita solidariedade. Não demorou muito para que dezenas de pessoas passassem a ajudar os que estavam na “linha do fogo”. Móveis, roupas, comida e demais pertences eram retirados das casas e colocados no outro lado da rua. Pás carregadeiras arrastavam madeira e toras que estavam nos pátios de outras madeireiras. Parte dos maquinários também foi salva. Mas com o avanço rápido do jogo, pouco foi salvo. Alguns poucos tanques, rebocados com tratores e com bombas, jogavam pequena quantidade de água. A rede elétrica foi desligada para evitar mais problemas.
 A impotência: o município e o estado não tem meios para combater o incêndio
O desespero tomava conta de empresários, funcionários, mulheres, crianças. 84 foram encaminhadas para o hospital municipal, com intoxicação da forte fumaça e alguns com queimaduras. Cerca de 14 ainda permancem hospitalizadas para terem outros cuidados. Nenhuma corre risco de morte.
Mais de 100 pessoas desabrigadas foram levadas para escolas municipais e salão paroquial da Igreja Católica, onde ficarão nos próximos dias. Precisam de roupas e comida. 
Posteriormente, contarão com solidariedade para ganharem alguns móveis e recomeçarem a vida.
Ainda não é possível calcular o prejuízo com a destruição das madeireiras. Nesta 5ª, após os focos serem debelados, é que começa ser feito levantamento. A tragédia terá forte impacto na economia de Marcelândia, que tem a atividade florestal como um dos fortes pilares.

Veja ainda
Vídeo com imagens do grande incêndio em Marcelândia

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...