PAC II

>A conta que nunca vai ser paga

Posted on março 28, 2010. Filed under: Carlos Chagas, Casa Civil, Dilma Rousseff, eleições, Imposto de Renda, Justiça Eleitoral., PAC II |

>Por Carlos Chagas
A progressão, por enquanto, é aritmética: a primeira  multa foi de 5 mil, a segunda de 10 mil reais. Continuando as coisas como vão, é possível que a Justiça Eleitoral recorra à progressão geométrica. Sendo assim,  quando outubro chegar o presidente Lula estará devendo alguns bilhões pela prática de propaganda eleitoral antecipada.

O singular nessa história é que S. Exa. não vai pagar um centavo, menos pelos recursos interpostos às  decisões do Tribunal Superior Eleitoral, mais porque já encontrou a solução para poupar o seu dinheiro: em praça pública,  no interior de São Paulo, pediu que levantassem o braço quantos estivessem dispostos a pagar por ele. Foi uma floresta de braços.

Ficamos irritados ao receber multas,  seja do Imposto de Renda, seja do Detram. Muitas vezes pela injustiça, outras pela falta de fundos. Já com  o primeiro-companheiro é diferente. Ele ri, faz gozação e dá de ombros, mesmo reconhecendo a culpa.  Está debochando da decisão do Judiciário e, pelo jeito, continuará levando Dilma Rousseff a tiracolo, pedindo votos para a  candidata. 

Na mesma oportunidade, o presidente comentou que nem vento bate nas costas de político sem mandato, referindo-se à sua situação, depois de 31 de dezembro. Negativo. Se Dilma for eleita, ele funcionará como oráculo ostensivo. Se perder, assumirá a chefia da oposição.

 
 

QUEM SAI E QUEM FICA?

 

Marcada para quarta-feira a solenidade de demissão coletiva dos ministros candidatos às eleições de outubro,    ainda sobram dúvidas sobre o número dos presentes. Tem ministros perdendo o sono, sem saber se saem ou se ficam.  Também não estão definidos os nomes de todos os novos  ministros. Tudo indica que o presidente nomeará os secretários-executivos em exercício, com uma ou outra exceção. Resta saber quais.

Os ministros que permanecem mantém acesa a chama da esperança de aproveitamento  no governo Dilma Rousseff, se a candidata for eleita. Há também os que já pensam em cuidar da vida, mas, ao contrário de ex-ministros de outros governos, nenhum deles cogita fundar bancos. Nem mesmo Henrique Meirelles, por sinal um dos que hesita em ficar ou sair do Banco Central.

 
 

O PAC II

 

Será conhecido amanhã o PAC II, com direito a toda pompa e circunstância na festa de sua apresentação. Poderá ser a derradeira  aparição de  Dilma Rousseff como chefe da Casa Civil. Caberá a ela detalhar as novas obras propostas no plano, bem como explicar porque parte do PAC I não se realizou. Vai ser difícil, mas a candidata está aprendendo a fazer da limonada um limão, pela proximidade com o chefe.

A solenidade marcará o inicio do festival de despedidas do presidente Lula, a se estender até 31 de dezembro.

 

ATÉ VOCÊ, SERRA?

 

Causou mal-estar no ninho dos tucanos a crítica de José Serra aos jornais, numa imitação barata do presidente Lula. O governador chamou  a mídia de leviana, acentuando que nenhum dos dois grandes matutinos de São Paulo escapava.  Referiu-se, é evidente, ao “Estadão” e à “Folha”, sem perceber estar arremessando  “fogo amigo” contra os jornais que não escondem a simpatia por sua candidatura. 

Como no caso do primeiro-companheiro, Serra acusou a imprensa por registrar a inauguração de obras inacabadas. Fica difícil concordar com os dois, porque as imagens falam mais do que as palavras. Se o presidente inaugura conjuntos residenciais  semi-prontos, sem pintura nem ladrilhos, o governador entrega à população centros de saúde sem  os equipamentos necessários ao seu  funcionamento. De quem é a culpa?  Como sempre, dos meios de comunicação… Fonte: ClaudioHumberto

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...