Patrus

>A minissaia e a liberdade à brasileira

Posted on novembro 25, 2009. Filed under: Abin, DEM, MPF, multa, Patrus, Petrobras, PIB, Sponholz, TSE |

>

<!– function paginaSlideShow216113(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Há anos vivendo em Miami, Flórida, a professora de História e Literatura Brasileira Adriana Berger voltou aos EUA chocada com o que viu no Brasil em matéria de deterioração de costumes, valores e perspectivas de futuro de um país “rico por natureza, mas pobre de cidadania, princípios e ética”. A partir do episódio do microvestido da estudante da Uniban, ela traça um contundente retrato da vertiginosa decadência brasileira em todos os setores, onde se exaltam nulidades e criam-se mitos em nome da “liberdade”, da audiência, do faturamento e do poder.

Sponholz

Sponholz

Trezza aprovado para chefiar Abin

Foto
WILSON TREZZA

<!– function paginaSlideShow216112(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O Senado Federal aprovou nesta terça (24), a indicação de Wilson Roberto Trezza para a diretoria-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). O diretor já ocupava o cargo de forma interina desde o fim do ano passado, quando o então diretor Paulo Lacerda foi afastado do comando da Abin em meio à crise que atingiu o órgão durante a Operação Satiagraha, da Polícia Federal. Trezza foi indicado pelo presidente Lula para assumir a agência em definitivo. Segundo o diretor da Abin, a crise na agência está superada, apesar de reconhecer que o órgão enfrentou “constrangimentos” no ano passado em meio à Satiagraha.

MPF pede nova multa para Requião

Foto
GOV. ROBERTO REQUIÃO

<!– function paginaSlideShow216111(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O Ministério Público Federal (MPF), em Curitiba, pediu nesta terça (24) à Justiça a aplicação de nova multa ao governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB). Desta vez, o MPF determinou o valor de R$ 250 mil por ter supostamente utilizado de forma ilegal a Rádio e Televisão Educativa do Paraná. De acordo com o MPF, Requião serviu-se da televisão para proferir “manifestações absolutamente preconceituosas contras os homossexuais, com nítido caráter homofóbico, ao relacionar a ocorrência de câncer de mama em homens à opção sexual”.

Aécio poderá concorrer ao Senado

Foto
GOV. AÉCIO NEVES

<!– function paginaSlideShow216109(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, voltou a dizer nesta terça (24) que, se o PSDB não tomar uma decisão sobre a candidatura à Presidência da República até o fim de dezembro, ele poderá concorrer a uma vaga no Senado Federal. O pré-candidato a presidente disputa a indicação do partido com o governador de São Paulo, José Serra. Na avaliação de Aécio, o PSDB deve decidir “o mais rápido possível” seu candidato para discutir as alianças para as eleições de 2010. Ele disse acreditar que definir a candidatura em março, como defende Serra, é um prazo “extremamente” longo ou tardio para construir uma aliança “mais sólida”.

Vale-cultura gera bate-boca no Senado

<!– function paginaSlideShow216108(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Mais uma vez os ânimos entre governo e oposição esquentaram durante uma audiência conjunta das comissões de Assuntos Econômicos e Constituição e Justiça no Senado Federal. A reunião, realizada nesta terça (24), contou com a presença do ministro Juca Ferreira (Cultura) onde foi discutida a criação do programa Vale-Cultura. Mas, a euforia em defender a proposta acabou gerando confusão. Durante a audiência, foi distribuído aos senadores um panfleto “Vota Cultura”, contendo a seguinte mensagem; “apóie o parlamentar do seu estado que vota pela cultura”. O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) acusou o material de ter um conteúdo eleitoreiro. Presente na mesa de trabalhos, JucaFerreira acompanhou em silêncio o longo bate-boca. Diante do constrangimento gerado pela discussão, o senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), encerrou a sessão. No final da tarde, Demóstenes protocolou uma representação junto ao Ministério Público Federal.


Fotografia é história
Duas realidades
Foto

<!– function paginaSlideShow216087(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Vendedor ambulante faz do cenário da greve dos servidores seu ponto de sobrevivência. 23 de novembro de 2009.
Como foiMuitas vezes a gente passa por cenas que querem dizer muito e nem percebe seu verdadeiro sentido. Por sorte isso não me aconteceu na última segunda-feira, ao sair do Palácio Itamarati, onde fui fotografar o encontro dos presidentes Lula e Ahmadinejad. Passando pelo edifício do Ministério do Trabalho e Emprego todo panfletado com cartazes conclamando servidores, fiz essa foto aí. Enquanto os funcionários fazem greve reivindicando menor carga horária semanal de trabalho, reajuste do auxílio-alimentação, novas tabelas salariais e elaboração de plano de carreira, esse senhor aí encontrou o local ideal para montar seu negócio, um carrinho ambulante. Vendendo guloseimas a preço que não passam de um real, ele consegue meios para sustentar a própria família. Orlando Brito.

Patrus vai disputar governo de Minas

Antônio Cruz/ABr
Foto
MINISTRO PATRUS ANANIAS

<!– function paginaSlideShow216086(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Social) informou nesta terça (24) que é pré-candidato ao governo de Minas Gerais. Ananias disse que o PT já foi comunicado sobre sua decisão e garantiu que sua candidatura independe dos problemas enfrentados pelo partido em Minas. Patrus também disse que a grande maioria dos filiados ao PT na região apoia sua candidatura e informou que, a partir de agora, “construirá um grande arco de alianças democráticas e programáticas em Minas Gerais”.

Oposição envia à PGR dezoito
denúncias contra a Petrobras

Orlando Brito
Foto
SENADOR JOSÉ AGRIPINO

<!– function paginaSlideShow216085(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A oposição encaminhou nesta terça dezoito representações à Procuradoria Geral da República contra irregularidades na administração da Petrobras. Segundo senadores do DEM e PSDB, as representações tratam de temas que não foram investigados pela CPI do Senado, criada exatamente para a análise das denúncias. Segundo o senador Agripino Maia (DEM-RN), o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, sinalizou que pretende instaurar os processos para investigar as representações. A oposição deixou a CPI da Petrobras em protesto contra a pressão do governo que derrubou a votação de mais de 60 pedidos de convocação apresentados pela oposição.

PIB italiano deve crescer 1% em 2010

<!– function paginaSlideShow216084(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O Produto Interno Bruto da Itália poderá crescer mais de 1% em 2010. Segundo o ministro da Economia do país, Giulio Tremonti, uma vez superada a recessão enfrentada devido à crise mundial, o próximo ano poderá ser “particularmente positivo”, porque representa uma mudança de tendência após uma retração de 6% em dois anos. Tremonti também confirmou sua intenção de promover uma reforma tributária no país. O ministro revelou já ter conversado sobre o assunto com o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, que respaldou a proposta. Para 2009, analistas prevêem uma retração de cerca de 5% do PIB italiano.

2010: Lula reafirma crescimento de 5%

Orlando Brito
Foto
PRESIDENTE LULA

<!– function paginaSlideShow216074(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O presidente Lula reafirmou nesta que o Produto Interno Bruto brasileiro crescerá mais de 5% em 2010. Segundo ele, na contramão da tendência mundial, a economia brasileira retomou um crescimento vigoroso e, para 2010, “a expansão do PIB será satisfatória”. Em entrevista ao jornal inglês Financial Times o presidente havia feito uma previsão de crescimento de 5% e confirmou a estimativa em discurso durante a visita do presidente da República Tcheca, Vaclav Klaus.

TSE julga Ivo Cassol nesta terça-feira

Agência Brasil
Foto
GOVERNADOR IVO CASSOL

<!– function paginaSlideShow216079(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O Tribunal Superior Eleitoral julga no início da noite desta terça (24) o caso do governador de Rondônia, Ivo Cassol (sem partido), e de seu vice, João Aparecido Cahulla, por compra de votos e abuso de poder econômico durante as eleições de 2006. O Ministério Público Eleitoral afirma que há evidências de que os crimes foram cometidos e ratificou, no dia 8 de julho, seu pedido para manter a cassação dos diplomas de Cassol e Cahulla.

Líder do DEM: obstrução será mantida

Orlando Brito
Foto
DEP. RONALDO CAIADO

<!– function paginaSlideShow216078(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), afirmou, ao deixar a reunião de líderes, que a oposição vai manter a obstrução às votações em plenário, já que o governo não anunciou uma data para votação do projeto que foi aprovado pelo Senado com emenda que concede às aposentadorias o mesmo reajuste do salário mínimo. O outro motivo pela manutenção do impedimento às votações é que os lideres não estabeleceram um prazo para indicar os integrantes da CPMI do MST.

Fonte: http://www.claudiohumberto.com.br

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...