pesquisa eleitoral

>Serra sobe 24 pontos e está 10 a frente de Dilma em Brasília

Posted on outubro 9, 2010. Filed under: Dilma Rousseff, eleições 2010, Marina Silva, pesquisa eleitoral |

>

Soma Opinião e Mercado
Foto

Eleições 2010: Pesquisa eleitoral realizada no Distrito Federal e concluída nesta sexta-feira pelo instituto Soma Opinião e Mercado, o mais tradicional da cidade, aponta um crescimento surpreendente do candidato tucano a presidente da República, José Serra, que no primeiro turno ficou em terceiro lugar, com 23% do total (somou 354.070 votos), mas agora subiu 24 pontos percentuais nas intenções de voto.

Serra tem 47% neste momento, contra 37% de Dilma Rousseff, que ficou em segundo lugar no primeiro turno (somou 462.441 votos). Nesta primeira pesquisa, a petista subiu sete pontos e está com 37%, dez atrás de Serra. Os indecisos somam 10% e 6% pretendem votar branco ou nulo.

O Soma foi o único instituto a registrar o crescimento de Marina Silva (PV) no DF, mostrando o momento em que ela ultrapassou Serra e depois deixou Dilma para trás. De fato, Marina foi a mais votada no DF, no primeiro turno, somando 39% (611.362 votos). A pesquisa foi registrada no TSE (34827/2010) e no TRE-DF (35041/2010). 

Fonte: Claudiohumberto

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Pesquisa Gazeta Dados aponta crescimento de Mauro Mendes e queda de Silval Barbasa

Posted on setembro 22, 2010. Filed under: eleições 2010, Jornal A Gazeta, Mato Grosso, Mauro Mendes, pesquisa eleitoral, Pesquisa Gazeta Dados, Silval Barbosa, Wilson Santos |

>

Eleições 2010 – O instituto Gazeta Dados em pesquisa eleitoral divulgada pelo Jornal A Gazeta, aponta estabilidade de Wilson Santos, queda de Silval Barbosa e crescimento de 5 pontos percentuais de Mauro Mendes.

Silval Barbosa venceria a eleição, de acordo com a terceira rodada de pesquisa em Mato Grosso, feita nos dias 18 e 19 de setembro. O peemedebista aparece com 46% da preferência do eleitorado, confirmando a condição de primeiro colocado. Mauro Mendes (PSB) surge em segundo lugar indicando uma reação positiva de 5 pontos percentuais, ao atingir 26%.
Em terceiro, mantém-se Wilson Santos (PSDB) com idênticos 15% mostrados na sondagem anterior. Marcos Magno (PSOL) também reafirma a condição de lanterninha com 1%. Brancos e nulos somam 3% e o total de indecisos é de 9%.
Comparando-se as três rodadas de pesquisa, o governador e candidato à reeleição partiu de 31% dos votos, foi a 48%, e hoje está com 46%. Mendes saiu de 15%, alcançou 21% e chegou a 26%. O empresário permaneceu numa curva ascendente, com um crescimento de 11 pontos percentuais.
Já Wilson Santos, que deixou a prefeitura de Cuiabá para concorrer ao governo, tem uma performance ao inverso, começando com 23%, baixando a 15%, índice mantido na terceira rodada. Com margem de erro de 3% para mais ou para menos, o Gazeta Dados esteve em 40 municípios e registrou a pesquisa sob o número 36.715/2010 no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MT).
Pesquisa espontânea
Na pesquisa espontânea, que se difere da estimulada, porque o eleitor diz sem qualquer indução o nome de seu candidato, Silval Barbosa (PMDB) atinge 31% da votação. Seis pontos percentuais atrás e em segundo lugar, está Mauro Mendes, com 15%. Wilson Santos obteve 10% e Marcos Magno não pontuou. Nesta modalidade, brancos e nulos totalizam 2% e o total de indecisos salta a 42%.
Em relação às pesquisas feitas no começo de setembro e em agosto (dias 14,15 e 16), o candidato à reeleição subiu 16 pontos percentuais, passando de 15% para 30% e agora 31%. O socialista saiu de 8%, atingindo 13% e indo até 15%. Já o tucano repete nas três pesquisas os mesmos 10%.
Votos válido
Para aproximar de uma situação mais real, o Gazeta Dados fez ainda a simulação dos votos válidos, quando em pesquisas eleitorais são retirados as indicações de brancos, nulos e o percentual de indecisos é distribuído entre os candidatos de acordo com o percentual de cada um.
Quando se consideram só os votos válidos, Silval Barbosa vai a 52,27%, em primeiro lugar, e Mauro Mendes alcança 29,55%. Wilson Santos obtém 17,05% e Marcos Magno fica com 1,13%. Para declarar um candidato vitorioso, a Justiça eleitoral considera somente os votos válidos, excluindo nulos e brancos.
Segundo turno
Na simulação de segundo turno, Silval Barbosa venceria com 46%, contra 30% de Mendes. Os percentuais eram 50% e 21%, na pesquisa anterior. Os indecisos de 21% caem para 20% e brancos e nulos de 8% a 4%.
Entre Silval e Wilson, o peemedebista cresce a 49% contra 22% atribuídos ao tucano. Sete por cento admitiram voto em branco ou nulo e 22% declararam indecisão.
Se o confronto envolver Wilson e Mauro, o socialista seria o futuro governador de Mato Grosso com 39% das intenções de voto, acompanhado do tucano com 25%. Indecisos somam 27% e brancos e nulos 9%.
Na terceira rodada, ainda houve o questionamento sobre a convicção de voto. Quem respondeu “não muda, está decidido” soma 66%. “Pode mudar com certeza” atinge apenas 15% e “talvez possa mudar”, 12%.
Rejeição
O ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, continua sendo o nome mais rejeitado para ocupar a cadeira número um do Palácio Paiaguás, com 21%, seguido por Marcos Magno com 13%. Um pouco mais distante surge Silval Barbosa com 9% e, com 8%, Mauro Mendes.
Em se tratando de rejeição, 8% declaram voto em branco e o índice de indecisos chega a 41%.
A partir do horário eleitoral, que começou em 17 de agosto, os entrevistadores do Gazeta Dados perguntaram aos eleitores sobre qual candidato tem a melhor proposta. Quarenta e dois por cento indicaram Silval Barbosa, 21% Mauro Mendes e 17% Wilson Santos.
Técnica – O Instituto Gazeta Dados faz pesquisas somente para divulgação nas empresas do Grupo Gazeta de Comunicação. Através da técnica Survey com questionários estruturados é capaz de gerar resultados bem próximos à margem de erro, de 3%.
Nesta terceira rodada estadual, o instituto entrevistou mil eleitores, sendo 52% formado por homens e 48%, por mulheres. A maior parte tem acima de 45 anos, pratica o catolicismo (62%), cursou apenas o ensino fundamental (68%) e recebe até 5 salários mínimos (71%).
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Pesquisa Gazeta Dados em Cuiabá mostra Pedro Taques em segundo lugar com 29%

Posted on setembro 10, 2010. Filed under: CUIABÁ, eleições 2010, Gazeta Dados, Pedro Taques, pesquisa eleitoral, Pesquisa Gazeta Dados |

>

Eleições 2010 – Pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Gazeta Dados na capital Cuiabá,   de intenção de votos para senador, no modelo estimulado, o candidato Blairo Maggi cai 4 pontos, oscilando de 64% para 60%. O levantamento foi feito no período de 3 a 5 de setembro.

O que foi considerado a grande surpresa é o candidato Pedro Taques (PDT) que, pela primeira vez, chega ao segundo lugar com 29% da preferência do eleitorado. Com este índice, se o pleito fosse hoje e dependesse somente dos votos de Cuiabá, o ex-procurador da República seria eleito senador e diplomado junto com Maggi.
Em agosto, na primeira rodada de pesquisa na Capital, o pedetista tinha 17% dos votos e cresceu, portanto, 12 pontos percentuais. Em 17 dias de intervalo, Taques saltou da terceira posição para a segunda.

Já Antero Paes de Barros (PSDB) estava com 31% da preferência dos cuiabanos, era o segundo lugar e agora, com 24%, ocupa a quarta colocação. Sete pontos percentuais foram perdidos pelo tucano.

A dança dos números para a segunda vaga ao Senado mexeu ainda com o candidato petista, Carlos Abicalil, da mesma coligação de Blairo Maggi. Abicalil manteve o mesmo terceiro lugar. De 23%, passou a 25%, 2 pontos de crescimento. Mas a distância entre ele e Antero é muito próxima e está clara a condição de empate dentro da margem de erro definida em 4% a mais ou a menos.
Para alcançar este resultado, o Gazeta Dados entrevistou 500 pessoas de 106 bairros, divididos em 4 regiões. O perfil do eleitor mostra que 52% são mulheres e 48% homens; 44% tem o ensino fundamental e 31% idade acima de 45 anos. Praticantes do catolicismo (62%), elas (69%) recebem 5 salários mínimos por mês. No TRE/MT, a pesquisa está registrado sob o número 31.973/2010.
O desempenho de Taques pode ser atribuído à forma como vendo sendo conduzida a sua campanha. Com o mote principal de desmoralização da classe política como um todo, o pedetista vem conquistando votos junto ao eleitorado jovem, universitários e aos formadores de opinião.
Taques, em tom professoral no rádio e na televisão, dá ênfase aos vícios da “velha política” permeada pela impunidade, injustiça, corrupção, foro privilegiado, imunidade parlamentar, etc. Entretanto enquanto conquista eleitores na Capital, o ex-procurador da República pode ter dificuldades para avançar no interior do Estado, onde os chamados “coronéis” dominam os “seus currais eleitorais”, influenciando fortemente o eleitorado.
Como opção para uma análise mais profunda dos eleitores, o Gazeta Dados faz simulações sobre as declarações para o 1º e 2º votos ao Senado. Maggi, por exemplo, que atinge 60% na média, teria 47% da votação para a 1ª opção e, somente, 13% na 2ª.
Taques ficaria com 12% e 17% dos votos para a 1ª e 2ª vaga, respectivamente. Abicalil receberia 8% no 1º voto e, 17%, para o 2º. Antero atingiria 11% e 13%, relativos à 1ª e 2ª vaga. Um outro fator a ser considerado vem com os indecisos que, para a 1ª opção de candidato, somam 12%, mas em relação a 2ª somam 23%.
Dos principais candidatos, Pedro Taques tem um dos menores índices de rejeição. Pedetista e Naildo Lopes (PV) possuem 3%. São acompanhados de perto pelo Procurador Mauro (PSOL) com 4%. Jorge Yanai (DEM) chega a 5% e Maggi (PR) 6%. Abicalil (PT) e Antero (PSDB) detêm os percentuais maiores de rejeição, com 10% e 15%.
Fonte: A Gazeta
Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

>Pesquisa Datafolha aponta Dilma com 50% e José Serra com 28%

Posted on setembro 4, 2010. Filed under: Datafolha, Dilma Rousseff, eleições 2010, Indecisos, José Serra, Marina Silva, pesquisa Datafolha, pesquisa eleitoral, pesquisa espontânea |

>

Eleições 2010 – Mais um instituto divulgou pesquisa eleitoral para presidente da república, o Datafolha. A pesquisa foi feita entre os dias 2 e 3 de setembro, com 4.314 eleitores em 203 cidades.

Os números mostra estabilidade no quadro eleitoral: Dilma Rousseff (PT) oscilou de 49% para 50% em uma semana, e José Serra, que estava com 29%, tem 28%. Marina Silva (PV) oscilou de 9% para 10%, em relação a semana anterior.
 
Os que pretendem votar em branco, nulo ou nenhum são 4%. E 7% estão indecisos. Candidatos de partidos pequenos não chegam a 1%.
Em capitais e regiões metropolitanas ocorre o melhor desempenho de Marina Silva. Ela chega a 14%, contra 27% de Serra e 47% de Dilma. 
Marina Silva tem um desempenho bem melhor nas capitais e regiões metropolitanas, onde aparece com 14%, José Serra 27% e Dilma 47%.
Se a eleição fosse hoje, pelo Datafolha, a candidata do PT venceria no primeiro turno. Teria mais de 50% dos votos válidos, os dados apenas aos candidatos, descontados os brancos e os nulos.
Nessa conta de votos válidos, Dilma tem 56%. Serra tem 32%. Marina vai a 11%. Os percentuais são semelhantes aos da semana passada: 55%, 33% e 10%.
Num eventual segundo turno, a petista também venceria o tucano por 56% a 36% dos votos. Haveria 5% votando em branco, nulo ou nenhum e 4% ainda indecisos.
Espontânea
Na pesquisa espontânea, quando os entrevistados falam em quem desejam votar sem ver uma lista de nomes, 38% afirmou votar em Dilma, contra 35% na semana passada.
Serra oscilou apenas dentro da margem de erro na sondagem espontânea, indo de 18% para 19%. Marina saiu de 5% e foi a 6%.
Há outros dois indicadores relevantes que foram positivos para Dilma: a taxa de rejeição dos candidatos e a percepção de vitória por parte do eleitorado. A petista é rejeitada por 21% dos eleitores. Tinha 19% na semana passada.
Já Serra, era rejeitado por 24% em julho. Foi a 28% no começo de agosto. Agora, 31% dizem que não votariam no tucano de jeito nenhum.
Marina Silva é rejeitada por 17%, tinha 16% na semana passada.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Pesquisa Ibope aponta Dilma com 51%, Serra 27% e Marina 8%

Posted on setembro 4, 2010. Filed under: Dilma Rousseff, Indecisos, instituto Ibope, José Serra, Marina Silva, pesquisa eleitoral, Pesquisa Ibope |

>

Nova pesquisa eleitoral divulgada pelo instituto Ibope, que ouviu 3010 pessoas, em 240 municípios entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro de 2010, com margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, tanto para o 1º quanto para o 2º turno. A pesquisa está registrada no TSE sob o número 27597/2010, apontou os seguintes resultados:
Dilma Rousseff……………………… 51%
Marina Silva…………………………..   8%
José Serra……………………………. 27%
Outros candidatos…………………   1%
Brancos e nulos…………………….   6%
Indecisos………………………………   7%
Em linhas gerais Dilma Rousseff, manteve os 24 pontos de vantagem à frente do seu principal adversário, o candidato tucano José Serra.
 Candidatos: Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva
Simulação de segundo turno
Numa simulação de segundo turno, a candidata do PT venceria com 55% dos votos contra 33% do candidato tucano. Neste cenário, brancos e nulos, 6%, e indecisos, 5%.
Rejeição
José Serra é o presidenciável com maior índice de rejeição: 26% dos entrevistados disseram que não votariam de jeito nenhum no tucano. Dilma aparece com 19% de rejeição e Marina, com 15%. Entre os entrevistados, 10% disseram que poderiam votar em todos e 19% não quiseram ou souberam responder.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>A 30 dias das eleições José Serra aposta na virada e Dilma crê que tem "luz própria"

Posted on setembro 3, 2010. Filed under: Datafolha, Dilma Rousseff, horário eleitoral, intenções de voto, José Serra, Marina Silva, pesquisa eleitoral, virada |

>

Na disputa polarizada entre duas candidaturas, José Serra (PSDB) viu seu nome deixar a dianteira e, hoje, luta pelo segundo turno. Dilma Rousseff (PT) despontou na garupa da alta popularidade de Lula, até aqui, a principal arma petista. Já Marina Silva (PV) estacionou nas intenções de voto
Na disputa polarizada entre duas candidaturas, José Serra (PSDB) viu seu nome deixar a dianteira e, hoje, luta pelo segundo turno. Dilma Rousseff (PT) despontou na garupa da alta popularidade de Lula, até aqui, a principal arma petista. Já Marina Silva (PV) estacionou nas intenções de voto
Na disputa polarizada entre duas candidaturas, José Serra (PSDB) viu seu nome deixar a dianteira e, hoje, luta pelo segundo turno. Dilma Rousseff (PT) despontou na garupa da alta popularidade de Lula, até aqui, a principal arma petista. Já Marina Silva (PV) estacionou nas intenções de voto
Apenas um mês separa o futuro presidente do Brasil de sua consagração pelas urnas, e o desempenho do atual ocupante do cargo, até agora apontado como decisivo para efetivar Dilma Rousseff (PT) como a primeira mulher a ocupar a Presidência, não deve mais ser o único fator a impulsionar a ascensão da candidata, que se delineia desde o fim de maio. O adversário José Serra (PSDB), por sua vez, enfrenta as dificuldades de uma campanha que agora aposta em uma virada nas urnas, feito considerado improvável diante da atual conjuntura.
Em quase três meses de campanha, em uma disputa polarizada entre as duas candidaturas, Serra viu seu nome deixar a dianteira e, hoje, luta pelo segundo turno. Já Dilma despontou na garupa da alta popularidade de Luiz Inácio Lula da Silva, até aqui, a principal arma petista para se manter no poder. “Sempre que Dilma apareceu junto a Lula de forma massiva, ela mudou de patamar. A aprovação recorde de Lula é o pano de fundo dessa eleição”, afirma Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha.
Segundo Paulino, a influência de Lula foi reforçada junto ao eleitor graças à televisão, o meio de comunicação mais presente na vida dos brasileiros, com o início da propaganda eleitoral gratuita e da cobertura dos candidatos pelos telejornais. “Chamamos de disparada, mas é um crescimento contínuo, que até aqui foi constante em todos os seguimentos, em todos os setores. Dilma cresceu inclusive nos redutos tradicionais de Serra, como São Paulo e a região Sul”, diz.
Avaliação semelhante tem o cientista político Claudio Couto, da PUC-SP. “É super nítida a subida da Dilma, mas ela é resultado de uma continuidade, essa subida já vinha acontecendo há muito tempo. A entrada da televisão na campanha acentua esse processo. E esse crescimento era previsível porque ela é a candidata de um governo extremamente popular, na figura do presidente Lula”, avalia.
A virada
No dia 25 de maio, o Datafolha mostrou pela primeira vez um empate técnico entre os então pré-candidatos. Em agosto, após o início da propaganda na TV, não só Dilma estava isolada nas pesquisas, como a percepção do eleitor era a de que a candidata seria eleita. Naquele mês, Dilma cresceu em todos os Estados, e Serra só mantinha a liderança no Sul. A vantagem passou existir inclusive no segundo maior colégio eleitoral do país, a Minas Gerais daquele que recusou a oferta de vice do tucano, o aspirante ao Senado Aécio Neves.
Em uma estratégia definida por petistas como errática, Serra mudou o tom. Engrossou as críticas, sem atacar diretamente Lula. E até mudou o slogan da campanha. “O Brasil pode mais” tornou-se “É a hora da virada”. A aparição de Lula em eventos públicos com Serra chegou a ser explorada pela sigla, sob a voz de um locutor que defendia: “Serra, a vivência que a Dilma não tem”. O reflexo nas pesquisas, porém, não veio.
“Luz própria”
O principal motivo, segundo Paulino, é o de que a imagem de Lula, por si só, não transmite votos. “Com o horário eleitoral gratuito, Dilma ganhou voz e passou a ter uma identidade própria. Essa fase de associação a Lula está esgotada. Hoje, ela é considerada pelo eleitor como a candidata à Presidência, e não mais a candidata do presidente. Ela já se afirma com uma luz própria”, avalia.
Tanto a presença maciça de Lula não garante votos automáticos, que seu candidato em SP, Aloisio Mercadante (PT), deve perder no primeiro turno para Geraldo Alckmin (PSDB). O tucano, que junto de Serra protagonizou um racha na sigla do pleito de 2006, por sua vez, não fez questão de mostrar o companheiro de partido em sua campanha, permitindo a ascensão de Dilma inclusive onde o PSDB deve ter sua maior vitória.
A presença na televisão também se mostrou ineficaz desatrelada de outros fatores. A candidata Marina Silva frustrou as expectativas do PV, que contava com um crescimento automático após as aparições de sua representante em cadeia nacional. A candidata praticamente não oscilou desde que as inserções tiveram início.
Para Couto, soma-se a isso o que chama de “campanha catastrófica”. “Seria difícil conter a escalada de Dilma, mas a queda de Serra se deve ao caráter errático e ambivalente dessa campanha, inclusive com perda de votos do tucano para a petista. É uma candidatura que se apresenta ao mesmo tempo como lulista e com um discurso de direita. É contraditório, difícil de o eleitor acreditar”, afirma.
Nova virada?
Ainda que Dilma tenha um crescimento considerado constante, para Paulino, é difícil prever o desenrolar das pesquisas, mas, segundo ele, é improvável que o quadro se reverta até o dia 3 de outubro. Há ainda, no entanto, um alento à esperança tucana de conseguir impedir uma derrota de primeira. “Em 2006, Lula tinha uma vantagem sobre Alckmin quando surgiu o escândalo dos aloprados [a suposta compra de um dossiê contra Serra por petistas em SP], e o tucano conseguiu tirar alguns votos e levou para o segundo turno”, afirma.
O ponto contra é a atual popularidade do presidente que, até então, não era tão alta. “Hoje é mais difícil, porque Lula dá esse respaldo a sua candidata. E o voto dela é o mais consolidado. Mas esse problema com a Receita Federal está tomando conta das manchetes. Precisa ver se isso se reflete nas próximas pesquisas”, aponta.
Já Claudio Couto é tácito. “Serra só vai ganhar se descobrirem que Dilma está envolvida na morte de Eliza Samudio [ex-amante do goleiro Bruno].”
A próxima pesquisa eleitoral Datafolha será divulgada neste sábado (4). Na mais recente, Dilma aparece com 49% das intenções de voto, contra 29% de Serra (margem de erro de dois pontos). A pesquisa foi publicada no dia 26 de agosto. 
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Ibope aponta liderança de Dilma com 51% e Serra com 27.

Posted on agosto 28, 2010. Filed under: Brasil, Dilma Rousseff, eleição presidencial, eleições 2010, Ibope, José Serra, Liderança, Lula, Marina Silva, pesquisa eleitoral |

>

Eleições 2010 – Cumprindo o calendário pré definido pelos instituto de pesquisa, em relação a eleição presidencial, o Ibope divulgou neste sábado, 28 de agosto. A pesquisa eleitoral foi contratada pelo jornal Estadão e a Rede Globo.

Os números são favoráveis a Dilma Rousseff que chegou a 51% das intenções de voto, José Serra caiu para 27% e Marina Silva oscilou negativamente para 7%.

Em relação a pesquisa anterior Dilma cresceu 8 pontos percentuais.
Serra caiu 5 pontos percentuais.

Coincidentemente Dilma equipara com o criador de sua candidatura, o presidente Lula. Na época, no primeiro turno, o então candidato petista teve 59% dos votos válidos como teto nas pesquisas.  

Regionalização dos votos.

Dilma conseguiu ultrapassar Serra em São Paulo (42% a 35%) e tem o dobro de votos do adversário (51% a 25%) em Minas Gerais – respectivamente primeiro e segundo maiores colégios eleitorais do País.

No Rio de Janeiro, terceiro Estado com a maior concentração de eleitores, a candidata do PT abriu nada menos do que 41 pontos de vantagem em relação ao tucano (57% a 16%).

Dilma registra a liderança mais folgada no Nordeste, onde tem mais que o triplo de votos do rival (66% a 20%%). No Sudeste, ela vence por 44% a 30%, e no Norte/Centro-Oeste, por 56% a 24%.

A Região Sul é a única em que há empate técnico: Dilma tem 40% e Serra, 35%. A margem de erro específica para a amostra de eleitores dessa região chega a cinco pontos porcentuais. Mas também entre os sulistas se verifica a tendência de crescimento da petista: ela subiu cinco pontos porcentuais na região, e o tucano caiu nove.

A pesquisa mostra que 57% dos eleitores já assistiram a pelo menos um programa do horário eleitoral.
Segundo o Ibope, 50% dos brasileiros preferem votar em um candidato apoiado pelo presidente, e 9% tendem a optar por um representante da oposição.

Do total do eleitorado, 88% sabem que Dilma é a candidata de Lula.

O governo do presidente é considerado ótimo ou bom por 78% dos brasileiros. Outros 4% consideram a gestão Lula ruim ou péssima

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Datafolha aponta Dilma com 49% contra 29 de Serra

Posted on agosto 26, 2010. Filed under: Datafolha, Dilma, eleições 2010, espontânea, Marina, pesquisa eleitoral, segundo turno, Serra |

>

Eleições 2010 – Pesquisa eleitoral realizada pelo instituto Datafolha nos dias de 23 e 24 de agosto com 10.948 entrevistados em todo Brasil indica crescimento da candidatura da ex-ministra do governo Lula, Dilma Rousseffet e queda do princial adversário José Serra.

A candidata da coligação Para o Brasil Continuar Mundando, Dilma Rousseffet, manteve a tendêndia de crescimento e chegou a 49% das inten;cões de voto. Enquanto o candidato da coligação o Brasil Pode Mais, José Serra, oscilou negativamente e aparece com 29%. Mariva Silva manteve-se estabilizada com 9%.

Mudanças significativas ocorreram na principal base de José Serra, o estado de São Paulo, onde na última pesquisa do instituto ele tinha 41% das intenções de voto, agora é a ex-ministra que aparece com 41% enquanto ele cai para 36.

Houve alteração também no Rio Grande do Sul, a petista saiu de 35% e foi a 43%. Já Serra caiu de 43% para 39% entre os gaúchos.

É importante ressaltar que a margem de erro máxima da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Todas as oscilações nacionais se deram dentro do limite.

Na pesquisa anterior, realizada no dia 20, Dilma tinha 47% e foi a 49%. Serra estava com 30% e agora tem 29% Marina Silva (PV) manteve-se em 9%. Há 4% que dizem votar em branco, nulo ou em nenhum. E 8% estão indecisos. Os demais candidatos não pontuaram.

Segundo turno

Num eventual segundo turno, Dilma Saiu de 53% na semana passada e está com 55%. Serra oscilou de 39% para 36%. Ampliou-se a distância, que era de 14, para 19 pontos.

Já quanto a taxa de rejeição, Dilma é rejeitada por 19% dos eleitores, taxa que se mantém estável desde maio.

Já Serra está agora com 29% (eram 27% semana passada) e chega a seu maior percentual neste ano.

Espontânea
Na pesquisa espontânea, quando os eleitores não escolhem os nomes de uma lista de candidatos, Dilma foi a 35% contra 18% de Serra.

Na pesquisa anterior, os percentuais eram 31% e 17%, respectivamente.

A pesquisa está registrada no TSE sob o número 25.473/2010.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleições 2010: Instituto Mark apresenta nova pesquisa com Silval Barbosa em primeiro

Posted on julho 27, 2010. Filed under: Bom Dia Mato Grosso, eleições 2010, instituto Mark, Mauro Mendes, pesquisa eleitoral, RDNews, Silval Barbosa, TRE MT, Wilson Santos |

>O Blog RDNews, do jornalista Romilson Dourado, acaba de divulgar pesquisa eleitoral onde o governador Silval Barbosa (PMDB) ganhou um ponto percentual nos últimos 30 dias e mantem liderança na disputa à reeleição, enquanto o ex-prefeito de Cuiabá Wilson Santos (PSDB) perdeu três pontos. Já o empresário Mauro Mendes (PSB) subiu dois pontos e continua na terceira colocação. É o que revela a nova pesquisa estimulada do instituto Mark, realizada em parceria com o RDNews, entre 21 e 25 deste mês. Esta é a primeira amostragem divulgada em Mato Grosso sobre intenções de voto para o Palácio Paiaguás após as convenções e a quarta do mesmo instituto feita em âmbito estadual neste ano.

    
Nesta pesquisa estimulada com os quatro concorrentes, feita a praticamente dois meses do pleito, o nome de Silval aparece com 38,3% das intenções de voto. Ele ganhou um ponto se comparado à amostragem do mês passado. O peemedebista conseguiu recuperar o bom desempenho que tinha sido registrado em maio. Enquanto isso, Wilson está com 24,3%. Perdeu 2,8 pontos percentuais no intervalo de um mês. Em junho, figurava com 27,1%. O melhor percentual alcançado pelo candidato tucano neste ano se deu em abril, quando estava com 30,2%, empatado literalmente com Silval. Nesta época, Wilson já havia deixado o cargo de prefeito da Capital, enquanto Silval acabara de assumir a cadeira de governador.
   
Segundo a pesquisa, Mendes conta hoje com 18%. Ele cresceu praticamente 2 pontos em um mês. Foi o que registrou maior ascensão nas intenções de voto. Em junho, detinha 16,1%. O candidato do PSOL, administrador Marcos Magno (PSOL), segura a lanterna, com somente 0,4%. Os indecisos somam 17%. Se as eleições fossem hoje, 1,9% votaria em branco ou anularia o voto.
    
Os pesquisadores ouviram 1.138 eleitores durante os cinco dias deste mês em 49 municípios, distribuídos em 9 regiões (Baixada Cuiabana, Sul/Leste, Oeste, Médio-Araguaia, Baixo-Araguaia, Noroeste, Norte, Extremo-Norte e Médio-Norte). A margem de erro é de 3% para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no TRE-MT, sob protocolo 22.960.

Como nas pesquisas anteriores o Mark continua apresentando o candidato a governador Silval Barbosa com ampla vantagem em relação aos demais candidatos. Outros institos apresentam números bem diferentes.

O Bom Dia Mato Grosso publica todos deixando seu leitor fazer juízo sobre os números dos institutos de pesquisa.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Pesquisa Datafolha com 10.905 entrevistados aponta Serra com 37%, Dilma 36% e Marina 10%

Posted on julho 24, 2010. Filed under: Datafolha, Dilma, Marina, pesquisa Datafolha, pesquisa eleitoral, Serra |

>Na terceira semana oficial da campanha, José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) seguem empatados na corrida presidencial. O tucano está com 37% contra 36% de Dilma, mostra o Datafolha.

A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 23, com 10.905 entrevistas em todo o país. A margem de erro é de dois pontos, para mais ou para menos.

Na última pesquisa, de 30 de junho e 1º de julho, Serra havia registrado 39%, contra 37% de Dilma. Ambos oscilaram negativamente, mas dentro da margem de erro.

Marina Silva (PV) tinha 9% e agora foi a 10%. Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) pontuou pela primeira vez nesta eleição, marcando 1%. A opção brancos/nulos/nenhum somam 4%, enquanto 7% não sabem.

Zé Maria (PSTU) também tem 1%. Outros quatro candidatos de partidos pequenos que concorrem a presidente foram incluídos na pesquisa, mas não atingiram 1%.

O Datafolha continua a captar uma estabilidade no número de eleitores indecisos ou que votam em branco ou nulo: 4%, o mesmo percentual do último levantamento. Os indecisos são 10%, contra 9% no levantamento anterior.

Numa simulação de segundo turno, o cenário repete o de maio, com Dilma numericamente à frente de Serra, mas dentro da margem de erro: a petista tem 46% contra 45% do tucano.

ESPONTÂNEA
Na pesquisa espontânea, quando o entrevistado responde em quem pretende votar sem ver a lista de candidatos, o resultado é favorável a Dilma Rousseff.

Ela tem 21% e se manteve estável em relação aos 22% da outra pesquisa. Já Serra tinha 19% e recuou para 16%.

A petista também tem potencialmente a seu favor as respostas dos 4% que declaram querer votar no presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Outros 3% respondem ter intenção de escolher o “candidato do Lula” e 1% quer um “candidato do PT”.

Na sondagem sobre intenção de voto espontânea, os indecisos são 46%, contra 42% no início do mês. Marina Silva (PV) tem melhorado sua marca lentamente: 2% em abril, 3% em maio e junho, e, agora, foi a 4%.

Há também um quadro de poucas mudanças na rejeição dos candidatos. Os que não votariam no ex-governador “de jeito nenhum” são 26% (eram 24% da última pesquisa).

Dilma tem 19% (antes o percentual era 20%). Entre os candidatos mais competitivos, Marina é a menos rejeitada (apenas 13%).

Na divisão do voto por regiões do país, não houve também inversão de posições. O tucano lidera no Sul e no Sudeste. Dilma ganha no Nordeste e no Norte/Centro-Oeste.

Fonte: http://www.folha.uol.com.br

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

« Entradas Anteriores

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...