polícia

>Cuba vai demitir meio milhão de funcionários públicos até 2011

Posted on setembro 14, 2010. Filed under: agricultura, construção, Cuba, demitir, Educação, empregos, Fidel Castro, funcionários públicos, polícia, Raúl Castro, Sindicato |

>

Foto: / Reuters

Cuba vai eliminar mais de meio milhão de empregos até o primeiro trimestre de 2011, numa tentativa de elevar a produtividade e tornar sua economia mais eficiente, anunciou nesta segunda-feira o sindicato único de trabalhadores, em uma das mudanças de rumo mais importantes decidida pelo governo em décadas.
O presidente cubano, Raúl Castro, anunciou em abril um plano que prevê a demissão de mais de 1 milhão de funcionários públicos nos próximos cinco anos, como parte de suas reformas moderadas para melhorar a produtividade do trabalho e elevar a qualidade dos serviços.
“Dentro do processo de modernização do modelo econômico e das previsões da economia para o período de 2011-2015, está prevista a redução de mais de 500 mil trabalhadores do setor estatal”, disse a Central de Trabalhadores de Cuba.
“O calendário para a execução do plano foi traçado pelos organismos e empresas até o primeiro trimestre de 2011”, acrescentou a central, em texto publicado pela imprensa local.
O Estado é o maior empregador em Cuba, e a decisão de eliminar 20 por cento de sua força de trabalho deixa muitos trabalhadores na incerteza em relação a seu futuro.
O governo assegurou que ninguém ficará desamparado e ofereceu recolocar os funcionários excedentes em outros setores que historicamente são deficitários de mão-de-obra no país, como a agricultura, a construção, a educação e a polícia, entre outros.
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Polícia busca conhecido da família suspeito de matar cartunista Glauco e filho

Posted on março 12, 2010. Filed under: cartunista, cartunista Glauco, Glauco, polícia |

>

Geraldão e sua turma

Geraldão e sua turma
A Polícia de Osasco, na Grande São Paulo, procura o suspeito de matar o cartunista Glauco e o filho, Raoni Villas Boas, na madrugada de hoje. Ele foi identificado como Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, um conhecido da família. Segundo a investigação, o suspeito atirou contra Glauco e Raoni durante uma discussão. A polícia também tenta localizar duas pessoas que teriam ajudado na fuga do assassino.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Maceió: presidente da Câmara arranca pedaço a orelha de vereador a dentada

Posted on dezembro 26, 2009. Filed under: IML, Maceió, mordida, orelha, polícia |

>

Alagoas 24 Horas
Foto
CORINTHO TEVE PARTE DE SUA ORELHA ARRANCADA
HOLANDA: DENTES AFIADOS.

O presidente da Câmara Municipal de Maceió, Dudu Holanda (PMN), e o vereador Paulo Corintho (PDT) estiveram na manhã desta sexta-feira, 25, na Central de Polícia, em Maceió, para prestar queixa de agressão física, acusando-se mutuamente pelo início de uma briga no Espaço Pierre Chalita, nesta madrugada, durante confraternização natalina. Corintho teve parte da orelha arrancada com a mordida de Holanda, que nega a agressão. Ambos foram até o Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo de delito. O caso será investigado pela delegada Aureni Moreno. Holanda, que saiu da briga com escoriações no braço e na testa, afira ter sido agredido primeiro por Corintho com um soco nas costas e reagiu. Corintho conta outra história. Diz ter sido empurrado por Holanda, que também o agrediu e tentou arrancar sua orelha a dentada. Corintho afirmou que vai ao Ministério Público denunciar irregularidades na presidência da Câmara de Maceió, como a falsificação da assinatura dele e de duas vereadoras num documento.

Foto

Fonte: http://www.claudiohumberto.com.br

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Homem deixou bilhete e ligou para mãe antes de jogar filho e pular de prédio em SP

Posted on novembro 18, 2009. Filed under: Chácara, delegado, polícia, zona sul |

>

Um consultor de 30 anos jogou o filho –de 2 anos– do alto de um prédio na zona sul de São Paulo e, em seguida, pulou, na manhã desta quarta-feira –ambos morreram na hora. Para a Polícia Civil, há indícios de que ele tenha planejado a ação porque deixou ontem um bilhete para a ex-mulher e hoje telefonou para a mãe, para pedir desculpas por algo que tivesse causado sofrimento a ela. Também teria telefonado a colegas e afirmado que poderia fazer uma “besteira”, de acordo com o delegado Carlos Henrique Fabrini, plantonista 16º DP.

Por volta das 10h, o consultor foi ao apartamento onde morava o filho, no quinto andar de um prédio de classe média alta localizado na rua Correia de Lemos, Chácara Inglesa. A babá, que estava com o menino na ocasião, disse à polícia que deixou pai e filho sozinhos para ir à lavanderia; quando voltou, viu ambos entrando no elevador e pensou que desceriam, mas o pai subiu com o menino até o último andar –18º–, de onde jogou a criança e pulou.

De acordo com o delegado, ontem o consultor deixou um bilhete dizendo que amava a ex-mulher e desejava a ela um bom plantão –ela trabalha em um hospital. Nesta quarta, ele telefonou para a mãe e disse que nunca teve a intenção de magoá-la.

O delegado afirmou que o menino era filho único, mas não soube dizer há quanto tempo o casal estava separado. A mãe, emocionalmente abalada, não foi à delegacia.

O carro usado pelo consultor foi apreendido. A polícia instaurou inquérito e já selecionou testemunhas para serem ouvidas –entre elas vizinhos, colegas e familiares. Ainda não há confirmação de quando ocorrerão os depoimentos. Fonte: Folha Online

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Quem se importa?

Posted on outubro 26, 2009. Filed under: bandidos, Jardim Botânico, Mercedes-Benz, polícia, Polícia Federal, violência |

>

“Eu queria é que entendêssemos a queda do helicóptero como sendo o nosso 11/9”. (José Beltrame, secretário de Segurança)

“Que semana infernal, não?” perguntei por telefone a uma amiga que mora no Jardim Botânico, no Rio. “Exagero. Circulei livremente e não ouvi um tiro”, respondeu. De Vila Isabel, outro amigo me disse: “Fora a queda do helicóptero da polícia não aconteceu nada de extraordinário”. E a morte do cara do Afro Reggae? “Todo dia morre gente”.


Eu estava no Rio quando foi assassinada em 22 de novembro de 2006 a socialite Ana Cristina Giannini Johannpeter. Ela dirigia sua caminhonete blindada Mercedes-Benz e parou diante do sinal fechado na esquina da Rua General San Martin com Avenida Afrânio de Melo Franco, no Leblon, a cerca de 150 metros da 14ª Delegacia de Polícia. Cristina baixou o vidro para fumar.


Dois bandidos, que estavam em uma bicicleta, encostaram-se ao carro e um deles apontou para Cristina um revólver calibre 38, ameaçando-a: “Eu não quero o carro. Só as suas coisas”. Cristina entregou a bolsa, o celular e ao se preparar para tirar o relógio do pulso, tirou sem querer o pé do freio. Como o carro era hidramático, movimentou-se sozinho. O bandido atirou na cabeça de Cristina.


Fiz uma ronda por bares e restaurantes do Leblon na noite do dia seguinte. O assassinato de Cristina era o assunto na maioria deles. Mas para meu espanto, ouvi repetidas censuras ao comportamento da morta. Como uma milionária dirigia o próprio carro? Como não havia seguranças ao seu lado? Por que baixou o vidro? Como pôde ser tão descuidada a ponto de tirar o pé do freio?


A sociedade carioca está sedada pela violência que fez 46 mortos em apenas uma semana. O número de favelas cresceu de 750, em 2004, para 1.020 neste ano. Cerca de 500 são controladas pelo tráfico. Quem o sustenta é quem tem dinheiro. E quem tem dinheiro mora no asfalto. A violência é o pedágio que os cariocas pagam aparentemente conformados para que uma parte deles possa continuar se drogando.


O noticiário costuma informar: “A polícia invadiu o morro tal”. Como se os morros fossem territórios independentes da cidade, dotados de governos próprios que mantêm relações econômicas com outros países do continente, a exemplo da Bolívia, Paraguai e Colômbia. E de certa forma é o que eles são. Nessas áreas de escandalosa exclusão social, a presença do Estado é rarefeita ou inexistente.


Compete à Polícia Federal combater o narcotráfico. Quantas vezes ela foi vista escalando morros? Compete ao governo federal vigiar as fronteiras do país. É ridículo o número de policiais ocupados com a tarefa. Faltam equipamentos e gente para fiscalizar o desembarque de cargas nos portos. Até agosto, para modernizar sua polícia, o Rio só havia recebido R$ 12 milhões dos quase R$ 100 milhões prometidos pelo governo federal.


Adiantaria ter recebido mais? Em 2009, estão previstos investimentos de R$ 421 milhões na segurança pública do Rio. Só foram liquidados R$ 102 milhões até agora 24,2% do total. Em três anos de governo Sérgio Cabral, o total de investimentos em segurança deverá ser de R$ 804.818,00. De fato, não mais do que 40% dessa grana já foram aplicadas. O governo se cala a respeito.


Vez por outra, sob o impacto de algum episódio mais brutal, contingentes cada vez menores de cariocas vão às ruas pedir paz. O poder público responde com invasões temporárias de morros, a morte de bandidos ou de meros suspeitos, a apreensão de armas e o afastamento de policiais corruptos. Quando um capitão libera um assassino em troca de uma jaqueta e de um par de tênis é porque a instituição à qual pertence apodreceu.


O problema do Rio não é de paz é de enfrentamento. A situação de insurgência só se agravou com o descaso dos governos e a arraigada cultura local de tolerância com a malandragem e o banditismo. O Estado brasileiro carece de um plano consistente, amplo e ambicioso para salvar o Rio. E o que é pior: os cariocas parecem não se importar muito com isso.

Autor: Ricardo Noblat – E-mail para esta coluna: noblat@oglobo.com.br Blog do Noblat: www.oglobo.com.br/noblat

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Lula compara policiais a Deus

Posted on agosto 28, 2009. Filed under: conferência, Lula, polícia, segurança |

>

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comparou policiais a Deus em discurso na abertura da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública, realizada em Brasília nesta quinta-feira (27).

“Tem muita gente que é ateu, mas só acredita em Deus quando está em perigo. Com a polícia é a mesma coisa”, disse Lula.

O presidente fez um discurso de 17 minutos antes de embarcar para Bariloche, na Argentina, onde participará da Unasul (União de Nações Sul-Americanas).

Em um auditório repleto de profissionais da área, Lula defendeu estímulos à segurança pública, elogiou o trabalho do ministro da Justiça, Tarso Genro, e defendeu a remuneração alta de policiais, sem, contudo, apresentar qualquer proposta concreta.

Tarso fala de integração das polícias
Na conferência, que termina no domingo (30), Tarso Genro afirmou que deverá dar destaque à avaliação de questões relativas às funções e à natureza das polícias Militar e Civil e à possível integração de ambas.

O ministro descartou a hipótese de que os participantes cheguem a um consenso e façam constar, entre as 40 diretrizes e 10 princípios que irão compor o documento final da conferência, uma proposta definitiva sobre o tema.

“Essa questão vem da década de 1980, e a conferência não vai resolvê-la. Não há consenso sobre a integração, mas a discussão sobre as funções e sobre a natureza de ambas as polícias [deverá sobressair]. Nós, entretanto, não vamos valorizar essa controvérsia, porque não iremos resolvê-la”, afirmou Tarso Genro, durante café da manhã com jornalistas, hoje (27), no ministério.

Ao elogiar a atual estrutura policial brasileira, o ministro disse que os países “com os mais modernos projetos de segurança pública” respeitam as especificidades de suas polícias e que a ideia de uma única força, desmilitarizada, está “superada”.

“Nós temos a opinião de que a estrutura mais geral de polícia, com a existência das PMs e da Polícia Civil, pode ser muito melhorada, mas é boa. Até porque o Brasil é um país continental, com uma relação federativa de alta complexidade, e Estados com um bom grau de autonomia. Então, é preciso fazer uma adequação destas teses à nossa realidade”, disse o ministro.

A ampliação do processo de integração entre as polícias está entre as “apostas centrais” do ministério para a conferência, bem como a discussão sobre novas formas de financiamento para a segurança pública, aspecto que o ministro também diz ter melhorado nos últimos anos, embora os recursos “continuem sendo insuficientes”.

Ele pediu a ajuda da imprensa no sentido de “desmitificar” a conferência, para evitar que a sociedade crie falsas expectativas sobre os objetivos e o real alcance do evento, cujo objetivo é dar início a um processo de mudança.

Para que tal processo seja efetivo, são necessárias “duas gestões, ou dez anos, pois [isso] exige mudanças institucionais, culturais, nos padrões de financiamento do setor e nos salários dos servidores da área”.

“Às vezes, joga-se sobre a conferência uma luz e uma expectativa e depois se diz que a conferência não resolveu tal questão. Não é esse o objetivo da conferência. Seu objetivo é propor outro padrão de elaboração de políticas públicas de segurança e iniciar um processo de mudança, o que estamos certos de que irá ocorrer. A conferência inicia um processo de transição, cujos contornos serão trabalhados em conferências posteriores.”

Fonte: UOL

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Ex-secretário Antenor comete suicídio em MT

Posted on julho 18, 2009. Filed under: morte, polícia, suicídio |

>

#fullpost{display:inline;}

Uma carta encontrada ao lado do corpo deverá auxiliar nas investigações. Nela, havia menção das denúncias que era acusado. O conteúdo não foi detalhado para a imprensa. A polícia foi acionada e fez o isolamento do local. O corpo foi velado na câmara do município e foi transladado, hoje de manhã, para Cuiabá onde residem familiares e será sepultado.

Antenor foi secretário de Governo na gestão da ex-prefeita Baiana Heller. Ele chegou a ser preso junto com os secretários de Finanças, Paulo Nissassi, e Administração, Edmar Heller, acusados de envolvimento em supostos esquemas de fraudes e desvios de recursos públicos. Na época, durante operação do Ministério Público, foram apreendidas, na prefeitura, notas frias, carimbos de empresas para esquentar licitações e documentos que comprovariam outras irregularidades.
O ex-secretário respondia processo em liberdade.

Também na época, o Ministério Público apontou que “grande parte dos devios de recursos deu-se mediante o direcionamento de licitações, superfaturamento de obras e serviços, desvio direto de recursos através de notas fiscais falsas; utilizando para tanto, toda sorte de material gráfico como notas, carimbos, papéis timbrados entre outros meios, sendo as fraudes desvendades com a operação Sumidoro”.

O ex-secretário também fez parte do antigo DENTEL – Departamento Nacional de Telecomunicações- do Ministério das Comunicações que inspecionava funcionamento de emissoras de rádios e tvs em Mato Grosso. Atualmente, prestava serviços de consultorias para empresas de comunicação no Nortão.

___
Karoline Kuhn
Fonte: Só Notícias

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...