Programa eleitoral

>Jactância paulista

Posted on agosto 24, 2010. Filed under: Alfredo da Mota Menezes, Geraldo Alckmin, José Serra, Lula, Programa eleitoral, PSDB |

> Alfredo da Mota Menezes

Chega a ser irritante o programa eleitoral do José Serra no horário gratuito da televisão. Repete quase cem por cento o de Geraldo Alckmin quatro anos atrás. É uma paulistinização da campanha.
Apresentam obras feitas em São Paulo e que vão fazê-las no plano federal. Como é que se gastam preciosos minutos mostrando uma clínica de fisioterapia e que se vai levar aquilo para o país inteiro, gente do céu?
O pior, nos dois casos, é que não se mostra a cara do PSDB. O partido marcaria seu terreno ao se posicionar perante o eleitor. O PSDB está perdendo, pela segunda vez, essa enorme chance.
O que o PSDB e a campanha do Serra deveriam fazer seria apontar os erros do governo Lula. 
Nem que perdesse a eleição. Mas marcaria sua posição. Ganharia para o futuro aqueles que fossem se desencantando com o governo petista. E isso vai ocorrer em determinado momento. Onde o eleitor iria buscar guarida?
Outro equívoco do programa do Serra é querer se mostrar simpático ao Lula e que pode ser a continuação do seu governo. É supor que o eleitor é idiota. Se for para fazer o mesmo, por que colocar no lugar um estranho ao Lula e que pode até fazer mudanças?
O marqueteiro do Serra é o mesmo do Alckmin. Ele é endeusado porque ganhou todas as eleições para governador de São Paulo com o PSDB. Mas ganhar em São Paulo é até fácil. 
Há uma história peculiar ali.
A oposição ao PSDB foi se autodestruindo eleitoralmente ao longo dos anos por corrupção e outras besteiras. O caso Paulo Maluf é conhecido. Orestes Quércia e Antonio Fleury do PMDB fizeram uma lambança no estado. O PT teve os casos do dinheiro na cueca, aloprados, mensalão. Perdeu credibilidade.
O PSDB, começando com Mario Covas, passando por Alckmin e Serra, não foi ainda acusado de atos não republicanos. Os adversários, perante um eleitorado mais esclarecido, deixaram rastros pelo caminho. Daí que ganhar eleição ali não é uma coisa difícil. Aí querem levar a “experiência” paulista para o plano nacional. Não deu e não vai dar certo.
Há uma arrogância do PSDB paulista por causa dessa superioridade naquele estado. Eles não ouvem ninguém. É, aliás, o estilo paulista com o resto do Brasil. Se São Paulo é o estado mais avançado do país, como é que gente de outros lugares pode lhes ensinar alguma coisa?
O que encabula é a indiferença do PSDB nacional em marcar posição perante o eleitorado como opção a “tudo que aí está”. Nem que perca a eleição. O PT está marcando seu território, o PSDB não quis e não quer fazer o mesmo.
Se ocorrer mais uma derrota, a terceira seguida, a coisa pode ficar feia para o futuro dessa agremiação política. Culpa dela mesma que não quis se mostrar como opção clara para o eleitorado nacional.

Alfredo da Mota Menezes – Email: pox@terra.com.br site: http://www.alfredomenezes.com

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Programa eleitoral de Wilson Santos não terá baixaria, afirma equipe de marketing

Posted on julho 30, 2010. Filed under: Amauri Teixeira, Antero Paes de Barros, Giovani Araújo, Marketing, Mato Grosso, mídia, Programa eleitoral, propostas, Wilson Santos |

>

A equipe de marketing que dirige a campanha do ex-prefeito e candidato ao Palácio Paiaguás Wilson Santos (PSDB) já adiantou que não vai ceder à baixaria que comumente é vista durante o processo eleitoral e garantiu que o tucano não vai perder seu tempo com ataques infundados dos adversários. O grupo faz parte da produtora Antecipar, de propriedade do candidato ao Senado Antero Paes de Barros (PSDB), que é também coordenador de Wilson na região do Araguaia e na Baixada Cuiabana. Mauro Camargo, considerado braço direito de Antero e também diretor da Antecipar, enfatizou que o programa eleitoral mostrará o que o concorrente fez por Mato Grosso e pela Capital, desde de que iniciou a vida política.
 Candidato a governador de Mato Grosso Wilson Santos
Quanto ao programa eleitoral de Wilson, Camargo adiantou que já está sendo produzido e que será “fechado” até a próxima semana. A mídia conta com dois apresentadores locais, um deles é o mesmo ator que participou da campanha eleitoral do tucano em 2008, Giovani Araújo. Segundo o diretor da empresa, é regra da produtora que os profissionais sejam de Mato Grosso. A única exceção é o estrategista Amauri Teixeira da MCI, de Brasília, que somará forças na tentativa de emplacar o candidato nesse pleito. “A campanha é muito dinâmica. Todos os dias surgem fatos novos, um dos motivos pelo qual não fechamos o programa do Wilson”, explicou o diretor, ao afirmar que o vídeo produzido será focado em suas propostas, que apresentam um novo rumo para Mato Grosso.
Camargo ainda destacou que o grande mote da campanha é elencar uma série de benfeitorias do candidato tucano que hoje tem sido alvo de críticas da oposição. “Essa história de que ele não cumpre promessa e um conceito maldoso e infundado e isso será mostrado durante o programa do nosso candidato. Tudo será lembrado”, enfatizou o especialista, ao garantir que Wilson é o candidato mais próximo do povo.
O segundo turno não foi descartado por Camargo, que avaliou que os candidatos da oposição são nomes forte nessa disputa e que não será tarefa fácil vencê-los, mas, por outro lado, mostrou-se otimista quanto à possibilidade de seu candidato sair vitorioso nessas eleições. “Essa história que andam comentando por aí, que não haverá segundo turno, é muito improvável, é uma bobagem”, alfinetou. Ele lembrou que as pesquisas eleitorais são uma prova de que as eleições majoritárias devem ter um novo capítulo após 3 de outubro. Também fazem parte da equipe de marketing de Wilson o diretor da antecipar Pedro Pinto, os publicitários Ricardo de Sena e Paulo Leite, além Mário Olimpio na mídia social e Júnior Brasa, dando todo suporte por meio da sua empresa Genius Publicidade.
Fonte: RDNews
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...