revista IstoÉ

>Revista ‘IstoÉ’: MPF deve denunciar Pimentel por envolvimento no mensalão do PT

Posted on março 7, 2010. Filed under: mensalão do PT, MPF, revista IstoÉ |

>

IstoÉ Foto PIMENTEL, CHEFE DA CAMPANHA DE DILMA: NA MIRA DO MPF

<!– function paginaSlideShow226465(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i<10; i++) { try { if (document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display == "") { index = i; } document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display = 'none'; document.getElementById("link_" +id+ "_" +i).style.fontWeight = ''; } catch (e) {} } switch (num) { case "+": if ((index != -1) && (index 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Os documentos sigilosos que fazem parte do processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal revelados pela revista IstoÉ, em reportagem investigativa de Hugo Marques, deixaram em alerta a base aliada do governo Lula, após a revelação de que o coordenador da campanha da ministra Dilma Rousseff à Presidência, ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, está a um passo de virar réu no processo. O Ministério Público de Minas Gerais deverá mover uma ação por improbidade administrativa contra Pimentel no primeiro semester, Segundo revela a revista em sua edição desta semana. A documentação está sob análise do ministro Joaquim Barbosa, relator do caso do mensalão do PT no STF. “Claro que a denúncia nos preocupa. Estamos em ano eleitoral e a população está muito atenta a tudo isso”, diz o presidente do PMDB mineiro, deputado Antônio Andrade, um entusiasta da participação de Pimentel em uma chapa com o ministro Hélio Costa na disputa pela sucessão de Aécio Neves.

Deputado notificará Arruda segunda

<!– function paginaSlideShow226468(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i<10; i++) { try { if (document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display == "") { index = i; } document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display = 'none'; document.getElementById("link_" +id+ "_" +i).style.fontWeight = ''; } catch (e) {} } switch (num) { case "+": if ((index != -1) && (index 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O primeiro-secretário da Câmara Legislativa, deputado Batista das Cooperativas (PRP), vai retornar à superintendência regional da Polícia Federal nesta segunda-feira (8) para notificar o governador José Roberto Arruda sobre o processo de impeachment. Arruda se recusou a assinar o documento, alegando que ele deveria ser acompanhado do inquérito 650, da PF, que motivou o processo. Segundo o advogado  Nélio Machado, “ele [Arruda] não quer fazer meia defesa. Ele quer fazer defesa plena”, disse o advogado. Após a notificação, o governador tem 20 dias para apresentar sua defesa.

 

‘Veja’ confirma denúncias deste site sobre corrupção do PT na Bancoop

Foto VACCARI, TESOUREIRO DO PT E DE DILMA: SIGILO QUEBRADO

<!– function paginaSlideShow226457(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i<10; i++) { try { if (document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display == "") { index = i; } document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display = 'none'; document.getElementById("link_" +id+ "_" +i).style.fontWeight = ''; } catch (e) {} } switch (num) { case "+": if ((index != -1) && (index 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O Ministério Público de São Paulo finalmente conseguiu pôr as mãos na caixa-preta de um dos mais espantosos esquemas de desvio de dinheiro perpetrados pelo núcleo duro do Partido dos Trabalhadores: o esquema Bancoop, aliás, revelado com exclusividade pelo site 
ClaudioHumberto.com.br desde junho de 2005. Este é o tema da reportagem de capa da revista Veja desta semana. No centro do esquema de desvio de dinheiro da cooperativa habitacional está seu ex-diretor financeiro e ex-presidente João Vaccari Neto, que acaba de ser nomeado o novo tesoureiro do PT e, como tal, deve cuidar das finanças da campanha eleitoral de Dilma Rousseff à Presidência. Pelo menos 400 famílias movem processos contra a cooperativa, alegando que, mesmo tendo quitado o valor integral dos imóveis, não só deixaram de recebê-los como passaram a ver as prestações se multiplicar a ponto de levá-las à ruína. As investigações revelam que, nas mãos de dirigentes petistas, a cooperativa se transformou num manancial de dinheiro destinado a encher os bolsos de seus diretores e a abastecer campanhas eleitorais do partido. “A Bancoop é hoje uma organização criminosa cuja função principal é captar recursos para o caixa dois do PT e que ajudou a financiar inclusive a campanha de Lula à Presidência em 2002”, afirma José Carlos Blat, o promotor que pediu à Justiça o bloqueio das contas da Bancoop e a quebra de sigilo bancário de Vaccari.

 

Sponholz

Sponholz

Arruda recebe advogado e sua mulher

Roosewelt Pinheiro/ABr Foto SOUZA: DEFESA ESTUDA AS ALTERNATIVAS DE ARRUDA.

<!– function paginaSlideShow226462(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i<10; i++) { try { if (document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display == "") { index = i; } document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display = 'none'; document.getElementById("link_" +id+ "_" +i).style.fontWeight = ''; } catch (e) {} } switch (num) { case "+": if ((index != -1) && (index 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O advogado Thiago Souza, assistente de defesa do governador afastado José Roberto Arruda, esteve com seu cliente por cerca de trinta minutos, neste sábado. À saída, ele afirmou que neste final de semana estão sendo analisadas alternativas para tentar restabelecer o “direito legítimo” de Arruda se defender em liberdade. A mulher do governador, Flávia, também esteve na superintendência regional da Policia Federal para levar o almoço do marido. Ela permaneceu no local por pouco mais de uma hora.

 

Mantega: China “só pensa em si”

Foto MINISTRO GUIDO MANTEGA

<!– function paginaSlideShow226391(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i<10; i++) { try { if (document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display == "") { index = i; } document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display = 'none'; document.getElementById("link_" +id+ "_" +i).style.fontWeight = ''; } catch (e) {} } switch (num) { case "+": if ((index != -1) && (index 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O ministro Guido Mantega (Fazenda) criticou a desvalorização artificial da moeda chinesa, promovida pelo país asiático, como prejudicial para os demais países. Segundo ele, a China “só pensa em si própria e não quer nem saber das consequências para os outros países”. Mantega afirmou que o desequilíbrio mundial do câmbio gera consequências como a perda da competitividade das demais economias “e a entrada de doenças holandesas ou chinesas”. Ele ainda informou que está levando a questão cambial às reuniões do G20 (grupo dos principais países ricos e emergentes) para que as nações cheguem a solução para o problema em conjunto.

 

BNDES destina R$ 1,2 bi para Mercedes

<!– function paginaSlideShow226390(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i<10; i++) { try { if (document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display == "") { index = i; } document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display = 'none'; document.getElementById("link_" +id+ "_" +i).style.fontWeight = ''; } catch (e) {} } switch (num) { case "+": if ((index != -1) && (index 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

A Mercedes-Benz assinou um contrato de financiamento com Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) de R$ 1,2 bilhão. Os recursos serão usados em investimentos na unidade de produção da montadora, em São Bernardo do Campo (SP). A empresa pretende expandir a capacidade de produção na fábrica, onde são produzidos caminhões, ônibus, motores, transmissões e eixos. Segundo o BNDES, “o desenvolvimento, por engenheiros locais, de novos modelos de caminhões, fortalecerá a engenharia nacional”.

 

ONU vai destinar US$ 10 mi para o Chile

topnews.in Foto BAN KI-MOON

<!– function paginaSlideShow226389(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i<10; i++) { try { if (document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display == "") { index = i; } document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display = 'none'; document.getElementById("link_" +id+ "_" +i).style.fontWeight = ''; } catch (e) {} } switch (num) { case "+": if ((index != -1) && (index 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, anunciou na última semana uma ajuda de US$ 10 milhões para a reconstrução das áreas devastadas pelo terremoto que atingiu o centro-sul do Chile no sábado passado. A mandatária agradeceu ao secretário-geral da ONU por sua visita ao país. O sul-coreano, que chegou sexta (4) ao Chile, segue neste sábado à cidade de Concepción, uma das mais afetadas pelo tremor, que causou 802 mortes.Para a presidente do Chile, Michelle Bachelet, a presença do secretário-geral da ONU “mostra ao país que a entidade vai acompanhar os chilenos neste momento de emergência, colaborando com ajuda técnica e financeira para o processo de reconstrução”.

 

Fotos mostram que cela de Arruda em nada se parece com uma ‘masmorra’

..

<!– function paginaSlideShow226420(id, num) { var index = -1; for (var i = 1; i<10; i++) { try { if (document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display == "") { index = i; } document.getElementById("img_" +id+ "_" +i).style.display = 'none'; document.getElementById("link_" +id+ "_" +i).style.fontWeight = ''; } catch (e) {} } switch (num) { case "+": if ((index != -1) && (index 1) { //alert(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)); document.getElementById(“img_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +eval(index – 1)).style.fontWeight = ‘bold’; } else if (index != -1) { document.getElementById(“img_” +id+ “_” +index).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +index).style.fontWeight = ‘bold’; } break; default: document.getElementById(“img_” +id+ “_” +num).style.display = ”; document.getElementById(“link_” +id+ “_” +num).style.fontWeight = ‘bold’; } } //–>

Com o objetivo e desmentir o advogado Nélio Machado, que durante o julgamento de habeas corpus de José Roberto Arruda chamou de “masmorra” o local onde o governador do DF se encontra preso, na superintendência regional da Policia Federal, a  Procuradoria Geral da República divulgou fotos mostrando que a sala de fato é pequena, mede dez metros quadrados, mas em nada se compara ao que o defensor insinuou. A sala tem cama beliche, mesa com cadeira, sofá, persianas nas janelas (sim, há janelas, ao contrario do que se informara inicialmente) e até um aparelho de ar-condicionado. Fonte: claudiohumberto
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Dinheiro da Prefeitura de Belo Horizonte(PT) e do Banco do Brasil pagaram contas de campanha e Fórum Social

Posted on fevereiro 26, 2010. Filed under: Banco do Brasil, mensalão, Prefeitura de Belo Horizonte, PT, revista IstoÉ |

>

Relatório final do mensalão

Revista IstoÉ desta semana diz ex-prefeito de BH Fernando Pimentel foi operador de esquema de remessa de dinheiro público para o exterior
Revista “IstoÉ” desta semana diz ex-prefeito de BH Fernando Pimentel foi operador de esquema de remessa de dinheiro público para o exterior




O mensalão, suposto esquema de compra de apoio político denunciado em 2005, recebeu recursos da Prefeitura de Belo Horizonte por intermédio do então prefeito Fernando Pimentel (PT) e do Banco do Brasil. A informação é da revista “IstoÉ”, distribuída nesta sexta-feira (26), que diz ter tido acesso ao processo no STF (Supremo Tribunal Federal), a ser analisado pelo ministro Joaquim Barbosa.
De acordo com a publicação, Pimentel remeteu ao exterior recursos que acabaram usados para pagar dívidas do PT com o marqueteiro Duda Mendonça. O ex-prefeito da capital mineira teria relações com o empresário Glauco Diniz Duarte e com o contador Alexandre Vianna de Aguilar, que enviaram ilegalmente, segundo o Ministério Público Federal, cerca de US$ 80 milhões aos EUA.
Desses, US$ 30 milhões teriam sido depositados nas contas da empresa Gedex International, de propriedade de Diniz. Esse dinheiro teria origem, de acordo com o Ministério Público mineiro, no superfaturamento de um contrato assinado por Pimentel com a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) para instalar um circuito de câmaras nas ruas da cidade. Na época, diz a revista, Diniz dirigia a CDL.
Procurado pelo UOL Notícias, Pimentel se comprometeu por volta das 15h45 a falar com a reportagem 10 minutos depois, mas não tinha voltado a atender o celular até as 18h, horário da última tentativa de contato. Um texto atribuído a ele em seu site de apoiadores na internet refuta as acusações e diz que a revista “mistura alhos com bugalhos e faz ilações sem qualquer apoio na realidade”.
“Para incluir o meu nome em sua reportagem, a ‘IstoÉ’ lançou mão de uma coincidência: o diretor financeiro da CDL à época do convênio para a instalação de câmeras mais tarde foi identificado como doleiro supostamente envolvido com o chamado mensalão”, diz o texto.
“O convênio entre a Prefeitura de Belo Horizonte e a CDL nunca foi alvo de ação da justiça. O projeto está em vigor até hoje, sem contestações, agora sob a responsabilidade da Polícia Militar. Como prefeito, nunca fui inquirido, indiciado ou denunciado por este convênio de jurisdição municipal”, completa.
Pimentel é cogitado para ser coordenador da provável campanha presidencial da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e disputa no campo governista para ser candidato ao governo de Minas Gerais, tendo como adversários os ministros Hélio Costa (PMDB, Comunicações) e Patrus Ananias (PT, Desenvolvimento Social).
Fórum Social Mundial e Banco do Brasil
Além do financiamento de políticos da base aliada do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o inquérito também aponta, segundo a ‘IstoÉ’ a entrega de R$ 1 milhão à organização do Fórum Social Mundial para pagar o que um membro do PT gaúcho chamou de “dívidas históricas” do evento, nascido para se contrapor ao Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.
Chico Whitaker, da ONG Justiça e Paz e indicado como porta-voz da organização do Fórum, negou recebimento de dinheiro de qualquer partido político. Segundo ele, a edição de 2005, em Porto Alegre, deixou dívidas que foram pagas apenas por entidades não governamentais que integram o próprio Fórum. “Por príncipio, não recebemos dinheiro de partido nem de grupos que incentivam a violência”, afirmou. De acordo com ele, o grupo vai preparar um comunicado por conta das acusações.
Também de acordo com a revista, uma funcionária do Banco do Brasil informou desvio de R$ 60 milhões em verbas que seriam usadas para uma campanha publicitária – nunca realizada – do banco e do produto Visa Electron.
A agência contratada foi a DNA, de propriedade do empresário Marcos Valério, tido como operador do mensalão petista e do similar tucano, engendrado anos antes na campanha derrotada ao governo estadual do hoje senador Eduardo Azeredo. A assessoria de imprensa informou que o banco não fará comentários sobre o assunto. Fonte: UOL
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...