São Paulo

>São Paulo dá show de bola e goleia o Bragantino por 4 a 0

Posted on fevereiro 20, 2011. Filed under: São Paulo |

>

O retorno de Lucas ao time do São Paulo no Paulistão, a possibilidade do centésimo gol de Rogério Ceni e a boa chance de colar ainda mais no líder do Paulistão. Quem foi ao Morumbi, neste sábado, esperando assistir a uma dessas possibilidades, viu quase todas e um jogo ainda melhor. Apesar de Rogério não ter alcançado a marca histórica, o São Paulo jogou em ritmo eletrizante, empolgou a torcida e goleou o Bragantino, por 4 a 0.
Fernandinho comemora o gol marcado, o segundo da partida (Foto: Tom Dib)

Com boas trocas de passes e muita movimentação do Tricolor, Miranda e Fernandinho mataram o jogo com dois gols marcados ainda no primeiro tempo. Dagoberto, que também fez ótima partida e infernizou a perdida zaga do Bragantino, foi um dos destaques do jogo e por pouco não marcou o seu.
O garoto Lucas, que também já havia criado boas chances, marcou o terceiro. Willian José, logo na estreia pelo São Paulo, chutou no ângulo e fechou a conta da equipe, que não sentiu falta nenhuma de Rivaldo. Entrosamento, rapidez, show e goleada Tricolor!
Só deu São Paulo!
No primeiro tempo, parecia que só o São Paulo havia entrado em campo. Em ritmo eletrizante e tentando matar o jogo logo no começo, o Tricolor envolvia completamente o time do Bragantino. E logo aos três minutos de jogo, uma falta perto da área agitou a torcida, em contagem regressiva pelo centésimo gol de Rogério Ceni.
A cobrança do goleiro passou por cima, mas o primeiro tento são-paulino, aos 19 minutos, também surgiria de uma cobrança de falta. Após cruzamento de Dagoberto, Miranda subiu mais que a defesa do Bragantino e mandou para o fundo do gol, de cabeça.
Ainda no aquecimento, sem nem mesmo entrar no gramado, o goleiro Gilvan torceu o tornozelo e foi Rafael Defendi quem entrou na meta do Bragantino. Sem culpa no primeiro gol, o goleiro reserva do Braga foi de vilão a herói em dois minutos. Após derrubar Fernandinho na área, o pênalti foi marcado e Rogério Ceni foi para a cobrança. Gol número 99, certo? Errado! Rogério bateu mal, o goleirão Rafael caiu bem para conseguir a defesa e a redenção.
Apesar disso, o São Paulo ainda tinha muita facilidade em chegar ao gol, e a vantagem simples seria pouco pelo domínio. E aos 43 minutos, depois de uma linda tabela entre Dagoberto e Fernandinho que começou ainda no meio de campo, o camisa 12 ficou cara a cara com Rafael e bateu forte, na saída do goleiro. Dois a zero e o jogo na mão!
Na segunda etapa, o panorama do jogo seguiu o mesmo e o domínio são-paulino era tanto que o Bragantino pouco assustava. De volta ao time depois de sagrar-se campeão Sul-Americano com a Seleção Brasileira Sub-20, só faltava um gol de Lucas para a festa ficar completa.
Demorou, mas saiu. Aos 18 do segundo tempo, Fernandinho invadiu a área pela esquerda e cruzou. Livre, de cara para o gol, o garoto só teve o trabalho de empurrar para a rede e sair para comemorar o terceiro.
Muito aplaudido, Fernandinho deixou o gramado na metade da segundo etapa, para a entrada do garoto Willian José, que fez sua estreia com a camisa são-paulina. E que estrela tem o garoto! No segundo lance em que pegou na bola, aos 31, chutou forte, de longe e acertou o ângulo! Um golaço!
E se a torcida não pôde comemorar o centésimo gol de Rogério, nem mais uma atuação de gala de Rivaldo, viu o São Paulo jogar entrosado e com rapidez, como há tempos não fazia. O Tricolor impôs seu ritmo do começo ao fim e deu um show de bola no Morumbi!
Ainda pelo Paulistão, o São Paulo volta a campo às 16h do próximo domingo, quando faz clássico contra o Palmeiras, no Morumbi. No mesmo dia, o Bragantino enfrenta a Portuguesa, às 18h30, no Canindé. Fonte: Lacenet
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Morre Orestes Quércia ex-governador de São Paulo

Posted on dezembro 24, 2010. Filed under: São Paulo |

>

O ex-governador de São Paulo Orestes Quércia morreu hoje (24) em decorrência de um câncer na próstata. Com 72 anos, ele estava internado no hospital Sírio Libanês para tratar a doença.

 Orestes Quércia ex-governador de São Paulo, líder do PMDB
O tumor, que já havia sido tratado há mais de 10 anos, apareceu novamente num diagnosticado feito no início de setembro. Dias depois, o peemedebista desistiu de sua candidatura ao Senado para tratar a doença.
Quércia nasceu em Pedregulho, no interior de São Paulo, em 18 de agosto de 1938. O empresário foi vereador, deputado estadual, senador, vice-governador e governador do Estado de São Paulo. Construiu a maior parte de sua trajetória política dentro do PMDB, algumas vezes em oposição aos rumos da direção nacional do partido.
Nas décadas de 70 e 80, Quércia tornou-se um dos políticos mais influentes no estado conquistando apoio de lideranças do interior. Em novembro de 1974, venceu a disputa ao Senado. Em setembro de 1979, apresentou proposta de emenda constitucional convocando uma assembleia nacional constituinte. No mesmo ano, fundou em Campinas o “Jornal Hoje”, publicação posteriormente incorporada ao “Diário do Povo”.
Já no PMDB, em 1982, foi eleito vice-governador na chapa de André Franco Montoro. Em novembro de 1986, derrotou Paulo Maluf na disputa pelo governo do estado. Após a série de vitórias nas urnas que teve seu ápice no governo do estado, o peemedebista não venceu nenhuma outra eleição. Concorreu à presidência da República em 1994, mas ficou em quarto lugar. Em 1998, tentou voltar ao governo de São Paulo, mas recebeu apenas 4,3% dos votos válidos.
Em 2010, chegou a lançar candidatura ao Senado. Enquanto o partido articulou uma aliança para a eleição de Dilma Rousseff, Quércia e o PMDB paulista ratificaram o apoio já estabelecido ao PSDB, que lançou José Serra como candidato. Em setembro, o peemedebista anunciou, por meio de carta, a desistência da candidatura.
O motivo da desistência foi o diagnóstico do retorno de um tumor de próstata que havia sido tratado há mais de 10 anos. “Entendo que essa atitude, nesse momento, apesar de difícil, é a mais correta a bem dos interesses da Coligação, do meu Partido, do meu estado e meu interesse em recuperar minha saúde”, diz Quércia na carta. Após a o diagnóstico, Quércia começou o tratamento com sessões de quimioterapia e ficou internado 36 dias, entre agosto e outubro.
Em sua declaração de bens à Justiça Eleitoral em 2010, o empresário declarou possuir patrimônio avaliado em R$ 117,479 milhões.

Com G1 e GloboNews

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleições 2010: Derrotado, José Serra corre risco de isolamento político

Posted on novembro 1, 2010. Filed under: Aécio, última chance, Derrotado, Dilma Rousseff, eleições 2010, FHC, Geraldo Alckmin, isolamento político, José Serra, Lula, Palácio do Planalto, PSDB, São Paulo, sucessão |

>

Maurício Savarese, UOL
“Vocês não estão vendo que esta é a minha última chance?”, esbravejou o então pré-candidato ao Palácio do Planalto, José Serra, ao esmurrar uma mesa cercada de aliados.

O candidato derrotado José Serra (PSDB) fala após divulgação de resultados

O relato, feito por participantes do encontro, parece atual. Reflete o espírito ansioso e autocentrado de quem diz ter se preparado “a vida inteira” para comandar a República. A história ajuda a explicar a obstinação do tucano neste ano, cheio de ombradas nos rivais.

Mas aconteceu há oito anos, quando, como ministro da Saúde, almejava a cadeira do então presidente Fernando Henrique Cardoso. Serra não teve sucesso, mas a vontade nunca sumiu. Hoje, aos 68 anos de idade e pela segunda vez derrotado em sua busca, o tucano tem seu projeto político novamente rejeitado pelas urnas.

Em um segundo turno mais equilibrado do que o previsto pelos institutos de pesquisa, o candidato tucano conseguiu expressivos, porém insuficientes 43.711.299 milhões de votos, ou 43,95% do total. Sua rival, a petista Dilma Rousseff, amealhou 55.752.493 de votos (56,05% do total).

Há semelhaças entre as campanhas de 2002 e 2010. Quando perdeu as eleições que deram o primeiro mandato a Luiz Inácio Lula da Silva, após um impopular segundo governo de FHC, Serra também se esforçou para não parecer candidato do governo nem da oposição.

Em ambas as disputas presidenciais, manteve a fama de centralizador e impetuoso, organizando a própria agenda e as próprias políticas sem consultar aliados. Rachou o PSDB por ter ofuscado as conquistas do governo que ajudou a conduzir, como a modernização da telefonia. Tudo para evitar o rótulo de “estatista”, eleitoralmente mal visto.

“Sou como se diz em latim na bandeira de São Paulo: não sou conduzido, conduzo”, costuma dizer. Pois novamente os aliados –principalmente os não-paulistas– foram minguando.

Na campanha pelo segundo turno, o ex-governador mineiro e senador eleito Aécio Neves até ensaiou se engajar. Mas não foi o bastante para evitar o triunfo de Dilma, nascida em Belo Horizonte. Serra foi conduzido a mais uma derrota.

Quando se elegeu prefeito de São Paulo (2004) e governador paulista (2006), Serra ainda não tinha a idade como empecilho para tentar o Palácio do Planalto.

Derrotado, fica sem mandato político e com maior concorrência numa eventual nova chance de buscar o cargo, já que o partido conta com os mais jovens Aécio e Geraldo Alckmin na fila da sucessão.

Leia mais em Derrotado, Serra corre risco de isolamento político após campanha errática

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Vendas de imóveis em São Paulo cresceram 18,4% no primeiro semestre

Posted on agosto 20, 2010. Filed under: Comerciais, imóveis, Liderança, Residenciais, São Paulo, vendas |

>

As vendas de imóveis na capital paulista cresceram 18,4% no primeiro semestre deste ano, somando 17.005 unidades, de acordo com a pesquisa realizada pelo departamento de Economia e Estatística do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP). Dentro da série histórica, o desempenho é inferior apenas ao registrado no primeiro semestre de 2008, quando foram vendidas 19.224 unidades. No período, a demanda por imóveis de dois quartos assumiu a liderança, com a participação de 35,3% do total, o correspondente a 5.999 unidades, seguidos por unidades de três dormitórios, que registraram 5.965 habitações comercializadas (35,1%). O segmento de quatro dormitórios garantiu presença no ranking com 18,6%.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Após deixar São Paulo Washington é o novo reforço do Fluminense

Posted on julho 27, 2010. Filed under: Artilheiro, Brasileirão, centroavante Washington, Fluminense, Muricy Ramalho, São Paulo |

>

O São Paulo liberou nesta terça-feira o centroavante Washington, 35 anos, pois com a chegada de Ricardo como reforço no ataque, o atleta perdeu espaço. Porém já acertou com o Fluminense.

Artilheiro do São Paulo na Libertadores com cinco gols, o camisa 9 sequer viaja a Porto Alegre para o duelo com o Internacional, pelas semifinais, nesta quarta-feira. Ele vai para o Rio de Janeiro e realizará exames médicos para, então, assinar o contrato.
“Estamos terminando de ver isso agora. Ele fica até o final do ano, e o Fluminense terá direito de renovar”, informou o empresário Gilmar Rinaldi. O contrato com o São Paulo foi rescindido sem ônus para ambas as partes.
Segundo confirmou Rinaldi, Washington já deve ser apresentado nesta quarta-feira no Fluminense, onde voltará a trabalhar com o técnico Muricy Ramalho. Ambos estiveram juntos no São Paulo.
Assim, Washington retorna para o clube onde foi vice-campeão da Libertadores em 2008. Se no São Paulo ele perdeu o lugar no time após a chegada de Fernandão, no Fluminense terá a concorrência de Fred.
O Fluminense ainda não confirmou de forma oficial a contratação. “Conversei sim com Gilmar Rinaldi e deveremos ter algumas novidades na próximas horas”, explicou o vice-presidente de futebol Alcides Nunes. Com partitipação de UOL Esportes
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>São Paulo perde do Vitória e se complica no Brasileiro

Posted on julho 17, 2010. Filed under: Campeonato Brasileiro, São Paulo, vitória |

>Vida de torcedor não é mole! O São Paulo massacrou o coração de seus torcedores pela segunda vez seguida,  foi derrotado pelo Vitória por 3 a 2, neste sábado, em Salvador, e desperdiçou a chance de se aproximar do G-4, grupo da Libertadores, na abertura da nona rodada do Campeonato Brasileiro.

Foto do Clube num momento de alegria e vitória

A defesa é considerada o ponto forte do São Paulo, mas tem traído o time tricolor desde a volta da intertemporada. Depois de falhar contra o Avaí, o sistema defensivo novamente deixou a desejar e a equipe perdeu a segunda seguida, desta por 3 a 2, para o Vitória em jogo movimentado em Salvador.

Apesar de o técnico Ricardo Gomes garantir que valoriza o Campeonato Brasileiro, o São Paulo novamente será obrigado a escutar as comparações com a Libertadores e terá a pressão aumentada para a primeira partida da semifinal contra o Internacional, dia 28 de julho. Já o Vitória ganha moral para a decisão da Copa do Brasil, quando enfrenta o Santos.

A derrota deixa o São Paulo em situação ruim na tabela do Campeonato Brasileiro, na décima colocação e distante dos líderes. O time tricolor soma onze pontos na tabela, 7 a menos que os primeiros colocados Corinthians e Ceará. Já o Vitória tem 12 pontos e pulou para a oitava colocação.

Logo no início, o torcedor do São Paulo precisou prender a respiração com duas chances claras do Vitória que acenderam a partida. O time baiano soube explorar bem a velocidade levando perigo ao gol de Rogério Ceni com Ramon e Ricardo Conceição, apesar de o campo estar pesado em função das fortes chuvas que caíram em Salvador.

O time paulista não adotava o esquema tático planejado antes da partida e Richarlyson aparecia no meio do campo, ao invés de ser zagueiro pelo lado esquerdo. O posicionamento confuso deixou o time perdido na marcação, o que colaborou para o gol do Vitória, aos 13 minutos.

Antes da saída de bola, Ricardo Gomes rapidamente procurou ajustar o posicionamento de seus comandados, que conseguiram equilibrar o jogo e criar suas primeiras chances de gol.
As equipes passaram a entrar muitos passes, principalmente na hora da conclusão. Mas o São Paulo conseguiu o gol de empate logo da lateral direita que vem sendo seu principal problema pela falta de opções. O volante Jean, que vem atuando improvisado e foi criticado na última partida contra o Avaí, sentiu alívio. “Gol dá um pouco mais de confiança para qualquer atleta”, resumiu no intervalo.

No início do segundo tempo, o torcedor que gastou mais tempo para ir ao banheiro ou tomar água perdeu o segundo gol do Vitória, logo com 1 minuto, marcado por Schwenck, novamente após passe de Egídio.

A equipe baiana mostrou nos primeiros minutos do segundo tempo a mesma disposição do início do jogo e apertou na marcação, não deixando o adversário passar do meio de campo. E assim, o tricolor paulista levou o terceiro gol. Após receber uma placa comemorativa no início do jogo, Ramon pôde celebrar em alto estilo os 200 jogos pelo time baiano com o tento.

Mas não deu muito tempo para comemorar. O técnico Ricardo Gomes colocou no jogo Cléber Santana e Fernandinho, no lugar de Marlos e Dagoberto, respectivamente, e logo reagiu. A equipe se recompôs rápido e diminuiu aos 16 minutos com Fernandão, que teve outra chance clara, mas desperdiçou na cara do gol. A partida continuou movimentada e o São Paulo, empolgado com o gol, foi para cima para garantir o empate. Fernandinho ainda teve boa chance, mas não evitou a segunda derrota seguida.

As equipes voltam a campo na quarta-feira. O São Paulo recebe o Grêmio Prudente no Morumbi, enquanto o Vitória abre as portas do Barradão novamente para a partida contra o Goiás.

VITÓRIA 3 X 2 SÃO PAULO

VITÓRIA
Viafara; Nino, Anderson Martins, Wallace e Egídio; Vanderson, Ricardo Conceição, Fernando (Neto) e Ramon (Renato); Elkeson (Renan Oliveira) e Schwenck
Técnico: Ricardo Silva

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Miranda, Xandão e Richarlyson; Jean, Rodrigo Souto, Hernanes, Marlos (Cléber Santana) e Junior Cesar; Dagoberto (Fernandinho) e Fernandão (Washington)
 
Técnico: Ricardo Gomes

Data: 17/7/2010, sábado
 
Local: estádio Barradão, em Salvador (BA)
 
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
 
Assistentes: Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa/RJ) e Dibert Pedrosa Moises (Fifa/RJ)
 
Cartões amarelos: Dagoberto, Junior Cesar, Rodrigo Souto (São Paulo), Vanderson e Schwenck (Vitória)
 
Gols: Elkson, aos 13 minutos, Jean, aos 38 minutos do primeiro tempo, Schwenck, com 1 minuto, Ramón, aos 12 minutos, Fernandão, aos 16 minutos

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleições 2010: Dilma inicia campanha eleitoral em São Paulo; José Serra pretigia o Paraná

Posted on julho 5, 2010. Filed under: campanha, Dilma, eleições 2010, José Serra, Paraná, São Paulo |

>

  Folh 

Autorizados pela lei eleitoral, os presidenciáveis intensificam nesta semana a programação de suas campanhas.

José Serra e Dilma Rousseff, os candidatos que polarizam a disputa, elegeram como alvos prioritários as regiões Sul e Sudeste.

O tucano inaugura a fase formal de sua campanha na capital paranaense, Curitiba.

Vai anunciar na cidade, nesta terça (6), o seu programa de governo.

Serra tenta tonificar um movimento captado pela última pesquisa do Datafolha.

Entre maio e junho, subiu na região Sul de 38% para 50%, segundo o instituto.

Dilma abrirá a campanha dela por São Paulo, um Estado governado pelo tucanato há 16 anos. Fará uma caminhada pelo centro da capital paulista.

Inicialmente programado para quarta (7), o “desfile” de Dilma deve ser antecipado também para esta terça (7).

No Paraná, Serra será ciceroneado por Beto Richa, o candidato do PSDB ao governo estadual.

Em São Paulo, Dilma se fará acompanhar de Aloizio Mercadante, o candidato que o PT escolheu para tentar furar a hegemonia tucana.

No Sudeste, segundo o Datafolha, Serra prevalece sobre Dilma com dez pontos percentuais de vantagem: 43% a 33%.

Daí a decisão do QG de Dilma de inaugurar a campanha por São Paulo, maior colégio eleitoral do Sudeste e do país.

Dilma ostenta nas regiões Nordeste (47%) e Norte/Centro-Oeste (42%) suas melhores marcas.

Tecnicamente empatada com Serra em termos nacionais –39% a 38%- a candidata de Lula tentará ampliar seus índices nas demais regiões.

– Siga o blog no twitter.
Fonte/Autor: Blog do Josias de Souza 
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Campeonato Brasileiro

Posted on maio 17, 2010. Filed under: Avaí, Botafogo, Brasileirão, Campeonato Brasileiro, Ceará, Corinthians, Cruzeiro, FUTEBOL, Goiás, Grêmio, Internacional, PALMEIRAS, Santos, São Paulo, Vasco |

> Os resultados do Corinthians no Campeonato Brasileiro esfriam qualquer possibilidade de crise após o fracasso na Copa Libertadores da América. A equipe comandada por Mano Menezes conquistou a sua segunda vitória consecutiva na competição nacional na tarde de domingo: 2 a 1 sobre o Grêmio, no estádio Olímpico.

Nico Varella/AE

Nico Varella/AE
Souza bate para marcar o segundo do Corinthians

O resultado do Corinthians ganha mais importância por causa do bom retrospecto do Grêmio em casa. Os gaúchos não perdiam em seu estádio pelo Campeonato Brasileiro desde o dia 13 de setembro de 2008, diante do Goiás. Nesta semana, no entanto, estavam mais preocupados com as semifinais da Copa do Brasil.
Com apenas 1 ponto no Brasileirão, o Grêmio se concentra para fazer jogo de volta com o Santos na quarta-feira, na Vila Belmiro. No sábado, terá outro time paulista pela frente: o Palmeiras, no Palestra Itália. O Corinthians receberá o Fluminense no dia seguinte, para tentar seguir com 100% de aproveitamento no campeonato que lhe resta.

 
Santos perde pênalti e só empata


Ainda de olho na Copa do Brasil, o Santos recebeu o Ceará, na Vila Belmiro e conseguiu um bom placar. Depois de sair perdendo logo no início do jogo, os Meninos da Vila conseguiram um empate ainda no primeiro tempo, o segundo do Peixe no Brasileirão . O timr do Ceará reclamou muito da arbritagem, que invalidou um gol legal de Anderson e deu um pênalti duvidoso para o time da casa, que resultou no gol santista. Na segunda etapa, Neymar, que fez o gol santista, bateu um pênalti para fora, já no final da partida.

O Santos começou a partida melhor, criando alguns ataques, principalmente em boas jogadas de Marquinhos e André. Entretanto, quem abriu o placar foi o Ceará. Logo aos nove minutos, o atacante Misael cruzou para Washington, estreante do dia, que desviou de cabeça, no canto de Felipe, que nada pôde fazer para evitar o 1 a 0. Aos 17 minutos, outro susto para a defesa santista. Depois de uma cobrança de falta, o zagueiro Anderson finalizou para o fundo do gol santista, mas o juiz anulou, alegando um impedimento, que não existiu.
Depois de alguns minutos de pressão, os Meninos da Vila conseguiram marcar, mas não valeu. Depois de uma batida de Neymar, Diego espalmou e André, em impedimento, completou com categoria para as redes.
Foi aí que Neymar assumiu a responsabilidade. A Joia recebeu a bola pela direita e entrou costurando na zaga do adversário. Fabrício deu um carrinho e o árbitro marcou um pênalti duvidoso para o Peixe. Na cobrança, o santista deu duas paradinhas e enganou o goleiro Diego, podendo só rolar a bola para o fundo das redes: 1 a 1.

Em seguida, mais um pênalti para o Peixe. Neymar fez grande jogada pela esquerda e foi calçado. O próprio atacante pegou a bola, deu uma paradinha, mas acabou batendo para fora, para desespero dos torcedores santistas na Vila, aos 39.

Antes do fim do jogo, Neymar pediu mais uma penalidade, em uma dividida com o goleiro. Desta vez, o árbitro marcou falta do atacante. Ficou barato.

Inter vira sobre o Goiás fora de casa


Com objetivos diferentes no atual momento da temporada, Goiás e Internacional se enfrentaram no estádio Serra Dourada. Ambos foram derrotados na primeira rodada e buscavam a recuperação na tabela, mas em partida muito disputada, o Inter buscou a virada em 3 a 2 após sair perdendo por 2 a 0 e, mesmo com time reserva, conquista seus primeiros três pontos no campeonato.

O nome do jogo foi o atacante Walter, que marcou os dois primeiros gols da equipe colorada e, em grande atuação individual, comandou a reação do Inter na partida contra um combalido Goiás, completamente dominado pelo meio de campo do time gaúcho.

O lateral Welington Saci teve pelo menos duas chances em chutes fortes, mas não marcou. Dessa forma, no entanto, quem marcaria seria Everton Santos. Aos 31 minutos, o atacante recebeu na entrada da área e chutou forte, estufando a rede do goleiro Lauro, abrindo o placar.
A defesa colorada sofreu o segundo gol aos 41 minutos, com Amaral tentando duas vezes para completar um cruzamento na área.

Aos dez minutos da etapa final, a zaga do Goiás iniciou a reação do time gaúcho. Wendel Santos cometeu falta em Taison na grande área e o árbitro marcou pênalti. Walter foi para a cobrança e diminuiu o placar chutando no ângulo. Aos 29 minutos, Walter dominou na entrada da área, driblou Welington Saci e chutou forte. A bola foi no ângulo direito do gol, e reacendeu a chama colorada, empatando o jogo. Aos 37, Fábio cometeu nova falta em Walter, dentro da área. Novo pênalti, para a cobrança no canto de Giuliano, virando o placar após sair perdendo por 2 a 0.

 
Vasco e Palmeiras só empatam


Faltou brilho, técnica, calma e tudo o que faz um grande jogo de Futebol. Cheio de erros de passes e com lances atrapalhados, Vasco e Palmeiras empataram em 0 a 0 na noite de domingo, em São Januário, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Sob pressão pelo primeiro semestre improdutivo e com críticas para dar e vender, Vasco e Palmeiras entraram em campo com o peso da expectativa de começarem a escrever novos rumos em 2010. E quem tomou a iniciativa foram os donos da casa. Com velocidade, a equipe cruzmaltina marcava bem, com segurança, e encaixava ataques em velocidade.

Philippe Coutinho, que tinha a missão de organizar o meio de campo do Vasco e conduzir o time ao setor ofensivo, fazia o que dele se esperava. Aos 13, teve boa chance, mas Marcos evitou o gol. Pelo lado alviverde, Ewerthon percebeu sua equipe com dificuldades na armação. Por isso, recuou um pouco e tentou cooperar. Mas até Cleiton Xavier resolveu errar passes simples, prejudicando o desenvolvimento das investidas palmeirenses.

Aos 37 minutos, um lance típico de “Os Três Patetas”. A bola quicou na área do Palmeiras, de forma despretensiosa, Marcos correu para pegá-la, mas Cleiton Xavier teve a mesma ideia e eles se chocaram, caindo no chão e deixando Souza em boas condições para abrir o placar. Mas o volante cruzmaltino finalizou a cena como ela merecia, isolando a bola. Aos 45, Elton arriscou uma bicicleta e encerrou o primeiro tempo de uma forma mais “honrosa”.

Diante de pouco acerto, o placar de 0 a 0 era o esperado, o que se desenhava, e o que se concluiu.


 
Cruzeiro evita a derrota


Em jogo de duas expulsões e muitas alternativas, o Cruzeiro demonstrou poder de reação ao sair perdendo por 2 a 0 no primeiro tempo e empatar na etapa final, por 2 a 2, com o Avaí, domingo, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Porém, mesmo com os titulares em campo, o time mineiro não conseguiu superar o adversário no Mineirão e agora se concentra no duelo decisivo com o São Paulo pela Libertadores. A equipe catarinense se manteve invicta e no topo da tabela da competição  nacional.

A partida teve dois tempos distintos. Na primeira etapa, o Avaí abriu dois gols de frente, com Pará e Roberto, ao ficar com um jogador a mais, uma vez que o zagueiro Leonardo Silva foi expulso aos 17min. Na etapa final, o Cruzeiro reagiu com dois dois de Wellington Paulista. O goleiro Zé Carlos recebeu o cartão vermelho aos 14min e deixou os catarinenses com dez em campo.

Furacão – Em uma partida equilibrada na Arena da Baixada, o Atlético Paranaense não conseguiu sair de um empate em 2 a 2 diante do surpreendente Guarani. Com cada time dominando uma etapa, o resultado foi melhor para os visitantes, que chegam a quatro pontos.


 
Botafogo vira em cima do Tricolor e gera nova crise


O São Paulo vacilou em casa e ainda não sabe o que é vencer neste Campeonato Brasileiro. Mais uma vez com o time misto, já que o técnico Ricardo Gomes prioriza a Copa Libertadores da América, o Tricolor levou a virada por 2 a 1 para o Botafogo, na tarde de domingo, no estádio do Morumbi. Com a vitória, o Alvinegro carioca quebrou um longo tabu pois não vencia o adversário em sua casa desde 1995.
Léo Lima abriu a contagem para o time da casa, mas o Botafogo conquistou a vitória ao balançar as redes com Antônio Carlos e Renato Cajá. Assim, o São Paulo segue com apenas um ponto na competição, enquanto o time de Joel Santana tem agora quatro.

O São Paulo começou melhor a partida, com um esquema tático bem definido com três zagueiros -Richarlyson foi improvisado no setor, mas sem deixar de avançar. Assim, logo nos instantes iniciais, o Tricolor quase abriu o placar. Jean fez um excelente lançamento para Washington, que partiu em velocidade e driblou o goleiro, mas deixou a bola escapar.

Mas, com o Botafogo perdido em campo, o time de Ricardo Gomes abriu o placar. Aos sete minutos, Jorge Wagner pegou a bola na esquerda e fez o cruzamento na medida para Léo Lima desviar de cabeça.
Depois do revés, o time do Rio de Janeiro acordou e se encaixou em campo, criando condições para dar a resposta ao time misto dos donos da casa. Depois de cobrança de escanteio, Antônio Carlos cabeceou para as redes, mas o árbitro Sandro Ricci assinalou falta na jogada.

Melhor em campo, o Botafogo teve boa oportunidade na sequência, quando Caio foi derrubado quase na linha da grande área. Na cobrança da falta, Lucio Flavio rolou na área para Sandro Silva chutar, mas Jorge Wagner fez o bloqueio com o corpo.

Aos 27, o Botafogo igualou o placar com sua jogada mais eficiência: a bola aérea. Lucio Flavio cobrou falta da esquerda, Washington não conseguiu cortar e Antônio Carlos cabeceou para as redes. O Coração Valente até reclamou, pois alegou que foi empurrado na jogada, mas o árbitro validou o gol.
O jogo ficou mais equilibrado no restante do primeiro tempo, e as chances de gol diminuíram. A forte disputa no meio-campo e a atenção das defesas em jogadas aéreas impediram novos lances de emoção.

E o início do segundo tempo seguiu sonolento. O São Paulo não conseguiu exercer uma pressão real de time mandante e só arriscou em chutes sem perigo de longe. Assim, com a torcida demonstrando bastante irritação com o desempenho da equipe, Ricardo Gomes fez duas alterações ao mesmo tempo. Washington, vaiado, e Wellington deixaram o gramado para as entradas de Fernandinho e Cicinho. Joel Santana, por sua vez, respondeu rápido e tirou Sandro Silva para a entrada de Edno. 

O Botafogo criou melhorou com a entrada de Renato Cajá na vaga de Lucio Flavio. Assim, aos 42, o meia tabelou com Herrera e chutou na saída de Rogério Ceni para marcar o segundo gol dos visitantes.


Fonte: A Gazeta 

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Sobe para oito o número de mortes provocadas pela chuva na Grande São Paulo

Posted on janeiro 21, 2010. Filed under: bombeiros, chuva, São Paulo |

>
<!–

em destaque

–>

Subiu para oito o número de mortos em decorrência da chuva que atingiu São Paulo na madrugada de hoje. Mais dois corpos foram localizados pelos bombeiros.


Eles foram soterrados após um deslizamento de terra no bairro de Grajaú, na Zona Sul da capital paulista. Na capital, também foram registradas as mortes de uma criança na Zona Sul e um homem na Zona Oeste.


Mais cedo, outro homem foi encontrado morto em um deslizamento em Santo André, na Região Metropolitana de São Paulo, e três pessoas morreram soterradas nas cidades de Ribeirão Pires e Mauá.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Demanda e alto padrão elevam em 21% preço de escritórios novos em SP

Posted on janeiro 10, 2010. Filed under: Daslu, Embraesp, imóveis, Peugeot, Porsche Design, preço de escritórios, São Paulo, TV Bloomberg |

>

Os preços dos imóveis comerciais novos subiram pelo segundo ano consecutivo na região metropolitana de São Paulo. A alta média foi de 21% no acumulado do ano passado, até novembro, na comparação com 2008. O valor do metro quadrado atingiu, em média, R$ 7.134 -o maior desde 1995, o primeiro ano do Plano Real.

O levantamento é da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), especializada em consultoria imobiliária. O cálculo leva em conta o valor do metro quadrado de área útil das unidades lançadas.

Na Bela Vista, bairro da região central da capital paulista, foi onde ocorreu o lançamento de valor mais alto. O imóvel, localizado na av. Paulista, o coração financeiro da cidade, teve custo médio por metro quadrado de R$ 13.183.
Já na outra ponta, o mais barato foi em São Caetano do Sul, que fica na Grande São Paulo, com custo de R$ 2.800.

Três fatores justificam a alta do valor dos escritórios novos no ano passado: o aumento da qualidade dos lançamentos, de bom a alto padrão; o crescimento da demanda pelo produto; e o custo mais alto dos terrenos, especialmente na capital paulista, de acordo com a opinião de Luiz Paulo Pompéia, diretor da Embraesp.
“Estamos chegando próximo do limite. Esses valores dos escritórios nunca foram tão altos”, afirma Pompéia.

O número de lançamentos de imóveis comerciais, porém, deve fechar 2009 no mesmo patamar do ano anterior, considerado excelente período para o mercado. “Isso demonstra uma consolidação da demanda por escritórios de bom a alto padrão”, de acordo com o diretor.

Em 2008, foram lançados 27 imóveis comerciais na região metropolitana de São Paulo -o melhor resultado em dez anos. No ano passado, até novembro, haviam sido lançados 24. “Nos próximos anos, deve ocorrer um número maior de lançamentos nos municípios no entorno da cidade de São Paulo, devido, principalmente, aos problemas de mobilidades na capital”, diz o diretor da Embraesp. Os potenciais mercados para novos escritórios são as regiões de Alphaville, Grande ABC, Osasco, entre outras.


DESIGN DE LUXO
A Porsche Design acaba de chegar ao Brasil. “A crescente demanda que existe no país para o mercado de luxo” foi o motivo que levou o empresário luso-angolano Mário Cajada, 36, a abrir duas lojas de uma só vez, uma no Fashion Mall (RJ) e outra na Villa Daslu (SP). Os investimentos foram de R$ 2 milhões, segundo Cajada -que detém a representação da marca também em Portugal e Angola. “Com o potencial de mercado que o país tem e com o aumento do poder aquisitivo do brasileiro, já planejamos abrir mais uma loja em São Paulo ainda neste ano.”

A marca, presente em mais de 30 países, vende desde malas, vestuário e relógios a celulares e perfumes. Cerca de 85% dos produtos são destinados ao universo masculino. Uma das principais características da marca é a exclusividade. As peças têm edições limitadas. Um exemplo é um relógio que será lançado em fevereiro com apenas 50 unidades no mundo todo. O preço? R$ 150 mil. E, por enquanto, só uma peça virá para o Brasil. A marca foi fundada em 1972 por Ferdinand Alexander Porsche, neto do fundador da Porsche.


FECHANDO AS PORTAS
A versão brasileira da TV Bloomberg vai encerrar as suas operações até o final deste mês. Dos canais internacionais da rede norte-americana, o brasileiro será o último a ser fechado.


Peugeot quer reverter mau desempenho

“Antes tarde do que nunca.” Com essas palavras, Jean-Marc Gales, diretor-geral da Peugeot mundial, definiu o lançamento, em 2010, de uma picape e um sedã exclusivos para o mercado brasileiro, numa tentativa de reverter o que ele mesmo classificou de “insatisfatório” desempenho da marca no Brasil -sétimo lugar em vendas, com 80 mil carros (3,22% de “market share”)-, num ano em que a indústria bateu todos os recordes. Mas não é só fora da Europa, que hoje representa 40% do mercado, que a Peugeot pretende marcar território. Numa ofensiva mundial, a marca anunciou o lançamento de 14 produtos, entre 2010 e 2012, para, com isso, galgar três posições do seu atual décimo lugar no ranking. Até junho, a empresa começa a vender no mercado europeu o RCZ, vitrine do novo design da marca, e ainda neste ano inicia a produção do BB1 (100% elétrico, quatro lugares). Na sexta-feira, em Paris, a montadora apresentou sua nova identidade visual, que começa com a modernização do tradicional logotipo do leão (de 1858), agora em 3D, acompanhado do slogan internacional “motion & emotion”, que será mantido em inglês em todos os países, e com uma campanha publicitária mundial que mostra produtos de duas rodas (bicicletas e scooters) e quatro rodas que “combinam ideias e mixam tecnologias”.


A jornalista PATRÍCIA TRUDES DA VEIGA viajou a convite da Peugeot – Fonte: Folha de S. Paulo

com JOANA CUNHA, ALESSANDRA KIANEK e PATRÍCIA TRUDES DA VEIGA

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...