sexo

>Em Lucas do Rio Verde polícia investiga festa de sexo com menor

Posted on fevereiro 25, 2011. Filed under: sexo |

>

O delegado Marcelo Torhacs confirmou nesta sexta-feira, 25 de fevereiro,  que está ouvindo depoimentos de várias pessoas sobre o caso de uma menor de 13 anos que teria ingerido bebida alcoólica em uma festa e, depois, ter mantido relações sexuais com alguns homens em Lucas do Rio Verde (354 Km ao norte de Cuiabá). Um dos investigados é um empresário e conforme o delegado, a adolescente está mantendo amizades com algumas mulheres e pessoas acostumadas a promoverem festas regadas com muita bebida alcoólica e a prática de sexo.
Vista panorâmica da cidade de Lucas do Rio Verde
Ele destaca ainda que a jovem não tem idade para decidir sobre isso porque tem menos de 14 anos. “Qualquer tipo de consentimento dela para prática de atos sexuais, não é válido. Isso é o que diz a lei. Não é o que diz o delegado, ou a Polícia Civil. Nós estamos aí para cumprir a lei e todas as pessoas que mantiveram relações sexuais com essa garota serão ouvidas e, eventualmente, indiciadas”.
Conforme Torhacs, o acusado não foi preso ainda porque a Polícia Civil está buscando mais provas. É investigada também a possível participação de uma mulher no aliciamento da menor. O caso foi denunciado pela mãe da menor ao descobrir que ela teria deixado de ir para escola para ir em a esta “festa sexual”. O Conselho Tutelar foi acionado e também tomou providências. (Com Só Notícias).
Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Sexo? A maioria das mulheres prefere magreza ao sexo

Posted on fevereiro 19, 2011. Filed under: sexo |

>

É uma escolha a maioria dos homens não gostaria de fazer. Mas 51% das mulheres admitiram que sacrificariam um ano de sexo se isso significasse que ficariam mais magras.
Uma nova pesquisa revelou que mais da metade das mulheres prefereria abrir mão de um ano de relações sexuais se isso lhes garantisse ter o corpo de seus sonhos.
O restante das 2.400 mulheres americanas ouvidas pela revista Fitness disse que preferiam fazer sexo normalmente e continuar com até 15 quilos de sobrepeso.

article 1358025 0D394A6F000005DC 344 468x305 Greve de sexo? A maioria das mulheres prefere magreza ao sexo

 

Exatos 43% delas admitiram que abrem mão regularmente de uma das refeições do dia em uma tentativa de ficar magra. Enquanto 39% já submeteram-se a dietas radicais para perder alguns quilos mais rapidamente. 

A pesquisa também revelou que 30% já tinham experimentado – mas nunca repetiriam – uma dieta indicada por celebridades. Como, por exemplo, a dieta alimentar do bebê, a favorita de Jennifer Aniston, ou o suco de limpeza corporal e desintoxicação, de Gwyneth Paltrow.

article 1358025 0AD1C8D1000005DC 676 224x320 Greve de sexo? A maioria das mulheres prefere magreza ao sexo article 1358025 0BFA8F34000005DC 364 224x320 Greve de sexo? A maioria das mulheres prefere magreza ao sexo

As leitoras disseram que as dietas radicais as deixaram sentindo muita fome e por isso não conseguiram continuar.

A editora-executiva da Fitness, Pam O’Brien disse que a pressão para permanecer magra acompanha as mulheres constantemente. ”Todas essas imagens de TV e filmes com atrizes lindas e magras geram em nós uma grande pressão para sermos magras”, disse ela.

“As mulheres sabem que é difícil perder peso e manter-se em forma. Por isso estão dispostos a tentar coisas que dão resultado rapidamente. Não existe mágica, mas elas tentam com  uma desintoxicação ou comprimidos para emagrecimento. Todas nós queremos um resultado rápido. Se você fizer uma dieta saudável, consumindo cerca de 1.500 calorias por dia, perderá cerca de um quilo por semana”, aconselha Pam.

“O exercício também é um elemento muito importante. Tente encontrar algo que você gosta, seja corrida ou ir pra academia. Isso libera endorfinas e também estimula o metabolismo”.
Outros dados fornecidos pelas mulheres entrevistadas:

  • 20% afirmou que se exercita  por mais de duas horas diariamente
  • 25% já apagaram fotos do Facebook, pois se achavam muito gordas nelas.
  • 27% admitiu que já tinham feito tantas dietas que até perderam a conta
  • 44% confessaram que estavam fazendo uma dieta no dia que responderam à pesquisa.

Tradução da Agência Pavanews da reportagem original de Daily Mail

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Sexo pago e sem sabor

Posted on agosto 29, 2010. Filed under: Homens, Mulheres, prazer, sabor, sexo |

>Por Margareth Botelho

Enquanto o Brasil vive mais uma campanha eleitoral daquelas, convenhamos, tipo osso duro de roer tamanha a falta de novidade, o mundo se diverte com a criação do que, à primeira vista, parece apenas ser absolutamente fora de propósito. Em nome da crise econômica, uma nova modalidade de serviços delivery está agitando a Espanha. Batizada de porno-chacha, a invenção consiste numa mistura de trabalho doméstico à domicílio que reúne as tradicionais faxina, lavagem de roupas e cozinhar com atividades eróticas. Enfim, diária completa no estilo barba, cabelo e bigode ou cama, mesa e banho.
No primeiro mês, a inovação porno-chacha levou para jornais e internet 750 mil anúncios de empregadas dispostas ao serviço. E, em contrapartida, outros tantos mil com patrões solicitando moças para trabalhos domésticos, realizados em meio a cenas e ações calientes. Algumas ofertas chamaram atenção por um detalhe: “pago adiantado e por hora, 20 ou 30 euros (cerca de R$ 53 a R$ 80)”. Já outras pela clara exploração. Propostas de casa e comida em troca de sexo ou no máximo a exigência de que as empregadas trabalhassem com pouca ou nenhuma roupa.
Para quem não sabe a Espanha é um dos países mais afetados pela crise econômica mundial, com taxa de desemprego chegando perto de 20%, além de um alto índice de atividades envolvendo a prostituição, inclusive com tráfico de mulheres. Se o serviço porno-chacha agradou a um segmento, provocou reações indignadas de instituições que lutam pela reintegração social de prostitutas no país. Uma delas, a ONG Amunod protestou duramente. A presidente, Teresa López, disse que nunca viu algo assim e prestou queixa na Polícia contra os anunciantes.
Já estimativas da Associação Espanhola de Prostíbulos indicam que o novo serviço tem atraído principalmente mulheres espanholas que jamais haviam se prostituído. E a explicação é uma só: a possibilidade de exercer a profissão de forma livre, mas às escondidas. O serviço porno-chacha, para espanto geral da nação, fez o mercado de prostituição saltar de 5% para 30%. A entidade revela ser altíssimo o percentual de mulheres casadas que atendem aos anúncios, simplesmente porque não conseguem pagar as contas no fim do mês.
Cifras envolvendo a mais antiga das profissões beiram a 20 bilhões de euros (aproximadamente R$ 53 bilhões) por ano na Espanha, 2% do PIB nacional. Com esses valores, o otimismo do mercado do sexo não tem limites, ainda que parte da sociedade esteja protestando contra às inovações da atividade. Em um ano, anúncios delivery de porno-chacha cresceram 50% e, mesmo que a crise econômica afete a promissora profissão, os lucros são atraentes aos empresários do segmento.
Situações como essa não deixam de mexer com a gente, porque a exploração da mulher enquanto objeto de prazer vai além da criação de porno-chacha e do sucesso empresarial do serviço. Em qualquer lugar e, desde que o mundo é mundo, a prostituição faz suas vítimas e tem seus algozes. Mas há mulheres que preferem a “facilidade” – entre aspas – da profissão. Claro que para outras “cair na vida” é por pura falta de opção.
Fico pensando quando vejo coisas assim, até onde vai a miséria humana? Mulheres que vendem o corpo pelo sustento. Homens que se submetem ao prazer pago e simulado. E o sexo interação homem e mulher? Que seja apenas carnal, que seja por amor, que seja pelo gosto ou por não ter o que fazer. Não importa a condição social. Mulheres e homens têm o direito de ir para a cama para realizar os mais malucos dos desejos. Condenar o prazer ao pagamento parece pouco saboroso.

Margareth Botelho é jornalista em Cuiabá, diretora de Redação de A Gazeta 
E-mail: margareth@gazetadigital.com.br
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>"Com sexo liberado, quero ver jogador argentino trançando as pernas", disse Lula

Posted on junho 4, 2010. Filed under: argentino, Educação Física, Luiz Inácio Lula da Silva, Pelé, Presidente, sexo |

>O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu que o Senado altere o projeto de lei que trata da Lei Pelé.

Pela proposta, ex-atletas poderiam substituir profissionais de Educação Física e dar aulas como monitores.

Segundo ele, o governo cometeu “um erro” ao criar a função. Lula discursou na 3ª Conferência Nacional do Esporte, em Brasília, e ainda brincou com o fato de o técnico da seleção argentina, Diego Maradona, ter liberado sexo para os jogadores durante a Copa do Mundo.

“Com sexo liberado, quero ver jogador argentino trançando as pernas”, disse Lula.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Hum! O sexo dos divorciados!

Posted on abril 25, 2010. Filed under: casados, casamento, divorciados, sexo |

>

Margareth Botelho
Gente, eu afirmo e reafirmo. Não é implicância minha, mas não posso deixar de comentar mais uma sensacional – ou seria, sexsacional – pesquisa de cientistas britânicos. Digo grosseiramente, e me perdoem de coração os nascidos na Grã-Bretanha, entretanto essa fixação por estudar o sexo nas formas mais inusitadas é simplesmente i-m-p-r-e-s-s-i-o-n-a-n-t-e. Sei de cientistas que preferem dedicar horas e horas para descobrir a fórmula da imortalidade. Outros se debruçam em pesquisas sobre remédios que possam curar doenças que hoje são fatais, mais dia, menos dia.
Já a dedicação britânica à temática de que o sexo é aquilo e coisa e tal me faz rir, não no sentido pejorativo. Isso nunca! Até porque ninguém vive sem sexo. Aliás, muito menos nasce! Mas qual seria o gatilho que dispara na mente desses cientistas para tentar destrinchar um assunto que não parece se esgotar tão facilmente e sem qualquer indicador de uma conclusão? Sexo é inexato. É escolha. É imaginação. É química…
Desta vez, a novidade espalhada pelos britânicos é um estudo que simplesmente conclui que os divorciados tendem a ter mais relações sexuais do que os casados ou solteiros. Mais de 1,8 mil pessoas participaram da enquete, feita via internet, sobre os hábitos sexuais encomendada pelo jornal The Sunday Telegraph. O levantamento apontou que 68% dos divorciados têm relações sexuais de 6 a 20 vezes por mês – uma proporção maior do que entre os casados (44%), solteiros (38%) ou casais que vivem juntos (43%).
Contra números e fatos concretos, não há argumentos. Também quem ousa julgar relatórios tão precisos quanto os dos britânicos. A questão é que parece mesmo lógico que os divorciados, livres, “abram suas asas e soltem suas feras”! No estudo, existe a indicação de que 11% dos divorciados têm relações sexuais mais de 21 vezes por mês – ufa é um recorde, eles acham! – e quase o dobro dos casados. Conforme a pesquisa, as pessoas casadas fazem sexo, em média, 9 vezes por mês. É… de 9 para 21, bingo para os divorciados!
O que a pesquisa não diz, talvez por ficar restrita somente a estatísticas, é por que o quadro sexual dos casais heteros ou homos apresenta-se assim. Não sei, dormir e acordar anos a fio e com compromisso de transar também anos a fio com a mesma pessoa seja… hummm… enjoativo! Estressante, quem sabe! Essa palavrinha da moda vem explicando um montão de coisas que andam acontecendo com homens e mulheres.
Olha o lamentável para nós, espécies do sexo feminino. No relatório, os cientistas afirmam que mulheres de 40 ou mais, mães, que têm uma carreira e ainda de quebra uma vida doméstica, é provável que o sexo seja a última coisa que tenham em mente. É a quarta jornada de trabalho inventada pelas feministas. Agora eu pergunto: onde elas estavam com a cabeça de associar sexo a uma atividade a ser executada como parte de uma montanha de tarefas? Ah não, as feministas pisaram na bola! Sexo é diversão. Jamais obrigação. Conheço mulheres que tratam sexo como esporte. Outras preferem sexo animal, sem vínculo e um restante opta por achar que sexo só funciona com uma boa dose de poesia, o que não significa romance.
Não desejo de maneira alguma desanimar o leitor ao discorrer sobre os estudos britânicos e suas teses um pouco provincianas, por isso busco o alarde necessário para escancarar um pouco sobre o pensamento brasileiro, a começar pela temperatura corporal. Andei lendo aqui e ali o que os pesquisadores nacionais estão falando sobre o tema. Vou resumir em alguns itens: casamento para ser duradouro tem que ter sexo, muito sexo; sexo queima calorias, beneficia a saúde do coração, reduz dores, fortalece a musculatura, eleva o nível de humor, melhora a autoestima, aumenta a produtividade no trabalho, etc. Então né, um brinde à canção Lança Perfume, da Rita Lee, no trecho “Vem cá, meu bem; Me descola um carinho; Eu sou neném; Só sossego com beijinho; Vê se me dá; O prazer de ter prazer comigo…” Bom domingo a todos, caliente e suado.
Margareth Botelho é jornalista em Cuiabá, diretora de Redação do Jornal A Gazeta.margareth@gazetadigital.com.br  – Fonte: A Gazeta
Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...