Silval Barbosa

>Governador Silval Barbosa e o momento

Posted on janeiro 20, 2011. Filed under: Silval Barbosa |

>

Por Alfredo da Mota Menezes

Silval Barbosa subiu rápido na política estadual. Agora é que se começam as análises e comentários sobre sua maneira de atuação política e administrativa. Em suas falas e atuações, ele o faz na maciota. É um estilo diferente de outros momentos e outros governadores.
A pergunta da rua é: esse estilo daria conta do recado, é próprio para administrar MT ou teria que mudar frente a barreiras estranhas que devem aparecer no meio do caminho? Surgem perguntas e constatações sobre essa sua maneira de atuar. Dou exemplos.
Se mexer em Pedro Henry, Eliene Lima, João Malheiros, Tetê Bezerra, Nico Baracat ou José Domingos Fraga poderia ter a má vontade dos partidos que os apoiam?
Veja o caso do Henry: tem o PP e seus cinco deputados estaduais e dois federais, mais o futuro presidente da Assembleia, Riva, e o vice, Chico Daltro. Uma mexida mal calculada poderia colocar um exército de descontentes em trincheira diferente.
Cutucadas do Henry e do Bezerra afastariam o PR e o Maggi? O Bezerra vai querer mais espaço político. Está fora desse trecho desde 1990. Como tourear entre o Bezerra e o Maggi? O que ocorrerá na eleição de 2012? E ainda: é bom ter quase unanimidade na Assembléia Legislativa?
Nomear Paulo Lessa não traria desgaste com desembargadores adversários dele no Tribunal de Justiça? Até agora também o Silval tem transitado sem arranhões pela mídia. Dá para agradar toda a mídia também?
Silval Barbosa, se preciso, sacrificaria pessoas do círculo íntimo do poder e de amizade pessoal? Será possível um governo ir até o fim sem tomar decisões que contrariem gentes e interesses? Dá para ser gentil e agradar todos os lados? Ou ele, em determinado momento, teria que chutar o pau da barraca? Fugiria do estilo, apareceria o que não apareceu até agora?
Alguém se lembra de alguma ação mais dura dele ou mesmo de palavras não politicamente corretas? Dá para ser bom moço em política o tempo todo? Se o paralelo cabe, nos EUA um grupo de gente se juntou para seguir as falas e ações de Bill Clinton para ver se ele cometia deslize. Ele era jeitoso também. Saiu ileso.
Silval terá que enfrentar galhos e bugalhos como em qualquer administração. Cercado de política por todos os lados, teria a liberdade de contrariar interesses sem se machucar? E se partidos e grupos não gostarem dessa ou daquela decisão?
A maneira como tem atuado o governador é uma novidade na política estadual. O tempo dirá se o estado está preparado para isso. É assunto a ser observado.



Alfredo da Mota Menezes. E-mail: pox@terra.com.br; site: http://www.alfredomenezes.com

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Governo político

Posted on dezembro 12, 2010. Filed under: Silval Barbosa |

>Por Alfredo da Mota Menezes*

Antes mesmo de começar o mandato do Silval Barbosa já dá para definir qual será a principal diferença entre seu governo e o de Blairo Maggi. O próximo será um governo mais voltado para a política. Todas as ações do governo deverão estar amarradas politicamente.
Ao lado dessa decisão de governo, o momento estadual já mostrava essa tendência. Na frase já famosa, nunca antes na história política de Mato Grosso se viu tantos deputados estaduais em posição de prestigio político e administrativo.
Na eleição, como exemplo, Otaviano Pivetta era vice de Mauro Mendes. Dilceu Dal”Bosco do Wilson e Chico Daltro foi eleito com Silval Barbosa. O Silval foi a primeira exceção e o foi por ser o mais palatável do PMDB na composição feita naquele momento. O próprio Silval é egresso do parlamento estadual.
Há agora uma união mais íntima do Executivo com a Assembleia Legislativa e uma ascensão dos deputados estaduais para a ribalta da política. Não fica somente nas indicações dos vices. A união está indo além.
Na formação do staff do governo, quatro ou mais deputados estaduais estarão ali. Parte por causa dessa tendência política do governo e também para ajeitar lugares na Assembleia Legislativa para quatro suplentes. A ascendência do governo Silval no parlamento será a maior que se teve até agora. E os deputados estaduais terão preeminência no futuro governo.
Outro fato do momento que mostra essa tendência maior para a ação política foi a criação pelo governo da Secretaria das Cidades. Terá muito poder e recursos, é só olhar o Orçamento da União.
As prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande, se não jogarem o jogo, podem ser deixadas de lado nas obras. Chico Galindo, como exemplo, chegaria em 2012 desidratado administrativa e politicamente. E quem for indicado para dirigir a secretaria abre caminho para candidatura em 2012.
Também a Agecopa terá que se adaptar a essa nova secretaria. Com ela, o governador nem precisaria ser presidente da agência.
O que se percebe no governo Silval é, desde agora, uma atuação mais voltada para as coisas da política. Diferente de Blairo Maggi que deu força a técnicos e que atuava politicamente de uma maneira que a classe política não gostava muito. Agora mudou.
Os fatos indicam que o Silval já começa a descolar sua imagem da do Maggi. Sua atuação na direção política já marcaria seu governo de forma diferente do que o do governador que saiu.
Não dá para ir contra os fatos. A tendência atual é essa e mereceria as perguntas: Por que está acontecendo? É circunstancial ou veio para ficar? É bom para o estado? O tempo dirá.

*Alfredo da Mota Menezes. E-mail: pox@terra.com.br; site: http://www.alfredomenezes.com

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>TRE de Mato Grosso da prosseguimento a processo que pode levar Silval perder o mandato

Posted on outubro 28, 2010. Filed under: eleições 2010, Empaer, Silval Barbosa, Tribunal Regional Eleitoral |

>

Eleições 2010 – O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ouviu novamente nesta quarta-feira (27) o presidente da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Enock Alves dos Santos, na ação que investiga o uso da pasta em favor da campanha de reeleição do governador Silval Barbosa (PMDB) e do vice Chico Daltro (PP).
No último dia 18 a oitiva foi suspensa a pedido da defesa do governador que alegou não ter sido notificada de novas provas anexadas no processo pela Procuradoria Regional Eleitoral.
Os cinco servidores arrolados como testemunha de defesa também prestam esclarecimentos ao corregedor do Tribunal, Márcio Vidal. Até o momento, o magistrado já ouviu o coordenador da pasta, Sérgio Mazetto, o diretor de Pesquisa, Calos Luiz Milhomem, Antônio Jesuíno de Oliveira e Denise Maria Ávila Gutterrez.
O último a entrar no Pleno será o presidente da Associação dos Servidores da Empaer, Gilmar Brunetto. No primeiro depoimento, Enock dos Santos negou que a instituição tenha sido usada em favor de candidatos na campanha.
A denúncia foi formulada pela “Coligação Mato Grosso Melhor Prá Você”, do candidato derrotado ao governo, Mauro Mendes (PSB), que também acusa Silval por convocado uma reunião política com servidores da Empaer, após o expediente de trabalho.
A reunião teria sido realizada no comitê de campanha do peemedebista. Detalhe: a denúncia revela que as despesas com diárias e transporte foram integralmente pagas pelos cofres estaduais para que servidores da pasta em diversos municípios mato-grossenses estivessem presentes.
Por outro lado, o presidente da Empaer defende que convocou os servidores apenas para uma reunião institucional no dia 5 de agosto e que foi realizada no período da tarde. Garantiu ainda que teria apenas convidado verbalmente as pessoas para o ato político realizado a partir das 18h daquele mesmo dia.
Mas a coligação de Mendes apresentou na representação cópia do documento que aponta a convocação, o que pode ser considerado abuso de poder político e econômico.
O procurador Tiago Lemos disse que foram anexados à ação fotografias, áudios e documentos do órgão sobre a participação de servidores no ato político. Ele confirmou ainda que a denúncia também é por compra de votos e , dessa forma, a ação teve que ser desmembrada passando para as mãos de um dos juízes auxiliares do TRE.
Porém, avalia que a ação deverá ser concluída em novembro.O processo tramita em segredo de justiça, mas poderá comprometer a diplomação de Silval e do vice-governador Chico Daltro, o que pode levar a nova eleição. A legislação eleitoral estabelece eleição suplementar porque a chapa foi eleita com mais de 50% dos votos válidos no último dia 3.
Servidores dos municípios de Sinop, Guarantã do Norte, Juína, Alta Floresta e Barra do Garças, já foram ouvidos pela Justiça Eleitoral sobre o caso e deverão prestar novos esclarecimentos na próxima semana.
O assessor jurídico de Mauro Mendes, Paulo Taques, garante que as provas são fortes e consistentes. Apesar de não querer dar detalhes do processo, aponta que a ação poderá culminar na cassação do registro de candidatura de Silval. Por outro lado, o advogado do governador, Francisco Faiad, avalia que não há nenhuma irregularidade que poderá comprometer o mandato de Silval.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Silval Barbosa diz que não quer apoio de Wilson Santos em eventual segundo turno

Posted on outubro 3, 2010. Filed under: eleições 2010, Mauro Mendes, segundo turno, Silval Barbosa, Wilson Santos |

>

Eleições 2010 – Acompanhado do prefeito de Matupá, Fernando Zafonato do DEM, Silval Barbosa (PMDB) desconsiderou uma eventual aliança com o PSDB, caso ocorra um eventual segundo turno entre o peemedebista e o empresário Mauro Mendes (PSB).


Sem rodeios, Silval disparou contra as especulações acerca da aliança formada entre Mauro Mendes e o ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos para desestabilizar a campanha do peemedebista e forçar um segundo turno.

“Sei que existem muitas pessoas boas no PSDB, sobretudo descarto o apoio e a companhia de Wilson Santos, afinal eles (Mauro e Wilson) não se juntaram para me bater, então que eles se abracem e fiquem juntos” disse.

Sem se aprofundar nas críticas aos adversários o governador que pleiteia a reeleição, negou que já estar se articulando com a estar mantendo conversações com líderes do Democratas (DEM) partido que mais teve adesões de prefeitos a campanha de Silval, um total de 12 de 23 chefes municipais de coligações adversárias.
Além disso, por inúmeras vezes Silval reiterou que a fatura será liquidada neste domingo, sem chances para os adversários.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Pesquisa Gazeta Dados aponta que eleição deve ser decida em 2º turno

Posted on outubro 3, 2010. Filed under: eleições 2010, Jornal A Gazeta, Marcos Magno, Mauro Mendes, Pesquisa Gazeta Dados, Silval Barbosa, Wilson Santos |

>Eleições 2010 – O jornal A Gazeta publicou neste na edição de domingo, 03 de outubro, pesquisa Gazeta Dados, fechada neste sábado às 16 horas, apontou crescimento dos candidatos ao governo Silval Barbosa (PMDB) e Mauro Mendes (PSB) nas intenções de voto estimulado. Números obtidos pelo instituto mostram uma tendência do pleito ser decidido em segundo turno. Entretanto, a partir da margem de erro com a oscilação dos percentuais em 3% para mais ou para menos, não se pode descartar também a possibilidade da eleição ser definida na votação de hoje.

Se o gráfico não mostra os números com clareza, confira o percentual de votos de cada candidato na pesquisa estimulada:

  • Silval Barbosa     45%
  • Mauro Mendes    32%
  • Wilson Santos     16%
  • Marcos Magno     1%

Nesta quinta rodada estadual do Gazeta Dados, o peemedebista mantém o primeiro lugar na corrida pelo comando do Palácio Paiaguás com 45% da preferência dos eleitores, enquanto o socialista aparece em segunda colocação com 32%. Em relação ao levantamento anterior, dos dias 25 e 26 de setembro, Silval ganhou 2 pontos percentuais e, Mauro, 5 pontos. O terceiro colocado Wilson Santos (PSDB) saiu de 15% e hoje tem 16%. Marcos Magno (PSOL) soma 1%.

Os votos válidos de acordo com o Gazeta Dados ficam assim:

  • Silval terminaria a eleição com 48% dos votos válidos. 
  • Mauro teria 34%,
  • Wilson 17% e
  • Magno 1%. 

A soma dos candidados de oposição a Silval chega a 52%.

Para se chegar aos votos válidos, aqueles usados para declarar um candidato vitorioso, a Justiça Eleitoral retira brancos e nulos. No caso de pesquisa, são eliminados brancos, nulos e o índice de indecisos é dividido proporcionalmente para cada candidato.

Na margem de erro, a partir dos votos válidos, o atual governador que tenta a reeleição oscila de 45% a 51%; o empresário Mauro Mendes vai de 31% a 37%; o ex-prefeito de Cuiabá, de 14% a 20% e o candidato do PSOL, estreante em política, desce a 0% e alcança 4%.

Entrevistadores do Gazeta Dados saíram a campo em 40 municípios na sexta-feira, mas 70% dos questionários foram aplicados ontem, quando a pesquisa foi fechada ouvindo mil pessoas. A sondagem indica que brancos e nulos chegam a 2% e os indecisos ainda reúnem 4% do eleitorado mato-grossense. Este percentual é considerado significativo para a véspera de um pleito. A pesquisa demonstra uma situação limite, já detectada pelo instituto na amostragem feita há 6 dias, e que não permite afirmações. (Acompanhe os gráficos de evolução nesta página)

Espontâneo – Registrada sob o número 40.182/2010 no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT), o Gazeta Dados ainda fez a simulação do voto espontâneo, quando o entrevistado declara voto a um candidato sem ter acesso a lista oficial de nomes. Diferente da estimulada quando ao eleitor é apresentada a relação das candidaturas.

No voto espontâneo, Silval obteve 36% das indicações dos entrevistados contra 26% atribuídos a Mendes. Comparando-se com o levantamento anterior, enquanto o peemedebista cresceu 4 pontos percentuais, o socialista subiu 7 pontos.

Wilson Santos alcançou 12%, 2 pontos a mais. Já Magno não pontuou. Nesta modalidade, 4% declararam voto nulo e branco e, 22%, afirmaram que ainda não escolheram para quem darão o voto neste domingo. Entre os dois levantamentos, o percentual de indecisos reduziu 13 pontos.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Pesquisa Gazeta Dados aponta queda de Silval e indica que eleição será decida em 2º turno

Posted on setembro 28, 2010. Filed under: eleições 2010, Indecisos, Mato Grosso, Mauro Mendes, pesquisa espontânea, Pesquisa Gazeta Dados, segundo turno, Silval Barbosa, técnica Survey, Wilson Santos |

>

Pesquisa do Instituto Gazeta Dados publicada no Jornal A Gazeta na edição 6877 de 28 de setembro, o governador Silval Barbosa candidato a reeleição caiu 3 pontos percentuais em relação a pesquisa anterior e Mauro Mendes subiu 1 ponto. Os números ficaram assim:
  • Silval Barbosa   43%
  • Mauro Mendes  27%
  • Wilson Santos   15%
  • Indecisos           12%
  • Brancos/Nulos    3%
 Com os resultados aponta um viés de que queda contínua de Silval e aponta para um pequeno crescimento de Mauro Mendes, Wilson Santos permanece estabelizado. Esses dados aponta com segurança que as eleições 2010 para governador em Mato Grosso será decida em 2º turno.



Histórico das pesquisas do Gazeta Dados

Em relação ao levantamento anterior, de 18 e 19 de setembro, Silval oscilou 3 pontos percentuais dentro da margem de erro, da mesma forma como Mendes. O principal adversário do peemedebista teve crescimento de somente 1 ponto percentual, saindo de 26% para 27%. Já o tucano Wilson Santos permaneceu com os mesmos 15% apontados desde a segunda rodada do Gazeta Dados, feita de 3 a 5 de setembro. Marcos Magno (PSOL), que vinha apresentando 1% da preferência dos eleitores, não pontuou.

Da primeira rodada do Gazeta Dados, ainda em agosto, antes do início do horário eleitoral gratuito, Silval Barbosa avançou 12 pontos, partindo de 31%, passando a 48%, 46% e agora está com 43%. Durante 40 dias de campanha, o atual governador impôs uma frente sobre os demais candidatos, o que lhe assegura a condição de primeiro lugar.
O empresário Mauro Mendes, que começou na terceira colocação com 15%, foi a 21%, depois 26% e hoje tem 27%, deixando para trás o adversário Wilson Santos (PSDB), com quem disputou a prefeitura de Cuiabá em 2008 e saiu derrotado em segundo turno. O tucano iniciou a campanha pela sucessão ao governo com 23%, caiu para 15%, índice que se manteve até o último final de semana. Foram 8 pontos percentuais perdidos que, pelo comportamento dos números, acabaram repassados a Mendes, resultando no aumento do índice do candidato do PSB.
Também no voto estimulado, categoria quando o eleitor tem acesso à lista de candidatos, o número de indecisos mostra uma oscilação expressiva. Eram 23% e agora totalizam 12%, 11 pontos percentuais a menos. O total de votos nulos de brancos sai de 7% para 3%, um recuo de 4 pontos percentuais.
Com 2,095 milhões de eleitores aptos a votarem em Mato Grosso, os 12% que declaram não ter ainda escolhido o candidato ao governo representam 251,4 mil votos. Com o dia da votação bem próximo, somente fatos novos e relevantes podem levar essa parcela do eleitorado a indicar claramente qual seria a tendência eleitoral. Vale lembrar que as sondagens refletem um quadro de momento e que podem variar por conta de qualquer fato político. O Gazeta Dados vai divulgar a quinta e última rodada regional de pesquisa no dia 3 de outubro.
Pesquisa espontânea
Na evolução do voto espontâneo, o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, teve um crescimento de 17 pontos percentuais, saindo de 15%, passando a 30%, 31% e agora 32%. A escolha na modalidade espontânea é considerada por estatísticos como o voto consolidado porque o eleitor responde ao entrevistador em qual candidato vai votar, sem acesso a relação oficial de candidatos.
O neossocialista Mauro Mendes chegaria em 3 de outubro em segundo lugar com 19% da preferência dos eleitores, uma elevação de 11 pontos desde a primeira rodada estadual realizada pelo Gazeta Dados. Mendes iniciou com 8%, foi a 13%, esteve em 15% e hoje apresente 19%.
Já o ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos (PSDB), nos quatro levantamentos do instituto, manteve o índice de 10%. Marcos Magno não pontuou na modalidade de voto espontâneo. Enquanto brancos e nulos caíram de 7% para 4%, o total de indecisos recuou significativamente de 60% para 35%, 25 pontos percentuais.
Segundo turno
Como tradicionalmente vem expondo em suas pesquisas, o Gazeta Dados projetou os confrontos para um segundo turno. Silval Barbosa venceria facilmente os adversários Mauro Mendes ou Wilson Santos.
Quando a simulação coloca Silval e Mauro, o peemedebista ganharia o pleito com 15 pontos percentuais de frente. O governador teria 45%, 2% a mais que na pesquisa anterior. Já o empresário do PSB ficaria com os mesmos 30%, indicados no levantamento feito há sete dias.
Entre Silval e Wilson, o favoritismo é ainda mais expressivo para o atual governador, que levaria a eleição com 35 pontos de frente. Peemedebista teria 52% e o tucano 17%. Silval cresceu 3 pontos e Wilson perdeu 5 pontos, comparando-se com a amostragem dos dias 18 e 19 de setembro.
Em uma virtual disputa com Mauro e Wilson, o tucano sai derrotado das urnas com 20% das intenções de voto contra 41% atribuídos ao socialista, uma diferença de 21 pontos, apontando que a chance de Wilson chegar a uma final nesta eleição parece difícil.
Perfil da Pesquisa – Realizada nos dias 25 e 26 de setembro, entrevistadores do Gazeta Dados estiveram em 40 municípios, divididos em sete regiões de Mato Grosso, ouvindo 1 mil eleitores. Com margem de erro de 3% variando para mais ou para menos, a pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT) sob o número 39.272/2010. O instituto aplica a técnica Survey de questionários padronizados capazes de gerar resultados representativos do eleitorado mato-grossense.
Fonte: A Gazeta
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Pesquisa Ibope aponta empate técnico entre Silval e os demais candidatos ao governo de MT

Posted on setembro 25, 2010. Filed under: eleições 2010, Ibope, Marcos Magno, Mato Grosso, Mauro Mendes, Pesquisa Ibope, Silval Barbosa, Tv Centro América, Wilson Santos |

>Eleições 2010 -O instituto Ibope divulgou resultado de pesquisa eleitoral nesta sexta-feira, 24 de setembro,  encomendada pela TV Centro América para o governo do Estado. Se as eleições fossem hoje, o resultado seria o seguinte:

  • Silval Barbosa (PMDB) teria 46% das intenções de voto. 
  • Mauro Mendes (PSB) teria 24%. 
  • Wilson Santos (PSDB), 16%. O candidato
  • Marcos Magno (PSOL) teria 1%. 
  • Indecisos somam 11%. 
  • Brancos e nulos, 2%.

O Ibope ouviu 812 eleitores entre os dias 21 e 23 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso sob o número 37699/2010.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Pesquisa Vox Populi indica que haverá 2º turno na eleição para governador em MT

Posted on setembro 24, 2010. Filed under: Band, Eleição, eleições 2010, governador, Marcos Magno, Mato Grosso, Mauro Mendes, pesquisa, Pesquisa Vox Populi, Silval Barbosa, TV Cidade Verde, Wilson Santos |

>

Os candidatos Silval, Mauro e Wilson Santos

Eleições 2010 – Pesquisa realizada no período de 17 a 20 de setembro, pelo instituto Vox Populi, divulgada nesta sexta-feira, 24 de setembro, pela Band TV Cidade Verde, canal 12,   revelou um quadro eleitoral diferente dos resultados divulgados por outros institutos na eleição para governador de Mato Grosso.

Na modalidade estimulada, apresenta o seguinte resultado:

Silval Barbosa (PMDB) – 42%
Mauro Mendes (PSB) – 20%
Wilson Santos (PSDB) – 17%
Marcos Magno (PSOL) – 1%
Ninguém/Branco/Nulo – 4%
Indecisos – 16%

Na modalidade espontânea, o levantamento aponta:

Silval Barbosa (PMDB) – 29%
Mauro Mendes (PSB) – 13%
Wilson Santos (PSDB) – 11%
Marcos Magno (PSOL) – 0%
Ninguém/Branco/Nulo – 3%
Não responderam – 44%

Rejeição

Wilson Santos (PSDB) – 25%
Marcos Magno (PSOL) – 17%
Silval Barbosa (PMDB) – 7%
Mauro Mendes (PSB) – 6%
Poderia votar em qualquer um deles – 16%
Não votaria em nenhum deles – 2%
NS/NR – 27%

A pesquisa foi registrada sob números 37.715/2010 e 31.696/2010 no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE), respectivamente. Foram entrevistados 1.000 eleitores. A margem de erro da pesquisa é de 3,1%, para mais ou para menos.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Pesquisa Gazeta Dados aponta crescimento de Mauro Mendes e queda de Silval Barbasa

Posted on setembro 22, 2010. Filed under: eleições 2010, Jornal A Gazeta, Mato Grosso, Mauro Mendes, pesquisa eleitoral, Pesquisa Gazeta Dados, Silval Barbosa, Wilson Santos |

>

Eleições 2010 – O instituto Gazeta Dados em pesquisa eleitoral divulgada pelo Jornal A Gazeta, aponta estabilidade de Wilson Santos, queda de Silval Barbosa e crescimento de 5 pontos percentuais de Mauro Mendes.

Silval Barbosa venceria a eleição, de acordo com a terceira rodada de pesquisa em Mato Grosso, feita nos dias 18 e 19 de setembro. O peemedebista aparece com 46% da preferência do eleitorado, confirmando a condição de primeiro colocado. Mauro Mendes (PSB) surge em segundo lugar indicando uma reação positiva de 5 pontos percentuais, ao atingir 26%.
Em terceiro, mantém-se Wilson Santos (PSDB) com idênticos 15% mostrados na sondagem anterior. Marcos Magno (PSOL) também reafirma a condição de lanterninha com 1%. Brancos e nulos somam 3% e o total de indecisos é de 9%.
Comparando-se as três rodadas de pesquisa, o governador e candidato à reeleição partiu de 31% dos votos, foi a 48%, e hoje está com 46%. Mendes saiu de 15%, alcançou 21% e chegou a 26%. O empresário permaneceu numa curva ascendente, com um crescimento de 11 pontos percentuais.
Já Wilson Santos, que deixou a prefeitura de Cuiabá para concorrer ao governo, tem uma performance ao inverso, começando com 23%, baixando a 15%, índice mantido na terceira rodada. Com margem de erro de 3% para mais ou para menos, o Gazeta Dados esteve em 40 municípios e registrou a pesquisa sob o número 36.715/2010 no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MT).
Pesquisa espontânea
Na pesquisa espontânea, que se difere da estimulada, porque o eleitor diz sem qualquer indução o nome de seu candidato, Silval Barbosa (PMDB) atinge 31% da votação. Seis pontos percentuais atrás e em segundo lugar, está Mauro Mendes, com 15%. Wilson Santos obteve 10% e Marcos Magno não pontuou. Nesta modalidade, brancos e nulos totalizam 2% e o total de indecisos salta a 42%.
Em relação às pesquisas feitas no começo de setembro e em agosto (dias 14,15 e 16), o candidato à reeleição subiu 16 pontos percentuais, passando de 15% para 30% e agora 31%. O socialista saiu de 8%, atingindo 13% e indo até 15%. Já o tucano repete nas três pesquisas os mesmos 10%.
Votos válido
Para aproximar de uma situação mais real, o Gazeta Dados fez ainda a simulação dos votos válidos, quando em pesquisas eleitorais são retirados as indicações de brancos, nulos e o percentual de indecisos é distribuído entre os candidatos de acordo com o percentual de cada um.
Quando se consideram só os votos válidos, Silval Barbosa vai a 52,27%, em primeiro lugar, e Mauro Mendes alcança 29,55%. Wilson Santos obtém 17,05% e Marcos Magno fica com 1,13%. Para declarar um candidato vitorioso, a Justiça eleitoral considera somente os votos válidos, excluindo nulos e brancos.
Segundo turno
Na simulação de segundo turno, Silval Barbosa venceria com 46%, contra 30% de Mendes. Os percentuais eram 50% e 21%, na pesquisa anterior. Os indecisos de 21% caem para 20% e brancos e nulos de 8% a 4%.
Entre Silval e Wilson, o peemedebista cresce a 49% contra 22% atribuídos ao tucano. Sete por cento admitiram voto em branco ou nulo e 22% declararam indecisão.
Se o confronto envolver Wilson e Mauro, o socialista seria o futuro governador de Mato Grosso com 39% das intenções de voto, acompanhado do tucano com 25%. Indecisos somam 27% e brancos e nulos 9%.
Na terceira rodada, ainda houve o questionamento sobre a convicção de voto. Quem respondeu “não muda, está decidido” soma 66%. “Pode mudar com certeza” atinge apenas 15% e “talvez possa mudar”, 12%.
Rejeição
O ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, continua sendo o nome mais rejeitado para ocupar a cadeira número um do Palácio Paiaguás, com 21%, seguido por Marcos Magno com 13%. Um pouco mais distante surge Silval Barbosa com 9% e, com 8%, Mauro Mendes.
Em se tratando de rejeição, 8% declaram voto em branco e o índice de indecisos chega a 41%.
A partir do horário eleitoral, que começou em 17 de agosto, os entrevistadores do Gazeta Dados perguntaram aos eleitores sobre qual candidato tem a melhor proposta. Quarenta e dois por cento indicaram Silval Barbosa, 21% Mauro Mendes e 17% Wilson Santos.
Técnica – O Instituto Gazeta Dados faz pesquisas somente para divulgação nas empresas do Grupo Gazeta de Comunicação. Através da técnica Survey com questionários estruturados é capaz de gerar resultados bem próximos à margem de erro, de 3%.
Nesta terceira rodada estadual, o instituto entrevistou mil eleitores, sendo 52% formado por homens e 48%, por mulheres. A maior parte tem acima de 45 anos, pratica o catolicismo (62%), cursou apenas o ensino fundamental (68%) e recebe até 5 salários mínimos (71%).
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Governo de Mato Grosso perdoa dívida de mais de R$ 185 milhões de empresa paranaense

Posted on setembro 21, 2010. Filed under: Blairo Maggi, candidato, dívida, Fertipar, governo, Mato Grosso, Ministério Público, Palácio Paiaguás, Senado, Silval Barbosa, TV Record, Wilson Santos |

>

Wilson Santos (PSDB)   

Um dia após acusar o ex-governador e hoje candidato ao Senado Blairo Maggi (PR) de ter “perdoado” uma dívida superior a R$ 155 milhões durante o debate da TV Record, Canal 10, nesta segunda (20), o candidato ao Palácio Paiaguás, Wilson Santos (PSDB), apresentou uma série de documentos sobre o caso “Fertipar” que, segundo o tucano, é uma verdadeira aberração do casuísmo. As denúncias podem cair como uma “bomba” na campanha de Maggi e também do governador Silval Barbosa (PMDB), que busca a reeleição e era vice do republicano na época em que a empresa foi beneficiada. Apesar das denúncias ocorrerem a 12 dias da eleição, Wilson garante que as acusações não têm cunho político. “Eu estudei essa denúncia por dois meses para não fazer nenhuma acusação leviana. Mas vocês podem checar que todos os documentos apresentados são oficiais, estão timbrados e devidamente assinados pelas autoridades do Estado”,  afirmou Wilson Santos.
   
De posse de decretos de lei, acórdãos e pareceres do próprio Governo, Wilson afirmou que o Decreto de Lei 2311/2009, publicado em 23 de dezembro de 2009, foi criado com o único intuito de favorecer a empresa paranaense de fertilizantes Fertipar, que possui uma filial em Rondonópolis. Conforme a documentação apresentada por Wilson, a empresa entregava toda a mercadoria, isenta dos impostos, para a empresa Amaggi, da qual o ex-governador é sócio. “Assim fica fácil ficar rico”, disparou o tucano.
   
Logo em seguida, ele afirmou que o decreto é ilegal e que, por isso, pretende encaminhar toda a documentação para o Ministério Público e outras autoridades para que o caso seja averiguado. “Vamos ao Tribunal de Justiça (TJ), Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STF), onde for necessário para que essa empresa pague o que deve a Mato Grosso”, afirmou o tucano. O decreto assinado por Maggi introduz alterações no regulamento do ICMS, que estão previstas no Decreto 1944/1989. Conforme o artigo 13º, que foi inserido na lei, “o deferimento previsto neste artigo é extensivo a quaisquer outras espécies de insumos agropecuários, derivados ou não, inclusive matérias primárias, ainda que lhes sejam dadas outras denominações ou classificações fiscais, desde que importados por produtor rural ou estabelecimento industrial até 22 de outubro de 2009”.

Wilson Santos (PSDB) 
Ocorre que conforme a Legislação, a empresa só pode ser beneficiada pela isenção fiscal se comprar a matéria prima em qualquer lugar e industrializar no Estado. Conforme Wilson, a Fertipar havia importado os “ingredientes” e depois resolveu industrializar tudo no Paraná. Durante fiscalização da Sefaz, em Campo Novo dos Parecis, a empresa foi autuada em 10 de outubro de 2007. Desde então, vinha recorrendo junto aos órgãos competentes, mas não obteve êxito. Em 29 de setembro de 2008, por exemplo, a Sefaz manteve a decisão e, como já havia se passado praticamente um ano da data da autuação, entendeu que a dívida da empresa era de R$ 185 milhões. “Até aqui o governo cumpriu o seu papel, o problema foi o decreto de 23 de dezembro. Um verdadeiro presente de Natal”, cutucou Wilson.
  

Segundo ele, depois de perder vários recursos o advogado da empresa, de posse do decreto assinado por Maggi, conseguiu anular a dívida em 25 de março. Na prática, segundo o tucano, o decreto beneficiou apenas a Fertipar, que já acumulava uma dívida de R$ 185 milhões, sendo R$ 61 milhões de ICMS, R$ 16,9 milhões de correção monetária, R$ 29,1 milhões de juros de mora e R$ 77,9 milhões em multas. “Quando esse decreto foi publicado ele já não tinha validade, tendo em vista que era retroativo. Isso é de um casuísmo que eu nunca vi na vida. Eles mudaram uma lei apenas para anular uma multa, que foi aplicada corretamente. Acho que alguém não queria pagar os R$ 61 milhões de ICMS”, disparou o tucano. Ainda conforme Wilson, a Fertipar foi uma das doadoras de campanha de Maggi e teria dado R$ 250 mil ao republicano em 2002, quando ele disputou o Governo pela primeira vez.
Fonte: RDNews
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

« Entradas Anteriores

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...