Ueze Zahran

>Em editorial Dorileo Leal, do Grupo Gazeta, acusa Ueze Zahran, Tv Centro América, de difamar Cuiabá

Posted on novembro 4, 2009. Filed under: Dorileo Leal, estádio do Verdão, Grupo Gazeta, Mixto, Santos, Tv Centro América, Ueze Zahran |

>

O jornalista João Dorileo Leal, superintendente do Grupo Gazeta de Comunicação, resolveu partir para o contra-ataque e rebater o empresário Ueze Zahran, dono da TV Centro América. Este último foi vaiado no último dia 22 de outubro, durante jogo de futebol feminino entre Santos e Mixto, no Estádio do Verdão.

Segundo Zahran, através de nota na TV Centro América, as vaias foram resultado de uma campanha difamatória contra sua empresa, por esta supostamente ter apoiado – e feito campanha – para que a capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, fosse escolhida como subsede da Copa de 2014. Zahran anunciou que irá acionar “um grupo de comunicação” judicialmente.

Em editorial de primeira página, Dorileo Leal não só reafirma que a TV Centro América fez campanha por Campo Grande como acusa Zahran de ter “exposto” Cuiabá nacionalmente com índices negativos.

“O jornalismo da afiliada da Rede Globo foi algoz e, de uma letra, transformou textos e mais textos para mostrar uma Cuiabá incapaz de receber o Mundial de futebol. Ainda bem que a escolha é somente técnica”, ataca Leal.

Confira a íntegra do editorial publicado hoje pela A Gazeta:

“A população de Mato Grosso, especialmente a de Cuiabá, acordou na última sexta-feira (30) com uma “Nota de Esclarecimento” assinada por empresas e funcionários do Grupo Ueze Zahran. Na Capital, entre outros negócios, o sul-mato-grossense é o proprietário da TV Centro América, afiliada da Rede Globo no Estado.

A nota, reproduzida em todos os telejornais da emissora, falava da estranheza de Ueze Zahran diante da suposta “hostilidade de alguns torcedores” em relação à sua pessoa no jogo de futebol feminino Santos e Mixto, realizado no Estádio Verdão no dia 22/10/09, com um placar de 12 a 0 para o time paulista.

Na verdade, não houve hostilidade e sim uma gigantesca vaia da torcida mixtense diante da sua presença em campo, inclusive. E é bem fácil explicar a animosidade. O senhor Zahran saiu de Campo Grande (MS) para vir a Cuiabá simplesmente prestigiar, não a partida em si, mas o Santos Futebol Clube, patrocinado – certamente com cifras milionárias – por uma de suas empresas, a Copagaz.

É muita pretensão por parte do empresário pensar que seria recebido com aplausos e flores por uma torcida que o vê como um adversário da Capital. Ora, o senhor apresentou o seu glorioso Santos para um Mixto sofrido, com sérias dificuldades para se manter e que sobrevive, basicamente, graças à garra de suas jogadoras e o apoio de algumas pessoas, que amam o futebol – o Santos da Copagaz e o Mixto de Cuiabá, comparativamente, é até uma humilhação.

Mas foi esse amor ao esporte que embalou a luta para colocar Cuiabá como cidade-sede da Copa do Mundo de 2014. E parece ser também o “x” da questão, porque na nota o senhor novamente tenta limpar a mancha que ficou cravada em suas empresas e na história de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul, quando Cuiabá teve a
indicação da Fifa.

Não é bom menosprezar a inteligência da população. A sua postura e a de seu grupo empresarial foi tão clara em defesa de Campo Grande que, jamais nas últimas décadas, Mato Grosso e Cuiabá haviam sido tão expostos nacionalmente pela mídia com rankings negativos.

O jornalismo da afiliada da Rede Globo foi algoz e, de uma letra, transformou textos e mais textos para mostrar uma Cuiabá incapaz de receber o Mundial de futebol. Ainda bem que a escolha é somente técnica.

E os membros da Fifa não se deixaram contaminar pelos ataques covardes à nossa gente e à nossa terra através de reportagens negativistas. A Fifa trabalha com seriedade e números. Não se rende a lobbys e nem a manobras!

Ao contrário do Grupo Zahran, o Grupo Gazeta de Comunicação se orgulha de ter permanecido ao lado de Mato Grosso, mais uma vez, expondo não uma Cuiabá perfeita, mas um município em condições de se organizar a tempo e ser uma das cidades-sede da Copa 2014. Não precisamos empunhar bandeiras que não nos pertencem.

É preciso deixar a hipocrisia de lado e lembrar que a novela Paraíso, por exemplo, gravada no Pantanal e em Chapada dos Guimarães, não teve cenários lindíssimos escolhidos pelas mãos da TVCA, mas sim e tão somente, por uma decisão da Rede Globo de Televisão.

Por fim, não tememos responder ao processo judicial anunciado pelo Grupo Zahran. Aliás, consideramos ser essa uma ação contra Cuiabá. Que crime teríamos cometido ao defender a Capital achincalhada pelos ataques da Rede Globo e da mídia campo-grandense?

Se é essa a sustentação de Zahran, teremos prazer em nos manifestarmos na ação. E, ainda, se formos condenados, o que não acreditamos, será um orgulho trazer em nosso currículo a marca da defesa intransigente de Cuiabá. Nós, do Grupo Gazeta, temos raízes regionais, empregamos aqui, produzimos aqui e reinvestimos aqui. Somos sim, genuinamente, de tchapa e cruz!”

JOÃO DORILEO LEAL
SUPERINTENDENTE DO GRUPO GAZETA DE COMUNICAÇÃO

Outro lado

A direção da TV Centro América informou, através do jornalista Andersen Navarro, que não irá se posicionar, no momento, sobre o editorial publicado hoje pelo jornal A Gazeta. Segundo ele, a direção primeiro irá “tomar pé da situação” para, em seguida, se pronunciar para a opinião pública e tomar as medidas cabíveis. Fonte: Midianews

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...