Valtenir Pereira

>Mauro Mendes pode virar a Dona Baratinha

Posted on dezembro 19, 2009. Filed under: Eleição 2010, Mauro Mendes, PPS, PSB, PSDB, Valtenir Pereira |

>

Eleição 2010 – Mesmo após tanto se dizer que a filiação de Mauro Mendes (ex-PR) no PSB de Valtenir Pereira tenha causado sua discórdia com Blairo (PR), obviamente Mauro sempre foi o plano B, ou mesmo, e esta é minha opinião, o plano A do grupo do governador de Mato Grosso.


A candidatura de Silval (PMDB – atual vice-governador) não é necessariamente a dos sonhos de Blairo, que tenta apenas seguir regionalmente os rumos que Lula quer dar à união PMDB-PT em nível nacional. Colado às determinações de Lula, Blairo pavimenta seu retorno ao governo daqui a 4 anos, tendo em 2014 o apoio de Lula, que será novamente candidato à presidência.


Então, vamos adiante. Nas primeiras semanas de filiado, o deputado Valtenir colocou Mauro numa bandeja de prata e saiu por ai alardeando aos quatro cantos que tinha um candidato ao governo. Anunciou uma aliança com PPS, PDT e outros partidos menores. Bem, vá lá, eleitoralmente Mauro é um bom nome, mais viável que a candidatura Silval.


Mas algo mudou nessa relação, e o agora possível candidato ao governo pelo PSB passou a seguir o presidente do PPS, Percival Muniz, e dar demonstrações de que não precisa mais do deputado federal Valtenir Pereira, que por sua vez, não esconde mais o seu desapontamento.


Por cacoete provinciano ou equívoco de estratégia, Mauro não está prestando atenção nos acontecimentos nacionais. Tudo muda quando vemos se concretizar o que eu já tinha escrito antes da vinda de Ciro à Cuiabá (leia “PSB traz Ciro a Cuiabá para outros partidos aplaudirem”): Ciro não será candidato à presidência. Se for, será um fiasco, pois faltará tempo no horário eleitoral e partidos que o apóiem. Ciro está fora do jogo, e já percebendo que não será a noiva de Dilma, sem perder a mania, passou a desferir impropérios contra estes ou aqueles. Desta vez o alvo foi a coligação PMDB-PT.


Se antes a aposta estava na necessidade de ter um palanque no estado para o candidato à presidente, isso deixou de existir com Ciro fora, e o que mais interessa ao partido político é a formação da sua bancada federal.


Entre a possibilidade de um candidato ao governo, com possibilidades de vitória remotas até o momento, e a possibilidade de reeleição de um deputado federal, não tenha dúvida, a bancada falará mais alto. Isto quer dizer que aos olhos do PSB nacional, com Ciro fora, Valtenir é a noiva da vez. Mauro tem que ter muita bala na agulha para fazê-los pensar diferente.


Além disso, o deputado estadual Percival Muniz, que parece ser o orientador de Mauro, está com uma espada na sua cabeça que vem da nacional do partido. Nacionalmente o PPS está tão entrosado com o PSDB que o seu presidente Roberto Freire foi claro quando o entrevistei meses atrás: “ou o partido tem projeto próprio, ou o apoio é ao PSDB”. Isto quer dizer que ou Percival se articula para ser o vice numa candidatura de Mauro, ou nada feito.


Ainda há muitos lances para serem jogados, mas, caso Mauro vacile, pode ficar como a Dona Baratinha, com dinheiro na caixinha e sem noivo pra casar.

Autora: Adriana Vandoni é economista e especialista em administração pública pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas (www.prosaepolitica.com.br)

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Os gastos de nossos deputados federais

Posted on dezembro 8, 2008. Filed under: Carlos Abicalil, Carlos Bezerra, Deputados federais de MT, Eliene Lima, Homero Pereira, Pedro Henry, Thelma de Oliveira, Valtenir Pereira, Walington Fagubndes |

>

Bezerra torra R$ 20 mil com verba indenizatória

Carlos Bezerra (PMDB) O cacique do PMDB Carlos Bezerra “torrou” R$ 20,4 mil de sua verba indenizatória de novembro e lidera a lista dos que mais gastaram entre os 8 deputados federais mato-grossenses. O progressista Pedro Henry gastou R$ 19,3 mil. Já Wellington Fagundes (PR) apresenta despesas de apenas R$ 5,6 mil. Cada federal tem direito a R$ 15 mil mensais de reembolso a título de verba indenizatória. Trata-se de um ressarcimento de despesas com aluguel, manutenção de escritórios, locomoção, alimentação e despesas diretamente relacionadas ao exercício do mandato. Os dados são públicos. Estão disponíveis no site da Câmara dos Deputados em um link denominado de tranparência.

Pedro Henry (PP) Segundo os dados do balancete de Bezerra ele gastou R$ 4,2 mil com combustível; R$ 7 mil com divulgação de atividade parlamentar e R$ 9,2 mil com locomoção, hospedagem e alimentação. Juntos, som R$ 20,4 mil. Pedro Henry recebeu reembolso de R$ 5,6 mil devido a gastos com locomoção, hospedagem e alimentação; R$ 9 mil com consultorias, assessorias, pesquisas e trabalhos técnicos. Já com combustível Henry gastou R$ 4,5 mil. Ao todo foram R$ 19,3 mil em novembro.

Thelma de Oliveira (PSDB) “torrou” R$ 15,2 mil. Ele apresentou comprovantes para despesas de R$ 8 mil com aluguel de imóveis para escritório; R$ 2,6 mil com aquisição de material de expediente e R$ 4,5 mil com combustível. Eliene Lima (PP) declarou gastos de R$ 15 mil, como R$ 4,5 mil com combustível; R$ 4 mil com consultorias, assessorias, pesquisas e trabalhos técnicos; e R$ 3,5 mil com compra software.

Deputado Valtenir Pereira (PSB) O deputado Valtenir Pereira (PSB) revela ter gasto R$ 10 mil, sendo R$ 2,7 mil com aluguel; R$ 1,3 mil com aquisição de material de expediente; R$ 4,5 mil com combustível e R$ 1,8 mil com locomoção, hospedagem e alimentação. O republicano Homero Pereira apresentou gastos de R$ 10,1 mil. Segundo seu balancete, ele “torrou” R$ 5,3 mil com locomoção, hospedagem e alimentação; R$ 1 mil com aluguel; R$ 2,9 mil com combustível; R$ 337 com compra de material de expediente e R$ 415 com aquisição ou locação de software; serviços postais; TV a cabo ou similar; acesso à internet; e locação de móveis e equipamentos.

o petista Carlos Abicalil apresenta despesas de R$ 6,1 mil. Entre outras estão R$ 2,1 mil com aluguel; R$ 502 com aquisição de material de expediente; e R$ 324,22 com compra ou locação de software. O que menos gastou foi o republicano Wellington Fagundes. Diz que suas despesas de novembro sobre verba indenizatória foram de R$ 5,6 mil. (Patrícia Sanches)

Despesas dos federais com verbas indenizatórias
(novembro de 2008)
Deputado gastos
Carlos Bezerra (PMDB) R$ 20, 4 mil
Pedro Henry (PP) R$ 19,3 mil
Thelma de Oliveira (PSDB) R$ 15,2 mil
Eliene Lima (PP) R$ 15 mil
Homero Pereira (PR) R$ 10,1 mil
Valtenir Pereira (PSB) R$ 10 mil
Carlos Abicalil (PT) R$ 6,1 mil
Welington Fagundes (PR) R$ 5,6 mil

Fonte: RDNews
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...