Vox Populi

>Eleições 2010: Boca fechando

Posted on outubro 14, 2010. Filed under: Boca fechando, campanha eleitoral, Dilma Rousseff, eleições 2010, Jornal Nacional, José Serra, pesquisa do Ibope, tucano, TV Bandeirantes, Vox Populi |

>Por Merval Pereira
A pesquisa do Ibope divulgada ontem pelo “Jornal Nacional” mostra que a diferença entre a candidata oficial, Dilma Rousseff, e o tucano José Serra se reduziu pela metade desde a eleição de 3 de outubro. De 47% dos votos válidos, Dilma aumentou 6 pontos, chegando a 53%, enquanto Serra, que teve 33% nas urnas, hoje está com 47%, tendo crescido nada menos que 14 pontos em dez dias.

A diferença de 14 pontos caiu para seis com o início da propaganda oficial e depois do primeiro debate do segundo turno, na TV Bandeirantes. Ou, como dizem os especialistas quando a diferença entre os candidatos se estreita, “a boca do jacaré está fechando”.

É possível tirar a ilação de que o tom mais agressivo utilizado pela candidata Dilma Rousseff não surtiu efeito.

O resultado da pesquisa do instituto Vox Populi, que faz pesquisas para o PT, também divulgada ontem, que deu uma diferença de 8 pontos para Dilma, igual ao detectado pelo Datafolha depois do primeiro turno, mas antes do debate televisivo, pode ser atribuído à data em que foi realizada.

Enquanto o Ibope foi feito entre os dias 11 e 13, o Vox Populi fez a sua pesquisa no domingo e na segunda-feira. Como estava programado o debate para a noite de domingo, a pesquisa só pegou parcialmente o efeito dele na opinião dos eleitores.

O difícil é entender por que o instituto Vox Populi fez questão de sair a campo no próprio domingo, antes do debate.

A Nuvem

A guerra santa em que está se transformando perigosamente a campanha presidencial já tem sua crítica quase em tempo real em um novo livro do acadêmico Carlos Nejar, que está sendo lançado pela editora R&F.

“A nuvem candidata à Presidência” relata em tom de crônica a atual campanha eleitoral, com todos os candidatos perfeitamente identificados, embora com outros nomes, e uma vencedora, a própria Nuvem do título.

Um ditado muito conhecido é o que diz que “política é como nuvem, cada vez que se olha está diferente”. Nejar foi buscar a própria nuvem para falar de uma candidata nefelibata, perdida com seus sonhos no meio de uma guerra eleitoral.

A candidata oficial é Dila Mene, homenagem à amada de Camões, Dinamene, que um lapso do escrivão pôs a perder, e o presidente explica: “Dila sou eu hoje! Dila sou eu amanhã. Sou eu sempre Dila”.

A candidata oficial “mudou a aparência, os penteados, mas não se adaptou ao espetáculo, atriz novata no palco, atropelando a metade das falas ditadas da coxia”.

O opositor principal é Teodorico Serra, que detesta cães e gatos, “não tem carisma, tudo nele é forçado, (…) reúne preparo e certa tendência ao autoritarismo”.

Albertina “é filha da floresta, suave, elegante, inteligente nos debates, mas perde-se na miudeza do partido e dos programas, que é como querer chegar na Lua montada sobre um cavalo”.

Há ainda Plínio, O Velho, “trazendo os oráculos gregos e latinos, com um socialismo corroído nas ruínas e que parece novo, diante do formol ou espartilho da situação e de certa oposição que não tem ideias. Igual a seu homônimo da antiguidade, pode ser engolido pelo Vesúvio eleitoral que preserva os grandes devorando os pequenos”.

Nejar cita Laurence J. Peter, o educador canadense autor do “Peter principle” (Princípio de Peter) que diz que, numa burocracia de sistema hierárquico, todo funcionário tende a ser promovido até o seu nível de incompetência.

Pois Peter também definiu que “entrar numa igreja não o torna cristão, assim como entrar numa garagem não a transforma em um carro”.

Crítica que, para Nejar, poderia ser perfeitamente dirigida às súbitas aparições de candidatos ateus em igrejas, “com o rosto mais resignado e eclesial”.

E, como que já prevendo a polêmica que está instalada na campanha presidencial, ele relata as dificuldades da candidata Dila Mene para definir sua religiosidade.

Perguntada em 2007 se acreditava em Deus, uma pergunta recorrente a todos os candidatos a presidente, ela respondeu: “Eu me equilibro nessa questão. Será que há? Será que não há?”.

Já em fevereiro deste ano, perguntada se tinha alguma religião, respondeu, respondeu peremptória: “Não, mas respeito”.

Em abril, disse na TV Bandeirantes: “Acredito numa força superior que a gente pode chamar de Deus”.

Em maio, perguntada pela revista Isto é se era católica, saiu-se com essa: “Sou. Quer dizer, antes de tudo cristã. Num segundo momento, católica. Num terceiro, macumbeira”.

Albertina é decididamente evangélica, e Teodorico Serra é católico apostólico romano. Certa feita, em uma reunião de evangélicos, misturou “fumantes e ateus”.

Escreve Nejar: “Talvez para ele o ateu seja um fumante do nada e o fumante, um ateu do cigarro. Ou talvez o ateu seja um charuto, e o fumante, vapor engarrafado”.

Já a Nuvem, em vez da Bolsa-Família, inventou a Bolsa-Futuro, “que é a societária paz. Criando formas de as famílias, com o próprio esforço, se sustentarem”.

Letícia, o nome da Nuvem, relata Carlos Nejar, “viu cumprir-se sua vitória nas urnas sem saber ao certo onde estava. E escutava os alaridos das ruas. Não sei, leitores, se o sonho lhe pregou uma peça, ou se ela é que pregou uma peça ao sonho. O fato é que todos os dias se uniram àquele dia. Como se os sinos de muitos e muitos anos tocassem numa só vez. E a alma de repente quisesse vir para fora do corpo”.

Siga: Blog do Noblat

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleições 2010: Pesquisa Vox Populi aponta empate técnico entre Dilma e Serra

Posted on maio 15, 2010. Filed under: Dilma, pesquisa eleitoral, Serra, Vox Populi |

>O Jornal da Band divulgou agora pouco resultado de pesquisa eleitoral realizada de 9 a 13 de maio. É diferente de tudo que já se viu.

Dilma, segundo a pesquisa dá um salto para 38% enquanto Serra cai para 35% e Marina Silva mantém os 8% da pesquisa anterior.

Com certeza a partir de amanhã o falatório será geral, pois nada aconteceu para que Dilma mostrasse um desempenho tão surpreendente.

Novas pesquisas estão para ser divulgada, Datafolha e Ibope, esperemos para confrontar os números. Eu particularmente considero ao longo do tempo o Datafolha como instituto mais eficiente do Brasil

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleições 2010: Pesquisa Vox Populi aponta Silval e Wilson tecnamente empados em MT

Posted on maio 12, 2010. Filed under: eleições 2010, Mauro Mendes, pesquisa, pesquisa eleitoral, Silval Barbosa, Vox Populi, Wilson Santos |

>

O Jornal Diário de Cuiabá divulgou nesta quarta-feira, 12 de maio,terceira pesquisa de sua encomenda ao instituto Vox Populi. Nela Silval Barbosa está com 27% das intenções de voto contra 26% de Wilson Santos. O pré-candidato do PSB, empresário Mauro Mendes, aparece em terceiro com 14%. Já Procurador Mauro, do Psol, está em último com 1% da preferência do eleitorado. 

A pesquisa foi realizada entre os dias 1 e 4 de maio, mesmo período da pesquisa realizada pelo Ibope, só que com 1.000 pessoas de 16 anos ou mais, em Mato Grosso. Pode-se afirmar que os dois primeiros candidatos estão empatados tecnicamente pelo fato de que a margem de erro da pesquisa é de 3,1 pontos percentuais, para mais ou para menos. 

O dado que deve chamar a atenão é número de eleitores que afirmam que vão.

  • anular o voto ou votar em branco é de 4% e, 
  • indecisos somam 28%. 
A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral/MT com o protocolo no 10295/2010, no dia 30 de abril.  
O demonstrativo das três últimas pesquisas divulgadas é do departamento de arte do RDNews
Vamos usar aqui um método utilizado nos Estados Unidos nas últimas eleições e que o Jornalista José Marcondes, mais conhecido como Muvuca, já publicou em seu blog, o Megadebate, está registrando uma empresa para esse fim, que é a média de todas as pesquisas do período. 
Sendo assim, de acordo com os resultados acima,  temos os seguintes números:
Silval Barbosa…………………….. 29,6%
Wilson Santos…………………….. 27,7%
Mauro Mendes……………………  16,3%
Ou seja, na média, Silval e Wilson estão tecnamente empatados.
Fazemos aqui um desafio ao Gazeta Dados, que nas últimas eleições tem tido uma margem de acerto muito grande em suas amostragem de intenção de votos, começar, como os demais institutos, fazer pesquisa mensalmente. Fica a sugestão para colocar os pesquisadores nas ruas e publicar os resultados no final de maio ou início de junho.
O Bom Dia Mato Grosso sabe que os números apresentados nesse período de pré-campanha não fornece dados consistentes para evidenciar uma tendencia do eleitorado. Isso só ocorrerá depois da Copa do Mundo e com o início do horário eleitoral no rádio e tv, acompanhado dos debates entre os candidatos.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>A hora de Serra

Posted on maio 10, 2010. Filed under: Datafolha, Dilma Rousseff, Ibope, José Serra, pesquisas eleitorais, Ricardo Noblat, Sensus, Vox Populi |

> por Ricardo Noblat

Perguntei no meu blog quando Dilma Rousseff ultrapassará José Serra nas pesquisas de intenção de voto. Com pouco mais de três mil respostas registradas em quatro dias, 11,8% delas cravaram a opção “depois que Lula começar a pedir votos para Dilma na televisão a partir de agosto”. A opção “não ultrapassará Serra” atraiu 78% das respostas.

Otimistas, os que torcem por Serra ou parecem resignados com seu aparente favoritismo. A tendência detectada pela série de pesquisas aplicadas desde o ano passado por quatro institutos (Datafolha, Ibope, Vox Populi e Sensus) sugeria a ultrapassagem de Serra por Dilma antes do início oficial da campanha eleitoral marcado para cinco de julho próximo. Ocorreu que…

Ocorreu que Serra largou o governo de São Paulo e se lançou como pré-candidato à sucessão de Lula. O barulho promovido pela oposição em torno do lançamento interrompeu a ascensão de Dilma, embora não tenha refletido de maneira expressiva na diferença de intenção de votos entre os dois. Pelo contrário. A diferença aumentou apenas em um ou dois pontinhos – dentro, portanto, da margem de erro das pesquisas.

O governo aposta na retomada do crescimento de Dilma depois dos comerciais do PT que começaram a ser veiculados no rádio e na televisão na última quinta-feira. E que deverão culminar nesta quinta com o programa de 10 minutos do partido a ser estrelado pela candidata. O programa corre o risco de não ir ao ar. O Ministério Público Eleitoral quer punir o PT por ter usado o programa de dezembro para fazer propaganda de Dilma.

O PT limita-se a seguir o exemplo que vem de cima. Há quase dois anos que Lula faz campanha aberta por Dilma desrespeitando a lei – e em algumas ocasiões debochando dela. Foi multado duas vezes. Os comerciais do PT exibidos na última quinta-feira acabaram vetados pelo Tribunal Superior Eleitoral. Os dois novos comerciais exibidos no fim de semana derraparam nos mesmos problemas dos comerciais vetados.

Na fase de pré-campanha é Serra quem tem brilhado mais. A agenda tem sido ditada por ele. E quem dita a agenda comanda a campanha. Dilma ainda não encontrou um discurso. Tentou dois caminhos e, aparentemente, abandonou-os. Tentou seguir o script pré-determinado há meses de comparar os governos Fernando Henrique e Lula. Não rendeu o suficiente até aqui.

Ficar na comparação entre os governos não lhe daria base para um posicionamento firme como candidata com vida e luz próprias. Ela passou então a atacar Serra. Acusou-o de ser um lobo metido em pele de cordeiro. Chamou-o de biruta de aeroporto, que muda de direção a depender da força dos ventos. Não deu certo também. Para que desse, o adversário teria de topar a briga.

E Serra não topou. Quando lhe perguntaram o que achava de ter sido comparado a uma biruta de aeroporto, apenas riu. Durante o debate entre os candidatos na associação mineira de municípios, Serra desdobrou-se em cortesias com Dilma. Chegou ao ponto de dizer que ela jamais dificultou ou impediu a cooperação entre o governo federal e o governo paulista. Esfregou seu nariz no dela.

À procura de um discurso que não se restrinja à exaltação do governo Lula e à promessa de que dará continuidade a ele, Dilma tem incorrido no erro de se deixar pautar pelo adversário. Serra defendeu a criação do Ministério da Segurança Pública. Ela criticou a proposta. Serra disse que, se eleito, gostaria de governar com o PT e o PV. Lorota pura para ocupar espaço na mídia como candidato de conciliação.

Dilma reagiu à idéia. Líderes de peso do PT também reagiram. Assim como haviam reagido à garantia oferecida por Serra de que ampliará os benefícios do programa Bolsa-Família. Se Lula pôde se apropriar de várias bandeiras do PSDB realizando um movimento clássico estudado em livros dedicados ao marketing político, por que Serra não poderia fazer o mesmo?

A hora de Dilma ainda está por vir.


E-mail para esta coluna: noblat@oglobo.com.br
BLOG DO NOBLAT: http://www.oglobo.com.br/noblat

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Os números das novas pesquisas eleitorais

Posted on maio 4, 2010. Filed under: institutos, intuição, pesquisas eleitorais, Sensus, Vox Populi |

>Nos próximos dias os institutos de pesquisas começam divulgar os resultados de intenção de votos para presidente da república.

Depois dos últimos resultados, os números dos institutos Sensus e Vox Populi são esperados com certa apreensão.

Minha dica é que haverá uma pequena queda nas intenções de votos para Dilma, e uma oscilação para cima de cerca de 2 pontos para José Serra, Marina Silva deve chegar a 12 pontos.

Vamos aguardar para conferir se minha intuição tem algo a ver.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleições 2010: Vox Populi apontam Blairo e Antero na liderança de inteção de votos para o Senado

Posted on março 24, 2010. Filed under: Antero Paes de Barros, Blairo Maggi, Carlos Abicalil, eleições 2010, pesquisa, Senado, Senador, Serys Slhessarenko, Vox Populi |

>

O Jornal Diário de Cuiabá publica na edição desta quarta-feira, 24 de março, o resultado da pesquisa Vox Populi com intenção devotos para Senador nas eleições de 2010. Publicamos o  resultado aqui, mas se deseja você também acessar o site do jornal.
 Governador Blairo Maggi
Com 58% da preferência no primeiro voto e entre 20% e 14% – conforme o candidato do PT – no segundo voto, o governador Blairo Maggi (PR) lidera com folga a disputa pelas duas vagas ao Senado por Mato Grosso, nas eleições de outubro. É o que aponta a pesquisa contratada pelo Diário junto ao Vox Populi, realizada entre os dias 7 a 10 de março, com 1.000 entrevistas em 40 municípios de Mato Grosso.

 Antero de Barros
Em segundo lugar aparece o ex-senador Antero Paes de Barros, do PSDB. Os pré-candidatos do PT, deputado Carlos Abicalil e senadora Serys Slhessarenko travam uma apertada disputa pelo terceiro lugar.

No cenário em que o candidato do PT é o deputado Carlos Abicalil, Maggi lidera a opção do primeiro voto com 58% das intenções, Antero Paes de Barros é o segundo com 15% e Carlos Abicalil é o terceiro, com 10%. O procurador da República José Pedro Taques, sem partido, aparece com 1% das intenções, o mesmo índice do senador Gilberto Goellner, do DEM. Os que votam em branco, nulo ou em nenhum candidato são 2%. Indecisos são 13%.

Já o segundo voto, neste cenário, é liderado por Antero Paes de Barros com 27%, seguido por Maggi, com 20%. Abicalil é o terceiro com 11% e Pedro Taques surge em quarto com 4%. Gilberto Goellner tem a preferência de 2%. Branco, nulo ou em nenhum candidato atingem 6%. E os indecisos para o segundo voto sobem para 30%.

A soma do primeiro e do segundo voto indica que Maggi tem 40% da preferência, Antero com 20%, Abicalil com 11% e Pedro Taques e Gilberto Goellner com 1% cada.

Abicalil e Serys – a grande discordia no PT de Mato Grosso
Já no cenário com a Senadora Serys Slhessarenko, Blairo Maggi mantém a liderança do primeiro voto com os mesmos 58%. Antero Paes de Barros é o segundo com 16% e Serys aparece em terceiro, com 4%. Gilberto Goellner vem em seguida com 2%. Neste cenário, no lugar de Pedro Taques, o Vox Populi, avaliou o deputado Percival Muniz (PPS), que também obteve 2%. Nesta modalidade pesquisada, os que votam em branco, nulo ou em nenhum candidato são 2% e os indecisos são 16%.

O segundo voto é liderado novamente pelo tucano Antero Paes de Barros, com 20%. Só que o segundo lugar, desta vez, é da senadora Serys Slhessarenko, com 20%. Blairo Maggi é o terceiro com 14%. Muniz sobe para quarto com 7% e o democrata Gilberto Goellner aparece com 3%. Neste cenário o índice de indecisos se manteve em 30% para a segunda opção e os que votam em branco, nulo ou em nenhum candidato são 4%.

A soma dos votos, neste cenário, aponta Maggi com 38%, Antero tem 19%, Serys 11%, Percival com 4% e Goellner 3%.

Na intenção de voto espontânea, quando os pesquisadores não apresentam os nomes dos candidatos, Maggi lidera a opção do primeiro voto com 15%, Serys e Antero dividem a segunda posição com 2% cada. Carlos Abicalil é lembrado por 1%. Os indecisos são 78%. No segundo voto espontâneo, Antero Paes de Barros lidera com 23%, seguido por Blairo Maggi com 11%. Abicalil e Serys empatam em terceiro com 9% da preferência para cada candidato do PT. Pedro Taques surge com 5% e Wilson Santos é lembrado por 4%. Os indecisos caem para 34% no segundo voto para o senado.

A soma dos votos da primeira e segunda opção espontânea, apresenta Maggi com 14%, Antero 5%, Serys e Abicalil com 3% cada, Pedro Taques e Wilson Santos com 1% e 70% ainda estão indecisos.

O candidato ao Senado mais conhecido pelo eleitor é Blairo Maggi, todos o conhecem e 79% afirmam o conhecer muito bem. O menos conhecido é Gilberto Goellner, com 62% dos entrevistados afirmando não o conhecer. Pedro Taques é desconhecido para 47% dos eleitores. Na disputa interna do PT, Abicalil e Serys possuem números bem semelhantes de pessoas que os conhecem e, também, quem não os conhece (9% para Serys e 11% para Abicalil).

Na avaliação dos candidatos, Maggi tem uma avaliação positiva para 81% e negativa de apenas 3%. Antero é o segundo, avaliado positivamente por 47% e negativamente por 6%. Novamente os petistas Carlos Abicalil e Serys Slhessarenko possuem números bem próximos: Abicalil, 44% positivo e 8% negativo; Serys, 40% positivo e 12% negativo.

Os eleitores afirmaram que a possibilidade de voto em Blairo Maggi é grande para 79%. Já para Antero cai para 49%, Abicalil com 40% e Serys 38%.

Metodologia – A pesquisa do Vox Populi foi realizada entre os dias 7 e 10 de março. Foram feitas 1.000 entrevistas, com moradores e eleitores com mais de 16 anos, em 40 municípios de todo o estado. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de ‘survey’, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. A margem de erro, para o total do estudo é de 3,1%, estimada em um intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral/MT com o protocolo no 4083/2010, no dia 9 de março.
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

>Eleições 2010: Pesquisa Vox Populi aponta Wilson com 30% e Silval com 28%

Posted on março 23, 2010. Filed under: eleições 2010, Mauro Mendes, pesquisa, Silval, Vox Populi, Wilson |

>

O Jornal Diário de Cuiabá publica na edição de hoje pesquisa eleitoral de intenção de votos para governador de Mato Grosso nas eleições 2010, que postamos na íntegra aqui no Bom Dia Mato Grosso. Você pode também conferir direto no site do jornal.

O pré-candidato a governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), está estatisticamente empatado com o tucano Wilson Santos. Silval Barbosa atingiu 28% e caiu para 2 pontos percentuais a distância que o separa de seu principal adversário, Wilson Santos, do PSDB, que hoje lidera com 30%. 





Este é o principal resultado da segunda pesquisa Vox Populi, encomendada pelo Diário, realizada entre os dias 7 e 10 de março, com 1.000 pessoas de 16 anos ou mais, em Mato Grosso. Pode-se afirmar que os dois candidatos estão empatados pelo fato de que a margem de erro da pesquisa é de 3,1 pontos percentuais, para mais ou para menos.

No cenário no qual Wilson está com 30% e Silval com 28%, o empresário Mauro Mendes aparece na terceira posição, com 10%. O Procurador Mauro, do PSOL, soma 2%. Os que votam em branco, nulo ou em nenhum candidato são 7%. Indecisos são 23%.

A curva ascendente de Silval Barbosa é mais fácil de se observar ao comparar o cenário em que ele é avaliado diretamente com Wilson Santos, numa simulação de um eventual segundo turno. De dezembro para cá, Silval subiu 9 pontos percentuais e Wilson Santos caiu 4 pontos. Na pesquisa Vox Populi realizada em dezembro, Wilson tinha 37% e Silval aparecia com 22%. Hoje, Wilson está com 33% e Silval com 31%.

A pesquisa também indica que Silval Barbosa se fortalece como o principal candidato do grupo ligado ao atual governo. Ao comparar a candidatura do empresário Mauro Mendes, diretamente com a candidatura de oposição de Wilson Santos, de dezembro para cá, Wilson caiu 4 pontos percentuais, indo de 45% para 41%. A subida de Mauro foi bem menor que a de Silval, foi de 2 pontos. Em dezembro Mauro tinha 12% e agora está com 15%. A diferença entre ele e Wilson é de 26 pontos percentuais a favor do prefeito de Cuiabá, já para Silval esta distancia é de apenas 2 pontos.

No cenário em que Mauro Mendes não aparece na disputa, a distância entre Wilson e Silval sobe para 3 pontos percentuais. Com Wilson Santos obtendo 33%, Silval Barbosa 30%, Procurador Mauro 3%, branco, nulo ou ninguém com 7% e 27% de indecisos.

A pesquisa espontânea, quando os entrevistadores do Vox Populi não mostram nomes, Silval e Wilson Santos estão com 6%. Em dezembro, Wilson tinha 5 e Silval 4. Mauro Mendes subiu de 1% para 2%.

Os principais candidatos ao governo estão com taxa de rejeição bem próximas: Wilson Santos com 9% e tanto Mauro Mendes, como Silval Barbosa, com 6%.

Metodologia – A pesquisa do Vox Populi foi realizada entre os dias 7 e 10 março. Foram feitas 1.000 entrevistas, com moradores e eleitores com mais de 16 anos, em 40 municípios de todo o estado. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de ‘survey’, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. A margem de erro, para o total do estudo é de 3,1%, estimada em um intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral/MT com o protocolo no 4083/2010, no dia 9 de março.

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

>EIeições 2010: Instituto Vox Populi aponta empate técnico entre o prefeito Wilson Santos (PSDB) e o senador Jayme Campos (DEM) para governador de MT

Posted on dezembro 24, 2009. Filed under: DEM, EIeições 2010, Jayme Campos, PR, PSDB, Vox Populi, Wilson Santos |

>

Pesquisa Vox Populi de intenção de voto para o governo do Estado revela um empate técnico entre o prefeito de Cuiabá Wilson Santos (PSDB) e o senador Jayme Campos (DEM). Principais críticos do governo Blairo Maggi (PR), os dois já fizeram um acordo no qual o melhor colocado nas pesquisas no ano que vem será o candidato da oposição com a promessa mútua de apoio.

Num cenário em que nove nomes são apresentados ao eleitor (modalidade estimulada), Wilson Santos aparece com 21% das intenções de voto. Jayme Campos contabiliza 20%.

Os pesquisadores foram a campo entre os dias 9 e 13 de dezembro, ouvindo mil eleitores em 40 municípios, alguns deles sorteados aleatoriamente. Em Cuiabá houve 400 entrevistas. A margem de erro é de 3.1 pontos percentuais para mais ou para menos, o que implica em empate técnico entre Wilson e Jayme.

Também empatados com 10% das intenções de voto cada aparecem o deputado Carlos Abicalil (PT) e o vice-governador Silval Barbosa (PMDB), que tem o apoio do governador Blairo Maggi.

Em quinto lugar surge o empresário Mauro Mendes (PSB), lembrado por 7% dos eleitores. O deputado estadual e presidente da Assembleia José Riva (PP) computa 6% das citações. O também deputado Otaviano Pivetta (PDT) conta com 2% das intenções, seguido do juiz Julier Sebastião da Silva, que não é filiado a partido algum, com 1%. O diretor-geral do Dnit Luiz Antônio Pagot também tem 1%. O contingente que disse não votar em nenhum dos nomes, em branco ou nulo chega a 4%. Outros 18% não souberam ou não responderam.

O cenário fica bem mais “apertado” na modalidade espontânea, na qual o eleitor não é confrontado com os nomes dos postulantes. Neste modelo, o eleitor foi apresentado à seguinte pergunta: “se a eleição para governador fosse hoje, em que você votaria?”.

Wilson Santos foi citado por 5% dos entrevistados, assim como Jayme Campos. Apesar de não ser candidato ao Paiaguás, o governador Blairo Maggi aparece com 4%, mesmo percentual atingido pelo seu vice Silval Barbosa. O deputado José Riva tem 3%. Carlos Abicalil, Mauro Mendes e Luiz Antônio Pagot aparecem com 1%. Nada menos que 72% não souberam dizer um nome ou não responderam à pergunta. Três por cento afirmaram que votariam em branco, nulo ou em nenhum. Candidatos com menos de meio por cento somaram 2%.

Na modalidade estimulada, a pesquisa testou também os cenários possíveis em que Jayme Campos ou Wilson Santos abram mão da candidatura.

No primeiro caso, Wilson Santos estaria liderando com folga a corrida pelo governo, com 34% das intenções. Silval Barbosa viria atrás com 18%, seguido de Otaviano Pivetta e Julier da Silva, ambos com 3%. Este cenário não inclui o nome do empresário Mauro Mendes.

Quando confrontado em um cenário sem Silval Barbosa e com Mauro Mendes, Wilson Santos sobe para 39% das intenções, contra 11% do empresário. Pivetta surge com 4% e Julier da Silva, 3%.

No caso em que o candidato da aliança DEM-PSBD é Jayme Campos, o democrata tem 32% da preferência, seguido de Silval Barbosa, com 21%. Otaviano Pivetta e Julier surgem com 3% cada.

Quando Silval Barbosa é retirado da lista dos candidatos, Jayme alcança 35% e Mauro Mendes aparece com 10%. Otaviano Pivetta vem atrás com 4% e Julier da Silva, 3%.

Num eventual segundo turno, a pesquisa mostra que Wilson Santos venceria Silval Barbosa e Mauro Mendes se a eleição fosse hoje. Num dos cenários, o tucano tem 37% das intenções, contra 22% do vice-governador. Neste caso, 11% dos entrevistados disseram não votar em ninguém, nulo ou branco. Trinta por cento não souberam ou não responderam.

Contra Mauro Mendes, a vantagem de Wilson Santos ainda é maior. Ele teria 45% dos votos, ante os 12% de Mauro Mendes. Onze por cento responderam que não votariam em ninguém, em branco ou nulo. Já 33% não souberam ou não responderam. Fonte: Diário de Cuiabá

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...